Cafezinho 5 minutos: o conceito de autocrítica

Estado de Exceção: dono de bar é preso porque fez homenagem a Marielle

Por Miguel do Rosário

19 de março de 2018 : 09h23

(Alfredinho do Bar Bip Bip, 74 anos, vítima do Estado de Exceção).

Relato de Graça Lago, testemunha ocular do acontecimento:

Alfredinho do Bar Bip Bip é “conduzido” para a delegacia por conta de uma confusão criada por um Policial Rodoviário Federal de folga que criticou homenagem à Marielle Franco, durante o samba que acontecia em seu estabelecimento.

O agente da PRF depois de sair do bar, voltou armado e ameaçando as pessoas, alegando que foi empurrado ao sair por alguém que ele não sabe quem. A PM foi chamada, uma tenente tentou mediar a situação com o policial rodoviário, que foi intransigente e aos gritos disse que queria “conduzir” o Alfredinho para a delegacia. Foi chamado um carro da Policia Rodoviaria Federal com 4 policiais da PRF armados com fuzis, para acompanhar uma briga de bar do colega deles de folga, fugindo totalmente da sua função institucional.

Agora são 1h30 da manhã e temos um senhor de 74 anos, um dos donos de bar mais conhecido do Rio de Janeiro, detido sem ser acusado de nada, simplesmente por fazer uma homenagem à uma vereadora assassinada.

O delegado vai ouvir as parte e provavelmente o Alfredinho será liberado assim que prestar depoimento.

#EstadoDeExceção

Atualização (por Rodrigo Mondego):

O Afredinho do Bip Bip foi liberado. O delegado não quis me receber na condição de advogado e apenas colocou o agente da PRF como vítima de lesão corporal e o Afredinho como testemunha (de algo que ele não viu).

Sim, é isso, o Alfredinho foi arbitrariamente conduzido para a delegacia para ser testemunha de algo que ele não viu. Esse, a priori, é o entendimento dos órgãos de Estado do RJ.

Se a gente vivesse em um Estado de Direitos, o dono do Bip Bip teria sido vítima de crime de ameaça e abuso de autoridade.

#EstadoDeExceção

Miguel do Rosário

Miguel do Rosário é jornalista e editor do blog O Cafezinho. Nasceu em 1975, no Rio de Janeiro, onde vive e trabalha até hoje.

Apoie O Cafezinho

Crowdfunding

Ajude o Cafezinho a continuar forte e independente, faça uma assinatura! Você pode contribuir mensalmente ou fazer uma doação de qualquer valor.

Veja como nos apoiar »

41 comentários

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site O CAFEZINHO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie.

Escrever comentário »

Thiago Araujo

04 de abril de 2018 às 10h21

Puxa… não estou surpreso. Os morros e grande parte da metrópole carioca tomada pelo banditismo é tanta gente defendendo uma mulher embalada na cultura do anarquismo. Não é de espantar que Sérgio Cabral já esteja condenado há mais de 50 anos de prisão e o Pezão, levado o Estado à bancarrota. É essa CLEPTOCRACIA que defendem quem usou palavras chulas contra mim? Essas pessoas foram eleitas pelo voto dos eleitores do Rio. Vocês são capazes de comentar publicamente o toque de recolher imposto por bandidos daí, que diuturnamente vilipendiam o direito de ir e vir da massa da população ordeira do Rio? Essa “tradição” de defender quem não presta é que tem deixado o Brasil ainda Colônia. Despertem. Desconsiderei as palavras de calão.

Responder

Christina H Ferreira

21 de março de 2018 às 17h02

Joao Oliveira Bento. Nenhum PM fez baderna. Leia com atenção.

Responder

José Eduardo

20 de março de 2018 às 22h58

Parece brincadeira, mas é verdade. O policial ganhou no grito! Eta paisinho!

Responder

Antonio

20 de março de 2018 às 15h47

Um marginal armado ja é perigoso, com um distintivo da PF é mais perigoso ainda, deveria ser demitido a bem do serviço publico.

Responder

André Oliveira

20 de março de 2018 às 12h02

Quanta idiotice. A própria chamada da noticia já foi rica em hipocrisia. O cara não foi preso, e foi apenas chamado pra depor em função da agressão ao policial ao sair do bar. Fantoches c lavagem cerebral que não sabem, ou não querem, interpretar sequer um texto e, menos ainda, pensar sobre a idoneidade da pg ao postar esses sensacionalismos.

Responder

Carol Craft

20 de março de 2018 às 04h19

Se o Rosário não parar de falar mentiras, vou chamar para ele a dupla do Duplo Expresso

Responder

Adri

19 de março de 2018 às 23h06

Um Senhor de 74 anos foi preso por um policial da PRF, de folga, que foi beber no bar. Tá grandão esse policial hein? Abuso de autoridade flagrante. Que devia ir preso era o servidor público, espero que a PRF se dê ao respeito.

