Analista da Ideia fala sobre “voto útil” dos eleitores de Ciro a Lula no 1° turno

Imagem: Divulgação

Após privatização, postos da BR Distribuidora vendem a gasolina mais cara do país

Por Redação

04 de maio de 2022 : 07h46

FUP – Os postos de combustíveis da BR, que não pertencem mais à Petrobrás, vendem hoje a gasolina mais cara do Brasil. A ex-subsidiária é controlada pela Vibra Energia, que, além de ter se apropriado da maior distribuidora de combustíveis do país, ainda foi beneficiada com o direito de utilizar a marca da Petrobrás por 10 anos.

Ao comentar o fato, a representante dos trabalhadores no Conselho de Administração da Petrobrás, Rosangela Buzanelli,  lembra que a ex-subsidiária foi criada em 1971 para romper com o cartel das multinacionais e garantir a distribuição de combustíveis e lubrificantes para o nosso país. E assim atuou por várias décadas, até ser parcialmente privatizada em 2019 pelo governo Bolsonaro.

Rosangela ressalta que, ao abrir mão da BR Distribuidora, o governo entregou ao setor privado “não apenas a segunda maior empresa do Brasil, mas também a maior fatia do sétimo mercado consumidor de derivados do planeta. Inegavelmente, um “ativo de classe mundial” como os neocolonizados gostam de denominar”.

A privatização completa da empresa foi concluída em julho de 2021, com a entrega do terço final das ações da BR que ainda estavam sob controle da Petrobrás. A ex-subsidiária passou, então, a ser controlada pela Vibra Energia, mas continuou utilizando a marca BR e o nome Petrobrás nos postos. A permissão do uso da marca por 10 anos fez parte do processo de privatização, o que, na opinião de Rosangela, foi uma forma de entregar junto com a BR “a credibilidade construída em décadas, garantindo a fidelidade dos clientes e o mercado cativo. Um negócio de mãe pra filho”.

O diretor da FUP, Pedro Lúcio Goes,  em seu perfil no Twitter,  também questionou a diferença gigantesca entre o valor que a Vibra desembolsou para comprar a BR e o faturamento que obteve no ano passado, vendendo combustíveis precificados em dólar e com paridade de importação:

Marca brasileira e preços em dólar

Os postos da BR continuam usando o mesmo símbolo em seus letreiros e a mesma identidade visual nacionalista, com as cores que remetem à bandeira brasileira. O visual não mudou, mas, em compensação, o preço da gasolina disparou. “Isso é mais uma prova irrefutável privatizar faz mal ao Brasil”, ressalta a conselheira eleita, fazendo referência à campanha ao slogan dos petroleiros contra as privatizações.

“Em fevereiro, já havíamos falado sobre os preços da gasolina e do diesel cobrados pela Refinaria de Mataripe, nossa primeira refinaria, a RLAM, privatizada em dezembro do ano passado. A refinaria baiana tem, atualmente, os valores mais altos do mercado”, afirma Buzanelli.

“Esses fatos demonstram o que alertamos desde sempre: a privatização encarece os preços e piora a qualidade dos produtos e serviços. E isso já está fartamente comprovado no país, com a telefonia, boa parte do setor elétrico, abastecimento de água e saneamento básico. A política de privatizações socializa o investimento e privatiza o lucro”, alerta a conselheira da Petrobrás.

A venda da BR Distribuidora e da RLAM reforçam que a privatização da Petrobrás não é solução para o país. Quem arca com o prejuízo é a população, que paga preços dos combustíveis, cada vez mais caros, enquanto os acionistas privados da Petrobrás ficam cada vez mais ricos.

Apoie O Cafezinho

Crowdfunding

Ajude o Cafezinho a continuar forte e independente, faça uma assinatura! Você pode contribuir mensalmente ou fazer uma doação de qualquer valor.

Veja como nos apoiar »

2 comentários

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site O CAFEZINHO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie.

Escrever comentário »

Jonathan

04 de maio de 2022 às 09h53

Essa uma “fake news”, a Shell é a mais cara.

E agora…? Podemos pedir ao STF abrir um inquerito e investigar o cafezinho por divulgar “fake news”, tira-lo do ar, aplicar multa, tornozeleira no Miguel do Rosario, cadeia, ecc…como fizeram com alguns jornalistas ?

O que acham ?

Responder

Kleiton

04 de maio de 2022 às 08h33

É só comprar em outros postos.

A gasolina mais cara é a dos postos da Shell e não dá Petrobrás

Responder

Deixe um comentário

O Xadrez para Governador de Minas Gerais O Xadrez para Governador de São Paulo O Xadrez para Governador do Rio de Janeiro Novo Presidente da PETROBRAS defende preços altos Cadê o churrasco do povo, Bolsonaro? Preço explodiu! Conservadores? A atual juventude brasileira O Indulto sem Graça de Bolsonaro Os Principais Eleitores de Lula Os Principais Eleitores de Ciro Gomes Os Principais Eleitores de Bolsonaro