Cafezinho 2 minutos: Posse de Bolsonaro e alegações finais contra Lula

Leo Pinheiro. Divulgação.

Atibaia: Lava Jato cozinha nova condenação de Lula em fogo alto

Por Miguel do Rosário

10 de novembro de 2018 : 12h18

Depois dos depoimentos de Marcelo e Emilio Odebrecht, filho e pai, e de Alexandrino Alencar, executivo da mesma empresa, que ajudaram a confirmar as teses da acusação, a Lava Jato divulgou ontem os depoimentos de Leo Pinheiro, ex-diretor da OAS, além de Agenor Medeiros e Paulo Gordilho, também da OAS, que vão na mesma linha de associar Lula como principal beneficiário das obras no sítio em Atibaia, cujos gastos seriam descontados nos supostos “fundos de propina” que as empreiteiras reservavam aos partidos políticos, incluindo o PT.

As pesadas críticas que a sentença de Moro contra Lula, no caso do triplex de Guarujá, recebeu da comunidade jurídica, parecem ter levado a Lava Jato a montar melhor o processo de Atibaia, que será julgado por outro juiz, no caso a juíza Gabriela Hardt.

Ao contrário do triplex, que se baseava exclusivamente num depoimento confuso de Leo Pinheiro, Atibaia traz as delações combinadas de um número bem maior de pessoas, e pessoas com peso, como os donos da Odebrecht, Marcelo e Emílio, filho e pai. Mas os fundamentos da acusação permanecem frágeis, visto que não se apresenta qualquer prova do envolvimento do ex-presidente em algum desvio de verba pública.

As delações, feitas sob condições suspeitas, revelariam apenas uma relação promíscua entre o ex-presidente e as empreiteiras, mas não há provas de corrupção praticada por Lula. Não há enriquecimento ilícito, nem qualquer prova de que Lula tomado qualquer decisão, enquanto presidente, que prejudicasse, deliberadamente, o erário em benefício das empreiteiras.

De qualquer forma, é importante que os internautas fiquem atentos aos fatos. Agora que Lula não representa mais um “perigo político” iminente, a mídia sequer está dando destaque aos últimos movimentos da Lava Jato para incriminar o ex-presidente. O rolo, porém, compressor não parou. Ao contrário, a mudança na correlação de forças, em desfavor de Lula, parece ter aumentado a sede de sangue dos aparelhos de repressão.

Uma nova condenação de Lula, que ajudaria a blindar Sergio Moro das críticas à frágil sentença que emitiu contra ex-presidente, parece estar sendo cozinhada em fogo alto pela Lava Jato.

***

No blog do Fausto

Léo Pinheiro detona Lula na ação do sítio de Atibaia

Empresário ligado à OAS foi interrogado nesta sexta-feira, 9, pela juíza Gabriela Hardt e declarou que ex-presidente se comportava como proprietário do imóvel

Ricardo Brandt, Fausto Macedo, Julia Affonso e Paulo Roberto Netto

09 Novembro 2018 | 19h45

O empresário Léo Pinheiro, da OAS, declarou nesta sexta-feira, 9, à juíza Gabriela Hardt que o ex-presidente Lula se comportava como o proprietário do sítio de Atibaia e como real beneficiário das obras que a empreiteira realizou no imóvel localizado no interior de São Paulo. Leó Pinheiro detonou Lula em longo relato na ação penal em que o petista é réu por corrupção passiva e lavagem de dinheiro.

Segundo o empresário, foi Lula quem o chamou para conversarem sobre as obras do sítio, mas nunca o ex-presidente teria demonstrado preocupação em saber detalhes dos valores empenhados. Ele estima que a empreiteira desembolsou entre R$ 350 mil e R$ 450 mil nas obras de melhorias da área – apenas a cozinha ficou em R$ 170 mil.

Léo Pinheiro também é acusado nesta ação do sítio. Preso na Superintendência da Polícia Federal em Curitiba, ele está colaborando com as investigações.

Nesta sexta, 9, o empresário respondeu todas as perguntas da juíza Gabriela Hardt, sucessora de Sérgio Moro na condução dos processos criminais da Operação Lava Jato no Paraná.

