Mais de 70% dos eleitores já estão decididos sobre o voto presidencial, diz DataFolha

Na CPI, Dimas desmente versão de Pazuello sobre negociação da vacina

Por Redação

27 de maio de 2021 : 17h46

No seu depoimento na CPI da Pandemia, o presidente do Instituto Butantan, Dimas Covas, disse que as tratativas com o Governo Bolsonaro para compra da vacina Coronavac foram paradas em 20 de outubro de 2020.

A afirmação foi em respeito a declaração de Jair Bolsonaro de que não iria adquirir o imunizante. Além disso, a versão de Covas contradiz a do ex-ministro da Saúde, Eduardo Pazuello, que disse no colegiado que a declaração de Bolsonaro não havia interferido na negociação.

“Acreditem, nunca o presidente da República mandou desfazer qualquer contrato, qualquer acordo com o Butantan, em nenhuma vez. A posição de agente político dele ali não interferiu em nada do que nós estávamos falando com o Butantan”, afirmou Pazuello.

O diretor do Butantan também revelou na CPI que ele e Pazuello realizaram três reuniões presenciais em outubro.

“No mês de outubro, fui três vezes ao Ministério da Saúde. A partir do dia 20 de outubro, essas tratativas simplesmente pararam”, disse. Mas no dia seguinte, Bolsonaro mandou cancelar um protocolo de intenção de compras de 46 milhões de doses da Coronavac.

Apoie O Cafezinho

Crowdfunding

Ajude o Cafezinho a continuar forte e independente, faça uma assinatura! Você pode contribuir mensalmente ou fazer uma doação de qualquer valor.

Veja como nos apoiar »

Nenhum comentário

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site O CAFEZINHO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie.

Escrever comentário »


Deixe um comentário