Ato público pela valorização do serviço público

Importações de gasolina A crescem 63% em 2019

Por Redação

10 de fevereiro de 2020 : 20h25

Segundo o último Relatório Executivo da ANP, publicação mensal estatística com números de produção e comércio exterior de petróleo e derivados, a importação brasileira de Gasolina tipo A (o tipo principal usado pelos carros brasileiros) em 2019 cresceu 63% em relação ao ano anterior, atingindo uma média de 82 mil barris por dia.

A produção nacional de Gasolina A, por sua vez, cresceu menos de 1% em 2019.

A importação de Diesel A, por sua vez, cresceu 12% em 2019, alcançando uma média de 220 mil barris por dia.

A produção brasileira de Diesel tipo A caiu 2,2% em 2019, para 602 mil barris/dia.

A tabela abaixo, extraída do Boletim Focus de hoje, se relaciona com os números acima na parte que trata da Conta Corrente (balança de pagamentos): segundo o Focus a Conta Corrente do Brasil deverá fechar 2020 com déficit de US$ 54,20 bilhões; para 2021, a estimativa é de um déficit de US$ 59 bilhões.

Apoie O Cafezinho

Crowdfunding

Ajude o Cafezinho a continuar forte e independente, faça uma assinatura! Você pode contribuir mensalmente ou fazer uma doação de qualquer valor.

Veja como nos apoiar »

23 comentários

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site O CAFEZINHO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie.

Escrever comentário »

Wellington

10 de fevereiro de 2020 às 20h37

Alguém não ideologicamente esaltado sabe dizer para que serve essa tal de Petrobrás se nem gasolina e diesel consegue produzir…?

Responder

    Alan C

    10 de fevereiro de 2020 às 20h46

    Serve pra produzir gasolina, principalmente se estiverem com capacidade total de refino.

    Camundongo estúpido…

    Responder

      Wellington

      10 de fevereiro de 2020 às 21h14

      Ideologicamente bombados não valem.

      Responder

    CezarR

    11 de fevereiro de 2020 às 07h53

    Você chegou exatamente no ponto em que Guedes quer. As refinarias estão operando apenas a 60, 70% de capacidade. Isto é proposital, primeiro para dar espaço às traders; segundo para dar a quem quiser comprá-las a certeza de que o governo não interferirá no preço; terceiro para que as pessoas se façam essa pergunta que você fez, facilitando a privatização. Petrobras estatal só faz sentido com algum controle de preços. O refino já está na lógica privada, sem ter sido ainda. Bem vindo ao mundo liberal!

    Responder

      Wellington

      11 de fevereiro de 2020 às 09h56

      A Petrobras nào serà privatizada nem hoje nem nunca por tanto o seu é sò papo.

      Responder

        Alan C

        11 de fevereiro de 2020 às 10h42

        Nenhum argumento, nenhum conhecimento sobre o assunto, comenta com 85 nomes, comenta os próprios comentários, é só um camundongo Zé ninguém de ideologia tosca e estúpida.

        Agora pode comentar como andressa….

        Responder

          Wellington

          11 de fevereiro de 2020 às 11h24

          Nossa, como vc è presunçosa heim Gleisi ? Kkkkkkkkkk

        CezarR

        11 de fevereiro de 2020 às 16h33

        Ela já é privada, no que se trata de política de preços, remuneração de acionistas, política de RH. Só falta vendê-la inteira, pois as refinarias do Sul, Norte, Minas e Nordeste já estão em pricesso de venda. A BR dustribuidira já foi.

        Responder

      Evandro Garcia

      11 de fevereiro de 2020 às 09h59

      E quem vai comprar as açoes da mesma com preços controlados pelo estado depois, Vc e Boulos ?

      Estamos em 2020 e tà na hora de parar de falar asneiras.

      Responder

        Alan C

        11 de fevereiro de 2020 às 10h45

        E qual país do planeta controla preço de ações?????

        Vc tem necessidades especiais na cérebro, camundongo??? Pqp…..

        Responder

          Evandro Garcia

          11 de fevereiro de 2020 às 11h22

          Deve ser o Boulos escrevendo com a Gleisi do lado sugerindo…Kkkkkk

          Controlar o preço da gasolina, nào das açoes, entendeu Guilherme….? Kkkkkkk

          Alan C

          11 de fevereiro de 2020 às 13h53

          “E quem vai comprar as açoes da mesma com preços controlados pelo estado depois”

          SEM MAIS MERITÍSSIMO!!!!!

