Paris Café: O PT tem um projeto de governo? Qual é?

Sem provas, Bolsonaro diz que Aécio venceu Dilma em 2014

Por Redação

17 de junho de 2021 : 20h44

Na live de quinta, 17, Jair Bolsonaro voltou a dizer, sem provas, que o sistema eleitoral é fraudulento e insinuou que o então candidato Aécio Neves (PSDB) venceu a disputa presidencial de 2014 contra Dilma Rousseff (PT), que tentava a reeleição.

“As informações que nós tivemos aqui, talvez a gente venha disponibilizar um dia, né, é que em 2014 o Aécio ganhou as eleições”, disparou. Ele também voltou a dizer, sem provas, que “em 2018, eu ganhei em 1º turno”.

Assim como em outras eleições, em 2014 não houve nenhuma comprovação ou indício de fraude no pleito presidencial. Naquele ano, Dilma foi reeleita com 54.501.118 votos (51,64% dos votos válidos), contra 51.041.155 votos (48,36% dos votos válidos) de Aécio.

Após a derrota, o tucano solicitou uma auditoria para verificar a lisura da eleição e um relatório do próprio PSDB reconheceu que não houve fraude. Porém, logo em seguida a legenda criticou o sistema eleitoral e caiu no conto do voto impresso.

Apoie O Cafezinho

Crowdfunding

Ajude o Cafezinho a continuar forte e independente, faça uma assinatura! Você pode contribuir mensalmente ou fazer uma doação de qualquer valor.

Veja como nos apoiar »

3 comentários

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site O CAFEZINHO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie.

Escrever comentário »

CARLOS ARAGÃO FARIAS

18 de junho de 2021 às 16h24

Esse “beócio”, pra não dizer esdrúxulo, subestima o sistema eleitoral, mas usa sua indagação como cortina de fumaça. Sinceramente com mais de 30 anos sendo privilegiado em sua rotina na manutenção de cargo legislativo, consegue chegar ao topo máximo, sendo presidente da nossa república, não busca governar, vive em processo eleitoral, em meio uma pandemia mundial, em um mundo paralelo entre a morte de inocentes , por ausência das práticas de assistência do sistema público, no âmbito federal, permitindo a degradação da sociedade mais vulnerável. Ou seja, genocídio. Em fim, preocupado com a sua permanência a reeleição. Terá seu destino marcado pela dúvida e o desespero da sociedade mais miserável, aonde o sentimento primitivo prevalece como decisão.

Responder

Claudio

18 de junho de 2021 às 07h45

Como ainda tem apoiador é a grande questão.

Responder

Paulo

17 de junho de 2021 às 22h35

Eis o “príncipe deste mundo”, o rei da mentira e da dissimulação…

Responder

Deixe uma resposta