No fim do depoimento, a defesa fez três perguntas a Léo Pinheiro. Na primeira, a advogada do ex-presidente da OAS quis saber. “Em algum momento, o ex-presidente Lula te questionou acerca de valores dessas obras realizadas no sítio, em algum momento ele perguntou como deveria ser ressarcidas essas despesas gastas?”

“Não, nunca”, respondeu o executivo.

“As atitudes que o ex-presidente Lula tomou frente ao sítio, me refiro às obras especificamente que a OAS fez no sítio, deixaram dúvida ao sr de que ele era o real proprietário do sítio?”, perguntou a defesa.

“Nenhuma dúvida”, afirmou Léo Pinheiro.

“Deixaram dúvida de que ele seria o real beneficiário dessas obras?”, questionou o advogado.

“Nenhuma dúvida”, disse o ex-presidente da OAS.

O que disse Léo Pinheiro à Gabriela Hardt?
O executivo relatou à juíza que, em fevereiro de 2014, foi ‘convocado pelo ex-presidente Lula para um encontro no Instituto Lula’. No local, contou, o petista ‘explicou que queria fazer uma reforma, não era uma reforma grande, num sítio em Atibaia’.

“Era numa sala e numa cozinha e também tinha problema num lago que estava dando infiltração, se eu podia mandar alguém, uma equipe para dar uma olhada. Eu disse: ‘presidente, eu gostaria de ir pessoalmente, o sr marca o dia que eu vou estar presente’. Ele marcou no sábado seguinte”, disse.

Léo Pinheiro narrou que foi ao sítio com Paulo Gordilho, então diretor da OAS Empreendimentos, porque o dirigente ‘já tinha conhecimento dos serviços que nós vínhamos fazendo no triplex do Guarujá’.

“Eu preferi que Paulo também continuasse para que essa coisa não ficasse muito divulgada dentro da organização. Eu fui com Paulo num dia de sábado, o presidente combinou comigo de eu ficar aguardando após o pedágio da Fernão Dias, que eu não sabia onde ficava, era difícil de chegar”, afirmou.

“Isso ocorreu, eu fiquei esperando. Fui seguindo o carro dele, estivemos no sítio. Ele e a Dona Marisa me mostraram, a mim e a Paulo, os serviços que eles gostariam de fazer na sala e atingiria a cozinha, porque tinha uma parede que tinha que desmanchar. Nós dissemos: ‘presidente, deixa a gente fazer um projeto e mostrar ao sr’. Fomos ver o lago que estava tendo uma infiltração. Demoramos um pouco para tentar entender como é que estava acontecendo aquilo. Eu disse: ‘olha, o lago, a gente vai ter que esvaziar’.”

De acordo com o ex-presidente da OAS, Lula marcou um novo encontro em sua casa, em São Bernardo do Campo, também em um sábado, cerca de ‘2 ou 3 semanas depois’.

“Estava ele e dona Marisa. Eu fui com Paulo e mostramos a ele como é que seria a reforma da sede do sítio”, disse.

“O presidente combinou comigo o seguinte: ‘olha, tudo bem, pode iniciar o serviço. Eu só lhe pediria, Léo, que não, que as pessoas não se apresentassem na cidade de Atibaia, questão de sigilo, que as pessoas não tivessem uniforme, essas coisas, da OAS, que não tivesse nenhuma identificação.”

O ex-presidente da empreiteira relatou que combinou com Paulo Gordilho ‘que, se possível, trouxesse pessoas que não fossem de São Paulo’.

“Vieram de Salvador pessoas da confiança dele para que pudesse fazer. Essas pessoas foram um encarregado, se não me falha a memória, três ou quatro operários. Ele determinou que qualquer coisa se conversasse com o caseiro, acho que é Maradona o nome, que teria lugar para essas pessoas dormirem. E assim foi feito. Isso foi feito durante o mês de março até talvez julho ou agosto de 2014”, contou.

Gabriel Hardt quis saber se o empresário Fernando Bittar, em nome de quem a propriedade está formalmente registrada, estava na primeira visita ao sítio. Léo Pinheiro disse que se ‘recorda bem’ de Fábio, um dos filhos de Lula.

