Mais de 70% dos eleitores já estão decididos sobre o voto presidencial, diz DataFolha

Escárnio! Em meio à crise, procuradores estendem auxilio creche para “crianças” de 24 anos

Por Redação

20 de novembro de 2016 : 13h03

Em decisão da procuradoria do Estado do Rio de Janeiro,  publicada no Diário Oficial  em 11 de novembro, auxílio auxílio-creche passa a ser para dependentes de até 24 anos. O benefício valia para os dependentes de procuradores que tivessem entre 6 meses e 6 anos de idade.

No G1

Em meio à crise, procuradoria do RJ amplia auxílio-creche para até 24 anos

Novo procurador-geral promete revogar decisão, publicada no dia 11. Reembolso é de R$ 900 por mês e vale para até três dependentes.

Por Gabriel Barreira

Em meio à crise financeira enfretada pelo estado do Rio, a Procuradoria Geral do Estado (PGE) realizou uma mudança no auxílio-creche que poderá ampliar os gastos do poder público. O benefício, que valia para os dependentes de procuradores que tivessem entre 6 meses e 6 anos de idade, passaria a valer para estudantes de até 24 anos completos.

A atualização da proposta foi publicada no Diário Oficial do Estado no último dia 11 e leva a assinatura da então procuradora-geral do Estado, Lúcia Léa Guimarães Tavares, em seus últimos dias à frente da PGE: ela se aposentou e deixou o cargo três dias depois.

O lugar de Lúcia Léa Tavares foi assumido pelo ex-secretário estadual da Casa Civil, Leonardo Espíndola. Ao G1, ele disse que a decisão será revogada, mas ressaltou que o cancelamento do novo benefício ainda precisa ser publicado no Diário Oficial.

Por meio da assessoria de imprensa da PGE, Espíndola informou que o momento não é oportuno para estender o auxílio, em alusão à crise financeira do estado.

O valor do benefício é de R$ 900 por filho, sendo que cada procurador ou servidor pode cadastrar até três dependentes.
A resolução que alterou o auxílio passaria a valer a partir do próximo mês. Também são beneficiados ocupantes de cargos comissionados e até mesmo servidores cedidos por outros órgãos.

Apesar das mudanças no texto, o título da emenda fala em “concessão de auxílio creche”. Só no restante do texto o benefício passa a ser tratado como auxílio educação.

O auxílio, de acordo com a PGE, tem caráter assistencial e natureza indenizatória: o beneficiário recebe o reembolso no mês seguinte ao do pagamento.

Apoie O Cafezinho

Crowdfunding

Ajude o Cafezinho a continuar forte e independente, faça uma assinatura! Você pode contribuir mensalmente ou fazer uma doação de qualquer valor.

Veja como nos apoiar »

2 comentários

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site O CAFEZINHO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie.

Escrever comentário »

Roberto

21 de novembro de 2016 às 08h32

Meu, nessas horas é que entendemos como ocorrem os levantes populares.
E acontecerá aqui muito breve, pois as medidas que os golpistas estão implementando promoverão recessão, desemprego e miséria. Nada como um choque de realidade para que as pessoas saiam do transe hipnótico midiático.

Responder

Zeux Zion

20 de novembro de 2016 às 18h33

esse tipo de cota é aceito sem discussão!!!

Responder

Deixe um comentário