Análise em vídeo das manifestações do 2 de outubro e as vaias a Ciro

Foto: ADRIANO MACHADO/REUTERS

Ex-comandante do Exército negou os pedidos golpistas de Bolsonaro

Por Redação

10 de agosto de 2021 : 10h13

Os delírios golpistas de Jair Bolsonaro é de conhecimento público e a todo momento o ex-capitão, que foi expulso do Exército por terrorismo, tenta insuflar o alto comando das Forças Armadas a embarcarem numa aventura autoritária para atender aos seus caprichos.

Em março deste ano, Bolsonaro chegou a pedir que o então comandante do Exército, gener Edson Pujol, que houvesse um desfile de tanques justamente na Esplanada dos Ministérios e no Supremo Tribunal Federal, onde está ocorrendo nesta terça-feira, 10, no dia que a Câmara vai analisar e votar a PEC do Voto Impresso.

Porém, Pujol negou o pedido feito por Bolsonaro, que queria uma “demostração de força”, e foi a partir daí que motivou a demissão do então ministro da Defesa, general Fernando Azevedo e Silva e dos três comandantes das Forças Armadas.

Nenhum deles quis embarcar nos delírios golpistas do “mau militar”, como classificou o general Ernesto Geisel em 1993. A negativa dos Militares foi motivada pelo histórico conturbado de Bolsonaro com a farda do Exército.

Em março, Bolsonaro queria bater de frente com o Supremo Tribunal Federal que permitiu os governadores agirem com autonomia no combate a Covid-19 diante da total omissão do Governo Federal.

Com informações do O Globo.

Apoie O Cafezinho

Crowdfunding

Ajude o Cafezinho a continuar forte e independente, faça uma assinatura! Você pode contribuir mensalmente ou fazer uma doação de qualquer valor.

Veja como nos apoiar »

Nenhum comentário

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site O CAFEZINHO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie.

Escrever comentário »


Deixe um comentário