Responder

Rita

19 de março de 2018 às 21h48

Que absurdo !!!!! Pra fora policiais autoritarios, abusivos!!!

Responder

Marco

19 de março de 2018 às 21h44

Essa é uma das muitas faces desse Brasil homicida.

Responder

Ceiça fernandes

19 de março de 2018 às 21h18

As pessoas deveriam assistir mas noticiários nos telejornais do que nas redes sociais.
Críticas destiladas a ódio misturado com siglas partidárias estão sendo punidos. Pessoas formadas postando mentiras passando vergonha a nível nacional por está postando o que ver nas redes sociais. Pra kem crítica e comemora a morte de marielle precisa ser informar mas. É abrandar o coração. Somos seres humanos e não pedra pra durar pra sempre

Responder

    Miguel

    20 de março de 2018 às 10h39

    Acho que é o contrário. As pessoas deveriam assistir menos noticiários e pensar mais por si mesmas, ler mais livros e ouvir mais os outros. Noticiários só postam mentiras e manipulações.

    Responder

      Thiago Araujo

      04 de abril de 2018 às 10h31

      Parabenizo a você pelo espaço do blog. Creio que um ambiente de expressão de idéias como esse é proveitoso. Apenas creio que possíveis discordâncias do ponto de vista alheio, não devam descambar para as agressões, inclusive pornofônicas, expressas por alguns. Isso demonstra a importância do espaço criado por você e também o nível cultural de quem o frequenta. Sucesso.

      Responder

Justo

19 de março de 2018 às 20h53

O dever de uma autoridade é manter o decoro. Uma autoridade tem que ser etica não somente nas suas instituições, mas saber manter uma postura justa e longe de qualquer atitude que possa prejudicar ou atentar contra o Estado Democrático de Direito.

Responder

Marcos Antônio Santana Costa

19 de março de 2018 às 19h28

Esse jornalzinho é uma imundice

Responder

    EU

    19 de março de 2018 às 20h48

    E o que tu fazes aqui, lendo essa imundície?

    Responder

    Fernando Sobrino

    19 de março de 2018 às 23h18

    Como tem gente acéfala neste nosso Brasil.

    Raciocinar deveria ser uma característica humana, mas tem pessoas q fazem força para passarem por irracionais.

    O fascismo é algo odioso, típico de imbecil arrogantes.

    Responder

Davi Zocoli

19 de março de 2018 às 17h13

Se aqui fosse um pais decente e isso mesmo que deveria fazer. E ter dos agentes publicos um tratamento cortez e justo. O problema e que a polícia trata todo mundo igual. Os pobres igual a bicho e os ricos igual a reis. Isso sem falar em corporativismo, acima da lei.

Responder

Carlos Santos

19 de março de 2018 às 14h58

Olhem a fake news aí gente. O sujeito não foi preso, e muito menos por ter prestado homenagem à vereadora morta. Ele foi conduzido à delegacia, na condição de testemunha, prestou declarações e foi liberado. Onde está a tal prisão ??

Responder

    Rafael Farias de Bourbon

    19 de março de 2018 às 16h44

    Tu não pode ser conduzido para depor, tu é intimado a depor, mas ninguém te leva contra tua vontade, principalmente se tu não foi testemunha de nada como o caso dele. Foi uma prisão indevida, ele foi impedido do seu direito de ir e vir, assegurado na CF de 88.

    Responder

      euclides de oliveira pinto neto

      20 de março de 2018 às 06h00

      Correto. O queixoso deve ir à delegacia policial, formular sua queixa e elencar as testemunhas. A testemunha não pode ser conduzida sob violência à delegacia… isto não está previsto na legislação que regula a matéria… é constrangimento ilegal e os autores deverão responder penalmente por seus atos delituosos… policia rodoviária tem atuação bem definida na lei e socorrer colegas dessa forma não está elencada… no mínimo, há que ser aberta uma sindicância interna, apurando os excessos e aplicando as penalidades previstas no regulamento… se o cara fôsse do Exército poderia trazer um batalhão para “resolver o problema” ?

      Responder

    Thiago Araujo

    19 de março de 2018 às 17h36

    Lá é um bar ou uma casa de carpideiras? O pessoal vai se divertir ou chorar a morte? Devia ser preso era pela estupidez do ato.
    Xô hipocrisia.
    Esse tal bar deve ser mais uma casinha de “intelectuais” frustrados.

    Responder

      Antonio Junior

      19 de março de 2018 às 18h11

      Nunca quero sentir essa sensação que você sente, de defecar pela boca!

