Incêndios na Amazonia mobilizam governos do mundo inteiro

Moraes “pulou” mestrado e fez “pos-doc” antes do doutorado?

Por Miguel do Rosário

13 de fevereiro de 2017 : 09h43

(Foto: ANDRESSA ANHOLETE / AFP)

Na Carta Campinas (via GGN)

Alexandre de Moraes tem currículo que indica fraude ou desqualifica a pesquisa

By Glauco Cortez / in Economia e Política, Geral, Manchete / on sexta-feira, 10 fev 2017 02:19 PM / 17 Comments

O ex-secretário de Segurança do PSDB de São Paulo, ex-ministro da Justiça do governo Temer e indicado para o STF (Supremo Tribunal Federal), Alexandre de Moraes (PSDB), pode ter burlado também o currículo lattes ou obteve títulos em uma velocidade inimaginável para qualquer pesquisador com relativa seriedade no trato e no desenvolvimento de pesquisa.

Alexandre de Moraes não fez a dissertação de mestrado como os pobres mortais pesquisadores. O mestrado é o início da carreira de pesquisador e fundamental para que, no doutorado, o pesquisador tenha amadurecimento suficiente para desenvolver uma tese. Moraes pulou essa etapa, o que não é fácil e nem comum na academia.

Além disso, ele fez o doutorado, o pós-doc e obteve o título de livre-docente em apenas 4 anos, de 1998 a 2001. Ou é fraude ou é um fenômeno a ser estudado. Somente o doutorado leva normalmente quatro anos para se fazer. O Pós-doc (Pós-doutorado) é uma pesquisa normalmente feita em um ano. Já o título de livre-docência também exige uma pesquisa de mais 4 anos. Muitas vezes o tempo é maior.

Isso talvez seja explicado com a acusação de plágio. Ao fazer plágio, o pesquisador abrevia etapas com a fraude. A velocidade das pesquisas de Alexandre de Moraes casa com a acusação de fraude.

Hábil como uma raposa ou uma lebre, Moraes pulou o mestrado e fez doutorado em 02 anos (1998-2000). O inacreditável é que o doutorado foi feito concomitantemente ao seu pós-doc, que inclusive se inicia antes do doutorado (1997-2000). Ou seja, ele fez o pós-doutorado antes do doutorado. Uma loucura. No ano seguinte já era livre-docente (2001). Veja link se não foi retirado do ar.

Miguel do Rosário

Miguel do Rosário é jornalista e editor do blog O Cafezinho. Nasceu em 1975, no Rio de Janeiro, onde vive e trabalha até hoje.

Apoie O Cafezinho

Crowdfunding

Ajude o Cafezinho a continuar forte e independente, faça uma assinatura! Você pode contribuir mensalmente ou fazer uma doação de qualquer valor.

Veja como nos apoiar »

588 comentários

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site O CAFEZINHO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie.

Escrever comentário »

Liberal

26 de junho de 2019 às 09h02

bom, até Lula recebe diploma de “Douto” nesse pais… Faculdade pública é assim, o governo dá a ordem, a Universidade tem que obedecer. Estao surpresos porque?

Responder

Marco pereira

08 de junho de 2019 às 21h56

Na realidade quase todos os ministros do STF tem algo que não poderia colocá-los no cargo. O que dizer de Gilmar Mendes e de Toffoli? Ambos sem a menor condição sequer de pleitear a cadeira de Ministro e lá estão! Pelo menos me parece que o Alexandre passou na OAB, já outros…

Responder

Suzana Catta Preta Federghi

04 de junho de 2019 às 11h20

Todas as suas informações sobre Pós-Graduação estão grotescamente erradas. Um desserviço para este país iletrado.Tudo errado. Corrija e coopere. Tenho 32 anos de Pós Graduação na USP e PUC. A USP não é faculdade de esquina. Leia o regimento. Você nem sabe o que é uma Livre Docência e um Pós Doc. Ao ponto de achar que não poderiam ser concomitantes. Lamentável mídia

Responder

    Yardena

    07 de junho de 2019 às 18h58

    Suzana Catta Preta Federghi, ele não fez o pós-doc enquanto realizava livre docência, ele fez o pós-doc enquanto escrevia o doutorado e começou este pós-doc antes mesmo de ter entrado no doutorado. Eu sou pesquisadora na Unesp, que também não é de esquina, isso não existe. Existe doutorado direto, sem mestrado, mas não existe pós-doc sem doutorado. Ademais também não é comum fazer dourado, pós-doc e obter seu título de livre docente em 4 anos.

    Responder

    Neto

    15 de junho de 2019 às 16h43

    Exatamente.
    O autor da postagem deve voltar para escola primária.

    Responder

Nita Gomes

03 de junho de 2019 às 19h54

Algum tempo atrás exigiam que o correto seria: Curso Superior, pós graduação mestrado e doutorado. Contudo já não é necessário obedecer rigorosamente essa sequencia. É possível cursar o doutorado após a graduação, sem ter passado por um mestrado, se a instituição de ensino considerar relevante a proposta de pesquisa do candidato a aluno. Mas a maior parte das escolas prefere que se tenha o título de mestre.

Responder

    WANDERLEI SALVADOR

    09 de junho de 2019 às 00h02

    exatamente. Depende onde você está cursando. Sou Brasileiro de Santa Catarina, e depois da graduação (Unidavi) e ao e pós graduação (FURB), (embora tenha feito uma especialização a UFSC , em outra área) ingressei direto no Doutorado em Direito pela U.N.L.Z./ Buenos Aires, em 2014. Lá na Argentina, não se exige Mestrado para ingressar no Doutorado. Agora estou aguardando a indicação do Professor orientador para defender a minha Tese. Ja no Uruguai, onde estou começando Mestrado (em Educação) funciona de outra maneira – Aí está um dos motivos que causa tanta polêmica o reconhecimento destes cursos no Brasil!

    Responder

Paulo Roberto Lucindo

03 de junho de 2019 às 10h24

Lamentável a justiça brasileira vive de improviso fazendo do judiciário puleiros para políticos e interesseiros que burlam o sistema para ter benefícios próprio ou a terceiro de seus grupos afundando a credibilidade.. Adeus carta magna… saindo ai do eixo justiça igual para todos e servindo aos meus de comunicação com interesse específicos e elitizado…

Responder

    carlos

    09 de junho de 2019 às 15h19

    Partindo de Alexandre de Morais tudo normal aliás essa foi uma criação do PSDB e do michel temer esse vagabundo que é mais um que compra sentença, se compra porque tem quem vende, e já tomou posse ostentando e menosprezando humilhando o povo brasileiro.

    Responder

Maria Dulce de Lima

03 de junho de 2019 às 00h20

C toda certeza os diplomas dele são iguais ao diploma de doutorado em Harvard da professora, rsrsrs

Responder

Era dos Boçais

02 de junho de 2019 às 03h10

Não é sem razão que bolsonarismo\olavismo acusa universidade pública de ser o epicentro do mais alto banditismo.

Responder

    ABIGAIL RODRIGUES DOS SANTOS

    23 de junho de 2019 às 16h20

    Não é sem razão que os bolsomínions têm tanto ódio das universidades públicas, não sabemos o que ocorreu, se houve ou não fraude, talvez nunca saibamos. O problema é que, se houve fraude, algum professor-orientador da USP soube fazer bem feito, e certamente alguns milhões no bolso e/ou ameaça à vida foram o motivo. E há que ser averiguada! Quem foi o orientador? Se vivo está? A nota do sujeito… Logo, é possível sim acontecer fraude, mas isto não significa que essa postura seja a regra, certamente é exceção, as universidades públicas são as melhores, e as mais sérias, os professores em sua maioria são mais rígidos e reprovam, caso o acadêmico não saiba, diferentemente das particulares. Quem muito critica a universidade pública normalmente quis, mas não pôde frequentar por incapacidade mesmo, não estudou o suficiente, refiro-me às universidades públicas em geral. Quanto à USP não posso dizer com certeza, mas todos sabemos que é uma universidade elitista, o político famoso, o professor sabichão, certamente estudaram lá, pobre também consegue, já tive vários professores da UFG que fizeram pós na USP, mas creio que há algo ali que se fecha…Olavo de Carvalho não fez nenhum curso superior, não conhece as universidades públicas. Quanto ao jornalista, acho necessário esse tipo de matéria, não é das mais apelativas ao paladar brasileiro, lidar com gente acima da lei é assim mesmo, há que jogar a brasa para que outras informações apareçam. Inclusive do próprio Alexandre mostrando suas notas na universidade, sua pontuação na prova do doutorado e nas defesas, enfim, mexer com PCC não deve ser muito simples, será que uma ameaça à vida e muito dinheiro não encorajam muita gente? Eu preferiria não ser professora de quem defendeu o PCC, um ex-professor meu já trabalhou para o PCC, juntamente com seu melhor amigo, ocorre que meu professor saiu quando percebeu que tanto dinheiro não pagava visitar bandido na cadeia não pelo motivo da profissão, mas levar recados a bandidos barra pesada, comprar a polícia para levar drogas, enfim, não ser somente advogado, mas moleque de recado, percebeu que precisaria, para se manter ali, “comer do mesmo prato”, preferiu uma vida menos glamourosa; seu amigo nunca mais foi visto pela família. PCC não contrataria advogado mediano a bom, tem que ser excelente, tem que ter vencido muitas guerras processuais, processos importantes e polêmicos. Tudo indica que o Moraes tem cacife. Mas há sim que duvidar, averiguar…sabemos que muitos endinheirados compram tudo…OAB mesmo muitos compraram…denúncias provaram…

    Responder

Carlos

05 de janeiro de 2019 às 09h42

Alexandre de Moraes é um dos maiores nomes do direito constitucional brasileiro. Há vários anos ele já reunia as habilidades e os requisitos para se tornar ministro do Supremo Tribunal Federal. O jornalista recalcado e invejoso sequer conhece a autoridade do autor de Direito Constitucional, obra best seller, que todo concurseiro, concursando ou estudante de direito deve possuir ou ao menos já ter lido esta obra de referência nacional. Alexandre de Moraes é referência. Pouco importam seus títulos acadêmicos. Ademais, o autor desse artigo não possui provas do que afirma e falsa
mente denigre a imagem do nobre ministro que é fonte de inspiração para muitos, no que toca aos estudos de direito constitucional. Mídia marrom é um inferno!

Responder

    Ruy

    03 de junho de 2019 às 09h08

    Cara ele e o Olavo são gênios da raça. Mentir no currículo é bobagem. Curriculo pra que?Você pelo jeito é especialista em direito, acertei?

    Responder

    Cesar Conti moro

    09 de junho de 2019 às 07h44

    Inferno, amigo, e saber que tem gente como vc que apoia um marginal como esse sujeito, que foi implantado ao supremo tribunal para defender marginais sem escrupulos como ele, e que nada fazem em defesa de nossa nação, a não ser extorquir a população brasileira, pra começar, o posto de juízes do supremo, e um cargo, como o próprio nome já diz, deveria ser ocupado apenas por juízes de carreira ilibada, e não por qualquer ze ruela nomeado por interesse político, assim como é a maioria dos que compõe o atual supremo, que hoje é uma das maiores vergonhas do nosso pais

    Responder

Thiago Araujo

10 de junho de 2018 às 19h03

Títulos acadêmicos são tão somente títulos acadêmicos…
Com eles não se adquire educação, caráter, personalidade, moral, respeitabilidade…
O título de “DOUTOR” é utilizado de maneira coloquial por bajuladores, como se fosse pronome de tratamento na segunda pessoa do singular.
De espantar é, na verdade, tantos comentários acerca da titularidade acadêmica do dito senhor bacharéu em ciências jurídicas, quando ninguém disse nada acerca dos diversos “títulos” “DOUTOR honoris causa” que um outro dito senhor, a que cargas d’água sabe-se ser apenas possuidor do “ENSINO FUNDAMENTAL”, foi titulado. Lembram-se?
O criminoso, preso e apenado lula possui tais títulos sem nunca ter cursado o ensino médio, quiçá uma faculdade ou um mestrado.
Como pode?
Bi-zar- ro…

Responder

    Luiz Nolasco

    22 de junho de 2018 às 21h55

    Você me parece uma pessoa que não sabe ler e interpretar textos. Não há como comparar esse gangster do Ministro do PCC com o homem reconhecido mundialmente como o maior estadista brasileiro dos últimos tempos. Você sabe o que significa “honoris causa”. Normalmente, honoris causa é utilizada quando uma universidade de prestígio deseja conceder um título de honra para uma personalidade de grande destaque ou importância por seu trabalho.
    Então comparemos Lula que o que você acusa e compara ao advogado do PCC foi o “cara” segundo o Presidente Barak Obama dos EUA, que tirou o seu país do mapa da fome, pagou o FMI, tirou da linha da pobreza mais de 30 milhões de brasileiros, ascendeu à classe média outros tantos. E o ministro que segundo a matéria plagiou e pelo visto cometeu algum ato de corrupção para conseguir seus títulos para defender o alto escalão do PCC. Você é um ingenuo ou um mau caráter de carteirinha e nascença.

    Responder

      Arlette Barbosa

      02 de junho de 2019 às 15h04

      Falou tudo, Luiz.

      Responder

    MARIA LEDA COSTA DE FREITAS ANDRADE

    26 de junho de 2018 às 09h05

    Título acadêmico pode significar maior remuneração e critério para admissão em conscursos.

    Responder

    Era dos Boçais

    02 de junho de 2019 às 02h55

    até porque cada título de honoris causa rende salário de R$ 100.000,00 que país paga, enquanto esses outros não tem obrigação de pagar mais nada

    Responder

Thiago Araujo

09 de junho de 2018 às 14h44

Esse Ministro, como todos os demais, é de indicação política.
Entre outros pressupostos para a indicação, é necessário notável saber jurídico e reputação ilibada.
Se esse senhor não os possui, que se argúa seu impedimento.
Todavia, vejo neste blog centenas de comentários pela volta de Lula à presidência do país.
O maior cargo do país dado à um criminoso condenado e preso que nem sequer possui o ensino fundamental?
Isso é FANATISMO.
Já chega dessa verborréia.
À vocês, fanáticos idiotizados, criem para sí um espaço de CLEPTOCRACIA e se mudem para lá. Preferencialmente depois da ionosfera…

Responder

Paulo Guedes

08 de junho de 2018 às 20h06

Nunca um homem deveu tanto a uma mulher. Ainda mais a uma bela, recatada e do lar. Ou seria dólar?

Responder

Nelson Salgado Filho

08 de junho de 2018 às 03h52

Se existe algum engano a responsabilidade pela nomeação do ministro Alexandre de Moraes ao STF é do Senado.

Responder

Walter Hauer

03 de junho de 2018 às 00h35

Será que ele pagou estas tretas com o dinheiro do tráfico ou com o produto dele afinal era advogado do PCC.

Responder

    Arlette Barbosa

    02 de junho de 2019 às 15h05

    Pois é!! Fica a dúvida!

    Responder

Fabiano Diniz

22 de fevereiro de 2018 às 14h18

Como disse o colega, mestrado não é pré-requisito para o doutorado na maior parte das Universidades do mundo, inclusive no Brasil. Então critiquemos o Moraes por outros motivos….matéria que só desinforma o leitor

Responder

    Thiago Cedraz

    04 de junho de 2018 às 12h50

    Correto, amigo. Não é incomum o pesquisador concluir seu grau de doutorado em 36 meses, ou até menos. Muitos programas estimulam a celeridade na conclusão do curso, dado que é um fator de avaliação importante para a CAPES. Matéria ruim…

    Responder

Roger Silva

15 de fevereiro de 2018 às 13h21

O mestrado não é pré-requisito para fazer doutorado. O próprio Michel Temer não fez mestrado. Quanto a velocidade, o Gilmar Mendes fez mestrado e doutorado na Alemanha em 3 anos

Responder

Ricardo Ogusku

13 de fevereiro de 2018 às 10h02

Olha, gente! Se formos criticar, critiquemos pelos motivos reais.
Pelo currículo Lattes dele, ele participou e bancas de mestrado desde 2001, então é improvável que ele não tivesse mestrado.

Responder

Angel

26 de dezembro de 2017 às 01h52

Não tenho a menor pretensão (nem motivo) para defender o ministro Moraes, mas existe algo chamado Doutorado Direto, que permite obter o título de Doutor sem ter o de Mestre.
Além disso, de 1998 a 2000, são 3 anos, não dois! E, como alguém comentou anteriormente, dependendo da experiência do candidato, os prazos das pós podem ser reduzidos.

Responder

Nilda

17 de novembro de 2017 às 11h23

Que sejamos amparados pelo divino real, pois ha criaturas que ocupam lugares e se acham deuses. Deve ter algum espirito do passado influenciando certas figuras. Que Deus o tenha, nos livre do mau carater…

Responder

Jose Carlos Vasconcellos

06 de abril de 2017 às 16h17

Doutor Alexandre de Moraes

Que exemplo estará deixando para seus filhos e netos ?

J Carlos Vasconcellos
Um Cidadão Brasileiro

Responder

Edison B.Carvalho

16 de fevereiro de 2017 às 11h07

Diante das informações que chegam ao nosso conhecimento, concluímos que existem evidências claras de que o ex-ministro da justiça foi “bem indicado” para substituir Teori Zavaski. O tipo de indicação conveniente para quem está com a corda chegando ao pescoço.

Responder

Anônimo

15 de fevereiro de 2017 às 21h26

A USP e seus critérios avaliativos. A bandidagem tá solta, desculpa ai! Estamos no Brasil só é bandido ou criminoso quem não tem o poder. Os simples mortais, não é o caso.

Responder

clari Freitas

15 de fevereiro de 2017 às 19h19

Isso é imoral desumano falta ética como pode ser tão desonesto é revoltante um representante do povo gente vamos ver quem você vai colocar no poder colocar e fácil tirar eles do poder e que é difícil.

Responder

clari Freitas

15 de fevereiro de 2017 às 19h16

Isso é imoral desumano falta ética como pode ser tão desonesto é revoltante um representante do povo gente vamos ver quem você vai colocar no poder colocar e fácil tirar eles do poder e que é difícil.

