Mais de 70% dos eleitores já estão decididos sobre o voto presidencial, diz DataFolha

Exportação de veículos cresce 25% em 2015, diz Anfavea

Por Redação

09 de janeiro de 2016 : 15h16

Entidade das montadoras destaca acordos bilaterais firmados pelo Brasil com países da América Latina e projeta crescimento nas vendas externas em 2016

no Portal Brasil

A venda no exterior de carros produzidos no Brasil cresceu 24,8% no ano passado, na comparação com 2014, conforme balanço divulgado, nesta quinta-feira (7), pela Associação Nacional dos Fabricantes de Veículos Automotores (Anfavea). Foram comercializados 417 mil veículos entre janeiro e dezembro de 2015, ante 334,2 mil no mesmo período do ano anterior. A expectativa é que as exportações cresçam 8,1% em 2016. “Acreditamos que, em 2016, haverá um aumento das exportações, ocasionado pelo esforço das empresas em expandir negócios externos em um momento cambial oportuno”, disse o presidente da Anfavea, Luiz Moan.

De acordo com a entidade, somente em dezembro foram vendidos no exterior 46,2 mil veículos, o que representou um crescimento de 97,2% em relação ao total de 23,4 mil registrado no último mês de 2014.

O aumento expressivo nas exportações na reta final do ano coincide com a assinatura de acordos comerciais firmados pelo governo brasileiro com países da América Latina. Os mais expressivos acordos bilaterais foram acertados com o México, que prevê isenção de imposto de importação para os veículos brasileiros até 2019.

Em 2016, o acordo prevê uma cota livre de impostos de até US$ 1,56 bilhão em carros brasileiros no mercado mexicano. Já com a Colômbia, a isenção tributária começa neste ano para 12 mil unidades, com aumento de carros até 2018, quando serão liberados de impostos 50 mil veículos.

O Brasil renovou, ainda, o acordo de exportação para a Argentina e firmou um amplo acordo de livre comércio no setor com o Uruguai – o primeiro do gênero firmado no âmbito do Mercosul. Um novo tratado está sendo concluído com o Paraguai, tendo como contrapartida a compra pelo Brasil de autopeças fabricadas no parceiro do Mercosul.

As exportações de caminhões tiveram alta de 17,7%, com a comercialização de 20,9 mil unidades em 2015, ante 17,7 mil em 2014. Já a remessa externa de ônibus atingiu 7,3 mil unidades, após crescimento de 10,9% sobre as 6,6 mil de 2014.

Produção

A Anfavea estima um crescimento de 0,5% na produção de veículos para 2016, a partir do câmbio favorável para as exportações e desfavorável para as importações de veículos, que devem ser substituídos por modelos nacionais. Segundo a entidade, a previsão está alinhada com a perspectiva de “uma estabilidade do contexto macroeconômico, maior número de dias úteis e expectativa de lançamentos” pelas montadoras.

Em 2015, as montadoras venderam 2,57 milhões de unidades, o que significou uma retração de 26,6% em relação as 3,5 milhões de 2014. Já a produção de veículos terminou 2015 com redução de 22,8%, na comparação das 2,43 milhões de unidades do ano passado com as 3,15 milhões do ano anterior 2014.

A produção de caminhões caiu 47,1%, com 74,1 mil unidades em 2015 e 140 mil em 2014. O segmento de ônibus também registrou queda de 38,9%, com 16,8 mil unidades licenciadas em 2015, contra 27,5 mil de 2014.

O presidente da Anfavea avaliou que a confiança do consumidor foi testada ao longo de 2015 e que, diante da instabilidade política, levou ao recuo nas vendas. “O cenário político de 2015 contribuiu para a redução da confiança dos consumidores e investidores. A consequência disso é o adiamento da compra, pois se criou uma expectativa por definições para dar maior previsibilidade e propiciar um melhor planejamento”, afirmou Moan.

Fonte: Portal Brasil, com informações da Anfavea

 

Apoie O Cafezinho

Crowdfunding

Ajude o Cafezinho a continuar forte e independente, faça uma assinatura! Você pode contribuir mensalmente ou fazer uma doação de qualquer valor.

