Mais de 70% dos eleitores já estão decididos sobre o voto presidencial, diz DataFolha

Imagem: Reprodução

Haddad diz que é contra venda da Sabesp, mas favorável a privatização da Ceagesp

Por Redação

08 de agosto de 2022 : 09h58

Na noite deste domingo, 7, o candidato a governador de São Paulo, Fernando Haddad (PT), disse que é contra a proposta de privatizar a Companhia de Saneamento Básico do estado (Sabesp), mas que é favorável a privatização da Companhia de Entrepostos e Armazéns Gerais (Ceagesp).

Durante o debate na Band, o petista disse que privatização e estatização “não é uma questão dogmática”. Ele responsabilizou o fracasso do plano de privatização aos constantes conflitos políticos entre Jair Bolsonaro e o ex-governador João Dória.

“Tem empresas que podem e devem ser privatizadas. Eu mesmo, quando prefeito de São Paulo, defendi a privatização da Ceagesp, por exemplo, que estava estabelecido no plano de privatização e, em virtude da briga do Doria e do Bolsonaro, acabou não sendo realizada”, disse o candidato do PT.

“Seria um grande ganho para São Paulo, inclusive, mudar a Ceagesp de lugar, levar os empregos da Ceagesp para Perus, e abrir a Vila Leopoldina para um bairro conectado com a revolução tecnológica que está em curso”, completou.

Apoie O Cafezinho

Crowdfunding

Ajude o Cafezinho a continuar forte e independente, faça uma assinatura! Você pode contribuir mensalmente ou fazer uma doação de qualquer valor.

Veja como nos apoiar »

4 comentários

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site O CAFEZINHO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie.

Escrever comentário »

Nelson

10 de agosto de 2022 às 23h06

Prestes a completar 94 anos de idade, o linguista e filósofo estadunidense, Noam Chomsky, já foi eleito várias vezes o intelectual vivo mais influente do planeta. Ele é, também, se não o mais, um dos mais bem informados intelectuais.

Em entrevista concedida há poucos meses, Chomsky nos trazia números gigantescos a explicitarem, contundentemente, que as privatizações não trazem qualquer benefício à esmagadora maioria do povo.

A verdade é que somente um contingente ínfimo, que nem perto de 0,5% da população chega é que ganhou, ganha e vai continuar ganhando com as privatizações. “Coincidentemente”, ganham apenas aqueles que já são ricos, milionários ou bilionários.

Conforme Chomsky, nos últimos 40 e tantos anos nada menos de US$ 70.000.000.000.000 (resolvi escrever assim para que o leitor possa ter uma dimensão do tamanho do valor) em patrimônio e riquezas pertencentes a inúmeros povos pelo mundo afora foram retirados das mãos desses povos e transferidos para o controle de grupos privados.

Um outro parâmetro também nos dá uma ideia do tamanho desse valor. Os US$ 70 bilhões são equivalentes a nada menos de 50 anos de PIB do Brasil, um país que tem uma das maiores economias do planeta

Também há 40 e tantos anos os países ricos, notadamente por meio do duo FMI/Banco Mundial, passaram a impor as políticas neoliberais por quase todo o mundo, o “Estado mínimo”, sendo as privatizações as medidas principais. Para o bem de seus povos, alguns governos, como o da China e da Coreia do Sul, não caíram nesse conto de sereia, se recusando a adotar tais políticas.

Isto mesmo. Por meio das privatizações, grandes grupos privados surrupiaram, pilharam, rapinaram, uma montoeira de povos pelo mundo afora. Bem, lembras da espessa propaganda a favor das privatizações? Propaganda que nos prometia que passaríamos a viver em um quase-paraíso se tudo entregássemos às supostas maiores competência e eficiência da empresa privada.

Os liberais e neoliberais, todos eles supostamente democratas empedernidos, mas, cujo amor pela democracia não resiste a sua paixão pelo capitalismo sem peias, daí que não hesitem em apoiar ditaduras, se mancomunaram no roubo das riquezas pertencentes aos povos.

Diante de número tão impactante, a tendência é de que você conclua que todos os cidadãos e cidadãs desse nosso mundão, sem exceção, passaram a desfrutar do básico para viverem uma vida digna: saúde pública de qualidade, educação pública de qualidade, saneamento, moradia digna, empregos em profusão.

Tudo o que o Estado viesse a arrecadar com as privatizações iria ser transformado em benesses sem fim para o povo, diziam os privatistas, enfaticamente. Mentira deslavada. O tempo passou e não entregaram o que prometeram. Pelo contrário, seguiram tirando, tirando e tirando, cada vez mais dos povos que aceitaram a imposição do “Estado mínimo”.

A privatização foi, possivelmente, a principal responsável pelo aumento brutal da concentração de renda no planeta. Em 2014, chegou o momento em que o 1% mais rico do planeta passou a desfrutar de uma quantidade de riqueza maior que a dos restantes 99%. Algo impensável, insustentável, absurdo, ignominioso.

Então, eu digo que o senhor Haddad está totalmente equivocado. Não há privatização que traga benefícios ao conjunto da população. O candidato do PT deveria saber disso e deixar de vir expressar sua conformidade com as privatizações.

Responder

Paulo

08 de agosto de 2022 às 20h04

Nessa eu concordo com o Andrade. Revitalizem a Vila Leopoldina que está degradada! Transfiram e privatizem a CEAGESP! Agora, entregar água, luz, gás, petróleo, energia aos empresários NÃO!

Responder

Ronei

08 de agosto de 2022 às 17h30

Esse equinoide não sabe nem se o nome dele é Luis Inácio ou Fernando e quer ser Governador de que ?

Responder

Kleiton

08 de agosto de 2022 às 16h19

Haddad é Lula, Lula é Haddad….kkkkkk

Um sujeito (completamente retardado) que se presta a entregar a própria cara para outra pessoa tem problemas claros de personalidade, aínda não se encontrou e precisa claramente de uma ajuda psicológica e por tanto não pode ser levado a sério para nada.

Responder

Deixe um comentário