Análise em vídeo das manifestações do 2 de outubro e as vaias a Ciro

Guimarães e Figueiredo. Divulgação.

Disputa pela liderança da Minoria cria novas tensões entre PT e PDT

Por Redação

04 de março de 2020 : 19h36

No início da tarde de hoje, a coluna do Guilherme Amado, da Época, trouxe a seguinte nota:

PT TRAI PDT E PETISTA É O NOVO LÍDER DA MINORIA

Acordo previa que liderança fosse dos pedetistas

04/03/2020 – 13:24 / Atualizado em 04/03/2020 – 13:25

O PT traiu o acordo que foi feito no ano passado, para que o PDT ocupasse a Liderança da Minoria da Câmara neste ano e vai mesmo ocupar o posto — e sua penca de cargos.

José Guimarães será o novo líder.

***

A notícia causou estranheza, ainda mais por aparecer no mesmo dia em que os partidos de oposição divulgavam uma nota falando em “união”; dentro os itens da nota consta: “definir uma pauta de atuação conjunta no Congresso Nacional em defesa do país”.

O Cafezinho entrou em contato com o deputado Mario Heringuer (PDT-MG), que detêm a segunda secretaria na mesa da Câmara dos Deputados, para confirmar se a notícia procedia.

Heringer confirmou que foi mesmo – segundo suas palavras – uma “pernada”, e acrescentou: “O PT insiste em ser PT. Não aprendeu nada”.

O deputado explicou, todavia, que não há nada definitivo, até porque os acordos envolvem posições nas mesas e comissões.

O líder do PDT na Câmara, o deputado André Figueiredo, fez um comentário seco , em sua conta de twitter:

“No momento adequado, vamos nos pronunciar sobre o assunto. Nada ainda resolvido em definitivo.”

Por mais que os deputados se contenham, todavia, o clima esquentou.

José Guimarães, o novo Líder da Minoria (ainda a ser confirmado, porém), é do mesmo Ceará que André Figueiredo, sem falar nos Gomes.

Segundo um acordo firmado no início de 2019, a vaga da liderança de Minoria seria agora do PDT, e o nome seria exatamente o de André.

A Liderança da Minoria é a verdadeira função de liderança da oposição. A vaga “Liderança da Oposição”, hoje sob comando do deputado Alessandro Molon (PSB-RJ), e que também deverá mudar de mãos, é apenas simbólica. A Liderança da Minoria é que possui prerrogativas no regimento, direito a secretários e tempo de fala.

Obviamente, as feridas da campanha de 2018, além das movimentações para as eleições municipais deste ano, além dos preparativos para 2022, já começam a entrar na conta das articulações entre os partidos.

Até o momento, o PDT fechou acordo com o PSB em São Paulo, Porto Alegre e Rio de Janeiro.

O diretório do PT em Porto Alegre anunciou apoio a Manuela D’Ávila, do PCdoB, e provavelmente deverá apoiar Marcelo Freixo (PSOL) no Rio de Janeiro. Em Recife, há uma tensão entre PT e PSB ainda não resolvida, por causa das candidaturas de Marília Arraes (PT) e João Campos (PSB). Há muita especulação se o PT usaria novamente  a candidatura de Arraes como trunfo para pressionar o PSB a apoiar candidatos do PT em outras capitais. O senador Humberto Costa, do PT, defende essa posição, ao passo que Lula, pelo que já foi divulgado, apoiaria a candidatura de Marília.

Apoie O Cafezinho

Crowdfunding

Ajude o Cafezinho a continuar forte e independente, faça uma assinatura! Você pode contribuir mensalmente ou fazer uma doação de qualquer valor.

Veja como nos apoiar »

18 comentários

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site O CAFEZINHO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie.

Escrever comentário »

Francisco

05 de março de 2020 às 11h03

Redação, deixe de ser cabeçuda, a batalha que elegeram para lutar, desclassificar, incriminar e deletar o PT do cenário político nacional, para ocupar o seu espaço obtido na luta e enfrentamento da classe que nos domina e condena ao atraso e a dependência, é fria, pela simples razão que forças imensamente superiores e poderosas que as suas, inclusas, mídia monopólio e justiça/procuradoria/polícia lavajateiras, tentam há 42 anos (antes mesmo da fundação do partido) e não conseguem impedi-lo de impedi-los ficarem à vontade, no hereditário butim do ‘Patrimonialismo da Desigualdade’.

