Live do Cafezino (20h): o novo surto de Bolsonaro! Convidado: Celso Rocha de Barros

Foto: Reprodução

Em Goiás, Padre vai pagar indenização milionária por interromper aborto

Por Redação

28 de setembro de 2020 : 11h53

Um casal de Goiás deve receber uma indenização de R$398 mil de um padre que interrompeu um procedimento de aborto autorizado pela Justiça.

A decisão é do Superior Tribunal de Justiça (STJ) e foi confirmada pelo Supremo Tribunal Federal (STF).

O caso ocorreu em 2005 quando a gestante tinha apenas 19 anos e descobriu que o feto sofria de uma síndrome que impedia o desenvolvimento do pulmão e do tórax e por isso recebeu autorização da Justiça para interromper a gestação.

Porém, o padre Carlos Lodi da Cruz se dirigiu ao hospital onde a jovem se encontrava para fazer o aborto e impediu o procedimento através de um habeas corpus.

Como a jovem já tinha tomado a medicação para induzir o aborto, retornou para a casa e passou oito dias com fortes dores sendo assistida apenas pelo marido.

Após esse período, voltou ao hospital para retirada do feto que morreu logo em seguida.

Apoie O Cafezinho

Crowdfunding

Ajude o Cafezinho a continuar forte e independente, faça uma assinatura! Você pode contribuir mensalmente ou fazer uma doação de qualquer valor.

Veja como nos apoiar »

2 comentários

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site O CAFEZINHO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie.

Escrever comentário »

Ronei Silveira

28 de setembro de 2020 às 12h06

Ele invadiu o hospital e interrompeu o aborto ou um tribunal acatou o pedido de habeas corpus do padre e suspendeu o procedimento …?

Responder

Vixen

28 de setembro de 2020 às 12h01

Quem deu habeas corpus foi a justiça…o que o padre tem a ver com isso ?

Cada uma…

Responder

Deixe uma resposta