Mais de 70% dos eleitores já estão decididos sobre o voto presidencial, diz DataFolha

Contra ataques dos golpistas, FUP indica greve para 10 de junho

Por Miguel do Rosário

30 de maio de 2016 : 20h36

Foto: Mídia NINJA

Conselho Deliberativo da FUP indica greve de 24 horas no dia 10 de junho

Da FUP, via email

Diante dos ataques contra a Petrobrás, o Pré-Sal e os direitos e conquistas da classe trabalhadora, que estão sendo desmontados pelos golpistas, a FUP e seus sindicatos indicam paralisação de 24 horas no dia 10 de junho. Esta data marcará a primeira grande mobilização nacional que as Frentes Brasil Popular e Povo Sem Medo realizarão contra o governo ilegítimo de Michel Temer.

As representações sindicais petroleiras, reunidas nesta segunda-feira, 30, no Conselho Deliberativo da FUP, alertaram para os riscos iminentes de perda de direitos e de grave retrocesso que a categoria já vive e que serão intensificados com as intenções de privatização da Petrobrás e de entrega do Pré-Sal, reveladas por Michel Temer.

As medidas econômicas de seu governo ilegítimo, anunciadas na semana passada e já em curso, revelam o que vínhamos alertando: o objetivo do golpe é derrubar as conquistas que garantimos a duras penas ao longo dos últimos anos. Retirar direitos da classe trabalhadora,  arrochar salários, reduzir os investimentos do Estado na educação, saúde, habitação e outras áreas sociais, privatizar empresas públicas,  entregar o Pré-Sal e o que restou das nossas riquezas são medidas que atendem à Fiesp, às transnacionais, ao mercado de capitais e aos demais financiadores do golpe.

Na Petrobrás não será diferente. Tudo indica que a nomeação de Pedro Parente se consolidará nos próximos dias e através dele será retomada a agenda de desmonte de direitos e de privatização iniciada por Fernando Henrique Cardoso nos anos 90 e que foi estancada durante o governo Lula. Somente com resistência e mobilização, os petroleiros terão a chance de impedir o violento retrocesso que atingirá a categoria nos próximos meses.

O dia 10 de junho  deve ser uma resposta unitária de todos os petroleiros contra o golpe em curso no país e na Petrobrás.

Miguel do Rosário

Miguel do Rosário é jornalista e editor do blog O Cafezinho. Nasceu em 1975, no Rio de Janeiro, onde vive e trabalha até hoje.

Apoie O Cafezinho

Crowdfunding

Ajude o Cafezinho a continuar forte e independente, faça uma assinatura! Você pode contribuir mensalmente ou fazer uma doação de qualquer valor.

Veja como nos apoiar »

4 comentários

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site O CAFEZINHO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie.

Escrever comentário »

Maarcos Lima

31 de maio de 2016 às 08h00

O que deveria ter acontecido era uma reunião de todos os sindicatos e todos os movimentos sociais para paralisar o país no dia 10 de junho;

Responder

Rachel

30 de maio de 2016 às 23h45

Dia 10 de junho , todos para as ruas.

Responder

Luna Araujo

30 de maio de 2016 às 23h04

Bravo. Greve Geral. Trabalhadores do nosso Brasil, precisamos nos unir contra os golpistas.

Responder

Marivane

30 de maio de 2016 às 21h40

greve geral é o caminho

Responder

Deixe um comentário