Sem o PT e os petistas, ninguém chega a lugar algum à esquerda, no Brasil, e ficar combatendo-o incessantemente, como faz a golpista classe dominante, condenara-os a ficarem dando murros em ponta de faca ou competirem com o DEM, NOVO, PSDB, PTB e por aí segue o desfile de legendas de aluguel, para ocuparem espaço à direita, pois a extrema direita já tem dono, os bolsonaurus com o futuro ALIANÇA PARA O ATRASO.

PS: Em matéria de traição, não esqueça que o PSB e o PDT, deram os 35 votos ( PDT 6 em 19 e PSB 29 em 32), sem os quais os golpistas não teriam sucesso no golpeachment de 2016.

Responder

    Lucas

    05 de março de 2020 às 12h51

    Que “enfrentamento de classe”, camarada!? O espaço do PT foi conquistado a custo de muita enganação da população, marketing político e acordo com banqueiros e corruptos. E este espaço mingua a cada dia. Em matéria de traição o PT é insuperável e o povo já descobriu!

    Responder

      NeoTupi

      05 de março de 2020 às 14h03

      Menos Lucas. Nenhum partido ganha 4 eleições seguidas se não fizer bom governo para a maioria – e a maioria é pobre no Brasil – principalmente com toda a imprensa de massa contra, o mercado financeiro apoiando a oposição tucana, o judiciário partidarizado e sob influência da guerra híbrida vinda dos EUA. E Ciro (e Cid) apoiaram e participaram de todos os governos do PT (Ciro foi ministro de Lula, depois indicou Leônidas Cristino para Ministro dos Portos, Cid foi governador aliado e depois ministro da educação de Dilma. Só pularam o alambrado depois que o PT perdeu o poder. Se os governos do PT fossem tudo isso de ruim que vocês dizem, Ciro e Cid também não prestariam, porque errar 1 vez vá lá, mas errar 4 vezes seguidas já seria errar de propósito, né?

      Em tempo: leia as pesquisas mais recentes por faixa de renda, que Lula lidera disparado nas faixas de renda mais baixas. E perde quanto mais sobe a faixa de renda. Se isso não é um corte de classes, não sei o que é.

      Responder

    Alan C

    05 de março de 2020 às 13h47

    Deixe de lado essa viseira petista que só te permite enxergar São Lula da Silva. Vc deve ter comprado aquele livro ridículo a venda no PT247 que praticamente eleva Lula a uma divindade, né??

    Quer falar em traição?? O PT foi contra o Plano Real traindo o povo, foi contra a última constituição traindo o povo, foi contra a eleição de Tancredo Neves, apoiando Paulo Maluf de quem ficou beijando a mão pelos 14 anos de presidência, Lula ao assumir traiu o povo liberando a farra dos bancos, esqueceu o estelionato eleitoral da Dilma??? Ou petista não considera aquilo uma traição ao seu próprio eleitorado??
    Lula, de novo enganando seu eleitorado, dizendo que era candidato quando qq paspalho sabia que era impossível pela lei que ele mesmo criou.
    Perguntemos à Marília Arraes se ela não foi traída em 2018… Sem contar nos 6 milhões de votos que – PASMEM – os petistas deram ao vosso coleguinha bozo, SURREAL….
    Petista vive num universo paralelo, acordem!!! Presidência da república vcs não ganham NUNCA MAIS!

    Responder

      Francisco

      05 de março de 2020 às 17h23

      A questão não é a versão da viseira ou o tapa da desinformação, o que limita é olhar sem a perspectiva de poder pensar o conjunto dos fatos.

      Antes de dizer que o PT foi contra o plano Real e portanto contra o povo, em visão estreita no caso, caia na real e entenda que, tal como às ditaduras militares, que brotaram pelo continente em mesma época, e desapareceram, sem serem derrotadas, à exceção da Argentina pela Inglaterra/USA, como num passe de mágica, em mesmo período, tal como surgiram, por ventos soprados do norte, a inflação no continente, grassou galopante por anos, em praticamente todos os países, mesmo após dezenas de planos econômicos aplicados para erradica-las, sem sucesso.