“E eu acho que me apresentaram o Fernando, eu não tenho certeza, mas me parece que sim”, respondeu. “Eu só conversei com o presidente (sobre a reforma). Ela estava presente nas duas vezes que eu tive contato com os dois.”

Segundo Léo Pinheiro, o ex-presidente o orientou que não fizesse ‘nada em nome da OAS’.

“Não pode ser feito nada em nome da OAS. As compras eram feitas na cidade de Atibaia pelo encarregado que estava lá. Ele recebia um dinheiro que a empresa disponibilizava para ele. Ele fazia as compras, ao que me consta, parece até em nome dele, porque era recibo, não era nota fiscal”, disse.

À juíza, Léo Pinheiro explicou como era feito o ‘encontro de contas’.

“Nós fizemos várias obras com a Petrobrás ao longo desses anos, durante o governo do PT. Acredito eu que num montante de R$ 5 bilhões a R$ 6 bilhões. Essas obras tinham um valor determinado de 1% para o PT”, declarou.

Segundo o ex-presidente da OAS, os ‘valores começaram a ser gerenciados, em um primeiro momento, por Delúbio Soares, que era o tesoureiro do PT e depois o João Vaccari’.

“Nós tínhamos uma conta corrente. A cada faturamento de cada obra dessa, a gente tinha que fazer um pagamento de 1% sob valor que nós recebíamos. Mas isso não era pago imediatamente”, afirmou.

“Às vezes juntava mais um pouco e o Vaccari determinava: ‘eu quero que você me pague isso em caixa 2, quero que você faça doações ao Diretório nacional do PT, ao diretório estadual tal, que ajude político tal’. Foi assim a vida toda. Juntava-se um montante, eu tinha uma participação direta nisso, eu pouco delegava isso, até por uma questão de ser um partido no poder, ser o presidente.”

De acordo com Léo Pinheiro, o ‘pessoal da Controladoria que operacionalizava isso’.

“Vaccari combinava comigo ou diretamente com essas pessoas e a gente faria os pagamentos. Qualquer despesa extra que tivesse, a mando do PT, no caso essas duas coisas que foram feitas diretamente com o presidente, a nível pessoal, como as outras despesas, eu sempre combinava com Vaccari e fazia-se um encontro de contas”, relatou.

COM A PALAVRA, O ADVOGADO CRISTIANO ZANIN MARTINS, QUE DEFENDE LULA

“Leo Pinheiro foi ouvido hoje (09/11) como acusado e tal como fez na ação do tríplex preferiu acusar Lula com afirmações mentirosas ao invés de se defender. A estratégia faz parte de uma tentativa de convencer o Ministério Público Federal a lhe conceder benefícios, inclusive para sair da prisão, por meio de um acordo de delação que negocia há quase 2 anos.

Agenor Medeiros, também ouvido reconheceu que é falsa a acusação do Ministério Público ao afirmar que ele teria prometido e oferecido vantagens indevidas a Lula por meio da reforma de um sítio em Atibaia.

Paulo Gordilho, por seu turno, deixou evidente em seu depoimento que sempre tratou com Fernando Bittar sobre os assuntos relativos ao sítio de Atibaia, que é o proprietário do imóvel.”

Veja outros depoimentos no caso do sítio

Leo Pinheiro



Agenor Medeiros


Paulo Godilho



Marcelo Odebrecht




Emílio Odebrecht


Alexandrino Alencar


Miguel do Rosário

Miguel do Rosário é jornalista e editor do blog O Cafezinho. Nasceu em 1975, no Rio de Janeiro, onde vive e trabalha até hoje.

Apoie O Cafezinho

Crowdfunding

Ajude o Cafezinho a continuar forte e independente, faça uma assinatura! Você pode contribuir mensalmente ou fazer uma doação de qualquer valor.

Veja como nos apoiar »

27 comentários

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site O CAFEZINHO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie.

Escrever comentário »

Tamosai

14 de novembro de 2018 às 05h47

Não há nenhuma ligação disso com a Petrobras. É clara a forçação de barra para pegar o Lula. O montante também é irrisório em comparação com bilhões carreados para outros políticos.
Esses, como Serra, Alckmin, FHC, Temer, Aloysio, Moreira Franco, Jucá, Padilha estão soltos. Se esse não é um julgamento político, o que pode ser?