      Responder

      Esper

      19 de março de 2018 às 19h40

      É que não foi com você seu m***! Ser alvo de abuso policial, sendo obrigado a ir depor por um policial te ameaçando com uma arma. Seu fdp!

      Responder

      Já sinto!

      19 de março de 2018 às 21h28

      Seu c* deve estar com inveja da sua boca, de tanta bosta que saí dela!

      Responder

      Fatima

      20 de março de 2018 às 00h51

      Frequento e eh maravilhoso,MAs certamente nao eh para pessoas como voce,POR q eh muito legal la.P VC eh bom um bar tipo mauricinho

      Responder

    Adriano

    19 de março de 2018 às 18h08

    Olha o imbecís aí que não leu a entrevista antes de comentar

    Responder

    Luiz Carlos P. Oliveira

    19 de março de 2018 às 21h37

    Mas tu és burro ou mal intencionado? Desde quando se leva uma testemunha (de algo que ele não viu!) escoltado por viatura da PRF em centro urbano? Cara, tu não tens noção nenhuma de leis. Então, “por que no te calas”?

    Responder

    Fernando Sobrino

    19 de março de 2018 às 23h22

    Ninguém deve ser conduzido como testemunha. E testemunha de qual crime?
    O q justificaria um PRF chamar uma viatura, com gasto público, por não ter gostado da “música “??????

    Somente um imbecil daria razão a este PRF

    Responder

    Edemar Motta

    19 de março de 2018 às 23h24

    E desde quando testemunha é conduzida à força se nem inquérito algum existe?

    Responder

Roberto Soares

19 de março de 2018 às 14h00

Incrível

Responder

marcone

19 de março de 2018 às 13h49

ABSURDO E VERGONHOSA A CENSURA

Deveríamos solidarizar Alfredinho do Bar Bip Bip marcando homenagem a Marielle, bora!!!✊?

Vamos pessoal marcar um encontro no Bar Bip Bip

Responder

Neusa, a Vó

19 de março de 2018 às 11h41

Vai um sugestão: povo devia marcar um ato de desagravo ao Alfredinho e homenagem à Marielle lá no bar. Vão lá e lotem o bar de gente que não aceita esse estado de exceção.
Abraços de resistência!!!!

Responder

    Sebastião oliveira

    20 de março de 2018 às 00h33

    Vamos ao Alfredinho fazer um movimento de desagravo a falecida. Vamos pedir autorização as autoridades para nao dizerem que é baderna e mandarem a polícias pôs será uma manifestação pacífica vamos colocar duas mil pessoas lá.

    Responder

enganado

19 de março de 2018 às 11h31

Só resta saber se a CIA / FBI / NSA / MOSSAD / . . . foram notificados do andamento da repre$$$ão da DEMOCRADURA TABAJARA contra os cidadãos desavisados do ___novo regime ((GOLPE-2016))___ ANGLO_SIONISTA_TABAJARA instalado pelas Tropas de Ocupação=militares no Rio de Janeiro. Que DEUS no seu infinito Perdão salve os pobres do verdadeiro BRASIL, reencarnando-os em outros Países.

Responder

ALFREDO RAVACHE JUNIOR

19 de março de 2018 às 10h30

E O DELEGADO QUE MERDA!!!!

Responder

Luiz Viana David

19 de março de 2018 às 10h13

O “guarda da esquina” de quem falou Pedro Aleixo na reunião ministerial com Costa e Silva, quando foi editado o AI-5, evoluiu. Agora é o guarda rodoviário, mas pode ser também o agente penitenciário. Com tantas instituições policiais e militares para tomar conta de nós civis, acho que estamos fritos.

Responder

    Edemar Motta

    19 de março de 2018 às 23h26

    É isso ai. Todos eles devida ou indevidamente armados, arrotando arrogância, extrapolando suas funções.

    Responder

Helcio

19 de março de 2018 às 09h42

João, claro q ele chamou a PM, afinal de contas quem paga o salário deles?

Responder

Nilda Pais

19 de março de 2018 às 09h33

E as panelas continuam entaladas no rabo dos MALDITOS destruidores do Brasil. Traidores Malditos. Guilhotina NÃO! A morte é muito rápida.

Responder

Joao Oliveira Bento

19 de março de 2018 às 09h28

Um “PM” faz baderna. Qual a coisa certa a se fazer? O que o dono do bar fez: chamou o Batm… não, péra. Ele chamou a PM pra resolver a situação? kkkkkkkkk

Responder

    Luiz Carlos P. Oliveira

    19 de março de 2018 às 21h40

    Do jeito que as coisas estão, o Pinguim e o Charada são mais confiáveis.

    Responder

Deixe uma resposta

Facebook Auto Publish Powered By : XYZScripts.com