Mais de 70% dos eleitores já estão decididos sobre o voto presidencial, diz DataFolha

Foto: Antonio Augusto/Secom/TSE

Quaest confirma: é um levante contra Bolsonaro!

Por Miguel do Rosário

17 de agosto de 2022 : 13h56

A pesquisa Quaest divulgada hoje confirma o que tínhamos observado na BTG de segunda e na Ipec de terça: o crescimento de Lula junto ao povo humilde.

Lula está crescendo de baixo para cima, com muita força, num movimento que corresponde a uma imenso levante popular contra Bolsonaro.

Entre famílias com renda familiar até dois salários, Lula avançou três pontos e chegou a 55% dos votos totais, o que corresponderia a 62% dos votos válidos.

Bolsonaro hoje tem 27% dos votos totais dos mais pobres, e a terceira via desabou para 7%.

Um outro movimento interessante mostrado pela pesquisa é a queda de Bolsonaro na classe média, de 45% para 41% entre eleitores com renda superior a 5 salários, e uma oscilação positiva de 1 ponto para Lula, que chegou a 33%.

Entre eleitores com renda de 2 a 5 salários, Lula se manteve estável, com 41%, ainda à frente de Bolsonaro, que pontuou 37%.

Essa é mais uma pesquisa realizada após grande parte dos depósitos do Auxílio Brasil, com valor ampliado para R$ 600, terem sido já realizados.

E o que se viu é uma prova de maturidade e independência do povo, que está seguindo as orientações de Lula, para sacar o Auxílio e dar uma banana para Bolsonaro.

Segundo a Quaest, Lula subiu cinco pontos entre os beneficiários do Auxílio, de 52% para 57%, ao passo que Bolsonaro caiu dois pontos, de 29% para 27%.

Dois gráficos da Quaest, todavia, mostram que Bolsonaro ainda pode crescer até o dia da eleição, e que o resultado pode ser mais apertado do que os números hoje parecem indicar.

O primeiro gráfico trata do “medo” do eleitorado: uma maioria de 45% respondeu que seu maior medo é a “continuidade de Bolsonaro”, mas há ainda um total de 40% que menciona a “volta do PT” como seu maior medo.

O outro gráfico pergunta se Bolsonaro merece um segundo mandato. Uma maioria de 54% acha que não, que ele não merece, mas 44% responderam que sim. Perguntados se Lula, por sua vez, merece voltar a ser presidente, uma maioria de 54% respondeu que sim.

Lula recuperou um ponto e tem hoje agora 45% dos votos totais, segundo a Quaest. Mas Bolsonaro também avançou, e chegou a 33%. A terceira via ficou estagnada em 10%.

Na espontânea, o cenário é de estabilidade, com Lula mantendo uma vantagem de 8 pontos sobre Bolsonaro, 33% X 27%. Ciro Gomes empacou no 1%, e daí não desde junho, depois de ter avançado para 2% nos primeiros meses do ano.

No cenário de segundo turno entre Lula e Bolsonaro, Lula vence por 51% X 38%, 13 pontos de diferença. É o menor intervalo entre os dois desde o início da pesquisa.

O crescimento de Bolsonaro parece inteiramente concentrado no eleitorado evangélico, onde ele chegou a 52% dos votos totais, contra 28% de Lula.

No segmento católico, porém, uma maioria esmagadora, de 52% dos votos totais, prefere Lula. Bolsonaro segue estagnado há meses entre católicos, com 27%.

Na análise por região, chama atenção a dança das cadeiras no Sudeste, com Bolsonaro oscilando para baixo e Lula avançando, deixando o placar em 39% X 37% para o petista.

No Nordeste, Lula mantém vantagem de 40 pontos sobre Bolsonaro: 61% X 21%.

O gráfico abaixo nos dá uma imagem do peso proporcional dos três grandes grupos de renda usados pelo Quaest. Os mais pobres, com renda familiar até 2 salários, correspondem a 38% do eleitorado. O grupo seguinte, com renda de 2 a 5 salários, a 40%. O extrato mais rico, com renda acima de 5 salários, responde por 22%.

Alguns analistas tem alertado para a desatualização das estatísticas oficiais relativas à renda no Brasil, por causa do corte de recursos que o governo fez no IBGE, além do problema causado pela pandemia. Mas se há desatualização, seguramente seria a de não mostrar o aumento da pobreza no país. Ou seja, se houvesse um censo agora, ele provavelmente mostraria um percentual maior de pobres, uma categoria que, segundo todas as pesquisas, tende a votar mais no Lula. Em outras palavras, se o censo fosse atualizado, isso poderia valer mais alguns pontos para Lula nas pesquisas.

A pesquisa Quaest realizou 2.000 pesquisas presencias entre os dias 11 e 14 de agosto, e custou R$ 139 mil, pagos pelo banco Genial. A íntegra do relatório pode ser baixada aqui.

Conclusão

Essa é mais uma pesquisa que mostra um cenário eleitoral consolidado,  com Lula se mantendo como favorito para vencer as eleições. Em votos válidos, o petista seria escolhido por 51% dos brasileiros, segundo a Quaest divulgada hoje, o que lhe daria vitória no primeiro turno.

Entretanto, Bolsonaro também mostra força. O presidente tem um eleitorado extremamente duro, com pouca disposição para mudar. Segundo a Quaest, 78% dos eleitores de Bolsonaro responderam que sua decisão é “definitiva”.

