Comentários sobre o áudio vazado de André Esteves (BTG Pactual)

Após vitória de Covas, Doria se fortalece e ganha adesão do PSDB para 2022

Por Redação

26 de dezembro de 2020 : 11h16

O governador de São Paulo, João Doria (PSDB), ganhou força após a vitória de Bruno Covas contra Guilherme Boulos (PSOL) na capital paulista.

As bancadas tucanas na Câmara e no Senado já comunicaram que vão aderir a uma possível candidatura de Doria contra o presidente Jair Bolsonaro em 2022.

Além dos parlamentares no Congresso, o chefe do executivo paulista também recebeu o aval da Executiva Nacional, governadores e prefeitos eleitos pelo partido, em especial, Bruno Covas.

O deputado federal Rodrigo Castro (PSDB-MG) disse ao Estadão que Doria é a representação de que o PSDB está vivo.

“Doria é o nome mais forte que temos no PSDB, que mostrou em 2020 que está vivo. A vacina é um ativo de quem apostou na ciência e na saúde”

Apoie O Cafezinho

Crowdfunding

Ajude o Cafezinho a continuar forte e independente, faça uma assinatura! Você pode contribuir mensalmente ou fazer uma doação de qualquer valor.

Veja como nos apoiar »

4 comentários

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site O CAFEZINHO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie.

Escrever comentário »

Andressa

27 de dezembro de 2020 às 12h56

BOLSODORIA

Não será esquecido.

Responder

Sebastião

27 de dezembro de 2020 às 12h33

Dória na cabeça de chapa, com Ciro filiado ao DEM e como vice. Pois Ciro disse que preferia se aliar ao PSDB a apoiar o PT. E como em 2022 será Esquerda x Direita, Dória se assumirá como candidato da direita, pois centro não tem eleitores cativos.

Responder

Marcio

26 de dezembro de 2020 às 18h59

Doria ganhar apoio do próprio partido é uma baita informação, é sim, vamos confiar.

Responder

Alexandre Neres

26 de dezembro de 2020 às 14h32

Coincidentemente, um dia após as eleições de Sampa, o estado de São Paulo voltou à fase amarela de restrições da pandemia e só vem piorando desde então. Durante o período eleitoral estava tudo às mil maravilhas. A vacinação estava programada para ocorrer no dia 25 de janeiro, aniversário da capital, o que deve ter ocorrido por mero acaso.

No dia 23/12/2020, aconteceram vários fatos políticos de suma importância e muito ilustrativos. Deveria ter ocorrido a apresentação dos danos da vacina Coronavac, mas mais uma vez foram adiados. O governador Doria recomenda fortemente que a população fique em casa, entrementes ele próprio vai para Miami, lugar de extremo mau-gosto para novorricos deslumbrados. Faça o que eu digo, mas não faça o que eu faço. Neste mesmo dia, juntamente com o prefeito Covas, ambos acabam com a gratuidade do transporte público para idosos de 60 a 65 anos. Para fechar com chave de ouro, por meio da Câmara de Vereadores, o prefeito Covas se concede 47% de reajuste salarial em plena pandemia.

Sobretudo de 2013 a 2016, via a imprensa dita profissional insuflar categoricamente a alternância ao poder como o maior valor democrático, o que nunca valeu para o Tucanistão. A título de exemplo, defenderam Covas com unhas e dentes em 2022. Pra variar. Uma péssima jornalista do UOL, para concluir a entrevista com o Boulos, fez uma pergunta em 38 segundos e deixou o tempo de 6 segundos para ele responder, o que desvela a parcialidade da grande mídia. O eleitor paulista, tão ilustrado, em contraposição a outros que sempre são vilipendiados, deverá escolher em 2022 nomes que já se pode afirmar de antemão de qual partido serão. Por lá, na hora do vamo vê, não interessa essa balela de alternância, o jogo é bruto.

Fiquei esperando o Cafezinho noticiar esses fatos de extrema relevância que acontecerem em 23/12/2020. Qual o quê! Aí vem esta matéria chapa-branca. Será que Dória, tal qual Maia, ACM Neto, Kassab, Baleia Rossi, Temer, é um neo-aliado do neotrabalhismo? Nos saudosos tempos de Brizola, o PDT tinha o grande deputado Caó, agora só tem caô. Homo homini Lupis. Imaginem se tais fatos se dessem em estado e capital governados pelo PT? Quantos editoriais e matérias não iriam brotar como erva daninha por aqui?

Responder

Deixe um comentário

Parlamentarismo x Semipresidencialismo: Qual a Diferença? Fernanda Montenegro e Gilberto Gil são Imortais na ABL: Diversidade Auxilio Brasil x Bolsa Família: O que mudou? As Refinarias da Petrobras À Venda pelo Governo Bolsonaro O Brasileiro se acha Rico ou Pobre?