Responder

DANI SERRA

11 de novembro de 2018 às 23h12

Mas os fundamentos da acusação permanecem frágeis, visto que não se apresenta qualquer prova do envolvimento do ex-presidente em algum desvio de verba pública.

RESPOSTA: RENATO DUQUE – JORGE ZELADA – PAULO ROBERTO COSTA – CERVERÓ – VACARI – ANTONIO PALLOCI – BUMLAI – PETROBRAS – OAS – ODEBRECHT –
TODOS INDICAÇÃOES DO LULA !!…. TODOS DELATORES … TODOS CONDENADOS CONFESOS.. TODOS DEVOLVERAM DINHEIRO ROUBADO . PRECISA MAIS ??

PARO POR AQUI .
FALAR Q O SITIO NAO É DO LULA .. É INFANTIL..
POR Q ODEBRECHT E OAS E BUNLAI IRIAM JUNTAS REFORMAR UM SITIO ??
POR Q A OI COLOCARIA UMA TORRE DE CELULAR AO LADO DO SITIO ??
POR QUE A COZINHA KITCHEM TEM Q SER IDENTICA PAGO PELA MESMA PESSOA Q PAGOU A DO TRIPLEX ??

POR ULTIMO .. MARCELO ODEBRECHT FICOU 3 ANOS NA CADEIA E TA PUXANDO MAIS 3 ANOS EM DOMICILIAR COM TORNOZELEIRA.. FORA A MULTA DE 90 MILHHOES Q TA PAGANDO PARCELADO !!..

ACHAM MESMO Q ELE MENTIRIA ??

BOM.. FIM
SO QUERO Q O LULA VÁ P UM PRESIDIO
É SO ISSO Q FALTA P BRASIL ENDIREITAR.

Responder

Gustavo

11 de novembro de 2018 às 16h42

Gleisi Hoffman suspeita (e já disse abertamente) que Moro já estaria fechado com Bolsonaro na época em Moro liberou ilegalmente os grampos da Dilma e do Lula. Algo como “libera esses grampos aí que quando eu for presidente eu te recompenso”

Isso tudo sem nenhuma prova, nenhuma foto deles juntos, nenhum mísero indício e sem nenhuma pesquisa apontando Bolsonaro à frente nas pesquisas ou ainda pré candidaturas liberadas.

Se essas suspeita pôde ser admitida o que podemos dizer então do sítio de Atibaia ? Muito esquisito alguém comprar pedalinho pra ficar em propriedade que não é sua.

Também estou curioso pra saber se a juíza será acusada de ativismo político ou algo do tipo.

Responder

Nostradamus ( poltrona & livros para ler )

11 de novembro de 2018 às 10h27

A Gestapo foi mudada em SS. A Lava Jato foi transfigurada em superministério… Lula é culpado do que mesmo ? Hoje faz cem anos da história cuja farsa assistimos a repetição pasmos… no meio de muitos bocudos ignorantes até os dentes!

Responder

deni

11 de novembro de 2018 às 09h36

Para lembrar…”” LULA TA PRESO SEUS BABACAS ”’

Responder

Luiz Cláudio Pedroso da Fonseca

11 de novembro de 2018 às 01h21

Vou ter de assistir a todos o vídeos para saber o que a expressão “encontro de contas” significa. Não parece fazer sentido no texto.

Responder

    Luiz Cláudio Pedroso da Fonseca

    12 de novembro de 2018 às 19h06

    Continuo sem entender a expressão “encontro de contas”. “O Lula sabia”, sabia do quê? Que existe tráfego de influência em Estatais? Que existe partidarização? Que o critério técnico de uma licitação talvez possa ser melhor atendido sob a forma de Cartel do que pela lógica precificada do mercado, evitando-se aventureiros no setor a bem do interesse público? Por que razão quando a gente pensa mais a fundo na questão, tudo parece reduzir-se à transformação de Lula em um símbolo negativo? Que tipo de país procede assim com seus ex-presidentes? Que tipo de país diz negar demagogicamente o capitalismo sem negar as grandes fortunas? Rússia, China? Lula é uma grande fortuna? Tem tríplex? Tem sítio? Sua condenação – e escrevo isso com certo rubor e sorrisinho contido – representa segurança jurídica para quem?

