Análise em vídeo das manifestações do 2 de outubro e as vaias a Ciro

Queiroga na CPI: “Não me compete julgar os atos do presidente da República”

Por Redação

08 de junho de 2021 : 11h53

Em seu segundo depoimento na CPI da Covid-19, o ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, foi questionado pelo relator Renan Calheiros (MDB-AL) sobre a conduta de Jair Bolsonaro na pandemia.

“Não me compete julgar os atos do presidente da República”, disse.

Ainda de acordo com o ministro, Bolsonaro não o procurou para saber o posicionamento de Queiroga.

“O presidente da República não conversou comigo sobre a atitude dele. Sou ministro da Saúde e não um censor do presidente da República”, afirmou.

Porém, e logo em seguida, Queiroga caiu em contradição e disse que dialogou com Bolsonaro sobre sua conduta pessoal.

“Quando está comigo, na grande maioria das vezes ele usa máscara”, finalizou.

Assista a sessão na íntegra!

Apoie O Cafezinho

Crowdfunding

Ajude o Cafezinho a continuar forte e independente, faça uma assinatura! Você pode contribuir mensalmente ou fazer uma doação de qualquer valor.

Veja como nos apoiar »

2 comentários

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site O CAFEZINHO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie.

Escrever comentário »

carlos

08 de junho de 2021 às 13h38

Quero aqui com a devida venha, ao senador Oto Alencar ao indagar, ao ministro da saúde Queiroga, sobre blog que o criticou no estado da Bahia, acho que se alguém tem culpa é o presidente da República Jair Bolsonaro e seus filhos milicianos, agora o ministro da saúde está falando a verdade sobre a bula das vacinas, disse que não leu e ponto final, tudo contra o nosso presidente agora esse ministro está falando a verdade. O povo brasileiro tire suas conclusões.

Responder

Pedro

08 de junho de 2021 às 12h34

Isso é um pilantra….tem que ser criminoso, marginal e safado pra aceitar ser ministro nazista

Responder

Deixe um comentário