Responder

JOSE

15 de fevereiro de 2017 às 18h43

AFINAL DAS CONTAS, SERÁ QUE ELE PODERIA DAR AULAS, SE É QUE DEU. SE DEU AULAS, ELAS SÃO VALIDAS, JA QUE ELE NEM PODERIA SER PROFESSOR. E SE OS DOCUMENTOS NÃO SEGUIRAM A ORDEM NATURAL DOCENTE. NÃO É CRIME ??? SE COMETEU CRIME, JA QUE CONCEDIDOS SEM ESTAR HABILITADO. OU SEJA ELE É UMA FRAUDE. HOJE, E SERÁ UMA FRAUDE NO SUPREMO. AINDA ASSIM, SERÁ INDICADO PARA SER MINISTRO. COM ESSES SENADORES, DELATADOS NA LAVA JATO, QUAL VALOR TEM SEUS PARECERES, E SENDO DELATADOS, INVESTIGADOS, COM PROVAS ENTREGUES A FEDERAL. PORQUE DIGO PROVAS. OS BRASILEIROS TEM QUE SABER QUE. SE FOREM ACEITAS AS DELAÇÕES PREMIADAS PELO SUPREMO, É PORQUE JA SE TEM PROVAS, SEM PROVAS ELAS NÃO SÃO ACEITAS. OU SEJA, SO NÃO SERÃO CONDENADOS, SE SE ALGUEM SUMIR AOM AS PROVAS. TODOS JA DEVERIAM ESTAR PRESOS. JA SE TEM PROVAS, MAS ESTÃO TENTANDO LIVRAR MUITOS DELES.

Responder

    Claudia

    03 de junho de 2019 às 12h16

    Não suporto esse cara, e ninguém que reapresente o golpe…
    Porém fazer doutorado direto, sem passar pelo mestrado é perfeitamente possível.
    Devemos ter cuidado pra não estimular o ódio e disseminação de meias verdades, ou fakenews…

    Responder

Paulo César

15 de fevereiro de 2017 às 18h41

São todos farinha do mesmo saco. Aos poucos eles estão colocando todos os malfeitores um ao lado do outro, e sabe quem vai pagar a conta? Grave bem: “Sérgio Cabral”, este vai levar toda culpa da operação lava jato, e depois todos dirão: limpamos o Brasil das mãos de um grande bandido. , e como sempre tudo se acabará em pizza. Saco cheio de tudo isso.

Responder

Anônimo

15 de fevereiro de 2017 às 15h30

Já que a maioria acabou sabendo o nome do Orientado da Flávia Piovesani por que tm não se diz quem foi o Orientador do Alexandre de Moraes?

Responder

Astride

15 de fevereiro de 2017 às 14h22

Sendo ele do PSDB, num instante o que era ilegal passa a ser legal e de boa fé…pós doc leva nome de ante doc é livre docência passa a ser nomeação política…pronto fica td certo e resolvido ! Simples assim, quem não gosta que vá bater panela!

Responder

clarinda elisa doria roqueto

15 de fevereiro de 2017 às 13h11

Esse governo golpista é uma vergonha. Não salva um…

Responder

João Marcos

15 de fevereiro de 2017 às 09h53

E o famoso doutorado em contro C contro C !!

Responder

Henrique Filano

15 de fevereiro de 2017 às 09h15

Não sou conhecedor do “direito ” nem mesmo do esquerdo, mas gostaria de saber como este indivíduo vai agir quando for sorteado “eletronicamente” um processo contra o excelentíssimo presidente Michel Temer, qual isenção terá este indivíduo na condução de processos envolvendo políticos da base aliada.
Quer que eu responda! PIZZA

Responder

olidio Campidelli

15 de fevereiro de 2017 às 04h45

Assim. maioria dos tucanos são ???

Responder

olidio Campidelli

15 de fevereiro de 2017 às 04h45

Assim. maioria dos tucanos são ???

Responder

    Thiago Cedraz

    04 de junho de 2018 às 12h52

    Yoda, é você?

    Responder

Joise Simas

15 de fevereiro de 2017 às 01h44

Se é verdade ou não, não sei… mas conferi o lattes dele…

1. Ou ele não tem mestrado ou simplesmente nao incluiu no lattes… É possível ser doutor sem ter mestrado??? SIMMM. Algumas instituições não exigem a titulação de mestre para ingressar o doutorado, ou seja, se o cara for bom e tiver um bom curriculo e projeto ele pode sim passar e cursar doutorado.

2. O doutorado dele durou 3 anos. Ué?! Doutorado são 4 anos… Mas a USP tem um sistema q vc faz o doutorado em 3 anos… Vejam só o que diz o site da usp (http://www.direito.usp.br/pos/pos_stricto_doutorado_01.php) :

Doutorado para portadores do título de mestre:
Duração: 3 (três) anos
Número de créditos em disciplinas: 40 (quarenta)
Número de idiomas estrangeiros exigidos: 2 proficiências (além do português para alunos estrangeiros)

Doutorado direto
Duração: 5 (cinco) anos
Número de créditos em disciplinas: 80 (oitenta)
Número de idiomas estrangeiros exigidos: 2 proficiências (além do português para alunos estrangeiros)

Neste caso, o estranhamento é só porque no lattes dele não está registrado o título de mestre… ou ele não colocou ou rolou treta mesmo….

3. A titulação livre-docente é obtida através de concurso. Podem ser anos de preparação para este concurso que dura de 4 a 5 dias. “Devido ao rigor dos pré-requisitos que são recomendados para sua inscrição e pelo grau de exigência do próprio concurso, é considerado, com razão, o mais extenuante dos concursos acadêmicos, estendendo-se por quatro a cinco dias, em que o candidato demonstra todo o seu cabedal de conhecimento teórico e prático desenvolvidos na sua vida acadêmica. O preparo para se submeter a essa prova requer no mínimo dois anos de exaustivos estudos e preparo das aulas e da tese, contando sempre com a participação de seus discípulos. Apesar de não ter caráter competitivo, é muito mais estressante que o concurso para professor titular” (CAMARGO; LEME, 2009) Fonte: http://files.bvs.br/upload/S/1413-9979/2011/v16n2/a2059.pdf

4. se tinha pós doutorado, esse foi retirado…

Tempo hábil e um currículo invejável… só tirando essa questão aí da acusação de plágio

Responder

Luis Rodrigues

15 de fevereiro de 2017 às 01h13

Quantos anos tem este individuo? 200? É que precisa muitos anos para tanto Curriculum…!

Responder

Élerson

15 de fevereiro de 2017 às 00h16

Eu estava até torcendo para ser verdade e divulgar, mas No site do CNPQ o Lattes dele está diferente, parece que o pós doc foi feito em 2002.

http://lattes.cnpq.br/2083768829536427

Responder

Manoel

14 de fevereiro de 2017 às 23h54

Sendo do PSDBANDIDOS não é de se estranhar. MAIS UM VIGARISTA.

Responder

Maria L M Magalhães

14 de fevereiro de 2017 às 23h09

Esse país é uma vergonha! o descaramento é ressaltado a cada dia, hoje o certo é errado e o errado fica sendo certo, não sei o que pode acontecer, o bandido julga bandido, como acontece nas comunidade, daqui a pouco se resolverem colocar uma quilhotina no tribunal e executar a seu bel prazer, não ficaria nada surpresa, e os 3 poderes fizerem a fusão em 1, não ficarei surpresa, o Executivo quer mandar em tudo, escolhe, faz o quiser, e o Judiciário fica praticamente calado dizendo amém, uns ficam contra o outro, não se apoiam, criticam em uns aos outros nas câmaras de tv, o que esperar mais, devemos confiar nesse Governo? nessa Justiça? será que há justiça igual para todos?

Responder

ALDINO LAURÊNCIO DE SOUZA

14 de fevereiro de 2017 às 22h21

Isso é um fenômeno!caso raro!coisa Divina!

Responder

Bastos

14 de fevereiro de 2017 às 21h34

Ele é forte musculoso vai ajudar o temer por o Brasil nos trilhos pra mandar o Brasil pra merda mais do que já está.

Responder

Anônimo

14 de fevereiro de 2017 às 20h07

Até no campo educacional fraudaram?????Pilantras!!!!! E agora?

Responder

Juan de dios fabra gomez

14 de fevereiro de 2017 às 19h45

Neste país dde INDECENTES, INCOMPETENTES, LADRÕES, POLITICOS DESONESTOS, E STF SEM
Lastro legítimo ( pois seus quadros são indicados por esses políticos desonestos e ladrões), DIZIA EU, NESTE
País, VALE TUDO E NINGUEM GRITA, porque os POBRES NEM SABEM O QUE ACONTECE, E NÃO PODERIAM FAZER NADA, O QUE FAZER.? E OS RICOS, QUEREM QUE TUDO CONTINUE ASSIM, PARA MANTEREM SEUS
Status de Riquesa……….PRA QUE MUDAR?

Responder

Ariston Azevedo

14 de fevereiro de 2017 às 21h40

aprendeu com quem mesmo com o tofolli kkkkkkk

Responder

Francisco Rolim Sobrinho

14 de fevereiro de 2017 às 17h12

Sendo do PSDB pode Tudo, principalmente fraudar, mentir, extorquir e manipular.

Responder

Stenio Adjuto

14 de fevereiro de 2017 às 17h10

Tranquilo! Tudo certo! Vale na Alemanha, etc… Mas acredito que exista uma pessoa mais preparada para poder assumir essa vaga, uma pessoa que realmente trabalhe a favor do Brasil, não para proteger amigos . Afinal de contas, queremos mudanças ou não?

Responder

Ronaldo Viana Soares

14 de fevereiro de 2017 às 16h24

Fazer o Doutorado sem o Mestrado, embora raro, é perfeitamente legal e possível. Na Alemanha, por exemplo, se usa muito isto. Concluir o Doutorado em menos de quatro anos, também. Eu fiz o meu (University of Washington) em dois anos e sete meses e já tive orientado que concluiu em dois anos. E o Toffoli, que não tem pós-graduação e foi reprovado em concurso para Juiz? Pior foi a Dilma, que mentiu em seu currículo, dizendo que tinha Mestrado e nem português ela fala. Por favor, vamos jogar limpo, pois mediocridade existe em todos os lados.

Responder

    Valter Augusto

    14 de fevereiro de 2017 às 21h53

    Tudo bem.Mas pós doutorado e livre docência??É pedir demais da nossa fé!!Quanto à Dilma:de onde vc tirou essa informação da mentira dela sobre seu mestrado (o dela)?E sobre o português dela? Mediocridade é confundir linguagem coloquial com desconhecimento da língua.

    Responder

      Raphael

      14 de fevereiro de 2017 às 23h00

      Valter, apenas faça uma rápida busca no Google. Na época foi comentado amplamente pela mídia a questão do Lattes da Dilma, que constava mestrado na Unicamp.

      Just Google it.

      Responder

    wanderley kusma

    20 de fevereiro de 2017 às 11h13

    Ronaldo Viana Soares, meus parabéns por você ser super dotado, fazer doutorado, na University of Washington, e fazer cocô num banheiro público é a mesma coisa (GRANDE MERDA), A PRESIDENTE Dilma não fala nem português, e você que foi Presidente do Brasil duas vezes. Você ganhou o prêmio o INTELECTUALÓIDE do ano, pode escolher entre: UMA COXINHA OU UM KINDER OVO, o prêmio será entregue no palácio da alvorada.

    Responder

Mario Gonçalves Valerio

14 de fevereiro de 2017 às 16h15

Esta no sangue do brasileiro burlar as leis e ser corrupto. Tem sempre de levar vantagem em tudo e passar os outros para trás. Serão necessárias muitas gerações para mudar essa forma de conduta. Seguindo o lema da nossa bandeira, ORDEM E PROGRESSO, onde nela estão implícitas também o RESPEITO AO PRÓXIMO E SEUS VALORES MORAIS. O nosso querido Brasil é um pais maravilhoso cheio de riquezas naturais e sem os fenômenos que castigam outros países. Lamentavelmente fomos colonizados pela escória do mundo e os rastros genéticos permanecem até hoje. É por isso que temos uma terrível quadrilha de corruptos amorais no governo. UM GOVERNO AMORAL, porque imoral é pouco para o governo da quadrilha do PT. Vejam o exemplo do GOVERNO MILITAR de 64. Com honestidade, competência, seriedade e muito trabalho o que fez com que o Brasil crescesse muito.
Socorro FFAA brasileiras
Tenho 82 anos e vivi sob o Governo Militar. Sei o que foi para o Brasil o enorme benefício proporcionado. Principalmente o benefício moral. O crescimento econômico foi enorme. Passamos do 41º lugar no ranking mundial para 8º. Fomos o 2º maior construtor de navios do mundo. A Petrobras passou 75.000 barris/dia para 750.000 BARRIS DE PETRÓLEO/ DIA. Havia segurança, pois, bandido era tratado como bandido. O cidadão honesto que nada devia não tinha o que temer. No presente ele vive acuado, preso em suas casas enquanto o bandido, PRINCIPALMENTE MENOR, vive solto longe da lei que não os pune. Que ninguém ouse tocá-los! Hoje vivemos um DESgoverno amoral. O país esta despencando para o fundo do abismo e só um NOVO GOVERNO MILITAR pode salvá-lo. Caminhamos a passos largos para a cubanização do Brasil. A cada dia que passa o comunismo vai fincando mais fundo suas garras. Breve não haverá mais retorno. Os valores estão todos invertidos. Só os bandidos e criminosos tem ONGS para protegê-los. Tem todos os direitos. Para as vítimas nada. Se agredirmos um criminoso dentro da nossa casa poderemos ser processados por agressão e até tentativa de homicídio. A saúde é um total descalabro. A educação é desprezada . Somos detentores da maior carga tributária do mundo e não temos retorno. O povo só não foi em massa para as ruas exigir o retorno das FFAA pelo constante bombardeamento pela TV com propaganda negativa contra os militares. No entanto, os assassinatos e assaltos cometidos por eles são omitidos. Foram anistiados… Está perfeitamente explicado a total impunidade que vivemos. Bandido não pune bandido. Necessitamos o RETORNO IMEDIATO DO GOVERNO MILITAR.

Responder

    wanderley kusma

    20 de fevereiro de 2017 às 11h34

    Mario Gonçalves Valerio, procure um médico urgente, pois com 82 anos de idade e pedindo a volta do MILITARISMO, é indicativo dos primeiros sinais de DEMÊNCIA. Se já estiver se tratando não esquecer o horário de tomar os remédios.

    Responder

      Lu

      21 de fevereiro de 2017 às 21h38

      Vc com certeza é um esquerdista que defende respeito a todos mas na 1a oportunidade chama um idoso de demente. Rsses tipos de confusoes mentais para mim sao sinais de demência pelo menos ideologica. Olha, fui PT desde o 2o ano de sua formação e hj quero ver Lula e demais na cadeia. Infelizmente reconheço que foi no tempo militar que o Brasil mais cresceu e teve ética nas ruas. Não sou favorável que voltem os militares… mas está certo isso tudo o que se assiste? Por exemplo agora Temer lança alguém para protege-lo ….aliás, Lula e Dilma, em especial a última, fizeram indicacoes para o STF horrorosas. E como tenho todos os titulos sei que esse CV do Alexandre indica mutreta sim. Nem o ex-orientador dele de Dr. o apóia.

      Responder

Castelense Milanez

14 de fevereiro de 2017 às 17h21

Bandido

Responder

Didila Paiva

14 de fevereiro de 2017 às 16h32

Do jeito que anda a justiça, quem pode dizer que isso é crime no Brasil? Depois do golpe pode-se tudo no país do Aébrio Never!

Responder

Andre

14 de fevereiro de 2017 às 14h26

O fato de não ter feito mestrado não é problema, pois a CAPES permite que cursos de pós-graduação avaliados como nível 6 ou 7 ofereçam o doutorado direto, aliás, prática comum em ciências exatas. O título de livre-docente, de 2001, foi outorgado pela USP. É de praxe na área de ciências exatas que o candidato a livre-docente tenha orientado teses de doutorado, além de publicações na área do concurso. Talvez não sejam tão rigorosos ao avaliarem um candidato ao título de livre-docente na área de Ciências Jurídicas. Porém, o que é grave mesmo é a denúncia de ter plagiado parte do livro do jurista espanhol Francisco Rubio Llorente, bem como o tal pós-doc antes de ter terminado o doutorado. Não seria crime de falsidade ideológica acrescentar ao CV Lattes informação claramente inconsistente?

Responder

Haroldo Gomes da Silva

14 de fevereiro de 2017 às 16h23

Pqp pilantragem!

Responder

vanderlan

14 de fevereiro de 2017 às 14h13

Não o brasil não pode sofre esse terrível golp auguen vai barra

Responder

Sabino

14 de fevereiro de 2017 às 13h58

não tem como não usar uma linguagem chula para desabafar é mesmo o c´do c´,esse pais de merda… não tem um que se salva tudo e todos uns FDP!!! Êta paizinho do caralho!!!

Responder

GILSON LUIS BAPTISTELLA

14 de fevereiro de 2017 às 13h39

PARECE QUE PARA IMPRENSA VERMELHA E VERGONHOSA, TUDO É ERRADO, SERÁ QUE QUEM ESCREVE E TÃO CERTINHO ASSIM?

Responder

Jarlus Mendes

14 de fevereiro de 2017 às 14h58

Embuste acima de tudo é pior que o Gilmar Mendes

Responder

Artur

14 de fevereiro de 2017 às 12h56

Com o incentivo da iniciação científica, os processos são encurtados. Nos cursos de ciências exatas, por exemplo, em 4 anos é possível conseguir as duas pós-graduações stricto sensu.

Não são raros os casos na ciências exatas de alunos cursarem os créditos do mestrado ainda na graduação, dado o notório saber e capacidade do aluno. o IMPA, por exemplo, é regado de estudantes ainda em graduação, pagando disciplinas no mestrado que são utilizadas como equivalência na graduação. Conheci na faculdade doutores com apenas 23 anos.

Você pode falar que ciências exatas é um ramo diferente do direito. Mas fica a questão: É realmente improvável que isso ocorra em outras áreas?

Responder

Reinaldo Alves da Silva

14 de fevereiro de 2017 às 12h37

KKKKK o Dr. Raposa é cheio de esperteza , malandramente falando , como é rápido este Moraes !!!

Responder

Rodrigo Bernardo

14 de fevereiro de 2017 às 14h12

Que eu saiba não há hierarquia entre mestrado e doutorado. Estritamente falando têm objetivos diferentes.

