Ato em defesa da imprensa

Lula abraça causa da regulamentação democrática da mídia

Por Miguel do Rosário

16 de maio de 2014 : 16h54

Estou em São Paulo, participando do 4º Encontro Nacional de Blogueiros e Ativistas Digitais, que você pode assistir ao vivo no site do Barão de Itararé.

Ao longo dos próximos dias, escreverei alguma coisa sobre o evento. Aliás, ainda estou devendo ainda textos sobre o nosso encontro de blogueiros no Rio.

A cobertura da mídia à fala de Lula na abertura do encontro nacional de blogueiros tinha de omitir, naturalmente, a parte principal de seu discurso.

Não agisse assim, não seria a velha mídia golpista de guerra.

Na verdade, talvez tenhamos que agradecer a mídia. Não fosse tão mentirosa, os blogs não seriam tão essenciais para termos um contraponto às notícias.

Lula leu um texto de Franklin Martins que explica, didaticamente, que todos os países desenvolvidos do ocidente possuem sistemas de regulamentação da mídia. França, EUA, Austrália, Alemanha, todos os países tem normas de mídia. Nos EUA, é terminantemente proibido a propriedade cruzada: um canal de TV não pode ter um jornal impresso e vice versa.

Não só isso. Reino Unido e União Europeia criaram, recentemente, novos parâmetros legais para coibir abusos da imprensa corporativa e fomentar a pluralidade de opiniões.

Pela primeira vez, Lula defende, de maneira direta, objetiva e com muita segurança, uma regulamentação democrática da mídia brasileira, para quebrar monopólios.

O prefeito de São Paulo, Fernando Haddad, presente no encontro, também fez um discurso bastante articulado, defendendo normas e leis que garantam a pluralidade de ideias no debate público. Ele lembrou que, no Brasil, além da propriedade cruzada, há o emprego cruzado. O cartel midiático só emprega gente do clubinho. Band emprega Monica Bergamo da Folha. A Globonews emprega Eliane Cantanhede, também da Folha. Reinaldo Azevedo, da Veja, agora tem programa na CBN. É sempre a mesma curriola. Não muda.

Alexandre Padilha, candidato a governador no estado de São Paulo, também estava presente.

Lula deixou claro que pretende ser aliado da blogosfera na luta pela democratização da mídia. Ele comparou os blogs a Davids lutando contra Golias muito mais poderosos do que o personagem bíblico, porque não basta tacar uma pedrinha em sua cabeça. Esse Golias tem inúmeras cabeças e infinitos tentáculos, espalhados por toda parte.

A postura de Lula pode representar uma nova etapa na luta pelo aprofundamento da democracia brasileira. O ex-presidente prometeu que, de agora em diante, não irá dar nenhuma entrevista para a grande imprensa sem mencionar, com prioridade, a necessidade de uma regulamentação democrática dos meios de comunicação.

Ele também defendeu a criação de uma constituinte exclusiva para formular e aprovar uma verdadeira reforma política no país.

O ex-presidente lembrou que o Brasil foi o último país da América Latina a criar sua primeira universidade, o último a obter independência política, o último a abolir a escravidão. E deixou implícito que está caminhando para ser o último a aprovar uma regulamentação democrática da mídia, que estimule a pluralidade e contenha a concentração dos meios de comunicação em mãos de poucos.

Ele admitiu estar preocupado com a despolitização da juventude, o que poderia vir a se tornar uma semente de tendências nocivas ao regime democrático. A negação da política, repetiu Lula várias vezes, não gera nada de bom.

“Acha que Lula não presta? Ótimo! Então entra na política e faz melhor. O que não pode é negar a política.”

Como não podia deixar de ser, o discurso de Lula foi recheado de piadas ferinas contra a oposição. Ele disse que os blogueiros de São Paulo, se forem chamados de sujos, a culpa é de Alckmin, por causa da falta d’água. Assista ao vídeo.

 

BLOG99

Miguel do Rosário

Miguel do Rosário é jornalista e editor do blog O Cafezinho. Nasceu em 1975, no Rio de Janeiro, onde vive e trabalha até hoje.

Apoie O Cafezinho

Crowdfunding

Ajude o Cafezinho a continuar forte e independente, faça uma assinatura! Você pode contribuir mensalmente ou fazer uma doação de qualquer valor.

Veja como nos apoiar »

21 comentários

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site O CAFEZINHO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie.

Escrever comentário »

Frederico Luiz

19 de maio de 2014 às 14h10

Miguel,

Olha só, O Estado do Maranhão, de propriedade da governadora Roseana Sarney, publica que um prefeito morto em 2013 apoia o candidato Lobão Filho à sua sucessão.

