Mais de 70% dos eleitores já estão decididos sobre o voto presidencial, diz DataFolha

Imagem: Reprodução

Felipe Nunes analisa entrevista de Ciro Gomes ao JN

Por Redação

24 de agosto de 2022 : 10h27

Por Felipe Nunes

Foi a vez de monitorar a entrevista de Ciro Gomes no Jornal Nacional (TV Globo). Os dados da Quaest revelam que, na média, 2 milhões de pessoas foram impactadas com postagens sobre a entrevista durante sua exibição.

Os três momentos em que Ciro recebeu mais apoio nas redes foram: (1) quando se apresentou como a solução para reconciliar o Brasil, (2) quando sugeriu um novo modelo de governo fora do presidencialismo de coalização e (3) ao falar de soluções para chuvas e desastres.

Os três momentos em que Ciro se saiu pior foram: (1) quando falou do isolamento do PDT, (2) quando igualouLula e Bolsonaro, e (3) quando disse que seria impossível falar em acabar com desmatamento, que precisaria do zoneamento do território ecológico.

Na média, Ciro obteve 54% de menções positivas, contra 46% de menções negativas considerando todo o período da entrevista.

5/ Abaixo, as palavras mais citadas pelas pessoas que comentaram a entrevista: ‘reconciliar o Brasil’, ‘renda mínima’, ‘Bonner e Renata’.

Felipe Nunes é cientista político e CEO da Quaest

Apoie O Cafezinho

Crowdfunding

Ajude o Cafezinho a continuar forte e independente, faça uma assinatura! Você pode contribuir mensalmente ou fazer uma doação de qualquer valor.

Veja como nos apoiar »

3 comentários

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site O CAFEZINHO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie.

Escrever comentário »

Felipe

24 de agosto de 2022 às 18h08

Caro Sebastião, me chama a atenção a sua retórica, como também a do Miguel do Rosário.
Vocês, como muitos outros, considerando que citou, falavam bem do Ciro Gomes porque, provavelmente, compartilhavam das suas ideias. De repente, por algum motivo tosco, que é a percepção de as pessoas ficavam excitadas quando o Ciro era elogiado, você desenvolveu “repulsa” por ele. Ora, você acaba de dizer que o amava e não ao seu plano de governo, ao seu projeto nacional. E eis aí a grande questão que hoje permeia o Brasil. As pessoas me parecem incapazes de separar a persona do personagem. Uma coisa é o Ciro ser antipático, falastrão, arrogante. Outra é ele se incompetente. Me parece que falta ao povo a capacidade de entender que o cargo de Presidente deve ser ocupado por alguém que apresente como principal aptidão a administração pública. Então, perceba que no histórico de Ciro Gomes administrador existem mais acertos do que erros, ou não?
Se assim é o que está nos anais da história, penso que o importante é sua capacidade de colocar em prática aquilo que defende. E, se ele defende um programa que tem indicadores que farão o país mudar de rumo, é claro que é o candidato ideal pra receber o seu, o meu e de milhões de brasileiros.
Quanto ao Miguel, por respeito ao seu trabalho, e considerando que sou filho de jornalista, conhecedor das dificuldades que essa profissão impõe aos profissionais, entendo que ele tenha sido cooptado pela sobrevivência, algo comum no ambiente.
Porém, me chama a atenção não só dele como do grupo DCM e 247, para não citar outros, a defesa de voto em favor do Lula por tudo que foi escancarado de corrupção do governo do PT.
Ora, a Dilma, tenho certeza de que caiu porque odiava essa conduta de seus parceiros de partido e da coligação, mas o Lula? Veja, o Lula também teve até sua alma ‘scaneada” e pelo que consta nada foi encontrado que justificasse corrupção pessoal, mas o partido se entranhou na pior ganância de perpetuação no poder pelo poder. Quantos “aliados” foram contemplados? Quantos esquemas desmontados? Inúmeros, foi muita grana pelo ralo. A troco de quê? Nada, o PT não fez nenhuma mudança estrutural no Brasil, ou será que estou tão desatualizado?
É muito chato resumir a minha e provavelmente a sua inteligência a essa onda de que é preciso eleger o Lula para derrotar o Bozo. Ué, por quê não elegemos Ciro ou a Tebet para derrotar o Bozo?
O PT teve quatorze anos no poder, foi do céu ao inferno e nos deixou a companhia de muitos demônios bozotarianos soltos a perturbar a horda de decentes e de paz no Brasil. Não me julgo “do bem”. Acho arrogante, eis que todos assim o são até que se prove contra.
Enfim, se você foi um simpatizante do Ciro eu entendo e aceito, mas é preciso gostar mesmo do PND que ele defende. É nesse que vou votar e espero que reflita para também o fazer.
Um abraço e saudações.

Responder

marco

24 de agosto de 2022 às 15h32

Gozado penso o mesmo da ‘petezada “.

Responder

Sebastião

24 de agosto de 2022 às 14h48

Eu participava até 2018, de grupos de apoio a Ciro. E se num post falavam de Ciro, se um Twitter falava de Ciro. Tínhamos que ir, pra fazer comentários positivos. Encher os post de mensagens. E a cada curtida no post, se entendia como apoio. Além das curtidas nós comentários. E quando se viam comentários de pessoas fora da bolha cirista, os militantes entravam em êxtase.

Tínhamos que agir, com efeito manada. Era acordado hastags também, pra impulsionar as redes sociais de Ciro.

Sair dos grupos, quendo percebi que estavam ficando fanáticos e atacando o aliado Lula, quando há pouco tempo na época, Ciro era só elogios a Lula.

Desde então, fiquei com repulsa de Ciro Gomes, porque ele sabe que a militância dele é fanática e instiga.

Existe fanatismo em todos os campos políticos. Lulistas, bolsonaristas, moristas e ciristas. Agora os mais articulados e organizados. Seja pra defender o chefe deles, criticar, caluniar e xingar opositores do chefe, são os ciristas.

Responder

Deixe um comentário