Jornal da Forum: Lula quer reindustrializar o Brasil!

Bancada Feminina protocola representação contra Salum na Comissão de Ética da ALESC

Por Tiago Bitencourt Vergara

01 de março de 2018 : 13h00

(Fotos: Yuri Santos e Miriam Zomer)

Por Luciane Carminatti

A Bancada Feminina da Assembleia Legislativa de Santa Catarina (Alesc) protocolou, na manhã desta quinta-feira (01), na Comissão de Ética e Decoro Parlamentar, representação contra o deputado Roberto Salum (PRB/SC) por ter se reportado à deputada Ana Paula Lima (PT/SC) de forma machista, misógina e grosseira nas sessões plenárias dos dias 21 e 22 de fevereiro de 2018.

No dia 21, durante discurso no Plenário Salum disse a Ana Paula que “não debate com mulher” e que “gostaria de debater com o marido dela”, em uma alusão ao deputado Federal Décio Lima. A Bancada Feminina argumentou que este tipo de atitude não é mais admissível e que deve ser repudiada, como toda a forma de violência e discriminação contra a mulher, inclusive a violência simbólica que, neste caso, alcança maior proporção quando praticada por um parlamentar que deveria zelar pelo cumprimento das normas constitucionais e fazer a defesa dos direitos humanos e da equidade.

Além de no dia 22 ter retomado as agressões ao utilizar a tribuna na Alesc, o deputado Roberto Salum postou na sua página no “Facebook” que “(…)A referência que fiz foi distorcida…era para uma mulher de mente curta e radical…”, agravando a situação lamentável em que já se encontrava, com o nítido propósito de diminuir a figura da deputada, enquanto parlamentar e mulher.

Agindo assim, a Bancada Feminina entendeu que o deputado feriu a dignidade e a honra não só de uma parlamentar, mas de toda a coletividade das mulheres catarinenses.

Principalmente um deputado, cuja função é atuar na defesa, na garantia e na observância dos regramentos constitucionais, especialmente o da isonomia. A Bancada requereu à Comissão de Ética e Decoro uma punição exemplar ao deputado, com o intuito educativo e inibitório, sob pena de se aceitar tais práticas discriminatórias no interior do Parlamento. Em especial a retratação das ofensas proferidas, para que fatos como esses nunca mais voltem a acontecer na Alesc.

Deputada estadual Luciane Carminatti, coordenadora da Bancada Feminina da Alesc

Apoie O Cafezinho

Crowdfunding

Ajude o Cafezinho a continuar forte e independente, faça uma assinatura! Você pode contribuir mensalmente ou fazer uma doação de qualquer valor.

Veja como nos apoiar »

Nenhum comentário

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site O CAFEZINHO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie.

Escrever comentário »


Deixe um comentário

O 2021 de Bolsonaro O 2021 de Ciro Gomes O 2021 de Lula Parlamentarismo x Semipresidencialismo: Qual a Diferença? Fernanda Montenegro e Gilberto Gil são Imortais na ABL: Diversidade