          Wellington

          11 de fevereiro de 2020 às 14h05

          Guilherme B.,
          você talvez não tenha lido o comentário do Cezar ao qual se refere minha resposta…ele menciona o controle de preço da gasolina pelo estado.

          Deve ser a fumaça dos pneus nos olhos….kkkkkk

          Alan C

          11 de fevereiro de 2020 às 14h08

          Guilherme B?????

          kkkk o camundongo inventa tantos nomes que até se perde no meio deles!! hahaha

          Mancada hein andressa??? rsrsrsrs

        CezarR

        11 de fevereiro de 2020 às 16h35

        Preço de ações? A Petrobras vende gasolina e óleo bruto, não ações.

        Responder

        CezarR

        11 de fevereiro de 2020 às 18h43

        Acho que você quer saber quem comprará ações de uma empresa que represa o preço de seus produtos. Pois bem, as mesmas que compravam na época que a Petrobras controlava os preços e tinha um valor de mercado maior e proporcional ao preço do barril na época. Ademais, estatal existe para dar lucro aos acionistas na justa medida em que cumpre seu papel estatal. Ah, mas a Dilma quase quebrou a empresa com essa política! Verdade, mas a Dilma levou ao extremo essa política e da mesma maneira do Guedes, só que para o outro extremo, desviou a empresa do equilíbrio função estatal x lucratividade.

        Responder

          Evandro Garcia

          11 de fevereiro de 2020 às 19h14

          “Ah, mas a Dilma quase quebrou a empresa com essa política! Verdade.”

          Fim do assunto.

          Paulo

          11 de fevereiro de 2020 às 21h46

          Sim. Devemos evitar os extremismos ideológicos, tanto na administração das estatais quanto no processo de privatização, que deve encontrar parâmetros definitivos no caráter estratégico da estatal (não se privatiza nunca, nessa hipótese), e sempre considerando se não vai se trocar um monopólio público por outro privado (não se privatiza, igualmente, nessa hipótese, salvo se a estatal for deficitária crônica e sem perspectivas de saneamento).

          CezarR

          12 de fevereiro de 2020 às 11h41

          Já vi que esse Evandro Garcia é apenas mais um “mitador” que é o mesmo que os “lacradores”, só que da direita. Não se interessa em discussão séria, quer ser o bambambam da “refutação” ou simplesmente não entende as discussões. Lamentável que o sujeito não entenda que está prejudicando a si próprio, mas democracia é isso! Viva a democracia! Ainda que os idiotas vençam! O problema é que há idiotas aos borbotões na esquerda e na direita!

Evandro Garcia

10 de fevereiro de 2020 às 20h34

Nem a gasolina a Petrobrás consegue produzir…? Kkkkkkkkkkk

Coloquem fogo nessa praga.

Responder

Paulo

10 de fevereiro de 2020 às 20h28

Produz petróleo mas não gasolina…

Responder

    Alan C

    12 de fevereiro de 2020 às 00h49

    Produz ambos.

    Responder

    CezarR

    12 de fevereiro de 2020 às 11h52

    Veja Paulo, a Petrobras já tinha que importar gasolina e diesel quando a economia bombava, justamente porque não conseguia atender a demanda interna em crescimento. Isso foi o que realmente pesou na política de segurar preços da Dilma. Importava gasolina a preço internacional e vendia abaixo do que comprava. As exportações de óleo cru, com barril alto, seguravam as contas da empresa. O que ocorre agora é que a Petrobras está se desfazendo do refino, para facilitar isso a política de preços atual para dar confiança aos compradores. Para isso, deixa refinarias ociosas, dando espaço às traders. Tanto uma política quanto a outra estão erradas sendo a Petrobras estatal, fosse privada, a política anterior seria mais do que errada, ruinosa, e a atual correta. Bolsonaro estava certo quando na Globonews declarou enquanto candidato: Pra que a Petrobras é estatal se não for para amenizar os preços? Infelizmente é um frouxo inseguro que come pelas mãos dos outros. Outro erro petista foi não ter aberto para empresas privadas a possibilidade de construirem novas refinarias, quando queriam. Os extremismos prejudicam sempre.

    Responder

Deixe uma resposta