Análise em vídeo das manifestações do 2 de outubro e as vaias a Ciro

Aprovação de Dilma sobe para 22%; 40% são contra impeachment

Por Redação

25 de fevereiro de 2016 : 13h54

Comentário do blog: Os números são ótimos para o governo, porque revelam que a tese do impeachment não emplacou. Para ser socialmente possível, o impeachment precisa se tornar quase unanimidade nacional. Se 40% dos entrevistados se dizem contra o impeachment, então isso o inviabiliza.

***

Veja os resultados da 130ª Pesquisa CNT/MDA

Presidente da CNT, Clésio Andrade, falou sobre os resultados em entrevista coletiva à imprensa

na CNT

A 130ª Pesquisa CNT/MDA, realizada de 18 a 21 de fevereiro de 2016 e divulgada pela Confederação Nacional do Transporte (CNT), mostra a avaliação dos índices de popularidade do governo e pessoal da presidente Dilma Rousseff.

Aborda também a expectativa da população sobre emprego, renda, saúde, educação e segurança pública. Os entrevistados foram questionados sobre crise econômica e consumo, operação Lava Jato, eleições 2018, zika vírus e outros assuntos.

Foram entrevistadas 2.002 pessoas, em 137 municípios de 25 Unidades Federativas, das cinco regiões. A margem de erro é de 2,2 pontos percentuais com 95% de nível de confiança.

Avaliação do governo e do desempenho pessoal da presidente


Federal: A avaliação do governo da presidente Dilma Rousseff é positiva para 11,4% dos entrevistados, contra 62,4% de avaliação negativa. A aprovação do desempenho pessoal da presidente atinge 21,8% contra 73,9% de desaprovação.Estadual: 2,5% avaliam o governador de seu Estado como ótimo. 20,1% como bom, 39,1% como regular, 13,7% como ruim e 19,9% como péssimo.Municipal: 6,1% avaliam o prefeito de sua cidade como ótimo. 23,2% como bom, 29,3% como regular, 13,1% como ruim e 26,2% como péssimo.

Expectativa (para os próximos 6 meses)

Emprego: vai melhorar: 16,3%, vai piorar: 50,8%, vai ficar igual:  31,4%

Renda mensal: vai aumentar: 17,5%, vai diminuir: 29,0%, vai ficar igual: 51,8%

Saúde: vai melhorar: 15,4%, vai piorar: 48,0%, vai ficar igual: 35,6%

Educação: vai melhorar: 18,1%, vai piorar: 37,1%, vai ficar igual: 43,7%

Segurança pública: vai melhorar: 15,5%, vai piorar: 49,4%, vai ficar igual: 34,1%

CONJUNTURAIS


Eleição Presidencial 2018

1º turno: Intenção de voto espontânea
Aécio Neves: 10,7%
Lula: 8,3%
Marina Silva: 3,9%
Jair Bolsonaro: 3,2%
Dilma Rousseff: 1,6%
José Serra: 1,3%
Geraldo Alckmin: 0,8%
Outros: 2,5%
Branco/Nulo: 17,7%

Indecisos: 50,0%

1º turno: Intenção de voto estimulada

CENÁRIO 1: Aécio Neves 24,6%, Lula 19,1%, Marina Silva 14,7%,

Jair Bolsonaro 6,1%, Ciro Gomes 5,8%, Branco/Nulo: 19,6%, Indecisos: 10,1%

CENÁRIO 2: Lula 19,7%, Marina Silva 18,0%, Geraldo Alckmin 13,8%,

Ciro Gomes 7,4%, Jair Bolsonaro 6,3%, Branco/Nulo: 24,2%, Indecisos: 10,6%

CENÁRIO 3: Lula 19,7%, Marina Silva 17,8%, José Serra 14,5%,

Ciro Gomes 7,2%, Jair Bolsonaro 6,4%, Branco/Nulo: 24,1%, Indecisos: 10,3%

2º turno: Intenção de voto estimulada

CENÁRIO 1: Aécio Neves 40,6%, Lula 27,5%, Branco/Nulo: 25,7%,

Indecisos: 6,2%

CENÁRIO 2: Aécio Neves 43,1%, Ciro Gomes 16,7%, Branco/Nulo: 31,6%,
Indecisos: 8,6%

CENÁRIO 3: Aécio Neves 38,4%, Marina Silva, 26,6%, Branco/Nulo: 27,4%,
Indecisos: 7,6%
CENÁRIO 4: Ciro Gomes 29,1%, Lula 28,2%, Branco/Nulo: 34,3%,

