Análise em vídeo das manifestações do 2 de outubro e as vaias a Ciro

Foto: Reuters

Chamuscadas por escândalos de corrupção, Forças Armadas divulgam nota em defesa de sua imagem

Por Redação

07 de julho de 2021 : 21h29

Com mais de 6000 militares ocupando cargos na cúpula do Governo Bolsonaro, as Forças Armadas estão tentando se distanciar das denúncias de corrupção envolvendo militares na compra de vacinas contra Covid-19.

Os escândalos revelados à CPI não tem feito um estrago somente no resto de credibilidade de Jair Bolsonaro, mas de toda a estrutura militar encrustada no seu governo.

Após o ex-diretor de logística do Ministério da Saúde, Roberto Dias, sair algemado da CPI após mentir sucessivamente no seu depoimento à comissão nesta quarta-feira, 7, o Ministério da Defesa divulgou uma nota para tentar se blindar do constrangimento de ter entre os operadores do esquema, o coronel Elcio Franco que foi Secretário Executivo do Ministério da Saúde, braço direito do general e então titular da pasta, Eduardo Pazuello.

Leia a nota na íntegra!

Brasília, 07/07/2021 – O Ministro de Estado da Defesa e os Comandantes da Marinha do Brasil, do Exército Brasileiro e da Força Aérea Brasileira repudiam veementemente as declarações do Presidente da Comissão Parlamentar de Inquérito, Senador Omar Aziz, no dia 07 de julho de 2021, desrespeitando as Forças Armadas e generalizando esquemas de corrupção.

Essa narrativa, afastada dos fatos, atinge as Forças Armadas de forma vil e leviana, tratando-se de uma acusação grave, infundada e, sobretudo, irresponsável.

A Marinha do Brasil, o Exército Brasileiro e a Força Aérea Brasileira são instituições pertencentes ao povo brasileiro e que gozam de elevada credibilidade junto à nossa sociedade conquistada ao longo dos séculos.

Por fim, as Forças Armadas do Brasil, ciosas de se constituírem fator essencial da estabilidade do País, pautam-se pela fiel observância da Lei e, acima de tudo, pelo equilíbrio, ponderação e comprometidas, desde o início da pandemia Covid-19, em preservar e salvar vidas.

As Forças Armadas não aceitarão qualquer ataque leviano às Instituições que defendem a democracia e a liberdade do povo brasileiro.

Walter Souza Braga Netto
Ministro de Estado da Defesa

Alte Esq Almir Garnier Santos
Comandante da Marinha

Gen Ex Paulo Sérgio Nogueira de Oliveira
Comandante do Exército

Ten Brig Ar Carlos de Almeida Baptista Junior
Comandante da Aeronáutica

Apoie O Cafezinho

Crowdfunding

Ajude o Cafezinho a continuar forte e independente, faça uma assinatura! Você pode contribuir mensalmente ou fazer uma doação de qualquer valor.

Veja como nos apoiar »

4 comentários

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site O CAFEZINHO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie.

Escrever comentário »

Claudio

08 de julho de 2021 às 07h29

Quem se mistura com porco farelo come…

Responder

Rosinei Brandão

08 de julho de 2021 às 01h22

Golpistas desde Deodoro, banda podre militar se uniu ao PP e Centrão, com inúmeros “Primeiro a Propina”. Ora, “dize-me com quem andas e dir-te-ei quem és”. Claro que sei que há políticos e militares bons. Mas não elide os fatos negativos.

Responder

EdsonLuiz.

07 de julho de 2021 às 23h24

Então, muito bem, senhores generais!

A história continua. Como os senhores pretendem dar continuidade à história?

A Nota de Comunicação emitida pelos senhores está assim assinada:

Walter Souza Braga Netto
Ministro de Estado da Defesa

Alte Esq Almir Garnier Santos
Comandante da Marinha

Gen Esq Paulo Sérgio Nogueira de Oliveira
Comandante de Exército

Ten Brig Ar Carlos de Almeida Baptista Júnior
Comandante da Aeronáutica

A nota é assinada por quatro militares. O ministro Walter Souza Braga Netto assina a nota sem a referência militar, mas ele é general do exército.

Que tal continuar a história sem um militar
ocupando a pasta da defesa, simbolizando assim o compromisso de um Brasil com suas forças armadas submetidas ao poder civil?

Responder

Marco Vitis

07 de julho de 2021 às 21h53

Senhores Militares: infelizmente, os seus comandantes ajudaram a eleger esse criminoso (condenado pelo próprio STM) e temos um governo de militares ocupando o Poder Executivo. Milhares de militares das três Armas, recebendo duplos salários, são cúmplices dessa quadrilha que nos governa e que é responsável por inúmeros atos de corrupção e pela morte de centenas de milhares de brasileiros. Foram descobertos até militares traficando drogas.
Se vocês ainda têm um pouco de vergonha na cara, se restou um pouco de honra, passem a respeitar os brasileiros que vocês deveriam defender. Ou tomem cloroquina misturado com leite condensado.

Responder

Deixe um comentário