Mais de 70% dos eleitores já estão decididos sobre o voto presidencial, diz DataFolha

O ateísmo de Jesus na vida política brasileira

Por Eder Casagrande

19 de junho de 2016 : 10h00

Por Eder Casagrande, colunista de religião do Cafezinho

É próprio do discurso conservador recorrer a Deus com o intuito de validar suas ideias diante do eleitorado. Supostamente contra o poder celestial sobra pouco espaço pra contestação, e é aí que mora a artimanha. Essa tentativa de sugestionar ao eleitor a que se aceite propostas de ordem duvidosa sem nenhum questionamento, às vezes claramente insanas na perspectiva de quem olha de fora, muito se aproxima da técnica usada por pastores neopentecostais quando querem “ofertas” gordas, no dinheiro ou no cartão!

Os pastores e suas coletas. Os políticos e seus votos. Os pastores-políticos e seus dinheiros e poderes.

Lideranças evangélicas agem com carisma nas comunidades onde pastoreiam, o que viabiliza a construção de relacionamentos baseados no afeto e confiança e que são sedimentados através das ações sociais para com os mais pobres. Adicione a essa receita o conforto psicológico e emocional proporcionado pelo acolhimento e pela noção de pertencimento que uma organização (religiosa ou não) é capaz de promover. Também, é claro, o alívio espiritual para os gemidos da existência, renovado a cada culto. E pra coroar esse processo de construção psicossocial, há o reconhecimento da figura do pastor como uma referência ética ante os diferentes aspectos da vida.

Acontece que o tipo de subjetividade que esse arranjo constrói pode acomodar perfeitamente o discurso conservador. Não apenas pelos elementos citados, mas sobretudo pela disseminação do medo – respaldado pela ignorância – na mentalidade dos fiéis e seu uso frequente como moeda de troca, numa relação de poder que o induz a barganhar os favores de Deus abrindo mão de sua identidade e dinheiro. Quanto maior o medo, maior a submissão. Quanto mais submissão, maior aceitação a figuras que se colocam como paladinos da moral e dos bons costumes. Um dos motivos que explicam a simpatia por malafaias e bolsonaros. Não à toa se assemelharem na forma odiosa, taxativa, retrógrada e preconceituosa em seus discursos.

Por outro lado, basta adotar uma postura crítica em relação ao arranjo conservador pra ser taxado de “satanista devorador de criancinhas”, “petralha”, “comunista”, “bolivariano”, “esquerdista”, e ter seu pensamento deslegitimado imediatamente. Rótulo nem um pouco sofisticado, mas que se mostrou vivificado desde que a direita soltou a franga.

Vale dizer, que do ponto de vista da conscientização política visando transformação social, as ações sociais das organizações evangélicas têm muitas limitações, mas se mostram inteiramente capazes de disputar o coração e mente do eleitor-fiel diante da assistência oferecida pelo Estado ou aquela feita pela esquerda organizada. Resta à Dona Maria, com sua solidão e velhice, recorrer a quem está perto pra atender suas necessidades corriqueiras, seja a cesta básica do mês ou a companhia pra ir ao médico. O Estado e os movimentos sociais parecem não conhecê-la pelo nome, assim como não são conhecidos, mas o pastor sim.

Assim, a simbiose entre eleitor-fiel e seu líder espiritual aspirante a sumo sacerdote, e o acúmulo de capital proveniente do dízimo e da isenção fiscal das igrejas, além do financiamento empresarial de campanha, vigente até as eleições passadas, chocou o ovo da serpente. A numerosa bancada evangélica, escancaradamente conservadora, é autora de propostas como o Estatuto da Família (PL 6.583/2013) que define como família apenas “entidade familiar como o núcleo social formado a partir da união entre um homem e uma mulher, por meio de casamento ou união estável, ou ainda por comunidade formada por qualquer dos pais e seus descendentes”, em outras palavras, implica na proibição da união estável entre pessoas do mesmo sexo e os direitos adquiridos daí, como a adoção, por exemplo. São contra a legalização do aborto (mesmo nos casos de estupro comprovado), a favor da redução da maioridade penal e contra a regulação da mídia. E a lista segue…

As inclinações dos evangélicos na política brasileira estão bem claras. Ninguém desconfia de seu amor por dinheiro, controle e poder. Mas eles são cínicos. Em nome de “deus” e da “família tradicional brasileira”, 93% da bancada votaram a favor do impeachment. O circo da votação na Câmara foi acompanhado de referências bíblicas como “feliz é a nação cujo deus é o senhor”, “ao reino de Israel”, e a que mais sintetiza o momento, “que deus tenha misericórdia dessa nação”, dita por Eduardo Cunha. Todas acompanhadas de um efusivo SIM favorável ao impedimento.