      De repente, também como num passe de mágica, desapareceram do continente, em mesmo período, inclusive na campeã, a Bolívia com seu milhar percentual de inflação, via planos locais, que fazem no Brasil até hoje acreditarem que foi graças ao plano real, uma tablita de conversão, estabelecendo o momento zero, a partir do qual a memória da inflação magicamente desapareceria, e de fato desapareceu, mas não apenas no Brasil, mas em todos os países inflacionários do continente, ‘acredite se quiser’, sem ter nada a ver com os ventos que sopram do norte.

      Os famosos documentos cinquentões reveladores, que também sopram do norte e hoje esclarecem como nasceram e morreram as ditaduras no continente, no período citado, mais uns 10 anos, e revelados, mostrarão como efetivamente se deu a eliminação da inflação no continente e o real significado através dos fatos.

      “Contra a última Constituição traindo o povo”, só pode ser piada no tempo em que se vive, portanto sem comentário.

      “Contra a eleição de Tancredo Neves”, se toca e subtrai “traindo o povo”, pois sabe que Tancredo e o PSDB, à exceção de Covas, traíram o povo, inclusive ao tentarem cancelar o comício do Anhangabaú, a todo custo, pois tinham negociado e garantido assumirem o poder com Sarney de vice, derrotando Maluf no colégio eleitoral, sem arriscar submeterem-se ao escrutínio popular direto e perderem, ainda mais sabendo o papel e a força de Brizola/PDT e Lula/PT, na campanha das diretas.

      Tancredo queria tanto ser presidente e acabou não sendo, pode-se dizer, castigado por trair o povo. ‘Maluf e farra dos bancos’, sem comentários, pois do raso é que se vai ao fundo.

      ‘Estelionato da Dilma e Lula candidato’, os fatos, dia após dia, revelam a verdadeira historia, dentro de contexto que, a partir de Honduras, os ventos do norte trazem ao continente uma nova forma de ditadura, através de golpe jurídico/midiático, dispensando-se os quartéis e junto a pedagógica inflação galopante, como no caso da Venezuela com a queda do preço do petróleo, via Arabia Saudita.

      “Perguntemos à Marília Arraes se continua no PT, se vai ser candidata a prefeita de Recife e se conta com o apoio local de Lula?

      Quanto “aos 6 milhões de votos dados ao bozo”, digamos serem realidade no contexto, tanto quanto Ciro não se mandou para Paris, após o primeiro turno, e não tratar-se, isso sim, pérolas de quem “vive num universo paralelo”, entre tapas e relhos.

      “Presidência da república vcs não ganham NUNCA MAIS!”
      “livre pensar é só pensar”, então penso que o povo é quem decide e assim que o Brasil tornar a democracia plena e a justiça sem adjetivo, não mais lavajateira.

      Responder

        Alan C

        06 de março de 2020 às 00h39

        Vc é um lunático, não dá nem pra comentar, o PT foi a favor de tudo isso então, né??? Ok rsrsrsrs

        Agora ajoelhe-se em direção a São Bernardo e reze pra São Lula da Silva.

        Responder

ALBERTO MELHADO RUIZ

05 de março de 2020 às 10h11

Isso é proprio do partido (traição).

Responder

Tulipa

05 de março de 2020 às 09h50

Como vcs pensam de puxar os votos dos petistas e lulistas trogloditas radicais (20% pelo menos) para outro lado…?

Quem tem menos votos costuma pegar carona com quem tem mais…até hoje eu vi isso em todos os lugares.

