Mais de 70% dos eleitores já estão decididos sobre o voto presidencial, diz DataFolha

Imagem: Divulgação

Pesquisa Genial/Quaest confirma liderança de Haddad, estagnação de Tarcísio e melhora de Garcia

Por Gabriel Barbosa

07 de julho de 2022 : 08h34

Nesta quinta-feira, 7, foi a vez da Genial/Quaest divulgar o levantamento de intenção de voto para o governo de São Paulo. A pesquisa confirma a liderança do ex-prefeito Fernando Haddad (PT) na corrida pelo Palácio dos Bandeirantes.

No cenário com o ex-governador Márcio França (PSB), o petista registra 29% das intenções de voto contra 18% do socialista. O ex-ministro Tarcísio Freitas (Republicanos) tem 12% e o atual governador Rodrigo Garcia (PSDB) 8%. Branco/Nulo 17% e Indeciso 11%.

Sem França, Haddad chega a 35% das menções ante 14% de Tarcísio e 12% de Garcia. Os dois estão empatados tecnicamente na segunda colocação. Felício Ramuth (PSD) e Vinícius Poit (Novo) com 2%, cada. A margem de erro da pesquisa é de 2,4 pontos percentuais.

Também com a saída de França, o índice de Branco/Nulo salta para 24% e Indecisos 12%. Outro ponto observado com a ausência do ex-governador é o crescimento de Garcia fora da margem. Enquanto Tarcísio e Haddad oscilam, o tucano sobe quatro pontos.

A melhora de Garcia no jogo eleitoral tem relação com as expectativas da população paulista com seu governo. Vale lembrar que ele assumiu o executivo estadual em abril, no lugar de João Dória (PSDB).

A pesquisa detectou que entre maio e julho, a expectativa de que o tucano fará um governo melhor do que Dória subiu de 29% para 36%.

“Expectativa que se constituiu principalmente no interior do Estado. Na capital e na Metropolitana não há evidência de mudança dessa percepção. Mas no interior, saiu de 29 para 39% quem acha que o Garcia será melhor que o Dória”, observa o CEO da Quaest, Felipe Nunes.

A rejeição também foi um ponto analisado pela pesquisa. Neste quesito, Haddad é o mais rejeitado com 49% dos entrevistados afirmando que “conhece e não votaria”. Garcia é rejeitado por 18% dos paulistas e Tarcísio 15%.

A Genial/Quaest também simulou com apoios presidenciais. Enquanto Haddad praticamente fica estagnado com o apoio de Lula/Alckmin, Tarcísio sai de 15% (sem apoio) para 28% quando apoiado por Jair Bolsonaro.

Mas por outro lado, a pesquisa também revela que 39% dos eleitores paulistas preferem que vença um governador que não seja ligado a Lula ou Bolsonaro. Um candidato lulista é o predileto de 30% e bolsonarista por 27%. Sem duvida que esse cenário interessa a Garcia.

A pesquisa Genial/Quaest foi realizada entre os dias 1° e 4 de julho de 2022 com 1.640 entrevistas presenciais em 76 municípios paulistas. A margem de erro estimada é de 2,4, com nível de confiabilidade de 95%. A pesquisa está registrada no TSE BR-03964/22 e SP-05318/22.

Gabriel Barbosa

Jornalista com passagens pelo Grupo de Comunicação O POVO (Ceará), RedeTV! e Band News FM. Pós-graduando em Comunicação e Marketing Político.

Apoie O Cafezinho

Crowdfunding

Ajude o Cafezinho a continuar forte e independente, faça uma assinatura! Você pode contribuir mensalmente ou fazer uma doação de qualquer valor.

Veja como nos apoiar »

4 comentários

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site O CAFEZINHO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie.

Escrever comentário »

Paulo

07 de julho de 2022 às 19h25

Passei hoje por quatro municípios aqui da minha Região e há obras viárias de envergadura e estradas sendo recapeadas por todo lado. Fora o Bom Prato, lotado, sempre, onde se come boa comida a R$ 1,00 ou até de graça, para morador de rua. Sei não se o sargento Garcia não leva essa, viu!?

Responder

Paulo

07 de julho de 2022 às 19h19

Não passarão. Petistas, fiquem fora de São Paulo!

Responder

Marcos Tiburcio

07 de julho de 2022 às 17h26

Uma coisa que chama a atenção, e não foi tratada na matéria, é o fato da espontânea dar Tarcísio com 7% e Haddad com 5% e 81% de indecisos. Ou seja, mesmo sendo menos conhecido, o Tarcísio é mais lembrado em um momento em que a grande maioria das pessoas ainda não teria o voto definido na cabeça.

Além disso, com 49% de rejeição para Haddad parece ser complicado levar essa em um segundo turno.

Em suma, os números que – à primeira vista – parecem positivos para o Haddad, se olhados com atenção levam a um contexto difícil para o candidato.

Responder

alex

07 de julho de 2022 às 10h42

Tarcisio ganha facil diante essas duas nulidades, um poste de lavado de dinheiro e uma especie de Felipe Massa.

O Barrichello jà cascou fora, nao quis correr o risco de chegar segundo ? Kkkkkkkkkkkkk

Responder

Deixe um comentário

Por que devemos confiar nas Urnas Eletrônicas? Viaje no Universo Profundo com o Telescópio James Webb O Xadrez para Governador do Ceará