Análise em vídeo das manifestações do 2 de outubro e as vaias a Ciro

Barbosa mergulha em seu próprio vazio

Por Miguel do Rosário

02 de julho de 2014 : 15h02

De fato, a saída de Barbosa não poderia ser mais melancólica, e sintomática de uma gestão perturbada, sempre baseada em acusar, acusar, acusar.  Ao invés de juiz, Barbosa arvorou-se no Grande Promotor, ou pior, no Grande Justiceiro, e assim foi aclamado, com ajuda da mídia.

Saca só a capa do Globo de hoje:

ScreenHunter_4140 Jul. 02 14.55

Na chamada de capa, Barbosa diz que “a Corte não é lugar para quem tem vínculos com determinados grupos e certas corporações”.

Grupos? Corporações?

Barbosa faz acusações sem nome, lançadas no vazio. Que tipo de grupos? O new kids on the block? O PT? O Green Peace?

Que corporações? Seria a Globo, que lhe deu o prêmio Faz Diferença, empregou seu filho, e onde o último ex-presidente, Ayres Brito, arrumou uma sinecura de luxo como presidente do Instituto Innovare?

Não podia deixar de reproduzir esse post do Conversa Afiada, que traz um poema de um dos meus poetas preferidos, T.S.Eliot.

No Conversa Afiada.

Barbosa, o homem vazio

O último dia do Presidente Barbosa no Supremo foi um estampido de baixa intensidade.

Acusados sem nome, princípios inarticulados, ausência de legado, e um lugar comum que atinge o peito com uma punhalada: sai de “alma lavada”!

Encerrou-se assim, como sempre foi, agora se vê: como um homem vazio, de palha.

Na companhia de T. S. Eliot.

Clique aqui para ler “O ocaso de Barbosa. Sem poesia”.

Os Homens Vazios
T. S. Eliot
(Tradução de Heber Costa)

I

Somos os homens vazios.
Somos os homens empalhados.
Tombando juntos
com capacetes cheios de palha.
Que desgraça!
Nossas vozes ressecadas,
quando sussurram juntas,
são mansas e incompreensíveis
como o vento na grama seca
ou ratos por sobre os cacos
de nossa adega consumida.

Forma sem formato,
sombra sem cor,
Força paralisada
num gesto sem movimento.

Aqueles que viram com os próprios olhos
o Reino da Morte.
Lembrem-se de nós
— se é que lembrarão —
não como almas perdidas e violentas,
mas como os homens vazios.
Os homens empalhados.

[…]

III

Esta é a terra dos mortos.
Esta é a terra dos cactos.
Aqui os ídolos de pedra são erigidos,
aqui recebem súplicas
da mão de um homem morto
sob os últimos cintilos
de uma estrela que se apaga.

Não é assim que é
no Reino da Morte?
Caminhando na solidão
até a hora em que
trememos de ternura
e os lábios que outrora beijavam
fazem preces às pedras fendidas.

IV

Os olhos não estão aqui.
Não há olhos aqui,
neste vale de estrelas decadentes,
neste vale vazio.
Esta mandíbula fraturada de nossos reinos perdidos.

E, neste último lugar de encontro,
tateamos para junto dos outros
fugindo à fala.
Reunidos às margens de um rio profundo.

Sem a visão, a menos que
os olhos reapareçam
como estrela perene,
rosa multifoliada
do Crepúsculo, o reino da Morte:
a esperança que resta
aos homens vazios.

V

[…]
Entre a idéia
e a realidade,
entre o movimento
e a ação,
recai a Sombra.

Porque Teu é o Reino

Entre a concepção
e a criação,
entre a emoção
e a reação,
recai a Sombra

E a vida é longa demais

Entre o desejo
e o espasmo,
entre a latência
e a existência,
entre a essência
e a descendência,
recai a sombra.

Porque Teu é o Reino

[…]

Porque é assim que o mundo termina
Porque é assim que o mundo termina
Porque é assim que o mundo termina
Não com um estampido,
mas com um lamento.

Ler no original.

day-after

Repórter da Globo, Zileide Silva, tira “selfie” com Joaquim Barbosa.
858954113

Miguel do Rosário

Miguel do Rosário é jornalista e editor do blog O Cafezinho. Nasceu em 1975, no Rio de Janeiro, onde vive e trabalha até hoje.

Apoie O Cafezinho

Crowdfunding

Ajude o Cafezinho a continuar forte e independente, faça uma assinatura! Você pode contribuir mensalmente ou fazer uma doação de qualquer valor.