Responder

Pedro da Silva Reis

14 de fevereiro de 2017 às 10h42

Os prazos acima referidos em que ele conseguiu o seu intento são possíveis.
Por outro lado, a capacidade do Dr. está comprovasa com as inúmeras obras por ele publicadas e o excelente professor que se demonstra.
Gostaria que notícias que utilizassem “pode ter” e “provável “não fossem publicadas. Assim como quando remete a outro link “se não tiver sido apagado”. Essa forma é um desrespeito à todos que lêem como também a pessoa referida.
Por outro lado, a notícia fala em prazos maiores, sem fazer menção ao tempo de estudo.

Responder

Margareth Zanella Ribeiro

14 de fevereiro de 2017 às 10h28

Esse é o sujeito de REPUTAÇÃO ILIBADA?
O STF virou casa de mãe Joana?
Que país é esse? Onde andam os revoltados?

Responder

D Sampaio

14 de fevereiro de 2017 às 10h25

Vcs estão de brincadeira. O cara tem 139 artigos publicados. Participou ou escreveu 74 livros. Capitulos em outros 14 livros. Apresentou seus trabalhos em 258 eventos! Participou de uma centena de bancas de mestrado/doutorado/TCC e ainda tem orientandos em andamento!
Está tudo no currículo do link do próprio artigo.

Responder

    wanderley kusma

    20 de fevereiro de 2017 às 11h25

    D Sampaio, com 7 anos ele já escrevia em portas de banheiros, você esqueceu de mencionar isso, só a guisa de informação. É DURO EXPLICAR O INEXPLICAVEL.

    Responder

Ricardo

14 de fevereiro de 2017 às 10h23

Cadê o MBL comprado, as panelas das madames, os amarelinhos protestando???? Cadê os patos da Fiesp…ahahah esqueci, Fiesp é PMDB, MBL foi patrocinado pelo PMDB e PSDB.

Acordem povinho e depois a Dila era corrupta e ruim? A lava jato só está onde está porque a Dilma segurou o rojão e não abafou a lava jato como o PMDB e PSDB quer fazer.

Responder

ALBERTO ARAÚJO

14 de fevereiro de 2017 às 10h20

Eu não vejo excepcionalidades nenhuma no caso. Já vi vários doutores sem mestrado e que conseguiu o doutoramento em tempo recorde. O problema maior que vejo nesse homem é a falta de ética, no discurso é um e na pratica outro. Estamos precisando de gente com decência e moral para construir uma nova nação. Salve a Terra de Santa Cruz!

Responder

Celso Domicio De Lima de Lima

14 de fevereiro de 2017 às 11h28

Estes são os políticos do meu Brasil

Responder

vera maria inacia da costa

14 de fevereiro de 2017 às 09h15

Quando alguém que quer fazer carreira age assim, não podemos aceitar. Com a falcatrua. E ser indicado para o Supremo Tribunal Federal. Que podemos esperar mais….
Temos que ficar cada vez mais invergonhados do comportamento de certos politicos brasileiros.

Responder

Ricardo Piantino

14 de fevereiro de 2017 às 11h04

O vocabulário dele o denuncia.

Responder

mz

14 de fevereiro de 2017 às 06h29

Do jeito que andam as coisas, isto o credenciará ainda mais ao stf.

Responder

Rogério Costa Pina

14 de fevereiro de 2017 às 07h50

Só tem mal- caráter

Responder

Yff Fonseca

14 de fevereiro de 2017 às 07h35

Sera noticia verdadeira ? Acho que não pode isso.

Responder

Iara

14 de fevereiro de 2017 às 05h21

Realmente um absurdo. Temos que tecer loas à formação acadêmica do Lula e reverenciar o mestrado, doutorado e pós doc da Dilma. Foi isso que transformou nosso país …

Responder

    Jhonny Rot

    14 de fevereiro de 2017 às 08h45

    A questão não é a formação…mas a falta de caráter.
    O Lula sempre assumiu a falta de estudo é nunca precisou trapacear, ao contrário desse Neandertal.
    A propósito…
    Doutor honoris causa pela Universidade Federal de Viçosa,[38], pela Universidade de Coimbra (Portugal),[39] pela Universidade Federal de Pernambuco, pela Universidade Federal Rural de Pernambuco, pela Universidade de Pernambuco, pela Universidade Federal Fluminense, pela Universidade do Estado do Rio de Janeiro, pela Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro, pela Universidade Federal do Rio de Janeiro[40] pela Universidade Federal da Bahia (UFBA), pela Politécnica de Lausanne (Suíça) [41], pela Universidade da Integração Internacional da Lusofonia Afro-Brasileira (Unilab)[42], pelo Sciences-Po (Institut d’Etudes Politiques de Paris)[36] , pela Universidade Federal do ABC[43], pela Universidad Nacional de La Matanza e Universidad Metropolitana de la Educación y el Trabajo (Argentina)[44], pela Universidade de Salamanca (Espanha)[45], Embora outros universidades nacionais e internacionais tenham feito diversos convites para que o então presidente recebesse a honraria, Lula recusou todos os títulos honoris causa enquanto ocupou a cadeira de chefe do estado brasileiro, passando a aceita-los apenas após deixar o cargo.[38]

    Responder

      Anônimo

      14 de fevereiro de 2017 às 15h54

      Então o cara que sempre desdenhou da educação, nunca leu um livro sequer e se orgulha disso merece elogios porque só aceitou títulos de DR. Honóris causa depois de deixar a Presidência? FALA Sério! !!!!!!!!

      Responder

Mônica Oréfice Delicato

14 de fevereiro de 2017 às 05h29

Hahahaha

Responder

BATISTA SANTOS

14 de fevereiro de 2017 às 03h19

VAMOS TER ENTÃO NO STF, UM SER ILUMINADO?!

PRA SER ESTE “GÊNIO ” TODO ELE DEVE SER DA GERAÇÃO QUE NEM CHEGOU AINDA , PORTANTO DEVE SER OBJETO DE PESQUISAS CIENTÍFICA!

Responder

Rosa Maia

14 de fevereiro de 2017 às 03h06

Afinal podem fazer Doutorado antes do mestrado o pós doutorado tudo bem mas que esta cheia de duvidas agora sou eu, então na USP faz o Doutorado sem passar pelo mestrado alguém podem responder.

Responder

    Alexandre

    14 de fevereiro de 2017 às 11h53

    Isso é chamado de “doutorado direto” e não tem somente na USP… e nem todo mundo é aceito para fazer.

    Responder

      Alexandre

      14 de fevereiro de 2017 às 11h58

      Mas, em geral, não é permitido fazer em menos de 4 anos.

      Ser livre docente antes de trabalhar em um lugar também é bem esquisito. Segundo o currículo, as atividades dele na USP como professor começaram em 2003… mas em 2001 era “livre docente”. Na verdade, ele era Livre de ser Docente na USP :-p

      Responder

    simples

    02 de junho de 2019 às 15h49

    no Brasil, por lei, o obrigado é ter fundamental completo para ter diploma de ensino médio e esse para ter graduação. Os títulos depois de graduação pode ser obtidos em qualquer ordem e tempo, apenas para receber gratificação no serviço público por alguma dessas titularidade precisa comprovar graduação. Tudo mais é regida pela autonomia interna da universidade: quer titular em doutor quem ainda nem fez ensino médio e apenas com uma semana matriculado no programa? pode. . Quer titular simultaneamente como mestre doutor , pós-doutor usando até uma mesma tese escandalosamente plagiada? Pode. Tudo só depende de ser amgio dos amigos Ou seja, dentro de universidade pública, ética e moralidade se faz até usando os papéis já usando dos banheiros. Eis a grande verdade: universidade pública é a maior fonte produtora de bolsomions. Afinal, não qualquer um que sabe fazer fake news capaz de convencer milhões de imbecis e , portanto, já que são idiotas, esses estão querendo destruir suas galinhas dos ovos de ouros.

    Responder

Sid Eduardo Batista

14 de fevereiro de 2017 às 03h16

Não estou defendendo o careca não… Mas é possível fazer o Doutorado sem fazer o Mestrado. Em países europeus, mesmo nos EUA, o mestrado não tem valor algum. Já sobre o Pós-doc antes do Doc, eu não sei explicar. Mas Pós-Doc não é título, não vale para nada!!

Responder

    h. benoit

    14 de fevereiro de 2017 às 02h59

    Muitas vezes o post doc e’ feito com apoio de uma bolsa de estudos. A questao e’ saber se ele teve uma bolsa ou nao. Como e’ que alguem receberia bolsa para post doc sem ter doutorado? E que instituicao teria aceito receber alguem para um post doc que nao tinha nem mestrado nem dotourado? Isso e’ possivel?

    Responder

    Cristina Bruno

    14 de fevereiro de 2017 às 05h27

    Qto ao doutorado direto sem passar prlo mestrado concordo com vc. Qto ao pos doc ele e um estagio que oferece a oportunidade de aprofundamento num tema. Ele nao te da um titulo, mas tem muito valor sim, principalmente para quem esta na carreira academica! A duracao e de no minimo 1 ano e nao ha como realizar pos doc antes do doc. Como o proprio nome ja diz… é pós de após rsrs

    Responder

    Quase nada

    02 de junho de 2019 às 15h57

    De fato, pós-doutorado é apenas uma chatice: todo docente de pública que vai fazer esse,além de fica livre de tudo quanto é atividade e receber o salário completo, ainda recebe extra: R$ 10.000,00 para mudança, bolsa mensal de R$ 4.800,00 e quando retornar fica com a mesma bolsa por 8 meses e ten uma aumento no salário de 12%

    Responder

Eduardo Castro

14 de fevereiro de 2017 às 01h00

Nossa então a USP inteira está errada porque praticamente não se faz mestrado! Quase todas as teses são de Doutorado! Não gosto do atual ministro! Horrível a indicação – mas não percam tempo com argumento porque não se sustenta!

Responder

    Cezar

    14 de fevereiro de 2017 às 01h50

    Mas nao espero q ninguem da Puc e só pq eh Puc venha interferir na minha vida. Agora ministro bandido já basta. Procede sim a investigacao ; nem todos precisamos ser coedeirinhos do sistema.

    Responder

    Anônimo

    14 de fevereiro de 2017 às 10h23

    Tese é de doutorado. No mestrado vc faz dissertação. Ninguém pode fazer doutorado sem mestrado na USP. O que existe é vc fazer um tempo do mestrado e ser indicado na qualificação para o doutorado direto. Não sabe como acontece, não fala nada

    Responder

Lindanir Serapiao

14 de fevereiro de 2017 às 02h29

Esses caras são uns aviões que apareceram para enganar os trouxas. Agora, vão ter que engolir!

Responder

Samila Miranda Medeiros

14 de fevereiro de 2017 às 02h26

Será possível Daniel Medeiros?

Responder

vera

14 de fevereiro de 2017 às 00h24

Pós -doctor custa em qualquer fundação nada menos que R$ 20 mil. Sr. Morais deveria ter feito mestrado, doutorado, livre docência e titularidade ! Como explicar sua carreira acadêmica. ? TEMOS VERGONHA DESTE PULHA.

Responder

Parlo Piano

14 de fevereiro de 2017 às 02h20

óóó,,, e fez isso escrevendo umas centenas de livros, centenas de artigos, orientando dezenas de monografias, dissertações, teses,, sendo banca de dezenas de outros mestrados e doutorados, participando de centenas de eventos científicos, sendo membro de conselhos editoriais, de conselhos de classe,, dando aulas em várias instituições e,, sendo secretário de justiça, CNJ,,,

Quem manda o dia de vcs ter só 24 hrs e os anos serem miseras translações terrestres de 365 dias,,, B|

Responder

    João Ramos Ribett

    14 de fevereiro de 2017 às 11h16

    É que ele vivia em Marte onde o ano dura 687 dias terrestres.

    Responder

vera

14 de fevereiro de 2017 às 00h18

Estúpido Incompetente. Deveria ter feito mestrado, doutorado, livre docência e titularidade . . . isso só pra ser um entre os vários mestres corruptos que o Brasil apresentou a nós seres mortais.

Responder

Anna Luiza Campanhã Bauer

14 de fevereiro de 2017 às 00h15

É possível que se faça o doutorado sem passar pelo mestrado, na USP.

Responder

    Carlos

    14 de fevereiro de 2017 às 00h24

    Impossível. Mestrado e pré-requisito para Doutorado em qualquer universidade.

    Responder

      Renata Brandt

      14 de fevereiro de 2017 às 00h58

      Não é pré-requisito. Eu não fiz mestrado e conclui o doutorado pela USP. Pode checar meu currículo lattes. Abraços.

      Responder

      Geri di Dante

      14 de fevereiro de 2017 às 07h38

      Não…! Você pode fazer o doutorado sem defender a dissertação de mestrado. O problema está em cursar doutorado e usar a mesma tese para adquirur os dois titulos ao mesmo tempo.

      Responder

Maria Eunice

14 de fevereiro de 2017 às 00h15

Que vergonha.
Temer não acerta uma.
Só está recompensando Alexandre de Moraes pois foi ágil demais em capturar e sentenciar hacker que descobriu conversas comprometedoras de Marcela Temer.

Responder

H.Wagner

14 de fevereiro de 2017 às 00h06

Em que se transformou o STF. Ou será que fui um ser crédulo e o staff da ‘ Suprema Corte’ sempre teve estas características.
Onde estão os doutrinadores, os cérebros deste Brasil? Por q ñ se manifestam contra esta pouca ou nenhuma vergonha?
Por que se omitem em defender o que resta de dignidade? Nós, povo brasileiro, precisamos da verdadeira elite pensante.

Responder

    Simples ao quadrado

    02 de junho de 2019 às 16h51

    Queres conhecer intelectual desse país que preste? Procure por feirantes de muitos anos, já calejado de trabalhar e analfabeto. O bolsonarismo acertou em cheio ao escolher como referência intelectual quem nunca fez curso superior, pois nisso tem simpatia até de petistas. Lula começou sua desgraça quando começou se juntar com essa gente com diproma de curso superior (FHC sempre foi apenas o mais nojento) que convenceram esse de não apenas ampliar a fábrica de diproma como ainda fez a porcaria se agigantar . . E vou logo avisando: 69% dos eleitores de B17 tem diproma de curso superior de pública, assim como 64% do quadro docente dessas é isso também.

    Responder

ANDRE LUIZ DE SOUZA

14 de fevereiro de 2017 às 00h04

E, depois de tudo isso, continuou nesse ritmo aceleradíssimo, até o ministério. Aí então, foi um fenômeno. Depois de advogar para bandidos, tem, em seu mandato como ministro, a incrivel marca de três chacinas em presídios. Tambem mentiu muito, alegando que ofereceu ajuda, e foi desmentido. Por todos esses serviços prestados à nação, o presidente/capeta não tinha outra coisa a fazer: o indicou para ministro do STF

Responder

Cecília de Aragão Santos

13 de fevereiro de 2017 às 23h46

Que loucura!!! A quem vamos recorrer contra essa bandidagem?!

Responder

Damares Léia

14 de fevereiro de 2017 às 01h40

Ele pode né galera, pode tudo.

Responder

Claudio

13 de fevereiro de 2017 às 23h31

Aprendeu com o Serra.

Responder

Sandra Milan

14 de fevereiro de 2017 às 01h29

O cara é bom mesmo, em. ..

Responder

Sebastiao Abdala

14 de fevereiro de 2017 às 01h29

como esse país pode ser sério?

Responder

Francis Oliveira Bezerra

14 de fevereiro de 2017 às 01h21

Fábio Piquet da Cruz

Responder

    Fábio Piquet da Cruz

    14 de fevereiro de 2017 às 13h32

    É um analfabeto!!!!

    Responder

    Francis Oliveira Bezerra

    14 de fevereiro de 2017 às 13h48

    É charlatão msm. Tanta gente entra em depressão pra fazer um trabalho de pesquisa “decente”. Sem dormir direito, com professores subestimando você. Esse “super homem” consegue tudo em dois anos? Aí tem, FRAUDE.

    Responder

Zilda Iokoi

13 de fevereiro de 2017 às 23h15

É um corrupto desde sempre! Como
Pode ser indicado é acolhido no Supremo? Nenhum deles se respeita! Não respeitam a constituição e nem o povo brasileiro! Um escândalo! Chamamos os ladroes pois eles devem ter mais afeto pelo país! Temos que incendiar as ruas mesmo. Talvez uma caminhada nacional a Brasília com apoio da OE A , da ONU ! Socorro fomos invadidos por senhores das gangues perigosas demais!

Responder

Anônimo

13 de fevereiro de 2017 às 23h12

Que é um embusteiro ninguém “t dúvidas

Responder

Ludmila

13 de fevereiro de 2017 às 23h12

Eu conheço pessoas que foram convidadas a passar do mestrado ao doutorado, ou seja, desenvolveram a pesquisa de mestrado tão bem ( surpreendentemente bem) que ‘queimaram’ essa etapa. São casos excepcionais. Mas existem.

Responder

Guilherme Barra

14 de fevereiro de 2017 às 00h52

Que pilantra…

Responder

Natalia Rangel

14 de fevereiro de 2017 às 00h50

Uri Wainberg, Esdras Rédua

Responder

Anônimo

13 de fevereiro de 2017 às 22h44

Mas é o correto, pois como acima mostra que seriam necessários 4 anos mais 1 ano mais 4 anos e vejam a soma é 9, que tirando a prova dos 9 que é a verdade, significa que 0 menos 9 = 0 zero é nada, portanto essa pode ser a verdade verdadeira, não ter feito nada, ssrrsrs.

Responder

Marcelo Jose Gumier

14 de fevereiro de 2017 às 00h38

Ta parecendo o garotinho

Responder

Rachel Azevedo

14 de fevereiro de 2017 às 00h21

O homem q copiava

Responder

Irineu Msrcos

13 de fevereiro de 2017 às 22h16

Nao estou entendendo nada para ser politico Presidente os caras entram sem saber nada porque para outros cargos de menor valor exige tanto ?

Responder

    Marília Cabral de Lemos

    13 de fevereiro de 2017 às 23h39

    Não é a questão da exigência que se discute, mas a questão da falsidade.