    Responder

      Luiz Cláudio Pedroso da Fonseca

      14 de novembro de 2018 às 14h50

      Sentença formal sem provas formais? Cidadão Lula controlando as rubricas das grandes empreiteiras?
      Projeto de Poder do PT?

      Responder

Justiceiro

10 de novembro de 2018 às 22h02

Pois é. Os petistas, para mostrar a inocência de Lula no caso triplex, diziam que ele JAMAIS passara uma noite sequer ali. Esse argumento agora serve pra condenar Lula, já que ele passou vários finais de semana no sítio.

Até os pedalinhos eram personalizados com o nome dos netos de Lula.

Vem ai mais uns 15 anos de cadeia.

Responder

Lucas

10 de novembro de 2018 às 18h51

Quem é culpado tem q ser condenado. Simples assim. Se Lula o for é pq é culpado.

Responder

    nelson

    10 de novembro de 2018 às 20h44

    Mas não é trouxa simples assim é mais honesto que tú e todos de tua familia.

    Responder

      Brasileiro da Silva

      10 de novembro de 2018 às 23h34

      Não é culpado? Simples, se apresente e prove que o mundo mente contra ele. Tá esperando o que?

      Responder

      Lucas

      13 de novembro de 2018 às 15h00

      Só por ELE próprio se achar melhor do que outros já merece o ostracismo.
      Quem tem que dizer se alguém é melhor ou pior do que outrem ñ é a própria pessoa, mas sim, terceiros.

      Responder

Nilson Messias

10 de novembro de 2018 às 17h57

O cafezinho está com uma promoção especial: “análises exclusivas”. Agora vai… com os Gomes e o militantes da direita.

Responder

Paulo

10 de novembro de 2018 às 16h25

Quando adentrei este Blog – cerca de 1 mês atrás – acreditava que a maioria dos petistas e simpatizantes apenas construíram a narrativa da condenação sem provas de Lula por conveniência própria e estratégia política, já que seria realmente difícil ganhar uma eleição admitindo que seu líder máximo é um corrupto (independentemente de ter se beneficiado muito ou pouco, patrimonialmente, pois está claro que foi pouco, a maioria dos benefícios foram políticos, ao Partido e, consequentemente, a ele próprio, Lula). Mas, para meu espanto, constato, a estas alturas, que a maioria deles acredita mesmo na inocência de seu líder carismático, apesar da abundância de provas testemunhais, indiciárias e até mesmo materiais, como e-mails e fotografias, ou imagens de celular…o que o fervor ideológico não faz…

Responder

    Padre Olegário

    12 de novembro de 2018 às 19h11

    Um mês seu nazista sem vergonha ? Muito mais tempo espalhando mentiras fascista duma figa! Irás queimar esta bun.da lá nos mármores da entrada do inferno seu boçal! Deixa de ser cínico!

    Responder

Valdeci Elias

10 de novembro de 2018 às 15h33

Se Lula tive-se feito um aeroporto com dinheiro publico , em um sitio particular , estaria solto ?
Se Lula usa-se um sitio particular, como conexão do trafico de drogas , e a PF prende-se um servidor publico fazendo escala com um helicóptero publico cheio de cocaina no referido sitio , estaria solto ?
Se a PF descobri-se varia malas de dinheiro , contendo milhões , no sitio de Atibaia , Lula estaria solto ?
Se Lula fosse gravado, negociando propina, e ameaçando matar quem o delata-se, estaria solto ?

Responder

    Ricardo

    11 de novembro de 2018 às 03h56

    Se Lula ainda tivesse mandato e submetido à jurisdição do Supremo, certamente estaria solto, mas como estava mais preocupado em ganhar propina, ops, dinheiro com palestras, das empreiteiras em troca de financiamento de BNDES, ele sifu !

    Responder

      Valdeci Elias

      11 de novembro de 2018 às 14h57

      Repita a Mentira, até ela virar Verdade .

