Live do Cafezinho (18 h): Pós-verdade na política brasileira (uma conversa com Fabio Palacio)

Foto: Pedro de Oliveira/ ALEP

CNMP decide abrir investigação sobre Lava-Jato e FBI

Por Redação

12 de julho de 2020 : 15h21

O Conselho Nacional do Ministério Público decidiu abrir investigação sobre a cooperação entre procuradores da Lava-Jato e agentes do FBI, após série de publicações do The Intercept Brasil e Agência Pública.

Leia aqui a íntegra do pedido de apuração feito pela OAB no dia 08/07/2020 ao órgão baseado nas reportagens.

Apoie O Cafezinho

Crowdfunding

Ajude o Cafezinho a continuar forte e independente, faça uma assinatura! Você pode contribuir mensalmente ou fazer uma doação de qualquer valor.

Veja como nos apoiar »

2 comentários

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site O CAFEZINHO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie.

Escrever comentário »

Alexandre Neres

13 de julho de 2020 às 02h25

É fácil identificar um grupo de procuradores que quer fazer investigações em território brasileiro mancomunado com o DOJ e o FBI. Ficam deslumbrados ao repassar informações sensíveis aos estadunidenses. Os mesmos que diziam “que quem não deve não teme” foram bem-sucedidos até o momento em postergar as investigações em relação ao famigerado PowerPoint no CNMP. Em setembro, estará prescrita aquela acusação cinematográfica e desprovida de fundamento, permeada de achismos e de convicções. Compartilham informações sensíveis com autoridades estrangeiras, porém afetam ares de enfado ao serem questionados pela PGR, do tipo: com quem pensam estar falando? Quem ousa querer discutir nossa soberania? O estado democrático é um mero detalhe a ser manipulado por esses semideuses, conforme lhes convêm. Como diria o Sepúlveda Pertence, arquiteto do MPF na CF: “meu Deus, criamos um monstro”. Vazadores profissionais, estabeleceram relações íntimas e estreitas com a grande mídia, parte de uma estratégia para cooptar incautos. Tinham planos ambiciosos e são chegados em holofotes, porém terão que se haver com a Justiça após terem aprontado de montão. Chegou a hora do acerto de contas. Infratores contumazes dos direitos e garantias fundamentais alheios não perdem por esperar…

Responder

Paulo

12 de julho de 2020 às 17h22

Claramente há uma queda de braço dentro do MPF entre procuradores que querem fazer da investigação permanente de crimes políticos a prioridade do Órgão e aqueles que não querem. Citar “Intercept” é se autoproclamar, juridicamente, um idiota…É o que faz o CNMP, em prejuízo do nosso futuro e do próprio prestígio do MPF…

Responder

Deixe uma resposta