Análise em vídeo das manifestações do 2 de outubro e as vaias a Ciro

Dino propõe auxílio para crianças que perderam os pais pela Covid-19

Por Redação

25 de junho de 2021 : 12h04

Nesta sexta-feira, 25, o governador do Maranhão, Flávio Dino (PSB), anunciou que deve enviar um projeto para a Assembleia Legislativa do estado que propõe um auxílio para crianças e adolescentes que perderam os pais pelo coronavírus no Maranhão.

De acordo com Dino, o valor proposto é de R$500 que será pago até os 18 anos, ou seja, quando o menor atingir a maior idade. Na cobertura do auxílio, o governador inclui famílias que recebem até três salários mínimos por mês.

Devido a Pandemia, o Governo do Maranhão tem adotado medidas para minimizar os impactos sociais e econômicos.

Atualmente, por exemplo, as famílias de baixa renda já recebem um vale gás e os motoristas de aplicativo e mototaxistas são beneficiados com um vale combustível, o valor é proporcional ao número de habitantes do município.

O Maranhão também tem sido destaque na vacinação contra a Covid-19, o município de Alcântara foi o primeiro no Brasil a ter 100% de sua população imunizada. Em São Luís, pessoas com 18 anos já estão sendo imunizadas.

Apoie O Cafezinho

Crowdfunding

Ajude o Cafezinho a continuar forte e independente, faça uma assinatura! Você pode contribuir mensalmente ou fazer uma doação de qualquer valor.

Veja como nos apoiar »

2 comentários

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site O CAFEZINHO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie.

Escrever comentário »

Ronei

25 de junho de 2021 às 12h59

Com qual dinheiro ?

Responder

    EdsonLuiz.

    26 de junho de 2021 às 01h46

    É esta, sempre, a escolha conflitante do economista, Ronei: arbitrar gastos.

    O economista apanha de quem se diz de esquerda e que quer brincar de economista: ” neoliberallll ! ( E eu estou falando de sociólogos e filósofos, não estou falando do meninos militantes que ainda sentem prazer em serem doutrinados ou de cavalos velhos que relincham impropėrios contra os outros por não terem amadurecido e se limpado da lavagem cerebral que sofreram e por isso pensam que sâo de esquerda) e apanha de imbecís (como bolsonaro, por exemplo): ” comunistaaaa ! “.

    Mas é sempre esta decisão conflitante : como arbitrar perdas e como alocar gastos frente à escassez de recursos? A quem dar e de quem tirar?

    Populistas – podem ser os que se dizem de esquerda, como Lula; podem ser os que se dizem ds direita, como bolsonaro – gastam sem pudor, como se or recursos fossem infinitos ou como se não houvesse amanhã. Não são nem de esquerda, nem de direita: são só populistas.

    Todos, quando confrontados com suas demagogas irresponsabilidades, relincham contra a imprensa e ameaçam quem os denuncia e desmascara. E seus militantes doutrinados, cultuadores de Mitos, por seguidismo assumem a irresponsabilidade e a defesa de seus populistas de estimação.

    Mas quando dentro de uma pandemia sanitária mundial como a que estamos vivendo, o conflito, que seria entre preservar o caixa de um país endividado e em estagnação após ter sido jogado em uma recessão criminosa por puro populismo, no caso o populismo dito de esquerda de Lula e do PT, ou prover recursos para alimentação e outras despesas mínimas inevitáveis dos brasileiros surpreendidos pela pandemia, é na verdade um falso conflito: NÃO HÁ DŪVIDA DE QUE DENTRO DE UMA PANDEMIA AS FAMÍLIAS EM GERAL, PARA NÃO ESPALHAREM MAIS OS AGENTES DA MORTE, PRECISAM FICAR EM CASA, COM OS TRABALHADORES IMPOSSIBILITADOS DE SAIR PARA TRABALHAR, E ASSIM FICAM VULNERÅVEIS E SUJEITOS À FOME E AO DESPEJO, E PRECISAM SER SOCORRIDOS PELO GOVERNO CENTRAL.

    Se o povo estiver sendo governado por um presidente covarde, este presidente, mais que o vírus da peste, se transforma ele no agente da morte.

    Foi isto que aconteceu neste país, Ronei: um presidente covarde virou agente da morte contra seu povo, se negando a prover os recursos mínimos para proteger as famílias, e está colhendo já agora aproximadamente 700.000 cidadãos mortos, que estarão em torno de 1.000.000 de mortos (Sim! Um milhão!) ao fim deste drama. Um milhão de meus concidadãos, seus concidadãos, Ronei, concidadãos do presidente covarde que, frio, não se comoveu com a dor de todos.

    Se nas próximas eleições para presidente, Ronei, por falta de opção, você vir algum eleitor consciente apoiar corruptos mastodónticos, incopetentes e farsantes, fomentadores de covardes recessões por populismo e demagogia, queira perdoar: ESSE ELEITOR APENAS ESTARÁ CONSCIENTE DO MAL MAIOR QUE É ELEGER UM SOCIOPATA FRIO, INSENSĪVEL AO PAVOR DE UM MILHÃO DE MORTOS. SERÁ POR ISSO QUE ELE ESTARÁ APOIANDO GENTE COVARDE TAMBÉM, MAS MESMO ASSIM MENOS VENAL QUE UM ASSASSINO EM SÉRIE.

    Mas eu espero que se consiga construir uma opção entre estas duas irresponsabilidades já sabidas e que assustadoramente se anunciam para presidente em 2022.

    Responder

Deixe um comentário