Análise em vídeo das manifestações do 2 de outubro e as vaias a Ciro

Porque tanto ÓDIO do MORO à ODEBRECHT? Por Francisco Costa

Por Redação

11 de agosto de 2016 : 12h15

Charge: Vitor Teixeira

por Francisco Costa (via Pátria Latina)

Se observarmos a lista de empreiteiras doadoras de campanhas eleitorais, veremos que a Odebrecht aparece em sétimo lugar e assim mesmo doando fração do que doaram as demais (OAS, UTC, ECOVIX, QUEIROZ GALVÂO, TOYO SETAL e ANDRADE GUTIERREZ, pela ordem, sendo que a OAS sozinha doou mais que todas as demais, juntas, a partir do sétimo lugar).

O que justificaria então essa fome de destruir a Odebrecht, de Washington e Moro?

A Odebrecht é hoje uma das maiores e mais importantes empreiteiras do mundo, tocando obras em todos os continentes, em concorrência direta com as empreiteiras norte-americanas e européias.
Quando os Estados Unidos covardemente invadiram o Iraque, matando mais de 100 000 civis e destruindo o país, justificando-se nas calúnias de que Saddam Hussein estava fabricando armas atômicas, químicas e biológicas (não encontraram sequer indícios disso) a Odebrecht era praticamente empreiteira única no Iraque, construindo gasodutos, refinarias de petróleo, estradas, conjuntos habitacionais… Dando emprego à mão de obra brasileira, levada para lá, para ter salários em petrodólares, e trazendo divisas para cá.

Destruído o país, com a Odebrecht fora, todas as obras da empreiteira brasileira foram herdadas pela empreiteira da família Bush, que está “reconstruindo o país”, recebendo em petróleo.
Se este é um bom motivo para os norte-americanos desejarem o fim da Odebrecht, há outro, muito maior, o know how da empresa, o seu acervo de conhecimentos científicos e tecnológicos.

Em qualquer país do mundo em que se fale na construção de refinarias de petróleo a Odebrecht é imediatamente lembrada, não só como empreiteira, executora das obras, mas como planejadora.
Grande parte dos conhecimentos de prospecção e extração de petróleo em águas profundas, além da Petrobrás, está nas mãos da Odebrecht.

A Odebrecht é praticamente a única empresa não estatal, no mundo, que tem o domínio do ciclo completo do Urânio, desde a sua mineração, no subsolo, purificação, enriquecimento e uso, seja para fins pacíficos ou bélicos (é a Odebrecht que está construindo a Usina Nuclear de Angra III, é a Odebrecht que está construindo, junto com os franceses, o nosso primeiro submarino atômico, estando em condições de construir a bomba atômica, bastando o governo dar o sinal verde).

Destruir a Odebrecht é questão estratégica para os Estados Unidos.

O Juiz Sérgio Fernando Moro, da primeira instância, em Curitiba, o responsável pela chamada Operação Lava Jato, esteve na Câmara dos Deputados, ocasião em que repetiu Estados Unidos 38 vezes, colocando este país como modelo político, jurídico e constitucional para o Brasil.

Do outro lado, em delação premiada, Marcelo Odebrecht afirmou que deu vinte e três milhões de reais ao Ministro do Exterior, José Serra, dez milhões de reais ao Presidente interino, Michel Temer, e cinco milhões ao Ministro da Casa Civil, Eliseu Padilha, em espécie, dinheiro vivo.

Mais disse, que José Serra lidera uma quadrilha internacional que age contra os interesses brasileiros, o que era desnecessário dizer, basta ler o livro “A Privataria Tucana”, do jornalista Amaury Júnior, contendo reprodução de documentos capazes de colocar Serra na cadeia por algumas décadas, por alta traição ao país.

A acusação de Marcelo bate com outras, principalmente a feita por Fernando Baiano, lobista do PMDB, de que todo o dinheiro saído da Petrobras passou por Madrid, sob a coordenação do marido de uma cunhada de Serra, segundo Baiano, um testa de Ferro de Serra.

