Às 11:30, a Conexão Cafezinho recebe Brizola “Carlito” Neto: as relações entre trabalhismo e comunismo

Twitter de Yang Wanming, embaixador da China no Brasil

Tensão superada: Bolsonaro e Xi Jinping conversam por telefone

Por Redação

24 de março de 2020 : 12h39

O pragmatismo, obviamente, falou mais alto. O “gelo” dado pelo presidente da China, Xi Jinping, que não atendia as ligações do presidente Jair Bolsonaro, foi provavelmente calculado.

São duas nações amigas, que precisam uma da outra.

Erros diplomáticos, como os cometidos pelo Brasil, particularmente pelo ministro de Relações Exteriores, Ernesto Araújo, que é uma verdadeira besta, costumam ser varridos para debaixo do tapete em nome do pragmatismo e dos interesses nacionais.

Mas não desaparecem. Os custos de erros diplomáticos são incalculáveis e intangíveis, porque eles significam custos materiais; antes dos insultos de Eduardo Bolsonaro à China, o governo chinês, por exemplo, poderia nos vender cem milhões de máscaras com um desconto de 10%; após os insultos, sem desconto. Não é por outra razão que Kissinger aconselhou Nixon a retomar relações com a China em 1972, e desde então (ou pelo menos até Trump, que surge num momento diferente, quando a China agora se encontra, efetivamente, em pé de igualdade com os EUA, em termos econômicos e tecnológicos), os presidentes americanos são tão educados e corteses com o gigante comunista.

Os insultos de Eduardo Bolsonaro e a descortesia de Ernesto Araújo custaram muito caro ao Brasil. A China, porém, é pragmática demais para cobrar o preço agora, quando ela está tão focada em combater o Covid-19 e em se promover o seu soft-power através da ajuda a outros países nesse combate. Mas ela vai cobrar.

***

Apoie O Cafezinho

Crowdfunding

Ajude o Cafezinho a continuar forte e independente, faça uma assinatura! Você pode contribuir mensalmente ou fazer uma doação de qualquer valor.

Veja como nos apoiar »

8 comentários

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site O CAFEZINHO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie.

Escrever comentário »

Wellington

24 de março de 2020 às 16h41

Cadê os comentários cafezinho…?

Porquê deletar comentários sem ofensas, palavrões etc…. mas só opiniões ?

Aí já não é mais moderação….

Responder

    Alexandre Neres

    24 de março de 2020 às 17h46

    Miguel, não se dê ao luxo de responder ao Wellington. Ele é um comentarista-combo, tem pelo menos uns 20 ali dentro. Se o fizer, vai passar o tempo todo respondendo às várias personas que ele incorpora. Será que ele se veste de Andressa nas horas vagas quando ninguém está à espreita?

    Responder

NeoTupi

24 de março de 2020 às 14h58

Depois disso no twitter da embaixada da China, em 5 postagens, mostrou o teor da conversa “amável com um porrete na mão”.

Depois do chá de cadeira no Bozo de uns 4 dias, a China enquadrou o Bozo a apoiar as decisões multilaterais no âmbito do G-20. O que vai contra a posição de satélite do Trump, e era a política externa articulada por Lula/Amorim.

Bozo, depois de levar uma fumada da China, vai levar outra dos EUA, pelo que acordou com a China. É a besta que não sabe negociar com ninguém, sempre trazendo prejuízos ao Brasil.

Responder

Paulo

24 de março de 2020 às 12h54

Sobre esse assunto, das relações bilaterais Brasil-China, tem uma matéria da Carta Capital interessante, reconhecendo que a reação chinesa ao comentário do 03 foi mais dura que o usual por envolver questões ligadas à tecnologia 5 G (o interesse da Huawei no Brasil e a pressão americana contrária). O Brasil, mais uma vez, se humilhou, com todo o staff político e diplomático (incluindo os presidentes da Câmara e do Senado) correndo atrás do embaixador e do presidente chinês, com Bolsonaro tendo que calar a boca diante da injúria perpetrada pelo embaixador à sua família – provavelmente porque deve ter sido repreendido pelo agronegócio. Tristes tempos…

Responder

    Alexandre Neres

    24 de março de 2020 às 13h10

    Como de costume, divirjo dos comentários do Paulo. Bolsoignaro é acima de tudo um anti-Geisel, que soube muito bem conduzir os interesses do Brasil mundo afora. A crítica à China veio do Eduardo Bananinha, respaldada pelo anti-chanceler, depois que aquele voltou de Miami para ser papagaio de pirata do Trump. Numa hora dessas, o Brasil não pode nem cogitar em se afastar da China, que pode tanto ser útil no caso do coronavírus quanto deixar de comprar nossas commodities como reação, daí a importância de os líderes do Congresso agirem rápido para aparar arestas e não deixar a familícia nos atrapalhar ainda mais do que já faz diariamente.

    Responder

      Paulo

      24 de março de 2020 às 18h19

      Os presidentes congressistas, especialmente o da casa legislativa do deputado, não pode desautorizar um parlamentar que apenas exerce seu direito à palavra, protegido constitucionalmente, aliás. Atira no próprio pé e se descredencia para o exercício da função e do cargo (o surpreendente é que ninguém parece perceber isso). De resto, fique à vontade para divergir, Alexandre! Sem contraditório não há debate e ninguém é dono da verdade, são só opiniões…

      Responder

chichano goncalvez

24 de março de 2020 às 12h51

O capacho brasileiro, diga-se Bolsobosta, mais uma vez deu marcha a ré, ele não sabe nada de nada, é um inutil, realmente, somos uma ferrari pilotada por drogado.

Responder

Wellington

24 de março de 2020 às 12h49

Os unicos insultos aos Brasil e as insitituçoes foram os do embaixador chines tanto que retirou as afirmaçoes levianas e completamente fora do lugar que féz.

O Deputado Boslonaro deu a propria opiniào como qualquer pessoa pode fazer…fora da China.

Responder

Deixe uma resposta