Mais de 70% dos eleitores já estão decididos sobre o voto presidencial, diz DataFolha

Imagem: Agência Senado

Conselho de Elegibilidade aprova o nome de Caio Paes de Andrade para assumir a presidência da Petrobras

Por Gabriel Barbosa

24 de junho de 2022 : 21h32

O Conselho de Elegibilidade da Petrobras anunciou na noite desta sexta-feira, 24, que o secretário de Desburocratização do Ministério da Economia, Caio Paes de Andrade, preencheu os requisitos para assumir a presidência da estatal.

No comunicado, o conselho afirma que a análise foi feita “com base nas regras de governança da companhia e legislação aplicável”.

Em outro trecho, a nota diz que não houve a “existência de vedações, para que a indicação do sr. Caio Paes de Andrade aos cargos de Conselheiro de Administração e Presidente da companhia seja deliberada pelo Conselho de Administração”.

Nesta semana, falamos sobre as movimentações do presidente da Câmara, Arthur Lira (PP-AL), e do ministro da Casa Civil, Ciro Nogueira (PP-PI), para emplacar o nome de Caio Paes de Andrade à presidência da petrolífera.

Leia a íntegra da nota!

Petrobras sobre manifestação do Comitê de Elegibilidade

24 de junho de 2022

A Petrobras, em continuidade ao comunicado divulgado em 21/06/2022, informa que o Comitê de Elegibilidade (CELEG) se reuniu nesta data para analisar a indicação do Sr. Caio Mário Paes de Andrade para os cargos de Conselheiro de Administração e Presidente da Petrobras com base nas regras de governança da companhia e legislação aplicável.

Foi reconhecido pelo Comitê, funcionando como o Comitê de Elegibilidade (CELEG) previsto no artigo 21 do Decreto nº 8.945/16, por maioria, o preenchimento dos requisitos previstos na Lei nº 13.303/16, no Decreto nº 8.945/16 e na Política de Indicação de Membros da Alta Administração da Petrobras, bem como a não existência de vedações, para que a indicação do Sr. Caio Mário Paes de Andrade aos cargos de Conselheiro de Administração e Presidente da companhia seja deliberada pelo Conselho de Administração.

Gabriel Barbosa

Jornalista com passagens pelo Grupo de Comunicação O POVO (Ceará), RedeTV! e Band News FM. Pós-graduando em Comunicação e Marketing Político.

Apoie O Cafezinho

Crowdfunding

Ajude o Cafezinho a continuar forte e independente, faça uma assinatura! Você pode contribuir mensalmente ou fazer uma doação de qualquer valor.

Veja como nos apoiar »

8 comentários

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site O CAFEZINHO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie.

Escrever comentário »

Adevir

25 de junho de 2022 às 23h54

Quanta inveja heim Paulo.

Responder

Galinzé

25 de junho de 2022 às 17h44

A lei era aparelhar e assaltar a Petrobrás dia e noite.

Responder

Alexandre Neres

25 de junho de 2022 às 14h38

Andressa, de boa, tu acha que vou discutir com madame?

À época do governo do PT a legislação era outra, ó ignóbil!

Um dos motivos principais do golpe de 2016 foi encher as burras das petroleiras americanas, tal qual Serra prometera anos antes.

Ocorre que o Pedro Parente aprovou um novo marco legal para a Petrobras. Concordo com ele? Não, mas que ele existe, existe.

Portanto, não pode ser ignorado solenemente, tal qual Bolsonero está empurrando uma série de pautas-bombas que irá estourar no próximo governo, desrespeitando regra previamente estabelecida.

Sou contra a paridade internacional do petróleo, mas no estado democrático de direito tem que ser aprovada primeiramente uma nova legislação disciplinando o assunto, senão a anterior continua em vigor.

Bolsonero está desmantelando as instituições por dentro, passando a boiada ao arrepio da lei.

Responder

Ary Borel

25 de junho de 2022 às 10h28

Tá complicado!
Tomara que o novo governo perceba com isso que pode fazer mudanças mais profundas.
Esse papo de instituições é balela p conter o avanço popular!

Responder

Paulo

24 de junho de 2022 às 22h30

De nada (ou pouco) adianta ter a presidência da Petrobrás se o Conselho de Administração já se convenceu de que quer lucrar (no mau sentido da palavra, em todas as suas implicações)…Todas essas privatizações brancas de estatais operam nesse esquema de propiciar lucro aos acionistas. Vejam as empresas de água e energia. Todas no mesmo diapasão…

Responder

    Paulo

    24 de junho de 2022 às 22h32

    Só lembrando que os principais acionistas são políticos e asseclas coligados…Um meio fácil de enriquecimento…

    Responder

Galinzé

24 de junho de 2022 às 22h19

Quem era do ramo eram Ademir Bendine, Paulo Roberto Costa, Cerverò e Renato Duque….kkkkkkk

Responder

Alexandre Neres

24 de junho de 2022 às 21h44

E ainda tem quem acredite que as instituições estão funcionando normalmente no Brasil.

O cara não é do ramo. Não reúne os pré-requisitos básicos para ser guindado ao cargo.

O Brasil atual é repugnante, dá asco na gente!

Responder

Deixe um comentário

O Xadrez para Governador do Ceará Lula ou Bolsonaro podem vencer no 1º turno? O Xadrez para Governador de Santa Catarina