Eles nem publicam a seção erramos…

E nada acontece. Uma coisa é a liberdade de expressão, outra é a liberdade de mentir….

http://www.aldeiaglobal.net.br/2014/05/eleitorado-morto-no-maranhao-arma-de.html

Responder

Messias Franca de Macedo

17 de maio de 2014 às 21h30

“(…)
A concessão de um canal de TV objetiva a prestação, por particulares, de um serviço público de informação, entretenimento e educação. Não cabe aos concessionários, ou aos seus propostos, emitir qualquer tipo de opinião. Editorial cabe em jornal impresso, uma atividade privada, e não numa TV locatária de um espaço público privilegiado. O dever das emissoras é o de veicular opiniões divergentes, manifestadas por agentes políticos e sociais, dando ao telespectador a possibilidade de formar a sua própria opinião. Donos das emissoras e apresentadores não receberam da sociedade nenhum mandato para opinarem sobre o que quer que seja e devem ser democraticamente impedidos de agir assim.”
Por Laurindo Lalo Leal Filho – de São Paulo
Laurindo Lalo Leal Filho, é sociólogo e jornalista, é professor de Jornalismo da ECA-USP.

Em
Exemplos de irresponsabilidade

16/5/2014 – 13:50

FONTE: http://correiodobrasil.com.br/noticias/opiniao/exemplos-de-irresponsabilidade/704576/?utm_source=newsletter&utm_medium=email&utm_campaign=b20140517

Responder

Messias Franca de Macedo

17 de maio de 2014 às 21h12

[MAIS UM] MENSALÃO DO ‘miniSTÉRIO público’ e do Judiciário! Procurador-geral da República investiga fraudes em auxílio-moradia.

FONTE: http://www1.folha.uol.com.br/poder/2014/05/1456097-procurador-geral-investiga-auxilio-moradia.shtml

Responder

Messias Franca de Macedo

17 de maio de 2014 às 13h14

Jornalistas da Rede Globo denunciam emissora por várias irregularidades, inclusive assédio moral

Por jornalista Antonio Mello

(http://blogdomello.blogspot.com.br/2014/05/jornalistas-da-rede-globo-denunciam.html)

FONTE: http://jornalistas.org.br/index.php/jornalistas-da-rede-globo-querem-que-ministerio-do-trabalho-esclareca-ilegalidades-na-emissora/

Responder

Manelito Magalhaes

17 de maio de 2014 às 12h29

Enquanto o PMDB for maioria no Congresso Nacional e no Senado, nao vamos conseguir a regulamentaçao da mídia nem as reformas necessárias.
Temos que votar em massa no PT e no PCdoB para que consigamos avançar.

Responder

Manelito Magalhaes

17 de maio de 2014 às 11h59

Se ficarmos com os braços cruzados a Globo vai decidir as eleiçoes em favor do PSDB.
Temos que tomar as ruas numa campanha gigantesca contra a Globo e o PIG.
Neste momento só o povo pode parar a Globo!!!!
A regulamentaçao da mídia só sairá no ano que vem. Nao podemos esperar mais vamos para cima da Globo!!!!

Responder

rildoferreiradossantos@gmail.com

17 de maio de 2014 às 11h31

Se Lula entrar nessa, convocar encontros públicos, aí essa mídia vai à bancarrota. Só ele tem capacidade para aglutinar pessoas em torno de um ideal assim.

Responder

Paulo Cesar

17 de maio de 2014 às 11h24

É interessante, em época de campanha todos falam o que os eleitores querem ouvir, como por exemplo a regulamentação e democratização dos meios de comunicação.

Entretanto, o Planalto e nossa presidenta Dilma continuam financiando a mídia familiar com os “critérios técnicos” na distribuição de verbas. Inclusive contratam jornalista da Veja que escreveu a primeira, de várias, reportagens a respeito do mensalão contra o Gushiken, conforme denuncia o Viomundo.

Se fosse para valer, deveriam começar hoje as mudanças, a começar pelo corte das verbas públicas desses meios de comunicação. Deveriam deixar todos sem dinheiro. Mas, não é isso o que Dilma “Controle Remoto” acredita. O problema do controle remoto é mudar para qual emissora equilibrada e imparcial?

Além disso, não custa lembrar que há quase um ano, durante as manifestções de junho, tanto Dilma quanto Falcão e Lula desautorizaram a militância que cobrava a “Leio dos Meios”.

Diante desses fatos, será que o atual discurso é para valer ou depois da eleições nada vai mudar?

Responder

Vera Lúcia Piesanti Molinar

17 de maio de 2014 às 12h04

não deixaram ele fazer, não lembra da gritaria da mídia e da oposição? parecia que o mundo ia desabar.