Responder

NeoTupi

04 de março de 2020 às 22h10

É só puxar pela memória o que este blog mesmo noticiou no ano passado ou pesquisar no Google que essa história não pára em pé. O PDT não quis e não fez acordo nenhum com o PT. Queria isolá-lo.
Mas o PSB preferiu fechar com o PT e o PSOL formando bloco da minoria de 97 deputados, incluindo a Rede. Esse bloco tinha acordo de revezamento, tanto que Molon foi e ainda é líder da oposição e agora cabe ao Psol indicar Freixo.
PDT e PCdoB fecharam acordo com Rodrigo Maia para formar um bloco de 105 deputados (PCdoB, PDT, Podemos, Solidariedade, Patriota, PPS, Pros, Avante, PV e Democracia Cristã) na eleição da mesa, apoiando a eleição de Maia para a presidência e com o Heringer como 2o. secretário da mesa. Aí fizeram a manobra de usar esse bloco como se fosse “da minoria” de oposição, sendo que muitos desses partidos são do centrão que apoiam o governo Bozo, apesar de viver as turras porque Bozo os trata mal. Aí o PCdoB ficou com a liderança da minoria (Jandira Feghali é a líder). Então se havia acordo de revezamento era com o PCdoB dentro desse bloco, não com o PT, nem com PSOL, nem PSB. Creio que aquele bloco exótico tenha se separado e ficaram em minoria na oposição, impossibilitando do PDT fazer revazamento apenas com o PCdoB.
Para quem fala tanto em fake news, era bom apurar essa história direito (ouvir só um lado não basta) antes de chamar de traidor quem não tinha nenhum acordo para trair.

Responder

    Nilo

    04 de março de 2020 às 22h39

    Cara, você confundiu aliança para a eleição do presidente da Câmara com a aliança de partidos na Câmara. De fato, a eleição de Rodrigo Maia era certa e mesmo se toda a oposição votasse em massa no Frexo, ele não derrotaria o Maia. Vendo esse quadro, o PDT estrategicamente apoiou o Rodrigo Maia em troca deste se comprometer com os prazos e prerrogativas da oposição, o qual ele vem cumprindo exemplarmente. Já o PT… Bem, o PT não cumpriu o prometido ao Frexo e nem eles mesmos não votaram no Frexo.

    Responder

      NeoTupi

      05 de março de 2020 às 13h24

      Não inventa. Cite um único link ou única fonte que diga que houve acordo do PT com PDT em torno de eleição de minoria na câmara no ano passado. Todos os links que existem só falam de racha entre esses dois partidos, com PCdoB acompanhando o PDT e PSB, PSOL e Rede acompanhando o PT.

      Leia os links das fontes que encontrei, principalmente o do últimosegundo que conta a história toda. O bloco para eleição da mesa da Câmara foi usado como “bloco da minoria” numa manobra digna dos tempos do Eduardo Cunha que cancelava votação quando perdia. O PT cogitou até judicializar a questão. Se não confia nos links, pode perguntar a própria Jandira Feghalli do PCdoB, eleita lider, que ela confirma tudo o que eu disse.

      Note que o próprio Heringer não falou ao Cafezinho em “traição”, falou em “pernada”, que não é a mesma coisa. Não confirmou nenhum acordo com o PT. Nem André Figueiredo, que disse apenas que a situação não estava definida, provavelmente porque se conseguisse remontar o “bloco de minoria” tomando emprestado partidos do centrão, ou trazendo apoio do PSB, mudaria o resultado de novo. Isso o Cafezinho poderia esclarecer com Heringer e Figueiredo, pedindo para contar essa história toda.

      Responder

      NeoTupi

      05 de março de 2020 às 13h40

      De onde veio os 50 votos em Freixo se o PSOL só tinha 10 deputados?
      O PT votou majoritariamente no Freixo. Não deu 100% dos votos, acredito que por algum acordo de bastidores mais amplo. Mas nem o Psol, nem Freixo reclamaram, o que significa que o que acordaram foi cumprido.

      Responder

      Alan C

      05 de março de 2020 às 14h14

      Essa manobra do PDT, recebendo a promessa do Rodrigo Maia, é que está segurando um pouco mais nossas derrotas na câmara. Se não fosse isso seria muito, mas muito pior.
      Enquanto isso o PT traia Freixo… Como diz o cara que senta na cadeira de ministro da educação, é “imprecionante”.

      Responder

        Valdir Cabeça

        05 de março de 2020 às 14h20

        Botafogo é nosso.

        Responder

Alan C

04 de março de 2020 às 22h04

Tudo segue sua normalidade, o PT sendo PT, um traidor nato, um partido doente pelo poder.

Responder

Nunes

04 de março de 2020 às 20h36

Capitão Cueca, é ele mesmo ?

Responder

Reginaldo

04 de março de 2020 às 19h46

Capitão Cueca.

Responder

Deixe um comentário