Veja como nos apoiar »

83 comentários

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site O CAFEZINHO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie.

Escrever comentário »

Almeri Ianzer

11 de janeiro de 2016 às 02h27

Pois é, e eles só dizem o contrário

Responder

Jose Iran

11 de janeiro de 2016 às 00h27

Tão exportando os 1. 0 também?

Responder

Benito Quintanilha

10 de janeiro de 2016 às 23h31

Nao vende aqui, tem que exportar, ao mesmo tempo que algumas marcas tiveram queda nas vendas, de alguns modelos, de até 45%, com o encalhe do estoque a única oportunidade foi vender para o exterior. Esse é um dos motivos do superavit da balança comercial, as empresas equipamentos pesados, carros, motos, tratores e indústria química, sentiram a crise no mercado interno, desistiram de importar insumos, em virtude do dólar alto, passaram a exportar ou a priorizar o mercado externo, medida essa que também cria o desemprego.

Responder

Benito Quintanilha

10 de janeiro de 2016 às 23h31

Nao vende aqui, tem que exportar, ao mesmo tempo que algumas marcas tiveram queda nas vendas, de alguns modelos, de até 45%, com o encalhe do estoque a única oportunidade foi vender para o exterior. Esse é um dos motivos do superavit da balança comercial, as empresas equipamentos pesados, carros, motos, tratores e indústria química, sentiram a crise no mercado interno, desistiram de importar insumos, em virtude do dólar alto, passaram a exportar ou a priorizar o mercado externo, medida essa que também cria o desemprego.

Responder

Ge Munhoz

10 de janeiro de 2016 às 21h49

É a crise………

Responder

Adilio Marcuzzo Junior

10 de janeiro de 2016 às 20h54

Mas os petralhas não estão dizendo que há uma crise mundial ??? Como estamos vendendo tanto para o mercado externo ???

Responder

Felipe Henrique

10 de janeiro de 2016 às 19h08

Tem que desovar o que está encalhado aqui.
Carros com preços deeproporcionais ao que é oferecido.

Responder

Paulo Amorim

10 de janeiro de 2016 às 16h35

Essa Crise de Piratas!!!!!!

Responder

Renato Ungaretti

10 de janeiro de 2016 às 15h03

not too bad

Responder

Vinicius Oliveira

10 de janeiro de 2016 às 13h44

Poluição e mais poluição. Comprem os elétricos

Responder

Fábio Durães

10 de janeiro de 2016 às 13h12

Puta que pariu!

O Brasileiro gosta de marca americana, européia e chinesa. Aí vem os fabricantes e colocam suas indústrias no nosso Brasil onde cada carro vendido para um brasileiro enche o bolso do extrangeiro e o Brasil continua fudido. O brasileiro não valoriza o mercado nacional e acho correto os altos impostos dos produtos importados.

Responder

Maria Mlsa Malsa

10 de janeiro de 2016 às 13h05

DESMONTE DAS EMPRESAS NACIONAIS – uma coisa que fico pasma….sabemos que multinacionais com Siemens financiam campanha e estão na corrupção e são protegidas pela grande mídia…então, vejam que a globo, a veja, a epoca, a band e tantas outras, em se tratando de corrupção trucidam apenas as empresas nacionais e nunca as internacionais…por que será? até na corrupção elas são menos corruptas que nossas empreiteiras? Destroem a imagem de nossas empresas, das empresas nacionais, mas as internacionais, com ASTHON E SIEMENS ficam de fora…..nossa grande mídia é anti patriótica até nisso…somente nossos empresários são esquartejados em praça pública e os internacionais, como HSBC, SANTANDER e tantas outras da operação Zelotes, p. ex., ficam de fora? não tem nada de errado nisso, não? por que apenas as empresas nacionais são punidas e expostas na grande imprensa? dá pra pensar…por que protegem os BILDERBERGS CORRUPTOS? O QUE PRETENDE NOSSA JUSTIÇA E GRANDE IMPRENSA…ARRASAR AS EMPRESAS BRASILEIRAS PARA QUE AS MULTINACIONAIS POSSAM TOMAR O PAÍS, DE VEZ? o que se faz por poder, prestígio e riqueza……