Responder

Veronica M Almeida

17 de maio de 2014 às 03h21

Ele cobra agora, mas quando podia não fez…

Responder

Messias Franca de Macedo

17 de maio de 2014 às 00h07

A mensagem insidiosa do catastrofismo

“O noticiário negativo [sobre a Copa do Mundo] é para influenciar o eleitor”

Por Luciano Martins Costa em 14/05/2014 na edição 798

Comentário para o programa radiofônico do Observatório, 15/5/2014

FONTE: http://www.observatoriodaimprensa.com.br/news/view/a_mensagem_insidiosa_do_catastrofismo

ou aqui: http://www.viomundo.com.br/denuncias/luciano-martins-costa-o-interesse-do-noticiario-negativo-e-o-de-influenciar-o-eleitor.html

Responder

Messias Franca de Macedo

16 de maio de 2014 às 23h45

Dilma & Gianca

Me pedem a opinião sobre a visita de Giancarlo Civita, o Gianca, a Dilma.
Minha resposta cabe numa frase curta: perda de tempo.
Dilma, para a Veja, será sempre o “neurônio solitário”, como a chama Augusto Nunes, o gênio cosmopolita de Taquaritinga ganhador de Nobeis e Pulitzers.
Tive a fugaz esperança de que a Veja se modernizasse mentalmente depois da morte de Roberto Civita, com Gianca e seu irmão Titi, até pela idade.
Mas aconteceu o contrário. A revista conseguiu piorar.
Um exército de seguidores de Olavo de Carvalho tomou a revista: Rodrigo Constantino – quando darão o Nobel de Economia a ele? –, Felipe Moura Brasil e Lobão. Fora eles, a revista tem há tempo um filho espiritual de Olavo, Reinaldo Azevedo.
Olavo de Carvalho comanda hoje a Veja.
Seria mais útil, caso Dilma quisesse discutir questões de conteúdo – defender que tem mais de um neurônio, por exemplo –, chamar diretamente Olavo de Carvalho para uma conversa.
Com Gianca, se eu fosse Dilma, levaria a conversa para outra direção. Trataria de uma coisa chamada gratidão. Gratidão não com Dilma, não com o PT, mas com o Brasil.
O avô de Gianca, Victor Civita, era um ítalo-americano absolutamente inexpressivo quando, com mais de 40 anos, na década de 1950, veio tentar a sorte no Brasil.
Victor Civita veio para fazer gibis da Disney. Encontrou um país acolhedor para imigrantes como ele e fascinante para um candidato a empreendedor.
Fez gibis e depois revistas.
Jamais ele teria chance nos Estados Unidos, que abandonou para vir para o Brasil. Revistas nos Estados Unidos eram coisa para homens brilhantes como Henry Luce, que inventou a Time.
Mas o Brasil estava em construção, e Victor Civita pôde erguer – sem ser um editor como Luce, sem ter escrito um único artigo na vida – um império de mídia.
O Estado ajudou. A Abril obteve, como todas as empresas de mídia, múltiplos financiamentos do BNDES a taxas de juros maternais.
O dinheiro do contribuinte foi também transferido para a Abril, ao longo de muitos anos, por publicidade oficial que pagava tabela cheia quando todos os demais anunciantes já conseguiam expressivos descontos.
Para você entender: uma página dupla da Veja custava, para qualquer anunciante privado, x reais, ou cruzados, ou cruzeiros novos, ou o que fosse. Para o governo, custava duas ou três vezes mais.
Testemunhei isso em meus anos de executivo na mídia.
Com uma mistura de senso de oportunidade e mamatas, Victor Civita fez uma empresa tão grande que ele pode dividir em duas e dar uma fatia a cada filho – Roberto e Richard — no começo dos anos 1980.
O Brasil continuaria a mimar os Civitas. Quando a globalização se instalou no mundo e no Brasil, um dos raríssimos setores que continuaram a gozar de reserva de mercado foi a mídia.
Já escrevi algumas vezes que, numa defesa da Globo à reserva, foi dito que uma televisão chinesa poderia nos transformar em maoístas subversivos, caso o mercado fosse aberto e os chineses investissem em tevê.
Gianca e Titi nunca chegaram a trabalhar duro, e em certos momentos simplesmente não trabalharam. Mesmo assim, estão – como mostra a revista Forbes – entre os brasileiros mais ricos, com a morte de seu pai.
São cerca de 60 anos de Civitas no Brasil. Não sei exatamente o que deram em troca para o país, assim como não sei o que a Globo ou a Folha deram. (Tenho para mim que teriam lutado contra a desigualdade se tivessem uma missão que fosse além dos interesses privados.)
Mas todos sabemos o que o Brasil fez por eles.
E como o Brasil é tratado?
Se fizer uma arqueologia, leia o que escrevia sobre o país Diogo Mainardi. Se quiser ser atual, consulte Reinaldo Azevedo. O Brasil é a “Banânia”.
Sabemos todos quanto é deletério convencer uma pessoa de que ela é um horror. O mesmo vale para um país. Você não precisa inventar elogios para uma pessoa ou para um país. Mas também não precisa inventar insultos.
Penso que a única maneira de dar alguma utilidade a uma conversa com Gianca seria essa. Dilma poderia resumir seu encontro com Gianca numa única questão: “Caramba, Gianca, você conhece uma palavra chamada gratidão?”