Para esse deus-mercado, em que a Frente Parlamentar Evangélica ergue altares nas igrejas e no congresso, o Jesus dos Evangelhos – aquele que chicoteou mercadores no templo e que criticou duramente às elites políticas do Estado teocrático israelense – é completamente ateu!

Essa coluna é financiada pelos leitores. Se ela lhe agrada, doe qualquer valor clicando no botão abaixo.

pag seguro botão

Apoie O Cafezinho

Crowdfunding

Ajude o Cafezinho a continuar forte e independente, faça uma assinatura! Você pode contribuir mensalmente ou fazer uma doação de qualquer valor.

Veja como nos apoiar »

38 comentários

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site O CAFEZINHO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie.

Escrever comentário »

Guimarães Roberto

20 de junho de 2016 às 20h34

Eu já postei vários comentários, em vários blogs, sobre a bancada religiosa. Os senhores deputados e senadores deveriam criar uma Lei que impedisse pessoas ligadas às religiões (todas e qualquer uma) de se candidatarem a cargos eletivos. Já que o país é laico, conforme consta em nossa Constituição, então, porque garantir assento a religiosos onde se fazem as leis laicas? Nosso Congresso possui uma grande bancada ligada às religiões e temo que, ao atingirem a maioria, essa bancada venha a implantar uma teocracia em nosso país.
Outra coisa que me deixa intrigado: porque isenção tributária para as religiões? Não me refiro às doações, e sim aos vários negócios explorados por elas. Porque eu pago imposto por explorar um negócio e as igrejas, que possuem e exploram o mesmo tipo de negócio que eu, não pagam? Alguém poderia me fornecer uma explicação técnica?

Responder

Claudia Arakawa

20 de junho de 2016 às 17h02

Tá, sei que a reflexão é um tanto esdrúxula, mas vou em frente…me pergunto…esse medo que sentimos de tudo…violência, crise econômica, falta de fé no humano é real ou é algo supervalorizado, que querem nos fazer acreditar? Porque fazer com que sintamos medo nos leva mesmo ao irracional, a querermos segurança num poder supra…igreja, polícia, grupos que detém o capital, excelentes oradores, Donald Trump…e nessas que estes “caras” que detém alguma força espiritual, política, financeira, “cultural”, mostrando-se como “salvadores” conseguem nos seduzir!! E a contraposição pra isso tudo?? Uma formação humanizadora, crítica, solidária, igualitária?? Penso que mais que isso…talvez criar uma predisposição entre as pessoas de que a sociedade, ou melhor, nós, estamos doentes e precisamos mudar, internamente, com mais conhecimento e não esperando a vinda do tal “salvador”.

Responder

Moacir Führ

20 de junho de 2016 às 11h16

Em um estado laico sério, pessoas que criam projeto de cunho religioso, discriminatório e machista, seriam demitidas por quebra de decoro parlamentar. Mas o Brasil não é um país sério e nem acredito que um dia será.

Responder

C.Pimenta

19 de junho de 2016 às 23h11

Falando neles, vem à tona os crimes do mais fanático dos tucanos (o que foi descoberto até agora):

https://andradetalis.wordpress.com/2016/06/16/crimes-praticados-por-gilmar-mendes/

Responder

Biana

19 de junho de 2016 às 21h56

Não costumava acompanhar as loucuras da Câmara, então fiquei surpresa em saber que o tal Bolso é um pastor evangélico, pois até sei que tem a teoria da prosperidade e tal, mas ele é puro ódio a flor da pele, seu olhar é perverso. Não se trata de acumular fortuna (e se considerar um recebedor de bênçãos), vai além, demonstra uma sordidez terrível.
Sabe, não fui acostumada com essa história de existir opção sexual, para mim eram apenas dois, o restante era curiosidade, mas daí a odiar, desrespeitar e querer banir as pessoas por causa dessa besteira é insano. Não quero meus filhos sendo incentivados a essas curiosidades, mas também não quero vê-los maltratando ninguém por isso.
Então, um sujeito se nomeia cristão e não honra os ensinamentos de Jesus ? Quando Jesus pregou preconceito de qualquer espécie ? Em que momento Jesus disse “odiai-vos uns aos outros” ?