    Responder

    Cecília de Aragão Santos

    13 de fevereiro de 2017 às 23h49

    Ou, a questão não é essa…A suspeita é de trapaça, crime.

    Responder

Luis Alberto Atanasio dos Santos

13 de fevereiro de 2017 às 22h16

Pela regra posso ser PhD sem, sequer, ter o 1* Grau…. “Auto Ditata” etc. Mas…. Obvio que tal seria prodigio….. Mas as noticias devem ser estudadas / analisadas ….. Sem defender… Mas na web qualquer um coloca o que quizer…nao da para crer em tudo…

Responder

Edson

13 de fevereiro de 2017 às 22h10

Imagina a (capivara) ? Cadeia no moço… Ah! O temer também. . . borracha no lombo deles!

Responder

    Roberto

    13 de fevereiro de 2017 às 23h17

    Pode crer ! A bandidagem da capital do tucanistao elegendo seu protetor, futuro gilmar dantas .

    Responder

Gilberto Moraes

14 de fevereiro de 2017 às 00h09

Caso não haja engano nas publicações, há alguma coisa errada aí. No mínimo, pouco moral. É preciso lembrar que ninguém se atribui um título acadêmico. Existe um PPG envolvido. E isso significa um grupo de pessoas com idoneidade científica. Igualmente, uma posição acadêmica conquistada em uma universidade pública demanda a aprovação de uma banca igualmente idônea. Pra isso, existem requisitos a serem preenchidos. Ou essas informações são improcedentes, ou existe muita gente envolvida nisso tudo.

Responder

    Pedro Vieira Sarmet Moreira

    14 de fevereiro de 2017 às 02h28

    Sou acadêmico e posso afirmar que existe uma banda podre nas melhores Universidades do Brasil. Inclusive, este mês um professor de direito da UFRGS foi exonerado do cargo por corrupção em concurso para professor. Beneficiando um protegido e deliberadamemte (e de forma planejada), prejudicou o candidato mais preparado.

    Responder

      Pedro Vieira Sarmet Moreira

      14 de fevereiro de 2017 às 02h29

      Forma correta: deliberadamente (erro de digitação)

      Responder

Elaine Venzon Francisco

14 de fevereiro de 2017 às 00h04

Igor Alves

Responder

Lobo Solitário

13 de fevereiro de 2017 às 21h59

Os membros do STF não tem que ter conduta ilibada?

Ou será que vão pular essa parte também.

Responder

Anônimo

13 de fevereiro de 2017 às 21h58

Só falta a “lona” pqp.

Responder

Anônimo

13 de fevereiro de 2017 às 21h50

protegido do presidente.

Responder

    SERGIO

    13 de fevereiro de 2017 às 22h25

    Protegido do PCC!

    Responder

Tete Carvalho

13 de fevereiro de 2017 às 23h46

Menino travesso. Onde será que aprendeu tal proeza?!!
Acho que o Mestrado ele fez com o PCC. E o resto , Doutorado e Pós, tbm. Enfim, fraudou tudo.
É….Isso é máfia!

Responder

Anônimo

13 de fevereiro de 2017 às 21h43

Posta o curriculo do toffoli ai

Responder

Marcos Meireles F. Aun

13 de fevereiro de 2017 às 23h43

Xiii, então fez igual à Dilma, que inventou aquela pós na Unicamp….

Responder

Gade Pedroza

13 de fevereiro de 2017 às 23h35

parece aquele personagem mike ross da série de tv ‘suits’, o cara era advogado sem ter feito curso de direito.

Responder

L'Amie

13 de fevereiro de 2017 às 21h25

Vale o que está escrito ! Lá constava uma coisa que foi alterada. Pq ? Se estivesse certo não haveria razão para mexer. Houve denuncia. Mexeu. É FRAUDE! 2) Quem tem fama, deita na cama ! É enrolador sim ! Plagio de autor estrangeiro, ” devogado ” do PCC etc. 3) Comparações descabidas , para o Executivo é eleição e nomeação ad tempore; para o judiSIario tem lista, sabatina, indicação e exigências, como : Ter Conduta ILIBADA ! Conclusão: não presta, vai pro lixo, escolhe outro. Coincidência? Pq ? Ah, a Leva Ratos deve fechar.

Responder

Marcelo Fonseca. Dr. Pela Universidade de Campinas

13 de fevereiro de 2017 às 21h23

Lamentável que este “doutor ” continue no cargo de um governo que deveria moralizar o país. Conheci certos pos doctor que recusei o título nas bancas que participei. Plágio é crime reconhecido em todo o mundo da ciência. Deveria ter punição também para ele. ,

Responder

Marcos Rogerio Muniz

13 de fevereiro de 2017 às 22h52

” Os meninos imbicou no Audi tá sorrindo da cara dos FRAUDE !”

Responder

Marcio Del Negro

13 de fevereiro de 2017 às 22h51

Todo e qualquer sujeito poderá escolher sua pós graduação , ou seja, um candidato poderá escolher entre o Mestrado ou doutorado, não uma escala .

Responder

Neide da Silva Santos

13 de fevereiro de 2017 às 20h44

O que se pode esperar de um indivíduo como o Alexandre Moraes, só fraude que é sinônimo de corrupção.

Responder

Maria Elisa Ladeira

13 de fevereiro de 2017 às 20h43

E a responsabilidade da Universidade e orientadores?

Responder

Alferes Villar

13 de fevereiro de 2017 às 20h40

Matéria rasa, estão misturando cargo político com área acadêmica. Esses títulos estão dentro da legalidade da instituição, cuidado.

Responder

    Carlos Adonias

    13 de fevereiro de 2017 às 21h15

    Os plágios também?

    Responder

Fábio José Vieira

13 de fevereiro de 2017 às 20h37

Acredito que este fraudador não passaria por uma “oitiva” séria e sem festa em um barco no lago Paranoá ! Se fosse Ministro Supremo não me sentaria ao lado dele.
Definitivamentes esse Moraes não é ilibado !
Adeus HÉGIDE (garantia, segurança, proteção e amparo) da justiça !
Adeus DEMOCRACIA, DIREITOS ADQUIRIDOS, ESTADO DEMOCRÁTICO DO DIREITO, JUSTIÇA BRASILEIRA, PATRIMÔNIO NACIONAL e SOBERANIA NACIONAL !
Assim como Temer, Moaes é mais um fantoche, um ventríloquo no colo do PSDB !

Responder

Eduardo Macedo

13 de fevereiro de 2017 às 22h19

Rapaz… Que seja dito:
-Esse pessoal é COMPETENTE demais! Mesmo com tudo o que já vimos… Ainda fazer festa!

Responder

Vitor Pimentel

13 de fevereiro de 2017 às 22h11

Onde vai ser a pizza?

Responder

Nicinha Lepore

13 de fevereiro de 2017 às 22h02

O Brasil não é para amadores

Responder

Patricia Macari

13 de fevereiro de 2017 às 19h55

Ele pode fazer doutorado direto, não estou defendendo golpista, mas está no regimento da USP. O problema é o pós-doutorado antes do doutorado. Esse problema ele já resolveu: acessou o currículo dia 11/2 e apagou o pós-doc

Responder

Lucia Tavares

13 de fevereiro de 2017 às 19h50

Meu filho vem se esforçando desde a graduação.Passou por todos os processos de seleção de mestrado e doutorado numa das melhores universidades federais do Brasil.Concluiu o doutorado com honra e hj está no pós doc na mesma instituição.Apesar de todo esse esforço e dedicação que desenvolve na pesquisa de câncer, está prestes a perder a bolsa.Só pode ficar até junho pois,a verba acabou e esse des(governo) não demonstra nenhum interesse em manter cérebros pensantes.Quer nos fazer engolir um ministro fraudador enquanto os verdadeiros cientistas e as instituições de pesquisa estão jogadas à própria sorte.”Que país é esse?”

Responder

    Carlos Adonias

    13 de fevereiro de 2017 às 21h35

    Pois é, Lucia, no Brasil do golpe a fraude compensa e o esforço de um pesquisador é punido. Triste!

    Responder

Elecir Ribeiro Arce

13 de fevereiro de 2017 às 19h40

Esse plagiador vai ser ministro do STF, que vergonha.

Responder

Eugenio Bellini

13 de fevereiro de 2017 às 19h40

Não são muito sérios estes títulos quando se refere a direito. O que é impressionante é a concomitância das pesquisas com a banca. Dedicação por 4 anos de no mínimo 16 horas de trabalho. Se tem registro de audiências então o doutor é um caso raríssimo. Mas o material deve estar disponível pra consulta. A conferir.

Responder

MARIA A M FERNANDES

13 de fevereiro de 2017 às 19h33

Esse cara é um doutor sim!!! Doutor na pilantragem, pos-doutor na picaretagem, na desonestidade, na vigarice!
Ainda vamos ouvir mais coisas quando abrirem a caixa de Pandora do malandro!!!!

Responder

Wagner Campos

13 de fevereiro de 2017 às 21h32

E vcs acham que eles estão preocupados?

Responder

Anônimo

13 de fevereiro de 2017 às 19h30

Q feio!! Fora kinder ovo!!!

Responder

    Lucia Lopes

    13 de fevereiro de 2017 às 19h31

    Q feio!! Fora Kinder Ovo!!

    Responder

Paulo Cesar de Oliveira

13 de fevereiro de 2017 às 21h28

Esse indivíduo é um “gênio” !!!!
PhD Rsrsrsrs rsrsrsrs rsrsrsrs..

Responder

Fátima Regina Da Silva Pinto

13 de fevereiro de 2017 às 21h16

Que vergonha!!!!

Responder

Maria Pedroso

13 de fevereiro de 2017 às 20h57

Nooossa mais uma do Kinder ovo???

Responder

Cristina Braga

13 de fevereiro de 2017 às 20h50

O nome disso é maracutaia. Êta povinho…

Responder

Mauro Gonçales

13 de fevereiro de 2017 às 20h41

Mauricio Abdala Botasso isso procede

Responder

    Mauricio Abdala Botasso

    13 de fevereiro de 2017 às 20h45

    Tião, vou fazer o levantamento correto, mas a principio, tenho imlressao que é mentira!!! Amanha te confirmo a resposta. Se for verdade é um fato gravíssimo…

    Responder

Demetrio Alves

13 de fevereiro de 2017 às 20h37

Sou mais o Lula que ganhou o “doutorado” direto, e fez justiça por isso, como patativa, é doutor Honoris causa.kkkkkkkkk

Responder

    Carlos Adonias

    13 de fevereiro de 2017 às 21h41

    Também sou, mas sou mesmo. Ele fez mais que mil doutores, por isso foi honrado com o título.

    Responder

Tania Maria Maria

13 de fevereiro de 2017 às 20h37

Inacreditável!!!!! É muita sujeira.

Responder

James

13 de fevereiro de 2017 às 18h34

Que artigo mais sem noção…
Não precisa de mestrado pra fazer doutorado, e o pós doc nada mais é uma pesquisa avançada que gera uma nova tecnologia ou material de estudo. Suponho que esse pós doc tenha vindo agregado ao desenvolvimento do livro dele. Bom, e fazer doutorado em 3 anos não é tão difícil quanto fazem parecer, ainda mais em áreas fora de exatas.
O sujeito aí pode ser um crápula, plagiador, mas esse artigo está feio. Sem mais.

Responder

    Vile Molinari

    13 de fevereiro de 2017 às 20h23

    Estou de pleno acordo, James. Também não tenho intenção de defender ninguém, mas não dá pra ir acreditando em tudo que se lê. Ainda: ao invés de mencionar o endereço completo do link para averiguar a fonte, apenas aparece a palavra “link”. Sabe-se lá o que pode abrir esse acesso!

    Responder

      Maria do Carmo Oliveira

      13 de fevereiro de 2017 às 20h38

      Existe uma sobrecarga nas horas trabalhadas também, em 2014 era “servidor” do MP com carga horária de 40 horas e dava aulas com carga horária de 40 horas… Um espanto! Quebrou todas as leis da física…

      Responder

    Carlos Adonias

    13 de fevereiro de 2017 às 21h49

    Então Alexandre Moraes, ademais de ser tudo o que possa ser, é também um bobo; apagou o registro do pós-doc. Só que não acredito.

    Responder

Lafaiete de Souza Spinola

13 de fevereiro de 2017 às 18h33

Para que o Brasil tenha uma população esclarecida, menos manipulável pelos descendentes da casa grande que se prestam a formar o grupo dos testas-de-ferro e seus prestadores de serviço, a classe especializada, todos sabujos do grande irmão e seus aliados:

https://www.facebook.com/LafaieteDeSouzaSpinola/posts/536024086555004

Responder

Emilene Costa

13 de fevereiro de 2017 às 20h29

Como será que ele conseguiu iniciar o pós doc um ano antes de iniciar o doutorado? E nós, meros mortais, lutando contra o tempo para concluir o mestrado em 2 anos Alessandra Pacheco Luan Thomé Cristina Timo Cristina Braga Graciana S Leal

Responder

Roberto

13 de fevereiro de 2017 às 18h28

agora é com a P.F e MPF investigar e tomar as medidas necessárias.

Responder

Marcos-Antonio Araujo-Silva

13 de fevereiro de 2017 às 20h25

Pular o mestrado até que pode. Mas, pos-doutorado antes do doutorado, nunca vi isso.

Responder

Maria Filomena Andrino Ançã

13 de fevereiro de 2017 às 20h04

Se procurar vão achar muita coisa!

Responder

Nilcio Costa

13 de fevereiro de 2017 às 17h51

esperar o que de um sujeito deste, ele representa bem a política conduzida pelos golpistas.

Responder

Newton Oliveira

13 de fevereiro de 2017 às 19h50

Nada impede que se faça doutorado sem o mestrado. São pós graduações strictu sensu distintas.

Responder

    Xenia Maria pereira

    13 de fevereiro de 2017 às 18h22

    Sim, é verdade que pode pular o mestrado. Porém, não se faz pós doutorado pulando o doutorado. Fica a dúvida, assim como? Algo está errado.

    Responder

vitor

13 de fevereiro de 2017 às 17h49

Antônio e ruy , cuidado não morder os labios vocês podem se envenena . Kkkkkk

Responder

Lucas Carreri

13 de fevereiro de 2017 às 19h49

Jenio kkkk

Responder

Íris

13 de fevereiro de 2017 às 17h14

Vagabundo!!!
Trambiqueiro!!!
Corrupto!!
Sem Caráter!!

Responder

ruy barbosa

13 de fevereiro de 2017 às 17h02

Caros

quem inaugurou esta prática foi a nossa ex-presidente Dilma que falseou o seu lattes dizendo que tinha doutorado e na verdade não tinha. Fio seguida pelo ex-ministro Mercadante, que disse que tinha doutorado, depois não tinha (depois do acontecido defendeu uma tese). Enfim, esta coluna está parecendo o partido republicano dos estados unidos, fazendo exatamente aquilo do que acusavam os democratas

Responder

    Anônimo

    13 de fevereiro de 2017 às 17h30

    prova isso seu otario

    Responder

Cleiton silva

13 de fevereiro de 2017 às 16h48

Com certeza é fraude

Responder

Maria de nazare Lima gadelha

13 de fevereiro de 2017 às 16h43

Canalha, LADRÃO, CORRUPTO e PLAGIADOR , EM QUALQUER PAÍS SÉRIO ESTE VERMELHO ESTARIA PRESO

Responder

Aim Morris

13 de fevereiro de 2017 às 18h41

Lucy Pereira, this is the sinister Justice Minister nominated to the Supreme Court…No shame left in this country. Hopeless.

Responder

Eunice Vieira

13 de fevereiro de 2017 às 18h35

Cara que legal! Conheci um rapaz que fez o segundo grau antes do.primeiro,claro que foi prova de.supletivo,mas foi assim igual ao ilustre plagiador.

Responder

Daniel Caires

13 de fevereiro de 2017 às 18h26

Pilantraço

Responder

Rogério Bezerra

13 de fevereiro de 2017 às 16h21

Nos anos de 1980 existia uma faculdade que “ministrava” aula somente aos sábados…
Um portento!
A privada educação, em sua esmagadora maioria, ( sou prova disso) é apenas prá ter o diproma. Dipromados assim infestam o país…
Eita privada!!!!

Responder

Ana Fraga

13 de fevereiro de 2017 às 18h12

Pelo jeito, exala desonestidade em tudo que faz.

Responder

Míriam Fátima Santos

13 de fevereiro de 2017 às 18h11

Imoral

Responder

Giancarlo

13 de fevereiro de 2017 às 15h48

Já foi atualizado, cliquem no link e vejam o correto ou via lattes

Responder

    Giancarlo

    13 de fevereiro de 2017 às 15h51

    E sobre fazer Doutorado direto, se o Brasil fizesse com seus melhores cientistas o up grade, passando do mestrado para o doutorado automaticamente, e teríamos mais anos de conhecimento na academia.
    Não sou da área, nem posso julgar a formação dele, mas ao que parece, passou pelos ritos corretos (o que aparece na USP está diferente do Lattes, ou do link do lattes na USP).

    Responder

    Josué Krug

    13 de fevereiro de 2017 às 16h19

    O pós doc dele foi em “como defender 123 processos do PCC?

    Responder

paulo tadeu albuquerque

13 de fevereiro de 2017 às 15h44

pos doc eh uma jaboticaba da academia brasileira !

Responder

Eleonora Mascolo

13 de fevereiro de 2017 às 17h43

A vergonha Nacional ,

Responder

Rosilda Silva

13 de fevereiro de 2017 às 15h29

Isso é um absurdo .esse golpista sáfado e toda sua corja falou que o problema era a Dilma olha aí esse sáfado só queria o poder por encobrir os ladrões da Lava Jato que todos já sabem e colocar a culpa só no PT. E dizendo que o Brasil Tava quebrado sendo que eles e que tá quebrando o Brasil. ..

Responder

Jesus Calixto

13 de fevereiro de 2017 às 17h26

Anderson Dias

Responder

Jamil Vicente Gonçalves

13 de fevereiro de 2017 às 17h26

o chefão do odd

Responder

Fatima Marchioni Avilez

13 de fevereiro de 2017 às 17h25

Gilberto Moraes

Responder

Mario Ilo

13 de fevereiro de 2017 às 15h23

Dr. Jean, não se escre vocês vai mandar, e sim, vocês vão mandar.