Veja como nos apoiar »

14 comentários

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site O CAFEZINHO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie.

Escrever comentário »

Ivan da Costa

02 de julho de 2014 às 22h07

Onde estavam os amantes dele que nao foram aclamar seu idolo de pes com lama? Ingratos, esqueceram do seu crepusculo. kkkkkkk

Responder

Maria Eduarda

03 de julho de 2014 às 00h58

brabosa

Responder

Ricardo Borgneth

03 de julho de 2014 às 00h20

Ele é bizarro ! Como assim botar corrupto na cadeia em pleno Brasil !?!? Truculento, mal humorado, rude … mas totalmente necessário num país dominado por uma organização criminosa. Só foi ele sair que as ratazanas começaram a ter progressão mesmo sem ter cumprido 1/6 da pena. Já sinto saudade desse maluco!

Responder

Otacilio Pereira Quintans

02 de julho de 2014 às 23h58

Faltou Alcool a 70%

Responder

Marcus Rogeres

02 de julho de 2014 às 23h48

Que nada o homem saiu com um prestigio la em cima..so corruptos nao vêem

Responder

Newton Bello

02 de julho de 2014 às 21h20

Que consciência, Maria Do Carmo?

Responder

Maria Do Carmo Evangelista

02 de julho de 2014 às 21h12

Que tenha muito peso de conciência!

Responder

Messias Franca de Macedo

02 de julho de 2014 às 16h23

… Até hoje soa ordinário e repugnante em meus ouvidos o *decano do **”supremoTF” pronunciar, direto do plenário do STF, via as ondas eletromagnéticas das Concessões Públicas (sic) de Televisão e emissoras de rádio: ***”Os mensaleiros do PT agiam como bandoleiros de estradas!”
*o mesmo ‘advogado de merda’, segundo o jurista Saulo Ramos
**”supremoTF”: aspas monstruosas e letras submicroscópicas! Portanto, nós podemos inferir que, no ‘braZil’, “a corte suprema” é, absolutamente, ÍNFIMA! O que não deixa de ser um risco iminente à nossa subdemocracia de bananas!
***O mensalão do PT porquanto o MENSALÃO do PSDB/DEMo nunca será julgado! Ali, sim, dinheiro público surrupiado, Bemge, Cemig, Copasa… Queira ver: http://pt.wikipedia.org/wiki/Mensal%C3%A3o_tucano

Responder

Messias Franca de Macedo

02 de julho de 2014 às 16h22

Janio de Freitas: Joaquim Barbosa e o leitor black bloc mental

publicado em 1 de julho de 2014 às 11:52

FONTE: http://www.viomundo.com.br/politica/janio-de-freitas-2.html

Responder

Messias Franca de Macedo

02 de julho de 2014 às 16h20

UM CADÁVER INSEPULTO! ENTENDA

… [Entre outras estripulias] O joaquim barbosa argumentou que não participou da Sessão Plenária do STF que julgou o recurso do José Dirceu porquanto estaria “preparando o discurso de despedida”!… *Ontem (01/07/2014), participou da última sessão enquanto ‘MINIstro’ da “corte suprema”, e saiu sem, ao menos, proferir a tal chicana – perdão, ato falho – discurso!…
*ontem, dia histórico! ‘Capiche’?!

… O JB dos ‘selfies’ com a jornalista Zileide [Silva?!] &$ outros(as) ‘amigos(as) dos patrões barões do PIG’ retrata um ‘cadáver insepulto’! E nada mais!…

República Destes Bananas
Bahia, Feira de Santana
Messias Franca de Macedo

Responder

Messias Franca de Macedo

02 de julho de 2014 às 16h18

RESÍDUO

http://www.youtube.com/watch?v=18FkamLxzdg

################

Grandes São os Desertos, e Tudo é Deserto
Álvaro de Campos
(Heterônimo de Fernando Pessoa)

O poema aqui:
http://www.citador.pt/poemas/grandes-sao-os-desertos-e-tudo-e-deserto-alvaro-de-camposbrbheteronimo-de-fernando-pessoa

Responder

Ines Linden

02 de julho de 2014 às 18h56

Show!

Responder

Claudia Aparecida

02 de julho de 2014 às 18h18

muito bo0m!

Responder

Teresa Pereira

02 de julho de 2014 às 18h04

Sabe dizer se ele deu a última patada liberando o pedido do Aécio?

Responder

Deixe um comentário