Paris Café Extra: Finanças Funcionais, uma revolução copernicaniana na economia

PIB da China aumenta 2,3% em 2020

Por Redação

19 de janeiro de 2021 : 14h20

Beijing, 18 jan (Xinhua) — O produto interno bruto (PIB) da China cresceu 2,3% ano a ano em 2020, passando a marca dos 100 trilhões de yuans (US$ 15,42 trilhões) para 101,5986 trilhões de yuans, segundo os dados oficiais divulgados nesta segunda-feira.

O ritmo foi mais rápido que o aumento de 0,7% registrado nos primeiros três trimestres, mostraram os dados do Departamento Nacional de Estatísticas (DNE).

No quarto trimestre de 2020, o PIB do país cresceu 6,5% ano a ano, mais rápido que o crescimento de 4,9% registrado no terceiro trimestre, de acordo com os dados.

A operação econômica do país tem se recuperado de forma constante, com empregos e bem-estar da população efetivamente garantidos, disse o DNE, acrescentando que as principais tarefas de desenvolvimento econômico e social foram concluídas melhor do que o esperado.

Para mitigar o impacto da COVID-19, o governo implementou uma série de medidas, incluindo mais gastos fiscais, redução de impostos e cortes nas taxas de empréstimos e depósitos compulsórios bancários para estabilizar o crescimento e o emprego.

Uma vez que a epidemia foi eficazmente controlada no país, as fábricas e escolas foram reabertas e os pontos turísticos de todo o país retomaram sua vitalização.

O mercado de trabalho da China permaneceu estável em 2020, com a taxa de desemprego pesquisado nas áreas urbanas se situando em 5,6%, abaixo da meta anual do governo de cerca de 6%, mostraram os dados.

A produção industrial de valor agregado aumentou 7,1% ano a ano no quarto trimestre, acelerando 1,3 ponto percentual em relação ao terceiro trimestre do ano passado, conforme informado pelo DNE. Para o ano inteiro, o indicador subiu 2,8% em termos anuais.

O investimento em ativos fixos teve uma recuperação constante, subindo 2,9% ano a ano em 2020, com o investimento em indústrias de alta tecnologia, saúde e educação crescendo mais rápido do que a média.

Afetadas pela epidemia, as vendas no varejo de bens de consumo caíram 3,9% ano a ano em 2020. O indicador se recuperou notavelmente nos últimos meses, aumentando 4,6% anualmente no quarto trimestre, 3,7 pontos percentuais a mais do que no terceiro.

Embora as cifras tenham superado as expectativas, o DNE alertou que ainda há várias incertezas decorrentes das mudanças da situação epidêmica e do ambiente externo, afirmando que o país adotará medidas adicionais para consolidar os resultados do controle da epidemia e desenvolvimento econômico.

Fonte: Xinhua Português

Apoie O Cafezinho

Crowdfunding

Ajude o Cafezinho a continuar forte e independente, faça uma assinatura! Você pode contribuir mensalmente ou fazer uma doação de qualquer valor.

Veja como nos apoiar »

Nenhum comentário

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site O CAFEZINHO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie.

Escrever comentário »


Deixe uma resposta