Responder

Dorinha Filgueira

13 de fevereiro de 2017 às 17h16

As trambicagem começaram cedo.
Vai ver que já estava tudo planejando.
Coisa feia

Responder

Lúcia Farias Schirmer

13 de fevereiro de 2017 às 17h15

Quer dizer que única coisa ainda original continua sendo a careca.

Responder

Jonas

13 de fevereiro de 2017 às 15h15

É evidente que algo não está claro em sua formação, o que me remete ao recente caso da Bel Pesce. Porém espanta a forma como todos levantam mil especulações. Alguém procurou entrar em contato com a USP? Alguém foi investigar? Não seria somente um erro em colocar as datas? Pessoal, se querem criticar, que ao menos levantem informações precisas, caso contrário a “pesquisa” de vocês sobre a pesquisa desse sujeito, também está bem falha.

Responder

Mario Ilo

13 de fevereiro de 2017 às 15h15

Se for comprovado tudo isso, e esse cidadão ainda vier à ser nomeado e empossado, Ministro da Suprema Corte, pode mandar um confeiteiro das Forças Armadas, executar o toque de silêncio (funeral), em frente ao STF, e a Bandeira do Brasil deve ser hastiada a meio pau, nos Tribunais Regionais, e Foruns Municipais.

Responder

Jorge França

13 de fevereiro de 2017 às 17h13

Não entendo de mestrado nem doutorado só sei que tudo neste governo fede.

Responder

Norma Miglietti

13 de fevereiro de 2017 às 17h05

UM FARSANTE]

Responder

Antônio Marcos

13 de fevereiro de 2017 às 16h45

No futebol isso se fala. Deu 1 gato

Responder

Marcos Antônio da Silva

13 de fevereiro de 2017 às 16h44

Como é bom ter amigos, não é? Acho que deve ser a tal da meritocracia!

Responder

Jean

13 de fevereiro de 2017 às 14h40

Meu

Vcs vai mandar petista procurar tese de doutorado?

Kkkk

A tese — um “calhamaço” de 416 páginas, originais disponíveis na biblioteca da USP do Largo de São Francisco – foi orientada pelo jurista e professor Dalmo Dallari. “Como estudioso do direito, ele é melhor do que nos cargos executivos, inclusive o de ministro”, disse Dallari. O professor emérito lembrou do doutorando, mas não quis fazer mais comentários.

Responder

    Miguel do Rosário

    13 de fevereiro de 2017 às 14h43

    jean, que preconceito babaca, hein. os maiores juristas da américa latina são de esquerda, ou seja, “petistas”. procure saber quem é zaffaroni.

    Responder

      Josué Krug

      13 de fevereiro de 2017 às 16h21

      Fraudou três vezes . Já é citado na Espanha como CRL C, CRL V…

      Responder

      Gutto

      13 de fevereiro de 2017 às 16h56

      Zafatoni é um grande criminalista. Tem diversas obras dentre as quais trata como ninguém do direito penal do inimigo. É argentino. E diferente do Brasil, na Argentina não é requisito o mestrado para se obter o título de doutorado. Então, se ele fez no exterior, é possível sim a obtenção deste título sem mesmo o doutorado.
      E cá pra nós, que estuda ou já estudou Direito, sabe que dá qualidade do Alexandre de Morais. Quem não conhece esse doutrinador? Independente de partido ou ideologia política. Capacidade ele tem.

      Responder

        Gutto

        13 de fevereiro de 2017 às 16h57

        *Zafaroni. Corretor. Kkkkk

        Responder

    Anônimo

    13 de fevereiro de 2017 às 16h05

    Vocês “vai”. Já ouviu falar em verbo coxinha? Seu asno.

    Responder

Anônimo

13 de fevereiro de 2017 às 14h40

Será que realmente e formado em direito ou pulo esta fase e foi direto para o doutorado.

Responder

Jean

13 de fevereiro de 2017 às 14h35

Só quem não cursou fala isso. Doutorado não é 4 anos. É até 4 anos. Pós doc é até 4 anos.

Seus analfabetos

Responder

    Miguel do Rosário

    13 de fevereiro de 2017 às 14h44

    analfabeto não faz plágio…

    Responder

    Anônimo

    13 de fevereiro de 2017 às 14h44

    Filhinho, analfabeto é você.

    Responder

    Caco Baptista

    13 de fevereiro de 2017 às 14h55

    Queridinho, pergunte para todos que você conhece que fizeram doutorado e veja quantos conseguiram fazer em menos de 4 anos. Depois volta aqui contar pra nós, tá bom?

    Responder

    Anônimo

    13 de fevereiro de 2017 às 15h35

    São 4 anos você quer dizer!!!
    Analfabeto????

    Responder

Valéria Araujo

13 de fevereiro de 2017 às 14h21

Mudou o lattes dele no CNPq, retirando o pós-Doc no dia 11/02/2017.

Responder

Suzana Rodrigues

13 de fevereiro de 2017 às 16h17

Gêniooooooooooooo

Responder

JOHN JAHNES

13 de fevereiro de 2017 às 14h17

É DO PSDB. É FRAUDE AO VIVO E EM CORES.
NÃO ESCAPA UM TUCANO, TODOS SÓ SOBREVIVEM SE FRAUDAREM.
ELES VIVEM DE FRAUDES E SOBREVIVEM FRAUDANDO

Responder

Fatima Regina Signori

13 de fevereiro de 2017 às 16h11

Brasil gente até o Lula tem diploma sem ter concluído nenhuma escola

Responder

    regina lian

    13 de fevereiro de 2017 às 14h31

    O Lula tem diploma de torneiro mecânico feito no Senai. Não faça comparações descabidas, por favor. Ele nunca precisou plagiar ninguém!!!

    Responder

    Silvio Fontana

    13 de fevereiro de 2017 às 14h48

    Agora o Lula tem diploma?Ué… não tô entendendo.

    Responder

      enganado

      13 de fevereiro de 2017 às 19h53

      O sabidinho, não é diploma, apenas um papel/um certificado que compareceu ao curso, cumpriu todos os requisitos e passou no teste final. Se a DIREITA quiser caçar até este certificado do LULA, que limpem a bunda com o papel, pois o conhecimento adquirido NINGUÉM pode retirar da pessoa e nem matando.

      Responder

Carlos

13 de fevereiro de 2017 às 14h10

Eu tentei achar a Dissertação do Doutorado no acervo da USP e procurei pelo “Autor”, pelo ano, pelo Orientador, pelo titulo, pela área, e nada de nada, nao tem registro nenhum do Alexandre de Moraes, muito esquisito.
Peço ajuda para achar o Doutorado (pdf). Também gostaria saber dados básicos do Pós-doutorado ( titulo, área do conhecimento…)

Responder

Leniára Rios Pedroso

13 de fevereiro de 2017 às 15h59

Até nisso é golpista

Responder

Katia Maciel

13 de fevereiro de 2017 às 15h41

A cara desse governo golpista: uma fraude!

Responder

Nelson Bondioli

13 de fevereiro de 2017 às 15h41

Gente eu detesto o Temer e esse Moraes, e essa história do lattes dele é completamente sem pé nem cabeça, mas as informações que vocês deram ali no site estão relativamente equivocadas.

Existe doutorado direto (graduação para o doc) e realmente não é comum, mas é longe de ser impossível (especialmente até o começo do ano 2000). Nessa modalidade normalmente acabava levando 5 anos.

Pós-doc geralmente é um ano, mas não é regularizado, eu mesmo fiz um pósdoc em 6, e agora estou fazendo o meu segundo na UFES que é de 3 anos.

Por fim, as regras de livre docência são específicas de cada instituição, mas normalmente exigem um perído de anos dando aula, coordenação de projeto de pesquisa e publicações.

É certo que esse lattes do Moraes é fraudulento, mas não é motivo pra informar errado XD

Responder

Ramon Rodney

13 de fevereiro de 2017 às 15h38

A cada dia mais manobras sendo descobertas. Que vergonha nesse momento de ser brasileiro com tudo o que está sendo descoberto. QUE FEIO. Homens já velhos, país, avós, dando seus pessimos exemplos a uma geração desgovernada e totalmente vulnerável!#lamentável

Responder

Paulo

13 de fevereiro de 2017 às 13h36

O que teria a dizer sobre o questionamento sobre o doutorado o seu orientador, Dr. Dalmo de Abreu Dallari? Esta não seria uma boa questão jornalística?

Responder

Carlos Guilhermitti

13 de fevereiro de 2017 às 15h36

Davi De Martini Junior Marcos Alberto de Freitas e Henderson Marques, creio que seja da vossa área: Pode isso??? https://www.ocafezinho.com/2017/02/13/fraude-desmascarada-moraes-pulou-mestrado-e-fez-pos-doc-antes-do-doutorado/

Responder

Olmira Molica

13 de fevereiro de 2017 às 15h34

Onde vamos parar com tanta pouca vergonha?

Responder

Cris Oliveira

13 de fevereiro de 2017 às 15h29

No Brasil tudo pode pra quem tem dinheiro

Responder

Ângelo Eugênio

13 de fevereiro de 2017 às 15h29

Remo Russo

Responder

Magnus Brasil

13 de fevereiro de 2017 às 15h23

da próxima, eu não vou fazer nem ensino fundamental, já vou para o pós-doc. auheheaueaheuheuheueahea…. SQN.

Responder

Jorima Valoz

13 de fevereiro de 2017 às 15h23

É tão picareta que depois das denuncias atualizou o Lattes no dia 11/02/2017, e agora não consta mais o pós doutorado. Estranho!!!

Responder

Felipe Cesar Torres Antonio

13 de fevereiro de 2017 às 15h21

Paula Homem de Mello, posso ir pro pós-doc direto? Parece que é mais legal… rs

Responder

Peter Kell

13 de fevereiro de 2017 às 15h21

Já disse: somente mais um lacaio no palco do circo……

Responder

Claudia Santos

13 de fevereiro de 2017 às 15h20

Carla Viviane Paulino

Responder

Mathues Oliver

13 de fevereiro de 2017 às 15h19

É a Cara do Amin todinho

Responder

Zeca Pataca Jr.

13 de fevereiro de 2017 às 15h17

Vejam Pedro Geraldo Carvalho Silva Odair Ferreira Jucelene Rocha

Responder

Antonio Figueiredo

13 de fevereiro de 2017 às 15h17

ESSE RAPAZ VAI LONGE !

Responder

Marina Santiago

13 de fevereiro de 2017 às 15h07

PICARETA

Responder

Ana Clara Duarte Gavião

13 de fevereiro de 2017 às 15h05

Ascensão a jato graças aos plágios comprovados e provavelmente outras ilegalidades. As instituições estão deterretendo…

Responder

Carlos Roberto de Messias

13 de fevereiro de 2017 às 13h03

Lamentável, os facínoras estão tomando o que podem e o que não podem.

Responder

    maria helena michel

    13 de fevereiro de 2017 às 13h58

    Para quem não sabe, o mestrado não é pre-requisito para fazer o doutorado; conheço muitos casos de pessoas cujos filhos saíram direto da graduação para o doutorado. Dependendo da pesquisa que estiver sendo desenvolvida, um pós-doc pode ser feito junto com o final do doutorado também. Não se precipitem em jogar lama nas pessoas; o PT tem um telhado de vidro muito grande com a formação da ex-presidente.

    Responder

      Miguel do Rosário

      13 de fevereiro de 2017 às 14h00

      Maria, a ex-presidente não foi indicada ao STF. Ela foi eleita, duas vezes, pelo povo brasileiro. Não precisa de doutorado para isso.

      Responder

Valter Cruz

13 de fevereiro de 2017 às 14h59

É a cara do nosso vergonhoso judiciário…. tem que ir para o supremo mesmo…..passou na prova…kkkkk

Responder

    alexsandro

    13 de fevereiro de 2017 às 15h34

    Kkkkkkkkkkk

    Responder

Maria Cecilia Silvestre

13 de fevereiro de 2017 às 14h57

Que é isso? Vergonha!

Responder

Paulo Andre

13 de fevereiro de 2017 às 14h57

Um “jenio”

Responder

Lu Venturi

13 de fevereiro de 2017 às 14h56

pós doc antes do doutorado é estranho mas doutorado sem mestrado pode.

Responder

Venus Mari D'Agostini Nascimento

13 de fevereiro de 2017 às 14h54

Pra quem ele pagou?

Responder

Cristiane Mansur

13 de fevereiro de 2017 às 14h51

Vamos estancar essa sangria!
E o preço?
Ah, o povo paga!

Responder

Eduardo Niezi

13 de fevereiro de 2017 às 14h46

Isso é lamentável .

Responder

Caius Guarani-Kaiowá Brandão

13 de fevereiro de 2017 às 14h45

Depois de vazar a fraude, ele retirou o Pós-doc do seu Lattes.

Responder

Arnildo Hasper

13 de fevereiro de 2017 às 14h42

Certamente não fez, mas, para quem ganha milhões, isto não vêm ao caso!

Responder

Antunes Zacarias Antunes

13 de fevereiro de 2017 às 14h41

Mas um pilantra

Responder

Margarida Vasconcelos

13 de fevereiro de 2017 às 14h41

Gente!!! Que tristeza, eu sou burra, tudo demora!!

Responder

Felippe Miranda

13 de fevereiro de 2017 às 14h39

Bizarro!

Responder

Leda Casas

13 de fevereiro de 2017 às 14h36

É golpe

Responder

Conceição Carneiro

13 de fevereiro de 2017 às 12h34

Se alguém for no Lattes hoje 13/02/2017 vai ver: ” Última atualização do currículo em 11/02/2017″. E como num passe de mágica a informação pós doc sumiu.

Responder

felpe santos

13 de fevereiro de 2017 às 12h33

Acho que tudo isso é dor de cotovelo de vermelho frustado que não tem capacidade para fazer um doutorado. não esqueça do Aloisio Mercadantes que não terminou seu doutorado e foi direto para defender a sua tese que foi seu próprio livro já editado.

Responder

Wander Ribas

13 de fevereiro de 2017 às 14h33

Indicado por quem aprovado por quem sera digno representante da corrupção da quadrilha para absove los no stf e o voto que falta para a pizza

Responder

Wallace Miranda

13 de fevereiro de 2017 às 14h29

Lucas Baffi

Responder

André Cabral

13 de fevereiro de 2017 às 14h28

E daí? No Brasil pode tudo, tem Doutor por aí sem o nível médio.

Responder

Ângelo Antonio

13 de fevereiro de 2017 às 14h28

Esse tem a cara do Brasil

Responder

Renato Dias

13 de fevereiro de 2017 às 14h25

Fora

Responder

Cleber De Souza Alves

13 de fevereiro de 2017 às 14h23

do Toffoli vocês nunca reclamaram….não passou nem em exame de fezes…..petralhas…

Responder

Jaqueline Azevedo

13 de fevereiro de 2017 às 14h16

Governo Golpista é disto a muito pior…ninguém se surpreenda com esses crápulas.

Responder

Elcio Kaminski

13 de fevereiro de 2017 às 14h16

Esperar o quê, nesse Brasil sem lei!

Responder

jcsj

13 de fevereiro de 2017 às 12h15

Até que ponto nosso país vai ladrão encobrindo outros ladrões é que tão fazendo com o país VERGONHA

Responder

C.Poivre

13 de fevereiro de 2017 às 12h14

Um “homem público” com tamanhas desqualificações é o retrato do governo golpista ilegítimo.

Responder

Teresinha Alves Silva Amaro

13 de fevereiro de 2017 às 14h11

Pessoas para ficarem bem preparadas têm que obrigatoriamente fazer 2 anos de mestrado, quatro anos de doutorado, escrever sua tese que leva um tempão porque têm que pesquisar muito, defender sua tese diante de uma banca enorme de doutores…Coisa mais esquisita que ele fez. Realmente uma fraude.

Responder

    Maria Ester Pereira

    13 de fevereiro de 2017 às 15h37

    Me desculpe, o que ele fez deve ser fralde, mas é possível fazer mestrado em menos de dois anos (depende da experiência na iniciação científica) e doutorado em menos de quatro. Não dá para generalizar, isto é específico por área e depende das possíveis publicações (critérios para possível defesa de cada programa).

    Responder

    Débora Priscila André

    14 de fevereiro de 2017 às 01h15

    *fraude

    Responder

Jussara Vacchi

13 de fevereiro de 2017 às 14h09

E não sobra um meu irmão. ..um engana mais que o outro…vergonha destes políticos…

Responder

Marildo Marchetti

13 de fevereiro de 2017 às 14h07

Observem as fontes da noticia, sempre aquelas do quanto pior melhor. Piada. E o povo que se lasque. abçs

Responder

Luiz Carlos P. Oliveira

13 de fevereiro de 2017 às 12h05

Essa criatura sempre foi uma fraude. E, como prêmio, será ministro do STF do governo golpista. Eta povo sem vergonha na cara.

Responder

Celito Luza

13 de fevereiro de 2017 às 14h02

TÁ CARECA DE SABER QUE MENTIRA TEM PERNA CURTA.

Responder

Victor Alonso Garrido

13 de fevereiro de 2017 às 14h01

SERÁ QUE finalizou PRIMÁRIO?

Responder

vera lúcia conceição vassouras

13 de fevereiro de 2017 às 12h01

Isso aqui não é um país, é um hospício comandado por psicopatas. Oras, uma pessoa que tenha conhecimentos de ciência sociais pode ser um genocida? Um ministro ocupando um vaga em um tribunal que se declara constitucional pode negar a constituição? Como se forja uma notoriedade? Quem domina as cadeiras universitárias no campo do direito? Com que finalidade se escrevem livros de direito? Nesse país tudo é uma farsa, ou melhor, crime. Quando os membros dos sistema judicial (juízes, promotores, delegados) forem obrigados a cumprirem suas obrigações e impedidos de “ensinar” futuros juristas, bem como proibidos de ocupar ao mesmo tempo o judiciário, o legislativo e o executivo, no tipo porta giratória, apesar da separação dos poderes, quem sabe iniciaremos um estado de leis. Ademais, faça-se uma pesquisa nos mestrados e doutorados, não sobrará quase ninguém, é um estelionato institucionalizado.