Existem igrejas , e geralmente são bem intencionadas, mas existem nelas pessoas de má índole que se aproveitam da fragilidade ou da benevolência das pessoas,

O papel politico da igreja não é algo novo, vem de séculos ou melhor de milênios, isso tem momentos bons e ruins, mas não adianta achar que sua influência é nula. Essa influência existe e é forte, principalmente nas lacunas deixadas pelo estado e pela família. Às vezes, essas lacunas são fruto do interesse de alguns “religiosos” para propositalmente tornarem-se os anjos salvadores.

Responder

José Henrique

19 de junho de 2016 às 19h33

Está na hora das igrejas, todas as igrejas pagarem impostos e serem controladas pela receita federal. Essas igrejas neopetencostais sairam do nada e seus proprietários enriqueceram de uma hora para outra, vide, Malafaia, RRSoares, Edir Macedo, e muitos outros. Também em outras igrejas existem padres e pastores que são verdadeiros comerciantes. Na Alemanha as igrejas pagam impostos.

Responder

Ricardo Ramiro Pinto

19 de junho de 2016 às 19h47

Parabéns: Baita texto……

Responder

JOHN J.

19 de junho de 2016 às 18h45

Porque a notícia abaixo não apareceu nas Primeiras Páginas dos jornalões, revistas e nas manchetes dos jornais da TV e das rádios que sempre apoiaram os TUCANOS no BRASIL?

*MORRE EDMUNDO SAFDIÉ, FUNDADOR DO BANCO CIDADE
http://economia.estadao.com.br/noticias/geral,fundador-do-banco-cidade-edmundo-safdie-morre-aos-87-anos,10000057912
*BANQUEIRO DO PROPINODUTO PAULISTA, EDMUNDO SAFDIÉ, VENDEU APARTAMENTO A FHC
http://jornalggn.com.br/blog/banqueiro-do-propinoduto-paulista-vendeu-apartamento-a-fhc
. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .
*O BANQUEIRO DO PROPINODUTO TUCANO, EDMUNDO SAFDIÉ (conta “Marília”), que “VENDEU” um apartamento em Higienópolis, de 450 m2, no Edifício Chopin, “COMPRADO” pelo tucano Fernando Henrique Cardoso.
http://www.conversaafiada.com.br/economia/2013/08/26/bomba-banqueiro-do-trensalao-vendeu-ape-a-fhc
http://www.conversaafiada.com.br/politica/e-aquele-apartamentinho-de-hygyenopolis-fhc
http://www.jfsp.jus.br/20061031celsopitta/

Responder

Lucas Freitas

19 de junho de 2016 às 16h40

Queria que o dono do blog explicasse os 124 mil que iria receber de verba de publicidade da Dilma, que o Temer mandou parar!

Responder

    Robinson Pimentel

    19 de junho de 2016 às 18h58

    Vai lá perguntar pro Temer que ele te fala!

    Responder

    LL Vanderlei

    19 de junho de 2016 às 21h32

    E qual o problema? Era dinheiro pagando publicidade e devidamente contabilizado. O governo distribui migalhas para blogs progressistas como o cafezinho e caminhões de dinheiro para a rede globo, a folha de são paulo, estadão, grupo abril etc. Como contrapartida, os blogs se desdobram para darem sua contribuição a um debate político mais justo e lúcido, enquanto rede globo e cia. enganam trouxas como você.

    Responder

      Lucas Freitas

      19 de junho de 2016 às 21h40

      Meu filho, você acha que deixo me levar pelas mídias, ainda mais por esses blogs chapa branca? A pergunta deveria ser é porque esse dinheiro estaria sendo usado para publicidade, enquanto tem se um rombo de mais de 170 bilhões de reais, é palhaçada isso, pra mim cortaria a verba de publicidade de todas as mídias. Pronto, e não vejo debate político sério, com quem é intolerante, e faz pré julgamento do Cristianismo!

      Responder

        Geysa Helena Dantas Guimarães

        19 de junho de 2016 às 22h19

        170 bilhões, por obra dos golpistas. Eram 90, não?

        Responder

        Nando Oldenburg

        19 de junho de 2016 às 23h09

        Mas ele não criticou o Cristianismo. A crítica foi dirigida ao Charlatanismo, farisaísmo e todos os ISMOS que cabem nesta discussão. Quem disse que aquelas bestas hereges são cristãs? Quer falar de Cristianismo? Vamos lá: esses pastores de merda que vc defende são os chamados falsos profetas dos quais Jesus nos alertou. E hipócrita e fariseu é vc que quer se utilizar de um tema como os enganadores da fé alheia e fazer o mesmo: tentar enrolar os leitores com seu discursinho boquirroto e falso moralista sobre verbas destinadas à publicidade alegando que farão falta aos pobres – como coisa que gente como vc algum dia se iimportou se alguém passa fome no mundo! O que lhe incomoda, rapaz, é que esse post caiu feito uma luva prá vc, fariseu!

