Analista da Ideia fala sobre “voto útil” dos eleitores de Ciro a Lula no 1° turno

Moro volta a dizer que não será candidato a deputado e defende indulto a Daniel Silveira

Por Redação

25 de abril de 2022 : 14h45

Nesta segunda-feira, 25, o ex-juiz parcial Sérgio Moro reiterou que não vai se candidatar a deputado federal por São Paulo. Como se sabe, o ex-ministro de Bolsonaro trocou o Podemos pelo União Brasil após um convite de Luciano Bivar (PE).

Em entrevista ao UOL, Moro declarou que a desistência de sua pré-candidatura ao Palácio do Planalto ocorreu, por exemplo, com o objetivo de “ajudar a construir o centro democrático”. 

“Vou analisar adiante se vou participar ou não das eleições. (…) Pode ser que eu não seja candidato a nada”, emendou.

Além disso, o ex-juiz defendeu uma espécie de “indulto parcial” ao deputado federal Daniel Silveira (PTB-RJ), condenado no STF por atos antidemocráticos e ameaças contra ministros da Suprema Corte.

“Minha crítica diz respeito à desproporção da pena [de Silveira]. Se o presidente tivesse concedido indulto parcial poderia ter evitado esse tipo de crise. O indulto total também é muito difícil de concordar. Gera uma possibilidade de escalada nessa crise entre esses dois poderes”, defendeu Moro.

Apoie O Cafezinho

Crowdfunding

Ajude o Cafezinho a continuar forte e independente, faça uma assinatura! Você pode contribuir mensalmente ou fazer uma doação de qualquer valor.

Veja como nos apoiar »

3 comentários

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site O CAFEZINHO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie.

Escrever comentário »

Paulo

26 de abril de 2022 às 00h31

Moro mostra-se sóbrio, mais uma vez: uma solução de compromisso que evitaria tanto mal estar…Essa decisão do STF só dá moral a um desatinado e rematado imbecil bolsonarista…

Responder

Alexandre Neres

25 de abril de 2022 às 18h19

De desproporção de pena, Moro entende. Estipulou a pena de Lula com base em conta de chegada para mantê-lo encarcerado por mais tempo.

Agora está concordando com a decisão esdrúxula de Bolsonaro, pois sempre afrontou o STF. Um juiz de piso que nos seus dias de glória colocou uma faca no pescoço do Supremo e pensou que iria lograr êxito no afã de subverter a ordem. Além disso, o marreco não nutre nenhum apreço pela democracia, haja vista sua interferência indevida nas eleições de 2018.

Não se pode olvidar que Moro deve estar de olho em obter uma graça assim do presidente de plantão, desde que não seja o Lula, devido à sua extensa capivara ao ter corrompido o sistema judicial, destruído empregos e empresas nacionais e ter obtido vantagens pecuniárias em razão disso.

Responder

Tony

25 de abril de 2022 às 14h55

….atos antidemocráticos e ameaças a suprema côrte.

Ou seja, foi condenado por nada porquê “atos antidemocráticos” não significa nada e asneiras são ameaças a inteligência humana e
a ninguém mais.

De supremo não tem nada essa corte.

Responder

Deixe um comentário

O Xadrez para Governador da Bahia O Xadrez para Governador de Minas Gerais O Xadrez para Governador de São Paulo O Xadrez para Governador do Rio de Janeiro Novo Presidente da PETROBRAS defende preços altos Cadê o churrasco do povo, Bolsonaro? Preço explodiu! Conservadores? A atual juventude brasileira O Indulto sem Graça de Bolsonaro Os Principais Eleitores de Lula Os Principais Eleitores de Ciro Gomes