Responder

Ivani Ruela De Oliveira Silva

13 de fevereiro de 2017 às 14h01

Embora seja possível cursar o doutorado sem ter feito o mestrado, o que espanta é o prazo exíguo para se fazer pesquisa séria em nível de doutorado, pós-doc e livre-docência. Quem já se dedicou a pelo menos uma dessas etapas sabe que para simples mortais isso é impossível!

Responder

Luiz Carlos P. Oliveira

13 de fevereiro de 2017 às 12h00

É apenas mais um, na vasta lista de homens acima da lei neste governo.

Responder

Ivone Assunção

13 de fevereiro de 2017 às 13h56

E vai para o STF?

Responder

Helena Abreu

13 de fevereiro de 2017 às 13h54

Ola

Responder

Thiago J. Xavier

13 de fevereiro de 2017 às 13h53

Carolina

Responder

Márcio Vilela

13 de fevereiro de 2017 às 13h52

Esse é bom. Ave Maria

Responder

Flavii

13 de fevereiro de 2017 às 11h50

Quando o Tioofili, foi pro supremo, não vi aqui ninguém reclamando, eta cafezinho aguado esse! Kkkkk

Responder

Flora Campos

13 de fevereiro de 2017 às 13h49

é a cara deste governo…

Responder

Janaina

13 de fevereiro de 2017 às 11h47

E passou para livre docência no ano seguinte ao “término” do doutorado. Coisa que levaria 10 – 20 anos para a maioria absoluta dos doutores. Pos Doc junto com Doc… foi tenso. De qlq forma o cidadão que oculta ou falseia informação na plataforma responde civil e criminalmente por fraude.

Responder

C Marcello Fragoso Maciel

13 de fevereiro de 2017 às 13h47

O Lula já leu algum livro nessa vida??

Responder

Fabio Araujo

13 de fevereiro de 2017 às 13h45

5 pos Thiago Da Costa Oliveira

Responder

Ana Leite

13 de fevereiro de 2017 às 13h44

Governo dos golpistas #foraTemer

Responder

Azenaldo Damasceno

13 de fevereiro de 2017 às 13h43

O cara sempre foi bandido

Responder

Maurício Gomyde

13 de fevereiro de 2017 às 13h42

“Fenômeno”…

Responder

João Carlos Rigo

13 de fevereiro de 2017 às 13h41

é o homem que julga imagina o que temos neste país.

Responder

Ayrton Pontes

13 de fevereiro de 2017 às 13h40

Puxa vida, esse cara é uma fraude ambulante, bem adequado às pretensões do desgoverno golpista.

Responder

Margarida Torres do prado

13 de fevereiro de 2017 às 11h40

idiotas, acomodados, semcfazermis nada, vendo está maldita quadrilha rindo da nossa cara . O povo mudo , não muda o pais m. A população , em massa. Tem que ir a luta . E sério demais o que está acontecendo neste Vrasil . E revoltante e humilhante . CHEGA .!!! r

Responder

Joao Barros Guimaraes Filho

13 de fevereiro de 2017 às 13h40

Nada de estranho, os políticos do PSDB são pródigos em só serem formados, mestrados, doutorados ,somente no curriculum, vejam o caso do Jose Chirico Serra, é igualzinho. Sem contar com o nosso pensador FHC que também teve livros editados que foram copiados de autores internacionais.

Responder

    Silvia Todorov

    14 de fevereiro de 2017 às 06h55

    Voce poderia dizer quais os livros de FHC foram plagios?

    Responder

Míriam Rebeca

13 de fevereiro de 2017 às 13h39

Jéssica Stefanuto e eu com medo de um “menas” na minha carreira.

Responder

Sandra

13 de fevereiro de 2017 às 11h39

É possível fazer Doc sem ter feito o mestrado. Conheço genteséria que fez isso devido ao merito, mas não creio que seja o caso do canalha em questão.

Responder

Simone Santos

13 de fevereiro de 2017 às 13h38

Kkkkkkkkkkkkk

Responder

Deuzelia Garrido

13 de fevereiro de 2017 às 13h38

Responder

Eduardo Guimaraes

13 de fevereiro de 2017 às 13h37

Esse Leandro Karnal e’ notavel!

Responder

Míriam Rebeca

13 de fevereiro de 2017 às 13h37

Juliane Acquaro e nois tamo aqui ainda amiga

Responder

Theo Ventura

13 de fevereiro de 2017 às 13h36

“jeguenio”

Responder

twoprong

13 de fevereiro de 2017 às 11h36

Orientador dele no doutorado: Dalmo Dallari.

Responder

Zeco Zeco Gonsa

13 de fevereiro de 2017 às 13h35

Padrão coxinha psdb

Responder

Maria Aparecida Dutra de Oliveira

13 de fevereiro de 2017 às 13h34

Kkkkkkkk…. Cara de pau, hein!

Responder

Andreia Schaeffer

13 de fevereiro de 2017 às 13h32

Bah o cara demonstra cada vez mais que é apto p vaga do Teori….Pobre Teori…..e que vergonha p este supremo hein?Quem diria que iriam descer tao baixo…
#foramoraes
#foratemer
#supremoacovardado

Responder

Ingrid Assad

13 de fevereiro de 2017 às 13h31

Érika Miranda de Oliveira

Responder

Maria Luzia Bastos

13 de fevereiro de 2017 às 13h30

Responder

Claudio Corrêa

13 de fevereiro de 2017 às 11h29

Alexandre de Moraes é polivalente: advogado do PCC, Ministro da Justiça Inoperante, plagiador de obras jurídicas alheias e mago das maracutaias acadêmicas.
#NoYaGobiernoYaCuadrlha

Responder

    Anônimo

    13 de fevereiro de 2017 às 12h11

    Esqueceu a habilidade na operação de machete para ceifar os robustos pés de Cannabis Sátira.

    Responder

nona monteiro

13 de fevereiro de 2017 às 11h27

quem vai fazer a tal de sabatina, os aliados do Temer. todos na lava jato. tá de brincadeira esse governo. golpista.

Responder

Pri

13 de fevereiro de 2017 às 11h25

No Brasil não é permitido pular etapas. Toda a legislação educacional é clara. As etapas são graduação, mestrado, doutorado e pós-doutorado. Ou vc faz graduação, mestrado e livre docência que comumente leva mais tempo que o doutorado. Além de ser uma pessoa sem o menor perfil para o STF e é uma vergonha pra academia e pra todos que levam o aprofundamento do saber a sério e com ética.

Responder

Paulo

13 de fevereiro de 2017 às 11h25

“A Cara do PSDB”; Posudo, Arrogante, Ordinário, Estelionatário, Golpista…

Responder

Olyntho Aluísio de Freitas Censoni

13 de fevereiro de 2017 às 11h25

Nesse mato tem Coelho!
Aí tem coisa!!!

Responder

Diego Santiago

13 de fevereiro de 2017 às 13h24

Com todas as denúncias de fraude contra este sujeito, seria até menos ridículo se o tal presidente indicasse a própria esposa, que é formada em direito mas não tem licença da ordem para advogar, para o STF. Se essa denúncia se confirmar Temer e essa gente inaugura a segunda fase do realismo-fantástico. O Brasil tá ficando cada vez mais surreal.

Responder

Everton Ferreira

13 de fevereiro de 2017 às 13h23

Pular mestrado não é um problema, é permitido e a meu ver e ate recomendável em alguns casos

Responder

Machado Aparecida Dalva

13 de fevereiro de 2017 às 13h22

Meu avô dizia que para conhecer alguém, tem que comer um saco de sal(60 k) juntos. Só surpresa que descobre. Sorrateiro.

Responder

Nilton Isidoro

13 de fevereiro de 2017 às 13h19

X i i i i ….!!!

Responder

Soraya Eschenazi

13 de fevereiro de 2017 às 13h18

Pô, o cara é o maior cabeça!!!

Responder

Jorge Luis Xavier Pereira

13 de fevereiro de 2017 às 13h18

Quem estabelece as condições para a seleção do pós-doutorado é o Edital de Seleção. Se os termos estabelecidos não proibirem a seleção de doutorandos, não há nada de errado. Já vi gente selecionada para mestrado sem ter graduação ainda. Fez os dois concomitantemente, pois o Edital permitia.

Responder

    Pri Costa

    13 de fevereiro de 2017 às 14h08

    Segundo o Lattes, ele entrou no pós doc em 97 e no doutorado em 98, ou seja, ele não seria doutorando ainda

    Responder

    Caius Guarani-Kaiowá Brandão

    13 de fevereiro de 2017 às 14h47

    Ele retirou o Pós-Doc do Lattes depois de vazar o escândalo.

    Responder

    Jorge Luis Xavier Pereira

    13 de fevereiro de 2017 às 15h49

    Pri Costa Ainda assim, o Edital é quem define. Como disse, já vi caso de aluno selecionado para mestrado com apenas o ensino médio. (IMPA)….

    Responder

    Jorge Luis Xavier Pereira

    13 de fevereiro de 2017 às 15h51

    Caius Guarani-Kaiowá Brandão Escândalo mesmo foi o plágio… esse pós-doc não é nada se não tiver descumprido os termos do Edital…

    Responder

    Caius Guarani-Kaiowá Brandão

    13 de fevereiro de 2017 às 15h52

    Tanto é escandaloso que o cara já retirou o registro do suposto pós-doc do seu currículo Lattes. Lembrando que prestar informações falsas em sistemas públicos, como o Lattes, é crime previsto em lei.

    Responder

    Jorge Luis Xavier Pereira

    13 de fevereiro de 2017 às 15h56

    Caius Guarani-Kaiowá Brandão Retirar do Lattes não elimina a infração se ela existiu. Isso não é como no facebook. Pós-Doc não é título, é estágio apenas. Como disse, e repito, as condições de validade de um título e certificado de estágio pós-doutoral são definidas no Edital de seleção e no regimento interno do Programa de Pós-Graduação.

    Responder

Bruno Dias

13 de fevereiro de 2017 às 13h16

Olha aí Aline Xavier o que vc já havia dito!

Responder

Elizandra Martins Silva

13 de fevereiro de 2017 às 13h14

ninguém é obrigado a fazer mestrado, já pós doc concomitante ao doutorado é outra história…

Responder

Suzana Luchesi

13 de fevereiro de 2017 às 13h14

Peraí gente, calma. Existe POSSIBILIDADE de explicação plausível pra essas datas aí (veja bem eu tô dizendo POSSIBILIDADE). Primeiro porque não é necessário fazer mestrado pra fazer o doutorado mesmo, não precisa. Segundo porque nada impede o aluno começar o projeto da pós durante a graduação (eu por exemplo estou no último ano da graduação e já trabalho no meu mestrado desde o ano passado), então SIM é possível tirar o doutorado legitimamente em 2 anos. O lance é o pós-doc, não tem como chamar a pesquisa de pós-doc se ela começa anteriormente ao doutorado, salvo melhor juízo mesmo que o cidadão NÃO esteja recebendo bolsa – o que aparentemente é o caso já que ele passou pra magistratura assim que saiu da faculdade (aliás estranho que os dados da graduação dele não constem do Lattes). Tem que ver isso aí. Comprovado mesmo é que ele plagiou na cara dura.

Responder

Fernando Bentes Monteiro

13 de fevereiro de 2017 às 13h14

A mentalidade dele não engana ninguém, rude, golpista e 71. Kkk

Responder

Wal. Weissmann

13 de fevereiro de 2017 às 11h14

FRAUDE!!!!!
Enganação!!!!

Responder

Martinha Lima

13 de fevereiro de 2017 às 13h13

Responder

arlene fátima vicente

13 de fevereiro de 2017 às 11h11

Não tenho certeza, mas acho que é possível fazer doutorado sem mestrado desde que seja uma tese excelente, que no caso não se aplica a esse babaca. Por favor, alguem confirme.

Responder

    Rosalina Izento

    13 de fevereiro de 2017 às 11h20

    Pode sim fazer doutorado sem mestrado.

    Responder

      Joao

      13 de fevereiro de 2017 às 11h59

      O que é PROIBIDO é fazer pos doc antes de doutorado!!

      Responder

Luiz Magalhães

13 de fevereiro de 2017 às 13h10

O Leandro Karnal também só tem doutorado

Responder

Hannibal de Sousa

13 de fevereiro de 2017 às 13h10

Não há problema algum em fazer doutorado antes do mestrado, claro. Entretanto, caso resolva plagiar uma obra, por favor, não escolha um livro de um famoso jurista espanhol. Do contrário, você, o Brasil e os coxinhas irão passar VERGONHA! :) Moraes é notícia no maior jornal da Espanha. A vergonha coxinha é internacional! http://www.elmundo.es/internacional/2017/02/09/589c5dbbe5fdead93b8b4632.html

Responder

Roberto Russo

13 de fevereiro de 2017 às 13h07

Simplesmente porque isso aqui…não é e nem nunca será um país sério. É um lugar tupiniquim chamado de b-rasil… Um lugar de MERDA!!!

Responder

Antonio Santana Júnior

13 de fevereiro de 2017 às 13h07

Beira a loucura,mente brilhante agora no STF.

Responder

Gustavo Horta

13 de fevereiro de 2017 às 11h06

Cristovam Buarque, você é apenas um TRAIDOR!!

ASSIM É. PAÍS SEM PUDOR! E HÁ QUEM MULTIPLIQUE COISAS IDIOTAS ASSIM…
> https://gustavohorta.wordpress.com/2017/02/12/asim-e-pais-sem-pudor-e-ha-quem-multiplique-coisas-idiotas-assim/

“… O ‘testículo’ todo é apenas uma AUTOCRÍTICA; o cretino quer nos CONDENAR A TODOS apenas ao se olhar no espelho. Julga os outros POR SI MESMO.

O CARA É UM BANDIDO MANIPULADOR OU É UM IDIOTA CRETINO — CUIDADO COM GENTE ASSIM, É A MINHA SUGESTÃO! ESTE TIPO DE MANIPULADOR QUER, A SERVIÇO OU NÃO DOS GRANDES BANDIDOS, NOS CONVENCER DE QUE NOSSO PAÍS NÃO TEM JEITO.

ESTE TIPO DE CARA QUER NOS CONVENCER DE QUE É ASSIM MESMO E QUE DEVEMOS NOS CONFORMAR COM AS COISAS “COMO ELAS SÃO”. É UMA GRANDE BABACA OU UM GRANDE OPORTUNISTA MANIPULADOR.

CUIDADO, É O QUE EU SUGIRO….”

Responder

Rafael Manta

13 de fevereiro de 2017 às 13h03

É só ver o currículo do Toffoli. Se o do Moraes está assim, vocês nem imaginam o dele.

Responder

Haroudo Xavier

13 de fevereiro de 2017 às 13h03

Adriana Janaina Baé

Responder

    Adriana Janaina Baé

    14 de fevereiro de 2017 às 11h31

    Que vergonha! O Capes deixa passar isso?

    Responder

    Haroudo Xavier

    14 de fevereiro de 2017 às 11h49

    Acho que não existe muita vigilância além da própria universidade. Existe uma confiança que, sendo os responsáveis, doutores, não vão cometer erros, crimes, etc. Na prática, isso não ocorre.

    Responder

    Adriana Janaina Baé

    14 de fevereiro de 2017 às 11h52

    Concordo, Haroudo Xavier.

    Responder

Robson Coleho

13 de fevereiro de 2017 às 11h01

Minha gente,este cidadão é cria do Michael Temer,vamos esperar o que? Vai ficar do jeito que está, e mais uma das malandragens deste GOVERNO G O L P I S T A, A SER EMPURRADO GUELA ABAIXO DO BRASILEIRO QUE ACEITA TUDO

Responder

Marcelo José Botta

13 de fevereiro de 2017 às 13h00

infelizmente, acho que há um problema aqui… o “rapaz” se graduou em 1990 (wikipédia) e essa informação não aparece no curriculo lattes…. de lá até 1998, ano de início do doutorado, pode ter havido algum “acúmulo” de “resultados acadêmicos”… a esquerda não pode errar…

Responder

Tony

13 de fevereiro de 2017 às 10h59

Esse homem é um plágio.

Responder

j.cesar

13 de fevereiro de 2017 às 10h55

Como o PSDB , se confirmado tal façanha. Uma tremenda fraude , revestido de moralidade como a hipócrita sociedade e as resoluções jurídicas expedidas país a fora. Hoje se apura,julga , prende , resgatam parte do dinheiro e através da delação premiada, mandão lhe pra casa após um curto período na cadeia.

Responder

Fernando Rodrigues

13 de fevereiro de 2017 às 12h54

Norma Waleska Monteiro Lima olha só a bandidagem…

Responder

Geraldo Luiz Vieira

13 de fevereiro de 2017 às 10h54

Só quero saber se não vão caçar o diploma do pilantra?

Responder

Daniel Magalhães

13 de fevereiro de 2017 às 12h54

Isadora Lira escola bel pesce de pessoas mais espertas do que nós

Responder

Ed Rasca

13 de fevereiro de 2017 às 12h54

Sem dúvida reputação ilibada e um NOTÓRIO saber jurídico. Poderia ter ido direto do primário para a Universidade.

Responder

Adriana Mineira

13 de fevereiro de 2017 às 12h53

Injustica?

Responder

Sandra Martins

13 de fevereiro de 2017 às 12h53

Ele não cansa! Palhaçada!!! Fora corja de bandidos!!!! Kd as panelas????!!!!!!!!!!!!!

Responder

Rosemary Fritsch Brum

13 de fevereiro de 2017 às 12h53

Mau caratismo das universidades.Por que náo? Todos roubam mesmo, certo? Ou porque as nossas não pontuam no time das primeiras e melhores?

Responder

Priscila Sorrentino

13 de fevereiro de 2017 às 12h51

Que fácil não? !

Responder

Wilma Medina Possidonio

13 de fevereiro de 2017 às 12h49

Esclareça ai.

Responder

Maria Moresco

13 de fevereiro de 2017 às 12h47

Se é legal ou não este pulo do gato, seria bom para a Nação que tudo fosse esclarecido. Afinal a pessoa em pauta vai ser Ministro do STF até o final de sua vida, com ônus e bônus que o cargo confere.

Responder

Leonardo

13 de fevereiro de 2017 às 10h47

Quem são ou foram os membros das bancas do doutorado? Acho podíamos ouvir esta pessoas sobre esta fantástica performance académica.

Responder

    twoprong

    13 de fevereiro de 2017 às 11h38

    Dalmo Dallari foi o orientador no doutorado.