      Responder

    Apolônio

    11 de novembro de 2018 às 17h43

    Não que isso importe tanto agora, que Lula perdeu e a Lava-Jato ganhou – mais uma vez, e agora com 58 milhões de brasileiros por trás. Mas: se o Aécio tivesse um triplex disponibilizado a ele, e reformado ao módico custo de R$1 milhão por conta da OAS conforme pedido da sua esposa, você e a petralhada estariam por aí dizendo que “isso não prova que ele tenha beneficiado ilegalmente a OAS”, que ele “foi condenado sem provas”, e estariam tuitando #AécioLivre?

    Responder

    Mauro Assis

    12 de novembro de 2018 às 09h50

    Usa-se em vez de usasse, tive-se em vez de tivesse, descobri-se em vez de descobrisse… SOS Pátria Educadora rocê, viu Valdecir?

    Responder

    Rosana Araújo

    14 de novembro de 2018 às 19h12

    Pois é né? ninguém quer saber de condenação de senador maconheiro em helicóptero, e malas de dinheiro, né? Tudo se resolve só com Lula condenado…

    Responder

Stalingrado Lula da Silva

10 de novembro de 2018 às 13h05

Mais do mesmo. A coligação PSL-PJ (Partido da Justiça) ganhou, agora o próximo passo será jogar Lula Magno numa foqueira.
O show mal começou.

Responder

Edivaldo

10 de novembro de 2018 às 12h48

Sou um liberal. Mesmo não concordando com alguns preceitos constitucionais, me curvo a eles. Não gosto, e o termo é esse mesmo, gosto, de ver malabarismos jurídicos favorecem bandidos, mas a constituição é clara: ninguém será preso até o trânsito em julgado. Neste aspecto: Lula está sendo prejudicado.

Nunca havia visto tanta celeridade em um julgamento. De novo: Lula está sendo prejudicado.

Mas não se enganem: Lula e culpado sim. É tão corrupto quanto a maioria dos políticos que o PT tan acusa…

Mas, como liberal que sou, defendo um julgamento justo ao Sr Luiz Inácio Lula da Silva.

Responder

    JESSE OLIVEIRA GUIMARAES

    10 de novembro de 2018 às 16h31

    Eu sou brizolista, e sempre que o Brizola não estava em causa, votei no Lula, assim como na Dilma por duas vezes. Nesta eleição votei Ciro e depois Haddad. Sempre achei a condenação do Moro pelo triplex, casuística e sem provas, a não ser a palavra de um Léo Pinheiro acovardado. Desta vez eu me entristeci. Depois que vi uma foto do Lula com engenheiros da fima Odebrecht, eu confesso que me convenci. Isto para tristeza minha que não sou lulista, mas sei o que representará para toda esquerda. O homem fez dois ótimos governos, elevou o conceito do Brasil no mundo. Enfim é a vida, feita de suas pequenas tentações. Fui protestante no passado. A Bíblia tem um versículo que diz o seguinte: “É necessário que haja o escândalo, mas ai de quem por quem vier o escândalo”. Confesso que estou abalado, pois eu estou convencido e isto me arrasou !!!

    Responder

    ari

    10 de novembro de 2018 às 17h36

    Curioso, vc defende um julgamento justo e já o condena. Pense um pouquinho: Papa Francisco, Chomsky, Mujica, Ferrajoli, Martin Schulz, Boaventura de Sousa Santos e dezenas ou centenas de personalidades da mesma estatura tem manifestado a poio a ele. Vc acha mesmo que essas figuras andam pelo mundo defendendo corruptos?

    Responder

      Edivaldo

      10 de novembro de 2018 às 19h06

      A falácia do apelo à autoridade não convence ninguém. No máximo exibe o alcance e a influência da esquerda.

      A menos que todos estejam mentindo e somente o ex presidente esteja sendo honesto, fica difícil acreditar na sua inocência. Pelo o que acompanhei a sua defesa, só vi afronta a justiça e tentativa de politização de uma ação penal.

      Defendo, por princípios, os direitos de qualquer cidadão, inclusive o Sr Luiz Inácio. Agora, que todos os fatos e indícios sugerem sua culpabilidade…

      Responder

Deixe uma resposta