Coletiva de Rodrigo Maia (ao vivo) sobre medidas contra a crise

Live: a geopolítica do petróleo, religião, milícia, índios

Por Redação

19 de fevereiro de 2020 : 06h14

Hoje tivemos um convidado especial: o jurista Luiz Moreira, ex-titular do Conselho Nacional do Ministério Público (CNMP).

Apoie O Cafezinho

Crowdfunding

Ajude o Cafezinho a continuar forte e independente, faça uma assinatura! Você pode contribuir mensalmente ou fazer uma doação de qualquer valor.

Veja como nos apoiar »

1 comentário

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site O CAFEZINHO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie.

Escrever comentário »

Bernardo

19 de fevereiro de 2020 às 18h24

Não acho que a proximidade entre evangélicos e a direita nas últimas eleições tenha nada a ver com empreendedorismo. A maioria dos evangélicos, assim como de qualquer outro grupo popular no Brasil, é de pessoas que trabalham para alguém. Não de empreendedores.

A proximidade recente tem a ver é com os valores identitários de LGBT, drogas, aborto, feminismo que se tornaram a pauta da pseudo-esquerda. Se você perguntar a qualquer pessoa humilde o que é esquerda, ou ela não vai saber, ou vai achar que tem a ver com estes temas identitários. Eles não identificam que a esquerda tem a ver com dar saúde e educação aos pobres, criar empregos e o Estado como forma de transformar a vida dos humildes pra melhor. Que é (ou era?) o real sentido de esquerda.

Tanto isso é verdade que Lula, que nunca focou na pauta identitária, sempre foi muito bem votado entre os evangélicos. O que nunca ocorreu com Gabeira, Freixo, Jean Wyllis e afins.

Sinceramente, aqui no Brasil a palavra esquerda já está tão contaminada com este conceito identitário, que eu acho que quem é trabalhista, comunista, social-democrata e etc deveria abandonar totalmente este conceito de direita e esquerda e assumir os seus nomes reais.

Responder

Deixe uma resposta