Indecisos: 8,4%

CENÁRIO 5: Marina Silva, 33,0%, Ciro Gomes 24,0%, Branco/Nulo: 33,7%,

Indecisos: 9,3%

CENÁRIO 6: Marina Silva, 36,6%, Lula 26,3%, Branco/Nulo: 30,0%,

Indecisos: 7,1%

Lava Jato e corrupção

88,6% têm acompanhado ou ouviram falar das investigações no âmbito da operação Lava Jato e que envolvem a Petrobras. Nesse grupo, 67,8% consideram que a presidente Dilma Rousseff é culpada pela corrupção que está sendo investigada e 70,3% acham que o ex-presidente Lula é culpado. 59,5% não acreditam que os envolvidos em corrupção serão punidos. 75,7% consideram que o ex-presidente Lula poderá ser investigado.

Impeachment

55,6% são a favor do impeachment da presidente Dilma Rousseff. 40,3% não.

Crise

79,3% consideram que a presidente Dilma não está sabendo lidar com a crise econômica. 64,1% avaliam que em três anos ou mais será possível resolver a crise em que o país se encontra. 52,2% consideram que a crise mais grave atualmente é a econômica e 44,1% consideram que é a crise política.

62,1% consideram que o principal motivo da crise política brasileira é a corrupção, 17,2% avaliam que a culpa é da gestão da presidente Dilma Rousseff e para 12,2% a culpa é do Congresso Nacional.

Consumo

Intenção nos próximos seis meses:

Viagens/gastos com lazer e cultura: diminuir o consumo (59,5%), aumentar o consumo (7,2%), manter o consumo (21,9%).

Alimentação fora do lar (lanchonetes, restaurantes, bares): diminuir o consumo (57,9%), aumentar o consumo (7,5%), manter o consumo (23,9%).

Artigos de vestuário (roupas, calçados): diminuir o consumo (53,6%), aumentar o consumo (8,5%), manter o consumo (36,8%).

Beleza/atividades esportivas (salão de beleza, manicure, academia): diminuir o consumo (45,8%), aumentar o consumo (8,1%), manter o consumo (30,7%).

Produtos em supermercado, açougue e padaria: diminuir o consumo (42,1%), aumentar o consumo (13,2%), manter o consumo (43,9%).

Combustível (abastecimento de carro ou moto): diminuir o consumo (36,9%), aumentar o consumo (13,2%), manter o consumo (28,5%).

Saúde (consultas médicas, farmácias, exames): diminuir o consumo (29,0%), aumentar o consumo (15,9%), manter o consumo (49,8%).

Área que percebeu ter ocorrido maior aumento de preços nos últimos seis meses:

Supermercado (54,5%), energia elétrica (53,5%) combustível (29,8%), impostos (26,4%), água (6,4%), saúde (5,0%), lazer (1,6%), serviços (cabeleireiro, manicure, mecânicos etc) (1,3%).

59,3% adiaram alguma compra/serviço por causa da crise.

Entre os que adiaram:

Eletrodoméstico (fogão, geladeira, máquina de lavar): 31,5%
Casa/Apartamento/Lote (construção, compra ou reforma): 30,1%

Carro/moto (compra, manutenção, peças, pneus): 22,3%
Eletrônico (celular, televisão, tablet, computador): 20,2%
Vestuário (roupas, calçados): 17,9%
Móveis (armário, mesa, sofá): 13,1%

Cosméticos (perfume, batom, cremes): 4,9%

38,0% deixaram de pagar alguma conta em 2015 e/ou 2016 devido ao aumento de seus custos.

Emprego e renda

55,7% estão empregados no momento. 25,6% não estão empregados e não estão procurando emprego. 14,6% não estão empregados, mas estão procurando emprego.

53,7% temem ficar desempregados devido ao desaquecimento da economia brasileira. 82,4% conhecem alguém que ficou desempregado nos últimos seis meses.

51,2% disseram que gostariam de abrir um negócio próprio.

Zika vírus/Aedes aegypti

55,6% conhecem alguém que contraiu dengue, zika ou chikungunya nos últimos seis meses. 85,2% têm tomado alguma medida ou mudaram os hábitos para se proteger do Aedes aegypti. Entre os que tomaram alguma medida, 93,2% passaram a combater o foco do mosquito em casa e 30,6% passaram a fazer uso regular de repelente.

64,2% disseram que algum agente de saúde passou no seu domicílio, nos últimos seis meses, para procurar possíveis focos de proliferação de Aedes aegypti.