Postado em 15 mai 2014por : Paulo Nogueira

O jornalista Paulo Nogueira é fundador e diretor editorial do site de notícias e análises Diário do Centro do Mundo.

FONTE – http://www.diariodocentrodomundo.com.br/dilma-gianca/

Responder

Messias Franca de Macedo

16 de maio de 2014 às 22h19

O melhor vídeo comparativo entre governos é este de Marcelo Adnet, feito em 2010

Inteligente, mordaz, divertidíssimo, Marcelo Adnet dá um show e mostra este Brazil com vergonha do Brasil.
Gravado em 2010, quando Marcelo ainda estava na MTV, o vídeo ainda dá pistas do que acontece agora, quando, ao final, ele avisa que tem que ir para uma reunião onde estão planejando um golpe para 2014…

Por jornalista Antonio Mello

http://blogdomello.blogspot.com.br/2014/05/o-melhor-video-comparativo-entre.html

http://www.youtube.com/watch?v=jrUVle5wdPY#t=72

Responder

Messias Franca de Macedo

16 de maio de 2014 às 21h32

BOMBA! Jornal ‘O Globo’: [cai joaquim barbosa!]

TCU livra Henrique Pizzolato de desvio de recursos do Banco do Brasil –

Por jornalistas Jailton de Carvalho e carolina Brígido Publicado:19/07/12 – 22h40 Atualizado:20/07/12 – 9h19 BRASÍLIA

FONTE – http://oglobo.globo.com/pais/tcu-livra-henrique-pizzolato-de-desvio-de-recursos-do-bb-5530647

Responder

Armando Veras

16 de maio de 2014 às 18h37

Esse sujeito perdeu três eleições, ficou oito anos no governo e nunca falou em regulação da mídia, especialmente quando estava na oposição; agora que é um simples ex-presidente, não tem delegação do povo para nada, quer calar a boca da mídia porque ela não lhe fica bajula como os blogueiros amestrados. É um mau caráter, só isso!

Responder

Luciano

16 de maio de 2014 às 18h25

O problema central, o grande inimigo, é unicamente a MÍDIA! A mídia derrubou o presidente eleito na Ucrânia, a mídia atormenta a Venezuela, e é a mídia que está sabotando o Brasil e a Petrobras neste exato momento, pois ela tem um poder e liberdade muito maiores que as instituições democráticas. Os americanos quando querem derrubar um governo, usam a impressora de dólares para financiar a mídia do país alvo do golpe para instalar caos, desordem e desacreditar o governo. São mestres nisso, pois conhecem o poder da informação sobre as pessoas. A mídia é mais eficiente que uma invasão militar. Não temos que censurar, mas, a imprensa tem um poder grande demais para ficar totalmente livre. Eu não votei na família Civita, eu não votei nos Frias, eu não votei nos irmãos Marinho, ninguém votou! Mas eles estão aí, mandando no Brasil e na opinião dos brasileiros. E enquanto eles continuarem no poder, a ditadura não será derrubada. Sim! Ela não foi derrubada! É Ley de medios, ou nada!

Responder

Paulo Rodrigo

16 de maio de 2014 às 20h39

regulamentação ja, pro produtor regional de conteúdo tr acesso á tv aberta

Responder

CICERO DE LIMA E SOUSA

16 de maio de 2014 às 17h27

A disposição de LULA em “partir o bolo que come a grande imprensa(GLOBO), precisa ser apoiada pela sociedade em geral, pelo PT e partidos aliados, pois se não partirem firme, a GLOBO com os tucanos e aliados farão um grande circo perigoso.

Responder

Vitor

16 de maio de 2014 às 17h27

Os “blogueiros sujos” são extremamente importantes para a sociedade! É através deles que diversas informações, que não chegam pela grande mídia, atingem a sociedade!
Só não podem se transformar nos blogueiros petistas, senão irão virar apenas um espelho da grande mídia tucana.

Responder

Jello Biafra

16 de maio de 2014 às 17h24

Lula é um deus político. Tenho orgulho de Lula ser brasileiro. Avante PT. Vamos transformar esse país.

Responder

Jose Roberto

16 de maio de 2014 às 20h17

Só os amigos do rei

Responder

Deixe uma resposta