CCJ discute prisão em 2ª instância

A apresentação de Mauro Benevides no debate da reforma da previdência

Por Miguel do Rosário

20 de fevereiro de 2019 : 16h46

Nessa terça-feira 19, aconteceu um debate sobre a reforma da previdência promovido pela liderança do PDT, com participação do deputado e professor Mauro Benevides, um dos maiores especialistas no tema, e que possivelmente será o presidente da comissão da reforma da previdência.

Você pode baixar a apresentação do professor aqui.

A apresentação traz muitos gráficos e números importantes para subsidiar nossos debates sobre a reforma.

Miguel do Rosário

Miguel do Rosário é jornalista e editor do blog O Cafezinho. Nasceu em 1975, no Rio de Janeiro, onde vive e trabalha até hoje.

Apoie O Cafezinho

Crowdfunding

Ajude o Cafezinho a continuar forte e independente, faça uma assinatura! Você pode contribuir mensalmente ou fazer uma doação de qualquer valor.

Veja como nos apoiar »

10 comentários

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site O CAFEZINHO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie.

Escrever comentário »

euclides de oliveira pinto neto

23 de fevereiro de 2019 às 07h35

Só uma retificação no comentário anterior: – “é por isso que o Brasil paga os maiores juros praticados no mundo !

Responder

euclides de oliveira pinto neto

23 de fevereiro de 2019 às 07h33

Curioso é que o “serviço da dívida” consome 44% da arrecadação federal e não se vê nenhum movimento dentro dos governos para realizar a Auditoria da Dívida Pública, suas origens e legalidade… Será que tal Auditoria iria atingir interesses de grupos financeiros ? E por tal razão ninguém fala sobre o assunto ? É tabu… Enquanto isso, o Governo Federal paga os mais juros praticados no mundo… Brasil é o paraiso dos rentistas !!!

Responder

Cidadão de bem

21 de fevereiro de 2019 às 08h09

Não sei porque o interesse tão grande com a reforma da previdência. Durante 13 anos, nós contribuintes ,trabalhadores brasileiros ficamos tranquilos , não se tocou no assunto! Por que? Foi só entrar aquela desgraça do temer, e hoje o Bozo, que a sanha com esse gordo recurso, voltou com toda força. Vai cobrar os caloteiros, os picaretas , os fraudadores,os sonegadores. Não! Querem a todo custo, ferrar o trabalhador, uns mais outros menos! E o povo não acordou! Privilégios dos próprios políticos, mexer nem pensar, privilégios do judiciário, dos militares, nem fudendo! Até porque esses FDp precisam desses para conter a população. Tenho vergonha de ser brasileiro.

Responder

Solange R. Santos

20 de fevereiro de 2019 às 20h37

Neoliberalismo, o caminho sombrio para o fascismo
https://www.resistir.info/eua/neoliberalismo_fascismo.html

Responder

    Paulo

    20 de fevereiro de 2019 às 21h10

    Solange, não existia neoliberalismo na Itália pré-Mussolini e na Alemanha pré-Hitler, ou na Espanha pré-Franco, se preferir…

    Responder

      Vinícius

      20 de fevereiro de 2019 às 21h49

      Ôh, Paulo, deixa de ser prego. A Solange faz uma referência genérica pq não se refere aos primórdios do liberalismo. O livro a Riqueza da Nações foi publicado em 1776. É um marco do que chamamos de liberalismo. Os bacanas que vc cita vem bem mais a frente no tempo. Ela pode sim usar o termo neoliberalismo para se referir a este tempo. Ali já existia a o componente financeiro no liberalismo como podemos identificar nitidamente hoje em dia.
      Deixa de ser Zé-Ruela, rapaz!
      Qual o marco temporal que define o tal falado neoliberalismo? Embora mais utilizado depois da 1980, lá atrás, na quebra da bolsa de Nova York já se falava na necessidade de reforma da abordagem liberal.

      Responder

      Alan Cepile

      21 de fevereiro de 2019 às 09h54

      Paulo, de novo, quando vc não sabe o que dizer, não precisa falar qualquer bobagem só pra dizer que rebateu o argumento, pq fica assim, meio ridículo, entende?

      Responder

    Jorge

    21 de fevereiro de 2019 às 04h45

    Bobeira pura. Nao há como o fascimo existir dentro do liberalismo. É necessario um governo grande, controlador e opressor para o fascimo se sustentar. Assim como foi na Italia e na Alemanha.
    NA verdade olhando o passado, o que Hitler, Stalin, Tche e Mao fizeram foi identico. Usando o estado poderoso para perseguir todos que nao agradavem. Homossexuais, judeis, ciganos. minorias.

    Responder

      Robert Roal

      21 de fevereiro de 2019 às 12h00

      Não existe receita para fascismo. Contudo, a maior característica desse regime é atuar como braço da burguesia com a finalidade de obstruir a luta de classes por meios violentos. Outro ponto em comum, derivado desse primeiro, é que todas as experiências desse malfadado regime foram frontalmente contra as políticas socialistas e comunistas. Nasceram, portanto, sob medida para tal fim. O neoliberalismo, como sabemos, é a feição da economia de mercado (burguesa) que está apoiando o fascista do Bozo e dele se beneficiando.

      Responder

Paulo

20 de fevereiro de 2019 às 19h08

Esse tem que parar de “costear o alambrado”, também, viu?!

Responder

Deixe uma resposta