Mais de 70% dos eleitores já estão decididos sobre o voto presidencial, diz DataFolha

Foto: Agência Senado

Em podcast do STF, Alexandre de Moraes critica projeto do voto impresso

Por Redação

27 de junho de 2021 : 10h45

Neste sábado, 26, o ministro do Supremo Tribunal Federal, Alexandre de Moraes, criticou o projeto que está tramitando no Congresso Nacional sobre a implementação do voto impresso no Brasil. “Não contribui para a democracia”, disparou.

Moraes também lembrou que a maioria dos brasileiros acredita nas urnas eletrônicas. De acordo com ele, apenas uma minoria questiona a legitimidade da votação eletrônica, “sem apresentar até agora uma única prova de fraude”, disse ao podcast ‘Supremo na Semana’.

Em relação a discussão sobre o voto impresso, Moraes disse que isso é válido para que o TSE “possa reafirmar a total legitimidade transparência e confiabilidade do voto eletrônico”.

“Não há nenhum problema em se abrir todas portas do TSE para se verificar que nunca houve e dificilmente haverá problema com o voto eletrônico, porque é controlado do início ao fim. Eventualmente se houver necessidade de alterações para uma maior fiscalização a Justiça Eleitoral está aberta. Estamos discutindo não só no TSE, mas no STF também, mas se você me perguntar é necessário hoje para aprimorar a democracia o voto impresso, não é”.

Escute o podcast clicando aqui.

Apoie O Cafezinho

Crowdfunding

Ajude o Cafezinho a continuar forte e independente, faça uma assinatura! Você pode contribuir mensalmente ou fazer uma doação de qualquer valor.

Veja como nos apoiar »

4 comentários

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site O CAFEZINHO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie.

Escrever comentário »

Leandro

27 de junho de 2021 às 15h49

Voto impresso é maior lisura e transparência e principalmente, confiabilidade no resultado das urnas.
Segurança para todos…

Responder

    Ivan ticodhom

    29 de junho de 2021 às 02h17

    A volta da votação em cédula é o maior atraso,com sumiço de urnas como no passado ,troca de números no fechamento da apuração,só quem trabalhou sabe.

    Responder

Hilario

27 de junho de 2021 às 12h22

Cala a boca fascistoide.

Responder

Valeriana

27 de junho de 2021 às 12h04

Nào é papel de juizes das cortes superiores comentar a respeito disso, quem discute isso sao os brasileriros e o Congresso, se o Congresso aprovar nao hà nada na constituiçào que possa impedir isso.

Passou da hora desses parar de por o bico…a opiniao deles nao é a Constituiçào.

Responder

Deixe um comentário