    Responder

Anna Cavalcante

13 de fevereiro de 2017 às 12h46

País sério….

Responder

Ronaldo Cataneo

13 de fevereiro de 2017 às 12h46

Essa figura no STJ que já não anda bem das pernas…hummmmm? !

Responder

Sergio Paiva Sergio Paiva

13 de fevereiro de 2017 às 12h45

É o cara haja óleo de peroba. Kkk. Quem tem padrinho não morre pagão.

Responder

Fabio Santos

13 de fevereiro de 2017 às 12h45

Fraude e plágio como a própria aparência que copiou de Amin Kader.

Responder

Lucilane Cardoso

13 de fevereiro de 2017 às 12h44

Gente o que eh isso coitado era para ter feito em CINCO ANOS fez em dois foi por CORRESPONDENCIA? NOTORIO SABER??? KKKKKKKKKKKK

Responder

Lucilane Cardoso

13 de fevereiro de 2017 às 12h42

Responder

L'Amie

13 de fevereiro de 2017 às 10h42

???????????????????

Responder

Carlos

13 de fevereiro de 2017 às 10h42

Ele já modificou o currículo na plataforma Lattes, mas na USP consta ainda o pós-doc

Responder

Casanova VY C. Majoris

13 de fevereiro de 2017 às 12h41

— vai ver nem formado isso é!!!

Responder

Marcos Diligenti

13 de fevereiro de 2017 às 12h41

CNPq ????????

Responder

L'Amie

13 de fevereiro de 2017 às 10h40

O que nos deixa estarrecidos é o nosso judi$$iário, notadamente, o eSETEFÊ. Qual o mais adequado Addjetivo para essa gente? Meu Senhor , nas Côrtes Mundiais das Reais Repúblicas tem algum moro, ou gmendes, ou toffoli, ou clucy ? Podem crer que não, e se existissem não passariam de 30 segundos e se houvessem feito o que os supracitados fizeram, estariam na Rua, melhor, na cadeia. E sem os privilégios que se lhes concederam. Qualquer palavra não traduz nossa indignação e revolta.

Responder

Gilbertto Patricio

13 de fevereiro de 2017 às 12h40

Olha Marcia Justino Rolim Justino kkkk

Responder

Aildo Lima

13 de fevereiro de 2017 às 12h40

Com tantos escalabros e ladrões isso é fraudinha

Responder

Josenói F. B. Baima

13 de fevereiro de 2017 às 12h39

Eudes Baima

Responder

Paulo Henrique Ribeiro

13 de fevereiro de 2017 às 12h37

Andre Sarria

Responder

Ronaldo Kekys

13 de fevereiro de 2017 às 12h37

Brasil eh uma piada! Sem graça! !!

Responder

Paulo Henrique Ribeiro

13 de fevereiro de 2017 às 12h37

Fabricia Benda de Oliveira

Responder

Paulo Henrique Ribeiro

13 de fevereiro de 2017 às 12h37

Kelvinson Viana

Responder

Ligia Chaves

13 de fevereiro de 2017 às 12h36

Seu nome é “Armação”

Responder

Paulo Alves

13 de fevereiro de 2017 às 12h35

Nada de mais que já não se esperasse de um canalha golpista.

Responder

Evandro Pereira

13 de fevereiro de 2017 às 12h34

Esse cara é artísta

Responder

Wanx Damien

13 de fevereiro de 2017 às 12h34

Ah então é assim que medíocres conseguem empregos bons, com fraudes e QI, que novidade no Brasil…

Responder

Maria Bernadette Pataro de Queiroz

13 de fevereiro de 2017 às 12h34

ACORDA CÁRMEN LÚCIA: EU JÁ DESCONFIAVA QUE ATÉ OS DIPLOMAS DESSE PILANTRA – QUE DEFENDE PCC E COMPORTA-SE COMO LEÃO DE CHÁCARA DE TEMER – SÃO DUVIDOSOS. O PERFIL, O CURRÍCULO, A TRAJETÓRIA PROFISSIONAL E AS ATITUDES DELE, CONFORME DIVULGADAS NA MÍDIA, SÃO MUITO SUSPEITAS… ALEXANDRE DE MORAES NÃO TEM CABEDAL TEÓRICO-PRÁTICO, NEM ENVERGADURA MORAL / DECORO PARA SER UM MINISTRO DO SUPREMO TRIBUNAL, DESBANCANDO DO CARGO UMA SÉRIE DE JURISTAS DE RENOME, REPUTAÇÃO ILIBADA E NOTÓRIO SABER. A INDICAÇÃO DE ALEXANDRE DE MORAES PARA O STF CONSTITUI-SE EM MAIS UM GOLPE DE TEMER, CUJA ÚNICA PREOCUPAÇÃO TEM SIDO BLINDAR SEU GOVERNO E OS COMPARSAS CORRUPTOS DA SANGRIA DA LAVA-A-JATO… ALEXANDRE DE MORES É A PESSOA PERFEITA PARA ISSO – ELE É INESCRUPULOSO E OPORTUNISTA. QUEM É CAPAZ DE DEFENDER PCC E CUNHA… E PLAGIAR LIVROS… É CAPAZ DE TUDO!

Responder

Marcos

13 de fevereiro de 2017 às 10h34

CNPQ quieto? ????????

Responder

    Luciana

    13 de fevereiro de 2017 às 12h12

    Responde ao MCTI já imagina se vai falar!

    Responder

Cícero Soares Neto

13 de fevereiro de 2017 às 12h33

Arnaldo, isto pode?

Responder

Monica Cristina Almeida de Araujo

13 de fevereiro de 2017 às 12h33

Esse cara é um representante de tudo que seja imoral ilegal e arbitrário!! Dá até para entender o quanto e porque ele é um dos BALUARTES DO DESGOVERNO GOLPISTA!

Responder

Pedro

13 de fevereiro de 2017 às 10h32

Esse sujeito não é nem formado.

Responder

Fernando Gouveia

13 de fevereiro de 2017 às 12h31

Crítica de quem nunca fez pós graduação. Pular o mestrado, na USP, é bem comum.

Responder

Luis Gustavo la Flor

13 de fevereiro de 2017 às 12h30

Com esse histórico de plágio e pular etapas em sua formação (fraude) será que ainda vai ser sabatinado pelos senadores? Isso é caso de caçar o diploma ou os títulos. Vexame esse cara vir a ser membro do STF.

Responder

Edivaldo Moura

13 de fevereiro de 2017 às 12h27

…será que esse troglodita pelo menos fez a graduação sem a devida (no caso dele parece ser recorrente) fraude!?

Responder

Rogerio Martins

13 de fevereiro de 2017 às 10h27

Disse ( não com as mesmas palavras) o Ministro Aragão qu: ” toda autoridade que se comporta como moleque não pode reclamar de ser tratada como moleque” e isso também se aplica ao SUPREMO TRIBUNAL FEDERAL que vem se comportando como um moleque frente aos ultimos acontecimentos da República. Logo, nada mais justo que ter no seu quadro de supremos juizes, zeladores da Constituição Federal, esse arremedo acadêmico. Chega ser natural para o STF receber tal cepa, uma vez que sempre se calou quando outro canalha brincou de ser Ministro da Suprema Corte. Penso que a justiça age assim: cada um da o que tem e recebe o que merece!

Responder

    Juana Inês

    13 de fevereiro de 2017 às 10h32

    Uma afronta ao povo brasileiro !

    Responder

Maria Ester Pereira

13 de fevereiro de 2017 às 12h26

Não ter feito o mestrado não impossibilita de fazer o doutorado (ver programas de pós-graduação CAPES). Entretanto, se assim foi, aí mesmo é que o doutorado fica mais longo, e seria impossível, como diz o nome, fazer pos-doc sem o título de doutor. A veracidade disso é possível pesquisar no Lattes do auto site CNPq.

Responder

    Jorima Valoz

    13 de fevereiro de 2017 às 15h23

    O lattes foi atualizado e não consta o pós-doc!

    Responder

    Rose Fenner

    13 de fevereiro de 2017 às 16h22

    Agora é a pós-verdade…

    Responder

    Demetrio Alves

    13 de fevereiro de 2017 às 20h38

    esse governo é assim, sempre cobrindo a merda com pouca terra,mas com a imprensa ajudando, já basta.

    Responder

Marcos Bezerra

13 de fevereiro de 2017 às 12h25

Esse golpista é uma fraude

Responder

Vanilde De Faria Geronimo

13 de fevereiro de 2017 às 12h24

Parece piada!

Responder

Bruno Gayger

13 de fevereiro de 2017 às 12h23

Daniel D’Agostini

Responder

Verônica Soares de Carvalho

13 de fevereiro de 2017 às 12h22

Que coisa feia!!!

Responder

Rosival Ferreira

13 de fevereiro de 2017 às 12h22

Kkkkkkk novidade desses Golpistas corruptos ladrão golpistas frada

Responder

Lia Liguori

13 de fevereiro de 2017 às 12h22

João Liguori

Responder

Maria Aparecida Lacerda Jubé

13 de fevereiro de 2017 às 10h22

Nunca vi ninguém mais preparado para o STF, até a sabatina dos senadores foi “sui generis”.

Responder

    Juana Inês

    13 de fevereiro de 2017 às 10h28

    Preparado ao STF dominado !

    Responder

Joao Timoteo Pereira

13 de fevereiro de 2017 às 12h22

Coma?

Responder

Beto Cabral

13 de fevereiro de 2017 às 12h21

Esperavam o que do advogado do PCC?
Acho até que ele nunca colou na escola…

Responder

Jane Andreatta

13 de fevereiro de 2017 às 12h20

Mas vcs esperavam outra coisa do golpista?

Responder

André Braga

13 de fevereiro de 2017 às 12h20

André De Oliveira Souza

Responder

Àlvares de Souza

13 de fevereiro de 2017 às 10h20

A foto mostra a verdadeira face de um homem debochado, uma fraude ambulante, capaz de cometer os piores desatinos. Quem viver, verá.

Responder

    Juana Inês

    13 de fevereiro de 2017 às 10h29

    Acho que já conhecemos parte desse golpe, não é ?!

    Responder

Tinho Waldan

13 de fevereiro de 2017 às 12h20

KKKKKKK

Responder

Vanir Lino

13 de fevereiro de 2017 às 12h20

Com a palavra a Capes.

Responder

Angelane Maria

13 de fevereiro de 2017 às 12h19

Responder

Edy Vasconcelos

13 de fevereiro de 2017 às 12h18

E agora vai passar na frente de muitos que estão na carreira jurídica pq o que conta é a carreira política…

Responder

Julio Cesar

13 de fevereiro de 2017 às 12h18

Nossa! Quantos “experts”!

Responder

Vanessa Sobral

13 de fevereiro de 2017 às 12h17

Raquel Sobral

Responder

Adaltom Nimtz

13 de fevereiro de 2017 às 12h17

Karaka, minha vida inteira eu lutei pra fazer um Pós-Doc e não consegui. Ô cabra bem relacionado

Responder

Haroldo

13 de fevereiro de 2017 às 12h17

não precisa mestrado para fazer doutorado (não estou defendendo o moraes), quanto ao pós doutorado não sei!

Responder

    Fabio Oscar

    13 de fevereiro de 2017 às 13h09

    Porém o cidadão que pula essa etapa precisa ser um sujeito brilhante e ter um projeto impecável. Creio que não seja o caso dele.

    Responder

    Gabriel Pereira

    13 de fevereiro de 2017 às 13h25

    Fabio Oscar A dissertação de mestrado é diferente da tese de doutorado. Na nossa academia, não fazemos tese no mestrado e dissertação no doc. Mas, Lulalá é doutor honoris causa mesmo sem curso superior. Complicado!

    Responder

    Fabio Oscar

    13 de fevereiro de 2017 às 13h28

    Mas questiono a capacidade intelectual de Alexandre Moraes pra dar esse pulo do gato. Esse é o ponto!

    Responder

    Gabriel Pereira

    13 de fevereiro de 2017 às 13h30

    Política, Fabião. Tudo política. Alguns conseguem dar pulos sem mérito algum, outros, infelizmente, precisam mostrar muito que são merecedores de oportunidades básicas.

    Responder

    Fabio Oscar

    13 de fevereiro de 2017 às 13h32

    Eu tive colegas geniais no mestrado e mesmo assim antes do doutorado fizeram direitinho os dois anos de mestrado.

    Responder

    Gabriel Pereira

    13 de fevereiro de 2017 às 13h33

    São geniais, mas não sou amigos de políticos ou não são políticos. Acertei? Se acertei, eles são reles mortais que precisarão trabalhar para se aposentar.

    Responder

Alex Sampaio

13 de fevereiro de 2017 às 12h17

Sêis esqueceram do IUB Instituto Universal Brasileiro, lá também tem esse curso de direito,

Responder

Armando Mancio de Camargo

13 de fevereiro de 2017 às 12h16

Picareta como toda sua turma.

Responder

Luiz Carlos

13 de fevereiro de 2017 às 12h16

Shirlei Citele

Responder

Lucimar Souza Lima

13 de fevereiro de 2017 às 12h15

Deve ter comprado a monografia também.

Responder

Nilton Nascimento da Silva

13 de fevereiro de 2017 às 12h15

Precisamos que Mestres, doutores e pós-doutores se manifestem.Se fato a fraude e plágio são crimes.

Responder

Bruna Leão

13 de fevereiro de 2017 às 12h15

Tem um programa na USP que se chama “doutorado direto”. Tenho uma amiga que está fazendo. Faz primeiro o doutorado. Não tem problemas. O problema é plagiar TCC. Isso não se faz.

Responder

Àlvares de Souza

13 de fevereiro de 2017 às 10h15

Comentar o que, diante de tanto descalabro? Dizer da vergonha de ser brasileiro? Imaginar em que país meus filhos e netos viverão de hoje em diante, e não desesperar? Que será do seu futuro, humilhados e envergonhados por serem governados e submetidos pela escória mais nefasta que golpeou de morte nossa democracia e que degrada e degenera todas as instituições que devem honrar e dignificar um povo e a nação que habitam? Como dormir em paz sem temer o assalto dessas bestas ensandecidas e dispostas a tudo para aplacar sua sanha destruidora? Como não se abater e chorar?

Responder

    Bernadeth Tostes

    13 de fevereiro de 2017 às 11h43

    Disse tudo, que está engasgado, travado na garganta de muitos Brasileiros de bem!

    Responder

    C.Poivre

    13 de fevereiro de 2017 às 12h21

    Álvares, é o meu sentimento também. Depois de lutar contra o arbítrio durante toda a minha vida legar aos meus filhos e netos um país degradado, regredido, truculento, dominado por fraudadores e uma mídia-bandia, comandado pelo Sindicato do Crime com sub-quadrilhas no sistema judicial e no congresso nacional. Uma tragédia para o Brasil!

    Responder

      C.Poivre

      13 de fevereiro de 2017 às 12h24

      Correção: mídia-bandida.

      Responder

Selma Marsson

13 de fevereiro de 2017 às 12h14

Trambiqueiro de primeira!

Responder

Cris Soares

13 de fevereiro de 2017 às 12h14

Perfeito para o STF do pacto Jucá.

Responder

Jonathan Gonçalves

13 de fevereiro de 2017 às 12h14

Cada vez mais me convenço que não há candidato melhor para aquele Supremo repleto de covardes e/ou golpistas.

Responder

Kelly C. Domingos

13 de fevereiro de 2017 às 12h13

Bárbara Elias é possível isso?

Responder

    Bárbara Elias

    13 de fevereiro de 2017 às 15h53

    Então pelo que li na reportagem, ele pulou o mestrado e fez doc e pós doc em 4 anos. O mestrado não é obrigatório para o doutorado, mas aqui no Brasil é comum fazer, pelo amadurecimento acadêmico que o mestrado proporciona, visto que nossas graduações nos dão pouco conhecimento científico. Já em vários outros países, o mais comum é doutorado em 3 anos e pós doc após isso (no Brasil o comum são 4 anos de doc).. Diante do desempenho acadêmico, isso pode acontecer no Brasil também (reduzir tempo para a defesa da tese), o que dependerá de fatores como publicações em revistas qualis A e menções nas disciplinas. Então, tudo depende de como o estudante foi crescendo na carreira. O título da reportagem não condiz com o conteúdo dela, a não ser que editaram após a publicação hehehe

    Responder

    Kelly C. Domingos

    13 de fevereiro de 2017 às 18h52

    Então, até onde eu saiba em algumas áreas é possível mesmo pular o mestrado e ir direto pro doutorado, mas o q eu achei estranho é o pós doc dele ter sido antes do doutorado como citado na reportagem. ?

    Responder

Jorima Valoz

13 de fevereiro de 2017 às 12h13

A USP está se tornando uma vergonha depois de Janaína e Moraes! Ele pode fazer doutorado sem mestrado, mas doutorado em 2 anos e pós doutorado concomitante, tem alguma coisa de podre, pois o pós já diz tudo!

Responder

Herik Franco

13 de fevereiro de 2017 às 12h13

Esses títulos foram pela USP, né? A USP é uma universidade do Estado de São Paulo, né? Quem manda em São Paulo há mais de duas décadas? Pois é…

Responder

Julio Cesar

13 de fevereiro de 2017 às 12h13

Para o que ele foi “incumbido” de fazer não precisa de estudo!

Responder

Édna Lazarotti

13 de fevereiro de 2017 às 12h12

Lei de Gerson aí!!!

Responder

Beta Varela

13 de fevereiro de 2017 às 12h12

alma sebosa

Responder

Antônio De Pádua Araujo

13 de fevereiro de 2017 às 12h12

DIREITALHA é assim MESMO, modelo TRUMP

Responder

Marco Brito

13 de fevereiro de 2017 às 12h11

Como??? Dá-lhe cópias e colas!!! O careca é plágio de algum clone de um ciborgue de primeira geração.

Responder

Mariah Gross Schloss

13 de fevereiro de 2017 às 12h11

Aff … O homem fraude em pessoa!

Responder

Dislene Alves

13 de fevereiro de 2017 às 12h10

Caipirotices deste caipiroto tbem

Responder

Everton Veríssimo

13 de fevereiro de 2017 às 12h10

Aí está o notório “saber” …

Responder

Carolina Cronemberger

13 de fevereiro de 2017 às 12h10

Valeria Burity, lembra do que te falei… não consigo acreditar nem no dele nem do moro. Fraude. Fraude. Fraude.