        Responder

          Jadir Rocha

          20 de junho de 2016 às 15h53

          Pequenas igrejas, grandes negócios.

        Rita

        20 de junho de 2016 às 11h22

        Ele não julgou o Cristianismo. Eu sou cristã, tenho minha religião e posso dizer: Jesus deve estar de cabelo em pé. Esse povo, aí, (essa bancada religiosa), nunca foi cristão! E se ainda vivem segundo Javé…não é bem assim! E Jesus deixou isto claro, tanto que o pregaram em uma cruz. Era por Ele se dizer filho de Deus? Não! Foi por poder, por política. Tiveram medo que ele tirasse o lugar deles.

        Responder

        Ciência

        20 de junho de 2016 às 17h05

        Camarada, comunicação é muito importante. Existem programas do governo que precisam chegar à sociedade, como campanhas de saúde pública (DST, dengue, etc) e avisos sobre programas de assistência do governo. Não faz sentido ser contra toda a publicidade e ponto. O governo precisa alcançar os cidadãos, e isso se faz pagando para meios de comunicação vincularem seus anúncios. A globo, por exemplo recebe MILHÕES de reais por ano. Cento e poucos mil é migalha.

        Responder

        Clarivaldo Freire

        20 de junho de 2016 às 21h39

        Eu não acho .

        Tenho absoluta certeza

        Responder

    Biana

    19 de junho de 2016 às 22h17

    Comprar sapatos para a Marcela ou uma bicicleta pro Michelzinho.

    Responder

    Avelino Oliveira

    20 de junho de 2016 às 07h19

    Oi LUcas
    Qual o link dessa informação?

    Não sei se ele recebeu esse dinheiro, mas Temer e sua quadrilha está retirando verbas de projetos sérios, para pagar os dízimos aos deputados e senadores golpistas.
    Afinal, fora o número inventado e inflacionado de R$ 170 bi, entre outras mentiras, acordo de quadrilha é difícil de se desfazer.

    Fora Temer

    Responder

    Jadir Rocha

    20 de junho de 2016 às 08h57

    Será que os midiotas(trouxinhas), que estavam a favor do golpe, estão tendo à capacidade de perceber o quanto foram manipulados ou enganados pela grande midia brasileira( Globo, Veja, Folha, Estadão, etc)

    Responder

    Johann Schauss

    02 de julho de 2016 às 23h37

    Opaaaa! Explica ai pra nós amigo. Quero saber sobre!

    Responder

Dee Nunes

19 de junho de 2016 às 16h33

Primeiramente #Foratemer, segundo Estado laico, não é um estado ateu ou agnóstico(Ives Gandra), a fé ou algum tipo de filosofia de vida, se torna parte de uma cultura local, regional ou qualquer parte do globo, e consequentemente influenciando na sociedade, onde todos devem ser ouvido, ao menos na teoria teria que ser assim, esse é um ponto!! Agora que o uso da fé para manipular uma população simples, sofrida, é fato doloroso e maldoso, isso é! como um certo pastor disse, não me lembro o nome, são coronéis da fé! mas acredito que a igreja cristã vai mudar em breve, assim como foi com Lutero. O estado laico é a melhor coisa, nada de estado ateu, nem teocrático, cada um é livre pra professar ou não uma fé, e que esta cultura continuará influenciado na politica e não vai parar, ao menos até quando não imporem um estado ateu ou ateísmo de estado.

Responder

    Nando Oldenburg

    19 de junho de 2016 às 23h16

    Laicidade, meu caro amigo, é não ter nenhuma religião oficial pela qual o Estado e os cidadãos tenham que pautar suas atitudes e crenças. Laicidade é, antes de mais nada, a característica democrática do Estado em assegurar que TODAS AS MANIFESTAÇÕES DE CRENÇA E ATÉ AS NÃO-MANIFESTAÇÕES tenham seu lugar, sua pratica e exercício assegurados sem a interferência ou censura de outrem. Laicidade é a liberdade de todas as crenças, cultos e do ateísmo em perfeita harmonia sob a proteção institucional do Estado sem no entanto deixar que elas interfiram nas decisões do mesmo.