Aliás, este é o país dos Fernandos: Collor, Henrique Cardoso, Baiano, Beira Mar e Moro.
É sintomático que a Lava Jato não se debruce sobre o mercado financeiro, fonte de corrupção maior que a da Petrobras; sobre a mídia, corrupta, corruptora e sonegadora, ficando na Petrobras e nas Usinas Atômicas, anunciando que avançará sobre o setor elétrico, limitada ao setor energético, a espinha dorsal de qualquer país.

Na Câmara dos Deputados, recebido de pé e sob aplausos, pelos corruptos que tem isentado na Lava Jato, Moro, depois de cantar loas aos Estados Unidos, diante da pergunta do deputado Paulo Pimenta, do que aconteceria nos Estados Unidos se um juiz de primeira instância, sem ordem judicial, gravasse conversa telefônica entre o ex presidente Bill Clinton e o presidente Barak Obama, como aqui foi feito em telefonema entre o ex presidente Lula e a presidente Dilma, o farsante pediu licença, avisou que o tempo estava esgotado, e como rato diante de gato, fugiu, abandonando o recinto.

Isto explica o poder que ele, junto com Gilmar Mendes, têm sobre o STF.

A Lava Jato é um posto avançado dos Estados Unidos e Moro o seu comandante, fiel aos princípios e interesses dos seus chefes.

Quanto às propinas pagas a Serra, Temer e Padilha, entre outros, isso não vem ao caso, não considerar faz parte da doutrina jurídica praticada por Moro, e que será o mote do próximo artigo.

Apoie O Cafezinho

Crowdfunding

Ajude o Cafezinho a continuar forte e independente, faça uma assinatura! Você pode contribuir mensalmente ou fazer uma doação de qualquer valor.

Veja como nos apoiar »

15 comentários

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site O CAFEZINHO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie.

Escrever comentário »

Mallanaga Vatsyayana

26 de agosto de 2016 às 22h29

Quanto esquerdismo barato…

Responder

Rogério Freitas

24 de agosto de 2016 às 13h26

Tudo que Edward Snowden disse foi confirmado na maioria dos casos. Por isso creio que esta afirmação é correta. Snowden conhece os meios operantes da Cia por isso é hoje um dos principais inimigos do governo americano que vive tramando golpe para ficar com petróleo alheio.

Responder

    Israel

    06 de janeiro de 2017 às 06h53

    Esse Edward Snowden não é inimigo dá CIA, pelo contrário, bastou ele jogar toda merda no ventilador para que as denúncias tomassem a proporção que tomou. Seria um absurdo se partisse de um governo a responsabilidade de espionagem sobre outros chefes de estado, por isso designaram esse jovem para tal serviço. Não há outro país no mundo que estejam sofrendo de forma tão dura as consequências do pós “Edward Snowden” como o Brasil! Isso é apenas meu ponto de vista.

    Responder

Maria Riber

17 de agosto de 2016 às 22h21

No Paraná havia uma construtora moro. Ainda há?

Responder

nelodecarvalho

12 de agosto de 2016 às 16h35

Há algo de errado em ver num agente da CIA o solucionador da corrupção no Brasil. A esquerda brasileira por ingenuidade e burrice caiu numa armadilha. O republicanismo de Dilma e Cia. ajudaram a fazer do Moro o poderoso que é hoje. Como interesses nacionais foram posto em jogo é um crime contra a maior nação da América do Latina, uma estupidez em não saberem defenderem os interesses da nacionais de quem ficou 14 anos no poder. Cada dia mais me convenço que o golpe contra Dilma vale a pena por outros motivos. E para justicializar os criminosos em porem em perigo a soberania nacional, até Dilma deveria ser julgada por serem incompetente e não saberem usar os instrumentos para defenderem um país como o Brasil.

