Comentários sobre o áudio vazado de André Esteves (BTG Pactual)

Após ser humilhado pelo DEM, Maia não vai a sessão de abertura no Congresso

Por Redação

03 de fevereiro de 2021 : 18h27

O ex-presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), não compareceu a sessão de abertura dos trabalhos do Congresso Nacional realizada na tarde desta quarta-feira, 3.

Além dos parlamentares, o evento reuniu o presidente Jair Bolsonaro, os novos mandatários da Câmara e Senado, Arthur Lira (PP-AL) e Rodrigo Pacheco (DEM-MG), e o presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), Luiz Fux.

Desde a eleição na Câmara que deu vitória ao parlamentar alagoano, Maia está em silêncio.

O demista foi traído pelo núcleo do próprio partido que saiu do bloco de Baleia Rossi (MDB-SP) nas vésperas do pleito, a medida causou euforia de Maia que ameaçou deixar o partido.

Nas últimas horas o presidente Nacional do DEM, ACM Neto, e outros parlamentares tentam apagar o incêndio e convencer Maia a continuar no partido.

Apoie O Cafezinho

Crowdfunding

Ajude o Cafezinho a continuar forte e independente, faça uma assinatura! Você pode contribuir mensalmente ou fazer uma doação de qualquer valor.

Veja como nos apoiar »

6 comentários

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site O CAFEZINHO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie.

Escrever comentário »

Rex Inudotun

04 de fevereiro de 2021 às 11h01

O Capitão está engolindo todos, pouco a pouco. Vai faltar teclado para o choro.

Responder

FABIO MAIA

04 de fevereiro de 2021 às 06h57

Acolhe o aliado Rosário. O bom filho a casa retorna.

Responder

Netho

03 de fevereiro de 2021 às 22h12

Malandro é malandro; Mané é mané, já dizia o filósofo da periferia no pagode de Moreira da Silva.
Maia já havia pactuado com o PP quando da sua própria reeleição que a vez seria do PP, o partido com mais integrantes na Lista de Janot cujo rol era integrado por todos os parlamentares que recebiam mesadas da propinaria dirigida por Paulo Roberto Costa, o diretor de Abastecimento da Petrobrás indicado pelo PP.

Picado pela mosca azul típica da Brasília, Maia decidiu trair o acordo com o PP, firmado no fio do bigode com Ciro Nogueira e testemunhado por Baldry, então secretário de Dória, que é do círculo íntimo e familiar de Maia.

Maia decidiu buscar o terceiro mandato e roeu a corda do acordo com o PP, o partido mais especializado na arte da traição parlamentar.

Maia foi fatiado, salteado e marinado pelo PP.
Devidamente condenado e sentenciado pelos profissionais da picaretagem.

“Traição por traição”, diz o ditado carcamano, “O traidor entra com o pescoço. O traído com o facão”.

O ridículo da Ópera Bufa ficou com a cena roubada pelo mesmo Maia, ao chorar suas lágrimas de crocodilo, típico dos habitantes no entorno do lago Paranoá.

Responder

Paulo

03 de fevereiro de 2021 às 19h46

Bem feito! Foi um dos maiores canalhas na Reforma da Previdência e um covarde ao não ter aberto impeachment contra o Capetão. Pensou que aceitando ser pautado pela Globo, em troca de ser presença constante na platinada, teria blindagem contra tudo e todos…A vida cobra seu preço…

Responder

    Anonimos Anonimos

    03 de fevereiro de 2021 às 23h30

    A reforma poderia ter sido muito pior se o ministro fosse outro. Guedes queria ficar com o dinheiro das aposentadorias para administrar, imagina a beleza que ia ser isso

    Responder

      Paulo

      04 de fevereiro de 2021 às 17h37

      ?

      Responder

Deixe um comentário

Parlamentarismo x Semipresidencialismo: Qual a Diferença? Fernanda Montenegro e Gilberto Gil são Imortais na ABL: Diversidade Auxilio Brasil x Bolsa Família: O que mudou? As Refinarias da Petrobras À Venda pelo Governo Bolsonaro O Brasileiro se acha Rico ou Pobre?