88,7% têm receio de pegar alguma das doenças transmitidas pelo mosquito (dengue, zika ou chikungunya).

Para 74,7%, o principal responsável pela proliferação do mosquito Aedes aegypti é a população, seguido das prefeituras (7,4%). Para 6,2%, o principal culpado é o governo federal e para 1,0%, os governos estaduais.

Para 49,3%, os cuidados necessários têm sido parcialmente tomados pelo governo federal para combater o Aedes aegypti.

24,4% consideram que o governo federal não tem tomado os cuidados necessários e 24,3% responderam que todos os cuidados necessários foram tomados.

Horário de verão

Nas regiões onde tem horário de verão (Sul, Sudeste e Centro-Oeste), 50,0% acham que ele não interfere na rotina diária. Para 31,4%, o horário de verão atrapalha a rotina. E 18,5% dizem que melhora.

Para 49,3%, o horário de verão é necessário, pois ajuda a economizar energia elétrica no Brasil.

CONCLUSÃO

Os resultados da 130ª Pesquisa CNT/MDA mostram a manutenção de resultados negativos, porém com uma pequena redução em favor da presidente Dilma Rousseff.

A preocupação com os rumos da economia e o aumento dos preços permanecem em níveis elevados, fazendo com que a população diminua o consumo de bens e serviços, principalmente de itens não essenciais, dificultando ainda mais a retomada do crescimento. O desemprego mostra-se como fator de grande preocupação.

A população continua atenta aos acontecimentos que envolvem a operação Lava Jato, gerando reflexos negativos na avaliação tanto da Presidente da República quanto do ex-Presidente Lula.

(…)

Clique aqui para acessar a íntegra.

***

IMG_5462

Apoie O Cafezinho

Crowdfunding

Ajude o Cafezinho a continuar forte e independente, faça uma assinatura! Você pode contribuir mensalmente ou fazer uma doação de qualquer valor.

Veja como nos apoiar »

6 comentários

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site O CAFEZINHO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie.

Escrever comentário »

Maria Dolores de Fátima silva

28 de fevereiro de 2016 às 15h51

Eu não acredito nessa pesquisa nem aqui nem na China….Aebrio na frente de Lula a não q os brasileiros enlouqueceram de vez…colocar um cheirador de pó pra governar o país. Até 2018 ele estará na cadeia em nome de Jesus, pagando por todos os crimes cometidos contra o povo desse país.

Responder

renato andretti

25 de fevereiro de 2016 às 19h55

Não são dados cientificos.
São dados manchados de parcialides politicas.
São dados direcionados a alguns interesses pessoais
e corporativos.
Me deixa pasmo que o BRASIL permita que coisas como esta
trefeguem de lá para cá, prejudicando e manobrando decisões
de brasileiros…levando o País a um vortice desconhecido..
Outros países por muito menos, jogariam em alto mar qualquer
oponente de suas nações..
MAS…no Brasil o excesso de DEMOcracia, foge das raias do
possivel admissivel..
M<enos prezar um PRESIDENTE deveria ser crime..
Não sou a favor de crimes de empoderados, mas não sou a favor
domenos prezo de inteligências..
Nosso POVO trabalhador não tem tempo para politica..os PATRÕES
tem..
Nas reuniões da maçonaria, dos avogados, nas festas de final de semana,
nas inaugurações de obras de prefeituras, e nas demais entrevistas para
jornais de revistas…
Quando o nossso POVO enxergar o que fez, já é tarde de NOVO..

Responder

Maria Dolores de Fatima Silva

25 de fevereiro de 2016 às 18h55

Não acredito nessa pesquisa q fala q Aocio ganhatia de Lula…actedito apesar de tudo na sanidade mental do povo brasileiro.

.

Responder

Enio

25 de fevereiro de 2016 às 16h43

Apesar da decepção do senado, seu Boneco não esqueceu.
Seu Boneco manda lembranças ao Alkimin:
“Ligadão nas quebradas, chefia, mas… que hora é a merenda?”

Responder

Mauricio Gomes

25 de fevereiro de 2016 às 15h51

Tinham que internar todos os loucos que responderam que votariam naquele ser primitivo e repugnante chamado BolsoASNO. Pobre Brasil, temos agora o nosso Führer tupiniquim…

Responder

MANU

25 de fevereiro de 2016 às 14h36

Sinceramente não acredito nessa pesquisa, nem em quem contratou, cidades que foram feitas, duvido que foram no interior onde com certeza o povo nem esta ai para a mídia

Responder

Deixe um comentário