Responder

willams will

11 de agosto de 2016 às 22h49

Mas claro que o Serra é o maior ladrão disso tudo, como explicar a riqueza dele nestes anos de político senão nos roubos coordenados com bandidos coniventes que usam togas e tudo mais. Como ele escapou de várias investidas do judiciário nestes anos de corrupção e falcatruas em todos os níveis contra o Brasil? Simples de responder: Ele já tinha o Moro para esconder, arquivar, ocultar, mentir, sumir, desqualificar todos os processos que envolvia o serra. E diga-se que o mesmo serviu para o FHC, e a PIG completa que ele é estrela constante. O Brasil vai entrar em desgraça completa. E se eu fosse a Odebrecht, entregaria até o último cretino político ou ministro do STF, incluindo o moro que deve está metido no meio dos juízes que a Odebrecht quer denunciar. Queria ver se uma denúncia desse porte o juizinho de merda que é o moro, diria isso não vem ao caso. Basta que uma só dessas empreiteiras sejam honestas com a denuncia e o faça, já que estão na lama como corruptas também, deveriam fazer um favor ao povo brasileiro: Entregue todos! Em todas as esferas do poder! Façam essa redenção de sua empresa ao Brasil e ao povo brasileiro. Seja a empresa que acabou com as quadrilhas do judiciário, do legislativo e do executivo! DENUNCIEM! FAÇAM ISSO, E NÃO DEIXE NAS MÃOS SÓ DA JUSTIÇA, ENTREGUE DOCUMENTOS AOS JORNAIS ALTERNATIVOS, NUNCA A PIG! ENTREGUE AOS JORNAIS DO EXTERIOR! PUBLIQUEM OS NOMES DOS VERDADEIROS BANDIDOS DO BRASIL! ESSA QUADRILHA QUE TOMOU CONTA DO JUDICIÁRIO E LEGISLATIVO E EXECUTIVO!

Responder

    Daniel

    12 de agosto de 2016 às 18h33

    Valeu… tudo agora devemos recorrer aos tribunais e imprensa estrangeira… aqui a BOSTA DA REDE ESGOTO DE TELEVISÃO GOLPISTA… cala, quando se trata da corrupção praticada pela quadrilha do psdBOSTA

    Responder

    Anna

    03 de dezembro de 2016 às 07h46

    Não sofram por antecipação. Quando os 70 executivos da Odebrecht e o seu presidente falarem a verdade dos fatos, não irá sobrar um para apagar as luzes desse governo. Não somos coxinhas e nem mortadela. Somos todos pamonhas! !!!

    Responder

Eliana Beatriz Sartoretto Matt

11 de agosto de 2016 às 20h19

O Moro não é Fernando, é Sérgio. Não acredito que Marcelo Odebrecht tenha dito que José Serra lidere uma quadrilha internacional que age contra os interesses brasileiros. Em termos de fatos, acho que o Francisco deu uma viajadinha.

Responder

    Zenio Silva

    11 de agosto de 2016 às 22h10

    É Sérgio e é Fernando tb!!!

    Responder

    Carlos Roberto RochaIII

    12 de agosto de 2016 às 01h06

    É Sergio Fernando Moro.
    Qualquer dúvida ,é perguntar para o “Uncle Google”

    Responder

    Jojo The Man

    12 de agosto de 2016 às 01h16

    O nome completo dele é Sérgio Fernando Moro. Fail.

    Responder

    Luiz Resende

    12 de agosto de 2016 às 14h30

    Eliana, você leu a Privataria Tucana?
    O que alicerça sua afirmação de que ” o Francisco deu uma viajadinha”?
    Se você erra até ao criticar o nome correto do Moro, fico imaginando de onde você colheu suas bases críticas.
    Vá se informar menina. Achismo não agrega nada.

    Responder

    Fernando Lisa

    15 de novembro de 2016 às 11h24

    Ele deu uma viajadinha sim mas pq o CERRA não lidera a quadrilha, ele é o capacho a serviço do Império

    Responder

Batista

11 de agosto de 2016 às 18h57

As raposas americanas, desde sempre….. no pós segunda guerra mundial, recrutaram a engenharia dos alemães em troca de perdão de penas dos alemães….Em uma republiqueta de angorás como o Brasil é mais fácil ainda, por ser um povo com viés pra corrupção, é muito mais simples corromper qualquer um que seja, o judiciário não esta livre de corruptos, pelo contrario deve estar abarrotado.

Responder

Deixe um comentário