Ainda pode vir alguma surpresa da terceira via, mas não do jeito que seus representantes esperam. O mistério da terceira via se resume ao dilema: seus eleitores migrarão para Lula ou Bolsonaro. Na Ipec divulgada ontem, vimos que 62% dos eleitores de Ciro admitiram que podem mudar seu voto ainda no primeiro turno. Pela proximidade ideológica entre PT e PDT, o mais racional seria que esses eleitores transferissem sua escolha para Lula. Mas há um setor cirista que cultiva um antipetismo tão radicalizado e irracional, a ponto de abandonar Ciro ainda no primeiro turno e votar em Bolsonaro. Provavelmente, todavia, é uma minoria. A maioria dos ciristas deve migrar para Lula mesmo.

Miguel do Rosário

Miguel do Rosário é jornalista e editor do blog O Cafezinho. Nasceu em 1975, no Rio de Janeiro, onde vive e trabalha até hoje.

Apoie O Cafezinho

Crowdfunding

Ajude o Cafezinho a continuar forte e independente, faça uma assinatura! Você pode contribuir mensalmente ou fazer uma doação de qualquer valor.

Veja como nos apoiar »

11 comentários

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site O CAFEZINHO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie.

Escrever comentário »

carlos

18 de agosto de 2022 às 07h28

A pateta de sempre, que aparece por aqui, só a manada de gado de burro e porcos tudo doente nenhum está vacinado .

Responder

Carlos Bananaro

17 de agosto de 2022 às 21h58

Que dia este petralhume imundo enfrentou alguém que movimenta tanta gente espontaneamente e de graça ? https://fb.watch/eZhEldqoQB/

Que dia este petralhume imundo enfrentou alguém sem ser um jogo de cartas marcadas com os Alckmin da vida ?

Que dia este petralhume imundo enfrentou alguém sem ter as chaves dos cofres para financiar ilegalmente as campanhas, o congresso e todo o aparato ?

Há antecedentes na história de ex presidentes da República pluricondenados por lavagem de dinheiro e corrupção, que puxaram dois anos de cadeia e que disputaram e eventualmente ganharam as eleições 20 anos depois das últimas ?

Responder

    Batista

    18 de agosto de 2022 às 14h13

    Apenas Juiz de Fora, com aproximadamente 600 mil habitantes, tem mais de 420 mil eleitores e no vídeo não mais que 10 mil pessoas juntam-se no sempre movimentado coração da cidade polo da região, para verem o presidente da república que não sai da pauta, entre o bem e o mal, a verdade e a mentira, a realidade e a virtualidade paralela, acompanhado da não menos propagandeada evangélica primeira dama, a discursar, exaltar o bem e exorcizar o mal e os demônios, exatamente no local em que 4 anos antes fora esfaqueado enquanto candidato, ou seja, menos de 3% dos eleitores da cidade e menos ainda da região, deram-se ao prazer de mexerem-se para ocularmente testemunharem o histórico acontecimento, sem precedentes, ainda mais tratando-se de uma grande cidade do interior de Minas.

    Pouco, muito pouco, ‘Tiririca’ ou ‘Luva de Pedreiro’, sem convocação prévia, certamente atrairiam, ao menos, o dobro de fãs e curiosos em geral.

    E por falar em maioria de eleitores, adivinha de qual partido apareceu a Margarida para ser a primeira mulher eleita para governar Juiz de Fora, na eleição de 2020, com facada e tudo?

    Responder

Jhonatan

17 de agosto de 2022 às 20h41

O Brásil será uma democracia o dia que as redes de TV começarem a fazer programas de debates e assuntos importantes em horário nobre disponíveis para qualquer pessoa no lugar das palhaçadas das novelas ou do futebol como é em qualquer país minimamente normal.

São sempre os mesmos programas, as mesmas coisas ridículas há décadas e nada muda, nada de sério e importante é levado aos brasileiros…tem algo atrás disso ?

Responder

Zulu

17 de agosto de 2022 às 20h35

Há a sequer pesquisa do primeiro turno de 2018 que acertou ou chegou perto do resultado ?

Se alguém tem é só mostrar….

Responder

dudu

17 de agosto de 2022 às 18h29

A arrogancia e o autoritarismo deste cabaeça de penis é vergonhoso, é este tipo de gente que pinta e borda com a passividade dos brasileiros. acostumados a ser tratados como idiotas e mandados de cima para baixo desde sempre.

Responder

carlos

17 de agosto de 2022 às 18h12

Bolsonaro e os arredores, do Palácio estão mais para total proselitismo, mas eles esqueceram de 14:14 Jesus está pelejando para que povo possa pelejando contra as mentira dessa família miliciana.

Responder

carlos

17 de agosto de 2022 às 18h06

Todo povo brasileiro sabe, que a família é uma de mandrião, isso já vem desde de 27 anos passados e não seria hoje que eles iriam mudar.

Responder

Sá Pinho

17 de agosto de 2022 às 17h46

Pois é, nesse negócio de guerra santa, em que ‘Bolsonaro usa Deus’, de nada adianta, se para o povo ‘Deus usa Lula’.

Responder

Kleiton

17 de agosto de 2022 às 14h52

Levante de cú é rola….kkkkkk

Responder

Deixe um comentário