Mais de 70% dos eleitores já estão decididos sobre o voto presidencial, diz DataFolha

Governo é pressionado a afastar mais um suspeito de roubar dinheiro da vacina

Por Redação

08 de julho de 2021 : 10h15

Nesta quinta-feira, 8, foi publicado no Diário Oficial da União (DOE) a exoneração de Laurício Monteiro Cruz, que ocupava o cargo de diretor do Departamento de Imunização e Doenças Transmissíveis da Secretaria de Vigilância em Saúde do Ministério. A baixa foi assinada pelo ministro chefe da Casa Civil, Luiz Eduardo Ramos.

O então diretor deu sinal verde para que um reverendo negociasse a cômoda de doses da AstraZeneca em nome do Governo Bolsonaro junto a Davati.

Em seu depoimento à CPI da Pandemia, o vendedor de vacinas, cabo Dominghetti, disse que três diretores da pasta estavam cientes da proposta das vacinas da AstraZeneca que seria intermediada pela empresa que ele diz representar, a Davati: O diretor de Logística, Roberto Dias, o então secretário-executivo e braço direito de Eduardo Pazuello, coronel Elcio Franco e o próprio Laurício, todos exonerados.

Em meados de fevereiro, Laurício enviou um email para o reverendo com o assunto “lista de presença e carta de proposta para fornecimento”. Na reportagem feita TV Globo, é mostrada a parte onde Laurício menciona uma proposta para fornecimento de 400 milhões de doses da AstraZeneca.

Apoie O Cafezinho

Crowdfunding

Ajude o Cafezinho a continuar forte e independente, faça uma assinatura! Você pode contribuir mensalmente ou fazer uma doação de qualquer valor.

Veja como nos apoiar »

Nenhum comentário

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site O CAFEZINHO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie.

Escrever comentário »


Deixe um comentário