    Responder

Claudio

19 de junho de 2016 às 15h44

Verdadeiramente esse pessoal erram não conhecendo as escrituras e o poder de YHWH. Toda a Bíblia é comunista. As igrejas são capitalistas, dessa forma, não seguem os escritos. O messias era esquerdista, comunista e sempre pregou contra os ricos. Tanto é verossímil que o papa Gregório inventou o purgatório para evitar a fuga de verba oriunda de católicos ricos. O próprio Messias pregava: Lucas 6: Então, dirigindo o olhar para os seus discípulos, Jesus lhes declarou: “Bem-aventurados vós, os pobres, porquanto a vós pertence o Reino de Deus. 24 Porém, ai de vós, os ricos! Pois já ganharam toda a vossa consolação. 25 Ai de vós, que viveis agora em fartura, porque vireis a passar fome. Ai de vós, que agora rides, pois haveis de muito lamentar e prantear. … [Padres e pastores não pregam essas coisas nas igrejas, pois não é financeiramente viável] Ler capítulo 5 de Tiago
1 EIA, pois, agora vós, ricos, chorai e pranteai, por vossas misérias, que sobre vós hão de vir.
2 As vossas riquezas estão apodrecidas, e as vossas vestes estão comidas de traça.
3 O vosso ouro e a vossa prata se enferrujaram; e a sua ferrugem dará testemunho contra vós, e comerá como fogo a vossa carne. Entesourastes para os últimos dias.
4 Eis que o jornal dos trabalhadores que ceifaram as vossas terras, e que por vós foi diminuído, clama; e os clamores dos que ceifaram entraram nos ouvidos do Senhor dos exércitos.
5 Deliciosamente vivestes sobre a terra, e vos deleitastes; cevastes os vossos corações, como num dia de matança.
6 Condenastes e matastes o justo; ele não vos resistiu. [Isso é denotação. Eles preferem a retórica dos sofistas nos cultas e missas]

Atos 4:32-35:E era um o coração e a alma da multidão dos que criam, e ninguém dizia que coisa alguma do que possuía era sua própria, mas todas as coisas lhes eram comuns.
E os apóstolos davam, com grande poder, testemunho da ressurreição do Senhor Jesus, e em todos eles havia abundante graça.
Não havia, pois, entre eles necessitado algum; porque todos os que possuíam herdades ou casas, vendendo-as, traziam o preço do que fora vendido, e o depositavam aos pés dos apóstolos.
E repartia-se a cada um, segundo a necessidade que cada um tinha.
Provado: A BÍBLIA É COMUNISTA. Lucifer é capitalista, empresário comerciante: Veio a mim a palavra do Senhor, dizendo:
Filho do homem, levanta uma lamentação sobre o rei de Tiro, e dize-lhe: Assim diz o Senhor DEUS: Tu eras o selo da medida, cheio de sabedoria e perfeito em formosura.
Estiveste no Éden, jardim de Deus; de toda a pedra preciosa era a tua cobertura: sardônia, topázio, diamante, turquesa, ônix, jaspe, safira, carbúnculo, esmeralda e ouro; em ti se faziam os teus tambores e os teus pífaros; no dia em que foste criado foram preparados.
Tu eras o querubim, ungido para cobrir, e te estabeleci; no monte santo de Deus estavas, no meio das pedras afogueadas andavas.
Perfeito eras nos teus caminhos, desde o dia em que foste criado, até que se achou iniqüidade em ti.
Na multiplicação do teu comércio encheram o teu interior de violência, e pecaste; por isso te lancei, profanado, do monte de Deus, e te fiz perecer, ó querubim cobridor, do meio das pedras afogueadas.
Elevou-se o teu coração por causa da tua formosura, corrompeste a tua sabedoria por causa do teu resplendor; por terra te lancei, diante dos reis te pus, para que olhem para ti.
Pela multidão das tuas iniquidades, pela injustiça do teu comércio profanaste os teus santuários; eu, pois, fiz sair do meio de ti um fogo, que te consumiu e te tornei em cinza sobre a terra, aos olhos de todos os que te vêem.
Ezequiel 28:11-18

Responder

    Mario

    19 de junho de 2016 às 20h26

    JC era um verdadeiro revolucionário, com certeza

    Responder

      Mario

      19 de junho de 2016 às 20h28

      E para mim estes falsos pa$tore$ na verdade nem acreditam em Deus, só se aproveitam para enriquecer.