Responder

Paula Cristiane Bueno

13 de fevereiro de 2017 às 12h10

Quanto a questão do mestrado, na USP existe o “doutorado direto”, a depender do projeto de pesquisa, vc faz uma única tese em até 5 anos.

Responder

Vanderlei Ramos Ramos

13 de fevereiro de 2017 às 12h10

Bandido sempre Bandido

Responder

Maria Suely Lourenço

13 de fevereiro de 2017 às 12h10

Responder

Zé Geraldo Pereira Jr.

13 de fevereiro de 2017 às 12h10

Ética?

Responder

Abrahão Ferreira Feitosa

13 de fevereiro de 2017 às 12h10

Aos desinformados isso é possível.

Responder

Maxwell Alves

13 de fevereiro de 2017 às 12h10

Se é que frequentou as aulas. Tenho minhas dúvidas.

Responder

Samuel Pereira de Sa

13 de fevereiro de 2017 às 12h08

Por esta e mais aquelas que este governo e uma FRAUDE FORA TEMER

Responder

Luizinho Lins

13 de fevereiro de 2017 às 12h07

O Moraes vai desmoralizar a USP no meio acadêmico do mundo

Responder

Helio Gehring Jr

13 de fevereiro de 2017 às 12h07

Não simpatizo ele no STF, mas isso já virou perseguição. Exagero.

Responder

Carmen de Sal

13 de fevereiro de 2017 às 12h06

gente…

Responder

Silvana Regino

13 de fevereiro de 2017 às 12h06

Leo Andrada

Responder

Silvana Regino

13 de fevereiro de 2017 às 12h05

Luiz Regino
Keturiny Marques

Responder

Lúcia Maria Felipe da Silva

13 de fevereiro de 2017 às 12h05

Esse cara (ou seria “esse escárnio”?) é um espetáculo, cada mergulho é um flash.

Responder

Mara Ramos Santos

13 de fevereiro de 2017 às 12h05

Diploma falso ou comprado?kkkkkkkkk

Responder

Fabio Augusto

13 de fevereiro de 2017 às 12h05

Analisando o estatuto da USP, ele tem uma brecha que permitiria essa ascenção meteórica… Ainda assim, é indecente, imoral e injustificável e a Congregação da FDUSP deveria se justificar.

Responder

    Eder Fernandes

    13 de fevereiro de 2017 às 12h45

    O injustificável vc justificou com uma brecha no estatuto. Agora o que justifica o seu indecente e imoral?

    Responder

    Fabio Augusto

    13 de fevereiro de 2017 às 12h50

    Eder Fernandes não justifiquei nada. Quem tem de se explicar é a Congregação da FD da USP e o Conselho Universitário.

    Responder

    Julio Brentani

    13 de fevereiro de 2017 às 13h20

    “Us cara fórça, hein”, parodiando um político de tv, “péróóóba neles”??

    Responder

    Andrea Figueira

    13 de fevereiro de 2017 às 13h43

    O que mais assustador é fato dele ter plagiado.

    Responder

    Theo Ventura

    13 de fevereiro de 2017 às 13h43

    Justificaria apenas a ordem para o doutorado. Mas a duração curta do doutorado e o pos-doc ser anterior ao doutorado, já demonstram a inconsistência.

    Responder

    Fernando Vidal

    13 de fevereiro de 2017 às 17h15

    Realmente quem tem de explicar isto é a USP, no caso a Faculdade de Direito, em a@):- 1986, tinha 10 anos de docência na UnB tive de fazer mestrado na EPUSP para poder fazer doutorado, no caso tinha mais tempo de professor que o Ministro.

    Responder

    Sid Eduardo Batista

    14 de fevereiro de 2017 às 03h17

    Não estou defendendo o careca não… Mas é possível fazer o Doutorado sem fazer o Mestrado. Em países europeus, mesmo nos EUA, o mestrado não tem valor algum. Já sobre o Pós-doc antes do Doc, eu não sei explicar. Mas Pós-Doc não é título, não vale para nada!!

    Responder

    Airton Souza

    14 de fevereiro de 2017 às 03h58

    Entendi nada!

    Responder

André Siqueira

13 de fevereiro de 2017 às 12h04

Não há problema algum em se fazer o Doutorado antes do Mestrado. Na minha área, por exemplo, existem vários pesquisadores que fizeram Doutorado e nem mesmo fizeram Mestrado.

Responder

    Diego Guerra

    13 de fevereiro de 2017 às 12h09

    E iniciar o pós doutorado antes do doutorado, é possível?

    Responder

    Marcelo Lima

    13 de fevereiro de 2017 às 12h13

    É verdade, embora não seja o mais comum existem vários casos. O problema está no curto período (cuuuurtissimo) em que ele obteve doutorado, pós-doc e livre docência. E mais, as datas do pós-doc e doutorado não fecham. Sinceramente espero que seja apurado, pois só quem passa pelo processo real para obtenção destes títulos sabe do esforço e tempo consumidos. E tempo e esforço estão diretamente relacionados a qualidade da pesquisa. Se ele realmente fez tudo isso em tão pouco tempo com trabalhos em níveis aceitáveis, ele é um cavaleiro de Jedi. Se não… espero que cassem seus títulos.

    Responder

    Tinho Waldan

    13 de fevereiro de 2017 às 12h21

    KKKKKKKKK

    Responder

    André Siqueira

    13 de fevereiro de 2017 às 12h23

    Diego Guerra Pós-Doutorado não é título. É apenas uma mudança em sua área de pesquisa. Na real, Pós-Doutores não existem, só existem Doutores. Abraços.

    Responder

    André Siqueira

    13 de fevereiro de 2017 às 12h25

    Marcelo Lima Normalmente o tempo mínimo é de dois anos para o Doutorado. Um pós-doc demora cerca de 1 ano.

    Responder

    Raquel Lourenzzo

    13 de fevereiro de 2017 às 12h27

    Na verdade o que existe é a possibilidade de doutorado direto. Na USP existia na minha epoca (2006 – 2012) uma prova na qual o candidato já tendo desenvolvido um trabalho de Iniciação científica muito bem estruturado, com artigos publicados e reconhecidos em nível internacional , tem a chance de mostrar perante uma banca examinadora que tem todas as qualificações para fazer seu Doutoramento direto. Tenho amigos que fizeram. Agora o que está estranho é o Senhor Ministro começar o seu pós Doutoramento antes de concluir seu doutorado – com prazo de 4 anos, mas já vi pessoas fazer em 3 anos e meio, por exemplo. E o mais “ninja” é o título de LIVRE DOCÊNCIA. Esse seria impossível obte-lo em de forma meteórica. Que está errado está. Isso é óbvio. Agora vamos esperar a posição da USP, pois se os títulos foram obtidos lá, ela terá que dar explicações.

    Responder

    André Siqueira

    13 de fevereiro de 2017 às 12h28

    Raquel Lourenzzo Exatamente.

    Responder

    Diego Guerra

    13 de fevereiro de 2017 às 12h29

    Entendi. Mas como vc muda uma área de pesquisa que você nem começou no doutorado? A pergunta é seria.

    Responder

    Fabio Augusto

    13 de fevereiro de 2017 às 12h32

    O problema é ascender em quatro anos de professor doutor a professor associado ( = livre-docente)… O estatuto da USP prescreve um interregno de 5 anos entre essas promoções mas tem um “recomenda” na norma, bastante malandro. O problema não foi nem a atribuição do título após a defesa, mas o aceite da inscrição dele no concurso, já que ele não cumpria o requisito de 5 anos desde a promoção a Professor Associado.

    A palavra “recomenda” na norma prescrevendo esse intervalo mínimo sugere que ele poderia ser dispensado, mas esse é o tipo do caso que deveria ser justificado de forma muito, mas MUITO convincente pelos órgãos responsáveis pelo acolhimento da inscrição. É a excessão da excessão, e me pergunto qual seriam os atributos acadêmicos desse senhor que justificariam isso…

    Responder

    André Siqueira

    13 de fevereiro de 2017 às 12h37

    Diego Guerra É sobre esse ponto que a Universidade deveria se pronunciar.

    Responder

    Vanessa Almeida

    13 de fevereiro de 2017 às 12h41

    Para submeter um projeto de pós-dout. ou participar de um programa maior que possibilite desenvolver uma pesquisa desta natureza, o título de doutorado é requisito indispensável. Estou fazendo agora e concluí o dout. em 2011. Essa história do Moraes está totalmente incoerente. A propósito, apesar de não representar um título, o tempo do pós-doutorado pode variar bastante. Pode chegar até quatro anos envolvendo uma pesquisa tão exaustiva quanto em um doutorado. Tudo depende do projeto.

    Responder

    Raquel Lourenzzo

    13 de fevereiro de 2017 às 12h43

    Diego Guerra, na verdade você escreve um projeto de doutorado direto, faz uma prova específica que permite avaliar seu conhecimento geral da sua área e, passando na prova você terá que defender a sua proposta apresentada no projeto. Obviamente você terá que deter um amplo conhecimento sobre o que pretende defender como tese.
    Outro fato que me chama atenção agora é: durante o doutorado somos obrigados a cursar disciplinas específicas da pós graduação. Normalmente as disciplinas (varias) tomam 1 ano letivo inteiro e exige muita dedicação, pois existe uma carga horária mínima de horas/aulas para depositar a Tese. Essas disciplinas não são individuais, é coletiva. São ofertadas de acordo com o cronograma da pós graduação.

    Responder

    Marcelo Lima

    13 de fevereiro de 2017 às 13h01

    Prazos curtíssimos para esforços tremendos e datas que não casam. Explicações sobre tratamento excepcional, prazos/datas e QUALIDADE das pesquisas seriam muito bem vindas. É bom lembrar que uma coisa é seguir (ou não?) todas as normas e leis para prazos e requisitos curriculares, outra coisa é a tolerância com a qualidade do conteúdo.

    Responder

    Túlio Nogueira

    13 de fevereiro de 2017 às 14h09

    Me desculpem mas um sujeito que como ministro diz que vai erradicar a cannabis dá América do sul, não tem nem capacidade para ter terminado o mestrado.

    Responder

    Marildo Marchetti

    13 de fevereiro de 2017 às 14h13

    O importante mesmo são os resultados, o cara mostrou que é competente, SP é o estado com o menor índice de homicídio por 100mil hab, resolveram rapidinho os problemas das penitenciarias do norte e agora a crise no ES. o resto é falacia. abçs.

    Responder

    Marcelo Lima

    13 de fevereiro de 2017 às 14h25

    Túlio, você tem razão, nomear esse cara para o STF é um escárnio. Mas nem quis levar a discussão para este nível.

    Responder

    Fernando Vidal

    13 de fevereiro de 2017 às 17h25

    Muito difícil um aluno de graduação ter trabalhos de nível internacional. Doutorado direto são para professores com vários anos de docência, aluno se matrícula no mestrado, em um ano completa os créditos e aí se seu projeto de pesquisa justifica um doutorado é aceito, mas isto são exceções, agora no exterior e é normal doutorado direto, mas na USP, com 31 anos, que era a idade do Morais, na época, é evidente que aí tem favorecimento, pois professor não devia ser, talvez fosse algum “gênio da raça”

    Responder

    Fernando Vidal

    13 de fevereiro de 2017 às 17h28

    Eu entrei na UnB em 1976, aos 32 anos com especialização e 8 anos de formado, hoje sem doutorado não entrava. Mas a USP que explique isto.

    Responder

    Raquel Lourenzzo

    14 de fevereiro de 2017 às 00h21

    Não é difícil não Fernando Vidal. Pelo menos na minha área (quimica) não. Os nossos alunos de Iniciação tem ótimos trabalhos. E quando entram para um programa de iniciação cientifica entra de cabeca na pesquisa . Uma ex aluna minha mesmo já ganhou até prêmio, isto concorrendo com outros trabalhos de doutorandos. Mas é lógico que os IC tem acompanhamento de alunos de pós graduação. Principalmente de doutorado e pós doutorado… mas isso não vem ao caso. Que essa história do nosso ministro é no mínimo cabulosa, isto é!
    Vamos aguardar as próximas cenas dessa novela.

    Responder

    Raquel Lourenzzo

    14 de fevereiro de 2017 às 00h26

    A questão de entrar no doutorado direto não é o problema. O X e ele ter entrado num curso de pós doutorado sem ao menos ter concluído o doutorado. Impossível!! E o mais esquisito foi realizar a livre docência praticamente tudo junto… coisa de extraterrestres? Pode ser descendente do SUPER-HOMEM.

    Responder

    Vanessa Almeida

    14 de fevereiro de 2017 às 01h38

    Raquel, li há pouco que ele atribuiu a USP o erro no curriculo Lattes dele sobre o pós-doutorado. A pergunta que não quer calar é: como alguém incluíria tamanha incoerência e erro crasso desse no seu próprio currículo acadêmico, mantendo até recentemente a informação??! Pior que é bem provável que boa parte da população que não está familiarizada com os trâmites acadêmicos vai engolir a balela. rs.

    Responder

    Vanessa Almeida

    14 de fevereiro de 2017 às 02h48

    Raquel, li há pouco que ele atribuiu a USP o erro no curriculo Lattes sobre o pós-doutorado. A pergunta que não quer calar é: considerando que o conteúdo do currículo é de responsabilidade do pesquisador, como alguém incluíria tamanha incoerência e erro crasso no seu próprio currículo acadêmico, mantendo até recentemente a informação??! Pior que é bem possível que parte da população que não esteja familiarizada com os trâmites acadêmicos engula uma balela dessa. Fora isso, no ano de 2014 constam mais de 15 artigos publicados!! rs. Seria mesmo um Superman do mundo da pesquisa! rs. Só que não!

    Responder

Fernando Vidal

13 de fevereiro de 2017 às 12h04

Se a dita “tramóia” foi feita, aconteceu com a concordância da Faculdade de Direito da Universidade de São Paulo conhecida como do Largo de São Francisco uma das melhores escolas de Direito do país e com o beneplácito de 5 professores, dentre estes seu orientador que compuseram a banca examinadora, pelo que vi no CV cheira a tramóia mesmo.

Responder

Luizinho Lins

13 de fevereiro de 2017 às 12h04

Não será difícil pega – lo na mentira…basta pedir que relate sua memória do tempo que estudou doutorado e o pos doc leve testemunhas os professores que ele foi aluno

Responder

Cláudio Bartz

13 de fevereiro de 2017 às 12h03

Responder

Jackson Almeida

13 de fevereiro de 2017 às 12h02

Eterno advogado do PCC

Responder

Jair Gonçalves Barbosa

13 de fevereiro de 2017 às 12h02

Um golpe a cada dia

Responder

Wilton Cézar

13 de fevereiro de 2017 às 12h02

É o verdadeiro Mister M.

Responder

Cristiano Nogueira

13 de fevereiro de 2017 às 12h01

Não quero nem pensa quando for ministério do supremo

Responder

Maurício Miranda

13 de fevereiro de 2017 às 12h01

Jotta Martins.

Responder

Welington Lamburgini

13 de fevereiro de 2017 às 12h01

e esse lance de consultor da febraban (independente ) até a atualidade, mesmo quando sendo ministro?

Responder

Ismenia Sobreira

13 de fevereiro de 2017 às 12h01

A cara do gov Temer. Tudo falso, tudo uma marmota só.

Responder

Adriana Bowden

13 de fevereiro de 2017 às 12h01

What a surprize…. Nao me admiraria nada se ele nem qualquer tipo de diploma tivesse adquirido///

Responder

Helza Lanz

13 de fevereiro de 2017 às 12h00

As instituições de ensino superior que deram-lhe o título devem ser comunicadas sobre a denúncia de fraude acadêmica. Existe uma legislação que rege sobre a fraude.

Responder

    Eder Fernandes

    13 de fevereiro de 2017 às 12h47

    Leia essa reportagem toda e acesse o lattes dele. Vai verificar que a reportagem é ridícula, somente suposições de alguém que nunca esteve no meio stricto sensu!

    Responder

    Helza Lanz

    13 de fevereiro de 2017 às 12h50

    Bem, se a denúncia existe, deve ser encaminhada às instituições acadêmicas. Obrigada pela informação.

    Responder

Orlando Barbosa Celestino

13 de fevereiro de 2017 às 12h00

Lex Luthor

Responder

Nádya Gomes

13 de fevereiro de 2017 às 11h59

Esse CTRL+C e CTRL+V é um plágio!

Responder

Vitor

13 de fevereiro de 2017 às 09h59

Esse cara como Ministro do STF é o fundo do poço….

Responder

    Juana Inês

    13 de fevereiro de 2017 às 10h30

    É, meu amigo, a história só tá começando !

    Responder

Mea Filho

13 de fevereiro de 2017 às 11h58

Valei-me, Santo dos Mestrados impossíveis. Tem que prender…kkk

Responder

Marla Javiel

13 de fevereiro de 2017 às 11h58

Bandido!

Responder

Tinho Waldan

13 de fevereiro de 2017 às 11h57

AINDA VAI SER MINISTRO?? KKKKKKKKKKKK

Responder

Ana Carla Batissoco

13 de fevereiro de 2017 às 11h56

O cara é um fenomeno…..

Responder

Cicero Magalhães

13 de fevereiro de 2017 às 11h56

Pra que serve? Só pra dizer que tem? Competência ele só tem pra fraudes…

Responder

Jorge Rodrigues

13 de fevereiro de 2017 às 11h55

Moro fica nervoso com os advogados de Lula?

Receita de calmante natural : Chá de Mulungu com chá de picão . Anti estress, anti- depressivo, anti nervosismo e anti caganeira.

? Tomar uma xícara de 200ml antes do café da manhã.

? Uma xícara de 200 ml antes do almoço.

? Uma xícara antes do jantar.

Obs: Tem que ser servido por Aécio Neves pra surtir efeito.

Obs: Não cura mal caratismo.

Por Jorge Rodrigues.

Responder

Pedro Silva

13 de fevereiro de 2017 às 11h55

Juízes? MP? MPF? Isso existe aqui? Bananas para o povo mais bananas…

Responder

Marli De Almeida Ramires

13 de fevereiro de 2017 às 11h53

quanto mais se pesquisa, mais se acha…

Responder

Deixe uma resposta