Comentários sobre o áudio vazado de André Esteves (BTG Pactual)

A nova (e velha) denúncia do MP-SP contra Haddad

Por Redação

04 de setembro de 2018 : 13h25

Antes, a defesa de Haddad, divulgada no Estadão:

Surpreende que, no período eleitoral, uma narrativa do empresário Ricardo Pessoa, da UTC, sem qualquer prova, fundamente três ações propostas pelo Ministério Público de São Paulo, contra o ex-prefeito e candidato a vice-presidente da República, Fernando Haddad. É notório que o empresário já teve sua delação rejeitada em quase uma dezena de casos e que ele conta suas histórias de acordo com seus interesses. Também é de conhecimento público que, na condição de prefeito, Fernando Haddad contrariou no segundo mês de seu mandato o principal interesse da UTC de Ricardo Pessoa na cidade: a obra confessadamente superfaturada do túnel da avenida Roberto Marinho.

Assessoria do candidato Fernando Haddad

Agora, a denúncia (maltrapilha) do MP-SP, conforme divulgado pela assessoria de imprensa da própria instituição:

Promotor de Justiça denuncia criminalmente ex-prefeito de São Paulo por corrupção

Propina foi paga por meio de esquema com gráficas

O promotor de Justiça Marcelo Mendroni, do Grupo de Atuação Especial de Repressão à Formação de Cartel e à Lavagem de Dinheiro e de Recuperação de Ativos (Gedec), ofereceu denúncia criminal por corrupção nesta segunda-feira (3/9), contra o ex-prefeito de São Paulo Fernando Haddad pelo recebimento de R$ 2,6 milhões de propina da empreiteira UTC Engenharia S.A. para pagamento de dívida contraída durante a campanha eleitoral de 2012. O dinheiro foi pago pelo doleiro Alberto Youssef em 2013 por meio de contratos firmados com três gráficas.

Também foram denunciados o ex-tesoureiro nacional do Partido dos Trabalhadores (PT) João Vaccari Neto, o doleiro Alberto Youssef, o ex-deputado estadual pelo PT/SP Francisco Carlos de Souza (vulgo Chicão), o presidente da empreiteira, Ricardo Pessoa, e o diretor financeiro da empreiteira Walmir Pinheiro Santana. A denúncia envolve as empresas LWC Editora Gráfica Ltda, Candido e Oliveira Gráfica Ltda e Francisco Carlos de Souza Eireli.

Mendroni sustenta na denúncia que a quantia foi solicitada a Pessoa por Vaccari, que falava em nome de Haddad. Primeiramente foi solicitado o pagamento de R$ 3 milhões, mas a empreiteira barganhou o valor da propina e ela saiu por R$ 2,6 milhões. De acordo com o promotor, havia um esquema de captação e transferências de dinheiro para dissimular sua origem que funcionava da seguinte forma: a captação e distribuição de recursos ilícitos se dava por meio de um esquema montado pela empreiteira. Primeiramente, por meio de contratos de prestação de serviços fictícios ou superfaturados e/ou superfaturados de forma que os valores ou a diferença retornassem à UTC Engenharia, mas para uma conta de Caixa 2, que a empresa tinha com Youssef.

O doleiro, posteriormente, entregava parte do valor em dinheiro e outra parte utilizava pessoas físicas e jurídicas para receberem os valores. Essas pessoas remetiam a outros PFs e PJs para, finalmente, os valores serem transferidos, destas, para gráficas indicadas por Chicão. A propina foi solicitada entre abril/maio de 2013. Os pagamentos foram feitos entre maio e junho de 2013. As dívidas foram contraídas em 2012.

***

Abaixo, as íntegras dos documentos da denúncia (também divulgados pelo Estadão).

Doc 1
Doc 2
Doc 3

Apoie O Cafezinho

Crowdfunding

Ajude o Cafezinho a continuar forte e independente, faça uma assinatura! Você pode contribuir mensalmente ou fazer uma doação de qualquer valor.

Veja como nos apoiar »

8 comentários

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site O CAFEZINHO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie.

Escrever comentário »

Carlos Cruz

04 de setembro de 2018 às 21h05

O desespero toma conta do golpista DOPS paulista. Sem conseguir dobrar os brasileiros amantes da democracia participativa, popular, soberana (todo poder emana do povo!), tentam impor sua democracia ditatorial onde todo poder emana do Estado e em seu nome é interpretação será exercido. Politizado, sem limites e controles, age ao arrepio da lei com a conivência e omissão do CNMP, STF, CNJ. Criaram um monstro que os engoliu. O facismo de Estado.

Responder

Curió

04 de setembro de 2018 às 17h49

Ou Ciro !

Responder

Curiosinho

04 de setembro de 2018 às 17h48

Queimaram nosso museu Ah é ? Mexeram com fogo ? Agora aguentem! É 13!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

Responder

Curió

04 de setembro de 2018 às 17h45

Mexeram com o fogo, agora aguentem o abelheiro ! É 13 na cabeça, na pelotada !!!

Responder

Glauber Tocha

04 de setembro de 2018 às 17h43

O povo é 13 ! E vamos queimar essa vampirada toda !

Responder

Nostradamus ( banquinho & Bacia )

04 de setembro de 2018 às 17h42

Vamos de 13 procuradorzinhos de…

Responder

Carcará

04 de setembro de 2018 às 17h41

O troco é 13 !

Responder

Cunha e Silva

04 de setembro de 2018 às 17h31

O TROCO É 13 .

Responder

Deixe um comentário

Parlamentarismo x Semipresidencialismo: Qual a Diferença? Fernanda Montenegro e Gilberto Gil são Imortais na ABL: Diversidade Auxilio Brasil x Bolsa Família: O que mudou? As Refinarias da Petrobras À Venda pelo Governo Bolsonaro O Brasileiro se acha Rico ou Pobre?