Análise em vídeo das manifestações do 2 de outubro e as vaias a Ciro

Ao lado de expoentes do Centrão, Bolsonaro entrega MP do ‘novo Bolsa Família’

Por Redação

09 de agosto de 2021 : 11h36

Na manhã desta segunda-feira, 9, Jair Bolsonaro se reuniu na Câmara dos Deputados com o presidente da Casa, Arthur Lira (PP-AL), e com os ministros Ciro Nogueira (Casa Civil), João Roma (Cidadania) e Flávia Arruda (Secretaria de Governo), expoentes do Centrão, para entregar a Medida Provisória (MP) que propõe a criação do novo programa social com a digital do Governo Bolsonaro.

“Teremos um aumento de pelo menos 50% no valor do benefício”, disse Bolsonaro.

O Planalto resolveu batizar o programa de “Auxílio Brasil que, se aprovada no Congresso Nacional, deve ser implementada já a partir de novembro deste ano.

A equipe do Ministério da Economia definiu que o valor pago será de R$ 300, no cenário pessimista. Porém, o benefício pode chegar a R$400.

Apoie O Cafezinho

Crowdfunding

Ajude o Cafezinho a continuar forte e independente, faça uma assinatura! Você pode contribuir mensalmente ou fazer uma doação de qualquer valor.

Veja como nos apoiar »

3 comentários

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site O CAFEZINHO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie.

Escrever comentário »

Alexandre Neres

10 de agosto de 2021 às 00h59

Como sói acontecer, está sendo leviano mais uma vez.

Seguindo com a farsa da falsa equivalência, tentando comparar o incomparável. Não há nada que se compare a Bolsonaro.

Querer comparar o Bolsa Escola com o Bolsa-Família é risível. Lula unificou e consolidou os programas sociais, guindando-os a outro patamar, que eram incipientes e ineficazes na era FHC.

Qualquer pessoa sabe que essa questão é cara a Lula e sempre foi, querer ao menos insinuar uma espécie de oportunismo, desvela mais do caráter de quem o acusa de forma implacável.

Não à toa é fã de Sergio Morto. Não por acaso Sergio Morto não quis investigar FHC para não causar melindres, quando até os procuradores da força-tarefa queriam ao menos passar a imagem de que eram imparciais.

Uma vez caixa de ressonância da Globo, sempre estará a reproduzir balelas de forma acrítica.

Só quero deixar claro que essa pecha vai ficar marcada na sua testa para sempre, pois ano que vem haverá a batalha entre civilização e barbárie. Não há lugar para meio termo nem para inocentes. O senhor está fazendo o jogo da barbárie, pode até não estar se dando conta disso, mas está!

Responder

Valeriana

09 de agosto de 2021 às 16h26

Já existe um bolsa família e copiar o PT é feio, rs.

Responder

EdsonLuiz.

09 de agosto de 2021 às 15h08

Eles vão mudando nomes de programas que eles mesmos eram contra quando os programas foram criados.

O nome original desse programa foi Bolsa Escola.

Lula foi contra, mas assim que ganhou não conseguiu fazer o programa Fome Zero e voltou ao Programa Bolsa Escola, de que tinha sido contra. Só que mudou o nome para Bolsa Família.

Bolsonaro é a mesma coisa que Lula: era contra. Depois que ganhou quer manter o programa, mas mudar o nome para Auxílio Brasil.

Alguém devia se rebelar contra essa palhaçada de primeiro ser contra e depois, para se aproveitar, manter o programa, mas mudar o nome.

Aprovem o programa, mas acabem com essa palhaçada chamar de Bolsa Família ou de Auxílio Brasil e voltem o nome original do programa, que é BOLSA ESCOLA. Tanto que era um programa dentro do Ministério da Educação. Até isso fizeram: tiraram o programa de dentro do Ministério da Educação e colocaram no próprio colo. Não é Lula? Não é bolsonaro?

Aprovem o programa, mas com o nome original: BOLSA ESCOLA.

Responder

Deixe um comentário