Mais de 70% dos eleitores já estão decididos sobre o voto presidencial, diz DataFolha

Crédito: EPA

Nova Constituição é rejeitada por 62% dos chilenos

Por Redação

05 de setembro de 2022 : 07h22

Neste domingo, 4, a proposta da Nova Constituinte foi rejeitada por 62% dos votos válidos ante 38% favoráveis ao texto. Ao todo, foram 7,5 milhões de votos pelo rechaço e 5 milhões pela aprovação. O voto foi obrigatório para os maiores de 18 anos.

Com a decisão da maioria, a Constituição de 1980 continua em vigor e haverá uma nova disputa no processo constituinte. Alguns pontos considerados polêmicos serão discutidos entre os parlamentares.

O governo de Gabriel Boric defende uma nova Convenção Constitucional para que o texto seja refeito após a derrota. Já a oposição chilena, liderada pelo bloco de centro-direita, defendem um novo plebiscito para que o povo decida sobre a nova Carta.

Os principais pontos de discórdia do povo chileno são vinculadas as questões dos povos indígenas, pauta ambiental e a reivindicações de gênero e sexualidade.

Outro ponto em destaque que foi rejeitado pela maioria é a proposta do Estado Plurinacional que reconheceria cerca de dez nações indígenas. As etnias representam 12% da população do Chile, são elas: Mapuche, Aymara, Rapa Nui, Lickanantay, Quechua, Colla, Diaguita, Chango, Yaghan e Selknam.

Apoie O Cafezinho

Crowdfunding

Ajude o Cafezinho a continuar forte e independente, faça uma assinatura! Você pode contribuir mensalmente ou fazer uma doação de qualquer valor.

Veja como nos apoiar »

2 comentários

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site O CAFEZINHO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie.

Escrever comentário »

marco

05 de setembro de 2022 às 12h39

Dividir países é pauta “Otan” ,travestir, revindicações historicas com o esfraquecimento da soberania do país não tem o consenso na sociedade , isso serve para o Chile e tambem para o Brasil.
Ver o Lula agarrado a lideranças de povos originários que pedem a “intervenção humanitária ” a John Kerry vai fazer o Lula perder as eleições.
O revisionismo histórico e a satanização das maiorias vai nos fazer perder as eleições.

Responder

Fanta

05 de setembro de 2022 às 08h31

O tiro pegou de raspão, se salvaram por pouco.

Responder

Deixe um comentário