      Responder

        Biana

        19 de junho de 2016 às 22h20

        O problema é já não se contentam em enriquecer, querem colocar seus preconceitos em prática. Isso me lembrou Hitler, será?

        Responder

          Claudio

          20 de junho de 2016 às 12h13

          Bela observação Bianca. O que está em jogo não destituir um governo esquerdista que tira o povo da miséria. Hitler queria uma nova ordem mundial. EUA querem uma nova ordem mundial. Enfim quem manda é a grande loja.

        Claudio

        20 de junho de 2016 às 12h15

        Perfeito Mario. 2 Pedro 2:1-3 E também houve entre o povo falsos profetas, como entre vós haverá também falsos doutores, que introduzirão encobertamente heresias de perdição, e negarão o Senhor que os resgatou, trazendo sobre si mesmos repentina perdição.
        E muitos seguirão as suas dissoluções, pelos quais será blasfemado o caminho da verdade.
        E por avareza farão de vós negócio com palavras fingidas; sobre os quais já de largo tempo não será tardia a sentença, e a sua perdição não dormita.

        Responder

      Nando Oldenburg

      19 de junho de 2016 às 23h18

      O maior de todos.

      Responder

CIANOTON_PACE

19 de junho de 2016 às 13h03

#AbaixoOGolpe! #QueHorasElaVolta? #Lula2018! O Estado Laico não é só exigência constitucional; separar os assuntos de Estado dos assuntos relativos à fé é o caminho natural do processo civilizatório. É necessário haver liberdade de culto, COBRANÇA DE IMPOSTOS dos templos e líderes e uma investigação severa das contas desses bilionários donos de franquias neo pentecostais.

Responder

Laura

19 de junho de 2016 às 12h57

A bíblia diz que não se pode adorar Deus e o dinheiro.Então, tá.

Responder

rogeriobezerra

19 de junho de 2016 às 12h25

Igrejas com seus templos precisam de pobres e miseráveis, aos milhões, para existirem. Simples assim! Há dois anos os templos daqui de Floripa estavam às moscas. Hoje já vemos o retorno do seu “público”. Na TV vê-se mensagens que mais parecem um curso de vendas, como vários que participei Essa Igrejas e seus cursos viraram um “Sebrae-Espiritual”.

Responder

Octavio Filho

19 de junho de 2016 às 10h55

Concordo plenamente com a matéria. Mas gostaria de acrescentar que a raiz do problema está nas instituições que deveriam zelar pela justiça. O Judiciário e o MP se tornaram instituições com o mesmo propósito dos empresários da fé. Ganhar dinheiro e poder. Não há nenhuma segurança jurídica no País atualmente. O cidadão não tem como se opor a pessoas ou organizações que exploram outras. E conforme estes empresários da fé vão ficando mais forte e tomando as casas legislativas, a democracia vai ficando cada vez mais fragilizada, de forma que a retomada da normalidade institucional vai ficando cada vez mais difícil. Infelizmente, eles nos levarão a uma guerra civil. E o mais engraçado (ou desgraçado) é que homossexuais que apoiam o Bolsonaro abertamente. Se denominam gays pela direita. A estupidez humana é impressionante!!! E eu achando que o Bolso(naro)* estava mentindo quando disse que havia gays que o aprovavam!!!

*Bolso, nome que eu acho que cai bem para o Bolsonaro. Um político que sem dúvida nenhum só está pensando no dinheiro.

Responder

    Nando Oldenburg

    19 de junho de 2016 às 23h28

    Concordo em gênero, número e grau, Octavio. Há alguns anos estes pastores seriam todos presos porque EXISTE uma lei sobre práticas charlatãs que visam a tirar dinheiro mediante o engano da boa fé alheia. Era comum ouvir-se de pastores milagreiros, falsos pais de santo, falsos videntes etc que iam em cana por serem 171. Mas parece que esta lei caiu em desuso ou será que os charlatães pagam mesadinha às autoridades judiciais para roubarem sem problemas a exemplo do que fazem os traficantes?
    Quanto ao Bolsonaro – que é uma bichona de armário, um covardão que nunca será homem para se assumir gay – ele vive cercado só de homens e quanto a estas bibas de direita que o incensam e apóiam nada mais são do que um bando de idiotas que não se assumem e fingem ser homenzinhos. Coisa nojenta! Esse tipo de trapo humano é igual ao louco que não soube lidar com sua homossexualidade e chacinou aquelas pessoas na boite em Orlando.

    Responder

      Octavio Filho

      20 de junho de 2016 às 20h29

      Concordo!!

      Responder

Deixe um comentário