Responder

Nikolau Maquiavel Vinci

10 de janeiro de 2016 às 13h05

Os Veículos…

Responder

Nikolau Maquiavel Vinci

10 de janeiro de 2016 às 13h01

Comentando – Os veiculos produzido no Brasil para exportar o custo por unidade é 50% mais Barato do que fica para vender para os Brasileiro. Além do incentivo que a Anfavea Recebe do Governo federal onerosas Fatias Financeiras; a dispeito dos anos 1964 até nosso dias: A industria Brasileira e os Bancos, estão Viciada em obter Vantagem em detrimento de Outros Setores a Exemplo a Saúde Falida em regiões populosas, e Bilhões sendo Gastos com Finacismo Facista em São paulo

Responder

Jose Laz Laz Lazaro

10 de janeiro de 2016 às 12h40

Ainda bem que Paises emergentes,como a Argentina ainda compram carroças brasileiras viva a ARGENTINA

Responder

Fabrício Cerradero DuBrasil

10 de janeiro de 2016 às 12h04

outro capitalista sem nenhum centavo de capital pra investir na bolsa, ou ter acções da petro….. fazem ainda merchan pra comprar títulos da d´viida pública….. Chora Fábio….. é que não conhece o Esgoto-Jornalismo Golpista Mancomunado ao PSDB e seus históricos. Esse meme já ate decorei as refutações. kkkk

Responder

Fabrício Cerradero DuBrasil

10 de janeiro de 2016 às 11h59

ué? que diabo de crise é essa? kkk (ironic mode on)

Responder

Evando Nunes II

10 de janeiro de 2016 às 11h34

Claro né BURRO, com o real desvalorizado frente ao dólar a tendência maior na exportação. Já o mercado interno……..

PT MONGOLOIDE!!!!

Responder

Guilherme M. Veroneze

10 de janeiro de 2016 às 10h19

Lógico… Com o mercado interno DEPRIMIDO com queda HISTÓRICA, só resta à indústria exportar, aproveitando o dólar hipervalorizado… Mais uma vez, olhando só a árvore e se esquecendo da floresta. Olhando fato isolado, sem olhar toda a conjuntura. Pergunto-me se é má fé ou se é desconhecimento… E olha que já está virando um padrão esse tipo de postagem seletiva… Hehehe :D

Responder

Moisés Oliveira

10 de janeiro de 2016 às 10h12

Recorde negativo de vendas de automóveis. Fiasco total. Montadoras fechando e demitindo.

Responder

Westley Batista

10 de janeiro de 2016 às 10h02

A zona do Euro está em crise (exceção: Alemanha), estando em crise não compram da China. A China não vendendo, não compra do Brasil. Assim está delineado como a crise internacional nos afeta.

Responder

Paulo Roberto Tardin Jr.

10 de janeiro de 2016 às 02h09

Com o dolar a 4 reais torna-se competitivo mesmo….mas com a atividade industrial caindo 15% ao ano, dificil vai ser continuar produzindo carros pra exportar

Responder

Sergio Mallaco

10 de janeiro de 2016 às 01h14

Olha isso Denisson Pinto ! KKKKKKKKKKKKKKKKKK

Responder

Jober Dias

10 de janeiro de 2016 às 00h45

Foto antiga, são Spacefox produzidas na Argentina.

Responder

Marcus Vinicius Meschini

09 de janeiro de 2016 às 23h53

Acabaram as MPS Bandidas que Lula assinava pra enriquecer filhos né ?? É o que resta.
Kkkkkkkkkk, com a destruição que o PT cometeu na economia, os caras estão empatando e baixando o custo pra mandarem embora.
Onde já ouviram que o Brasil exportava veículos ???
Até ontem esse site pago pelo governo, enaltecia o consumo de carros, aliás outra bosta que o PT fez no Brasil via MP fraudulenta do Lula.

