Análise em vídeo das manifestações do 2 de outubro e as vaias a Ciro

Foto: Nelson Almeida/AFP

Movimentos de oposição a Bolsonaro antecipam manifestação para 3 de julho

Por Redação

27 de junho de 2021 : 14h03

Com o derretimento veloz na popularidade de Jair Bolsonaro, os movimentos sociais, sindicatos e outras lideranças da sociedade civil decidiram em reunião neste sábado, 26, que devem antecipar as manifestações contra o Governo Bolsonaro para o próximo sábado, 3 de julho.

Com as denúncias sobre o escândalo de corrupção na compra da vacina indiana Covaxin feitas nesta sexta, 25, pelos irmãos Miranda na CPI da Covid, foi antecipado a mobilização para que o presidente da Câmara, Arthur Lira (PP-AL), aceite um dos mais de 100 pedidos de impeachment protocolados naquela Casa.

Apoie O Cafezinho

Crowdfunding

Ajude o Cafezinho a continuar forte e independente, faça uma assinatura! Você pode contribuir mensalmente ou fazer uma doação de qualquer valor.

Veja como nos apoiar »

3 comentários

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site O CAFEZINHO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie.

Escrever comentário »

EdsonLuiz.

28 de junho de 2021 às 11h41

O que significa o apelo à razão e o afastamento de negacionismos neste nosso Brasil motivado sempre mais por crenças e desejos mais pessoais e de grupos que um sentimento mais geral de país nação?

O que é responder coletivamente e juntos de modo incisivo à necessidade de afastamento de um governante tão mortal, em meio à pandemia, também ela tão assassina quanto o presidente?

A resposta à necessidade de afastamento do presidente-assassino precisa ser dada. Afastar do poder um presidente assassino – ou corrupto, ou traidor, ou ditatorial – é um imperativo da razão, e mesmo sob riscos a manifestação presencial pelo afastamento do presidente atual precisa acontecer.

Mas é preciso, no máximo possível, não ser negacionista, não abandonar a razão.

Uma questão razoàvel que se impõe é ter atenção a um ciclo com que se reúne com riscos de se aglomerar: mesmo com todos os cuidados, distanciamento, uso de máscaras, uso de álcool, não se consegue evitar totalmente que se aglomere.

Então, como sabemos que os que se manifestam são a fração política mais consciente e que esta consciência se estende ao dia-a-dia, no maior cuidado com o outro e consigo, sabemos também que os manifestantes, em sua maioria, se repetem. Isso leva a um apelo necessário á razão: com qual ciclo devem ser convocadas as manifestações pelo “FORA BOLSONARO!”? De sete em sete dias? De duas em duas semanas? Em espaçamento maior, nesta fase de risco atual, com o espectro da cepa delta do Covid-19 nos ameaçando?

Precisamos manter a mobilização, mas cabe ouvir epidemiologisras para saber como, com que ciclo devemos marcar as manifestações de rua para mitigarmos o risco. Se algum manifestante contrai uma cepa mais grave, é muito provavelmente ele que retorna na próxima manifestação. Se estiver portando o vírus, vai trazer o vírus em vez de ajudar a acabar com o vīrus na forma de presidente.

Precisamos nos manifestar contra o presidente-assassino, mas qual o ciclo certo de manifestação que mitigue o risco-covid?

Responder

Marco Vitis

28 de junho de 2021 às 10h10

Impeachment é pouco. Quero CADEIA pra Bolsonaro e todos os seus cúmplices (inclusive os militares traidores do povo brasileiro).

Responder

paulo

28 de junho de 2021 às 09h47

Fico pensando o desespero do PT com isso!

Responder

Deixe um comentário