Live do Cafezinho (19h): que segurança pública que queremos?

PGR aponta que Arthur Lira chefiou esquema de peculato em Alagoas

Por Redação

04 de dezembro de 2020 : 12h17

A Procuradoria-Geral da República (PGR) aponta que o deputado federal Arthur Lira (PP-AL), líder do Centrão na Câmara e aliado do presidente Jair Bolsonaro, é suspeito de chefiar um esquema de peculato na Assembleia Legislativa de Alagoas entre 2001 e 2007. Atualmente, Lira tenta emplacar sua candidatura a Presidência da Câmara.

De acordo com reportagem do Estadão, o esquema conhecido como ‘rachadinha’ liderado por Lira segue os moldes dos desvios no gabinete de Flávio Bolsonaro na Alerj.

“A fraude se dava a partir da apropriação de parte dos salários de funcionários e tambem à inclusão de falsos funcionários na folha de pagamento”, diz a PGR.

Ainda segundo a denúncia, o parlamentar movimentou em sua conta cerca de R$ 9,5 milhões entre 2001 a 2007. Já nos mandados de busca e apreensão, os agentes da Polícia Federal encontraram uma planilha com cheques a vencer no valor de R$1,3 milhão. A denúncia também aponta que Lira garantia uma renda de R$500 mil com o esquema.

Para lavar o dinheiro, o parlamentar “utilizava empresas de terceiros para simular negociações jurídicas e financeiras buscando operacionalizar o desvio de recursos e ocultar a origem ilícita”.

Apoie O Cafezinho

Crowdfunding

Ajude o Cafezinho a continuar forte e independente, faça uma assinatura! Você pode contribuir mensalmente ou fazer uma doação de qualquer valor.

Veja como nos apoiar »

1 comentário

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site O CAFEZINHO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie.

Escrever comentário »

Luan

04 de dezembro de 2020 às 12h20

Que casualidade…na hora da eleiçao do Presidente da Camera saem essas “noticias”…

Responder

Deixe uma resposta