Responder

    Fabrício Cerradero DuBrasil

    10 de janeiro de 2016 às 12h01

    tem carro? tem né…. =P

    Responder

    Marcus Vinicius Meschini

    10 de janeiro de 2016 às 13h19

    Fabrício Cerradero DuBrasil, tenho, já está pago e comprei antes do governo Lula, trabalho duro desde os 11 anos, nunca dependia de governo salafrário para ter minhas coisas.
    E VC ?? Adora uma MP que foda com o trabalhador, pra comprar uma Romizeta ??
    Parece que sim.

    Responder

Cezar Nascimento

09 de janeiro de 2016 às 23h35

Ou burro ! Não é carro ,é carroça ! E outra ,deixa de ser tendencioso, porque nem o governo comemora esses números.

Responder

Valtair Almeida

09 de janeiro de 2016 às 23h11

Mais divisas para o Brasil que fechou 2015 com US$ 368,7 bilhões, praticamente 10 vezes maior que os US$ 37,6 bilhões que o Lula encontrou ao assumir em 2003.

Responder

Alex Souza de Assis

09 de janeiro de 2016 às 23h00

Kkkkk acha porque a kristininha caiu? Tudo exportado pra argentina pq o mercado no brasil estava estagnado.

Responder

Alex Souza de Assis

09 de janeiro de 2016 às 23h00

Kkkkk acha porque a kristininha caiu? Tudo exportado pra argentina pq o mercado no brasil estava estagnado.

Responder

Robson Lopes

09 de janeiro de 2016 às 22h50

E acabou de sair no Jornal Nacional que o Brasil vendeu em 2015 4,8 milhões de veículos usados. Há de se frisar, que mesmo com o aumento do dólar, um usado aqui, compra um novo lá fora.

Responder

Robson Lopes

09 de janeiro de 2016 às 22h50

E acabou de sair no Jornal Nacional que o Brasil vendeu em 2015 4,8 milhões de veículos usados. Há de se frisar, que mesmo com o aumento do dólar, um usado aqui, compra um novo lá fora.

Responder

Mauricio Bernardi

09 de janeiro de 2016 às 21h59

Notícia boa não dá manchete.

Responder

Daniel Castro

09 de janeiro de 2016 às 21h51

Nós brasileiros deixamos de pagar pelo preço abusivo das montadoras, por isso focaram a venda onde o giro é maior.
E lá vendem muito mais barato

Responder

Eduardo Santtos

09 de janeiro de 2016 às 21h42

Uauuuuu!!! Saímos da crise!!!

Responder

Naarson Duailibe

09 de janeiro de 2016 às 21h33

Dólar 4 por um aumenta exportações lógico agora o mercado interno quebrado.

Responder

Naarson Duailibe

09 de janeiro de 2016 às 21h27

Isso é bom minimiza um pouco a perda do mercado interno devido a recessão causada pelo desgoverno dos bandidos da esquerda tupiniquim.

Responder

Naarson Duailibe

09 de janeiro de 2016 às 21h17

Com dólar super valorizado em relação ao real, isso é reflexo da desvalorização do real.

Responder

Fabrício Mito

09 de janeiro de 2016 às 20h07

Responder

Raimundo Pimentel

09 de janeiro de 2016 às 20h03

Responder

Raimundo Pimentel

09 de janeiro de 2016 às 20h02

Responder

Sérgio Carvalho Campos

09 de janeiro de 2016 às 19h08

Kkkkk exportação senhores. Favor divulgar os dados do mercado interno. Têm coragem? A crise não é externa? Não entendi… “Me engana que eu gosto”.

Responder

Polyana Matos

09 de janeiro de 2016 às 18h56

É a crise ! Kkkkk

Responder

Kennedy Santos

09 de janeiro de 2016 às 18h50

Chora, Sérgio Carvalho Campos…você é metalúrgico e não sabia disso?

Responder

Simone Dos Santos

09 de janeiro de 2016 às 18h46

Coxinhas cortando os pulsos em 1,2,3

Responder

Vitor

09 de janeiro de 2016 às 15h51

É o câmbio, estúpido!

Responder

Deixe um comentário