Mais de 70% dos eleitores já estão decididos sobre o voto presidencial, diz DataFolha

Imagem: Divulgação/BBC

Marina lembra tolerância religiosa nos governos de Lula: “Nunca fechou igrejas”

Por Redação

22 de agosto de 2022 : 09h08

A ex-senadora e candidata a deputada federal, Marina Silva (REDE-SP), fez duras críticas à instrumentalização da fé por partidos e candidatos ligados a Jair Bolsonaro (PL). Como se sabe, Marina é evangélica.

Para a ex-ministra, existe uma “manipulação perversa” por parte da campanha de Bolsonaro. Na avaliação de Marina, essa realidade é “péssima para a fé e é péssima para a política. A declaração foi dada em entrevista a GGN.

“Quando alguém mentirosamente diz que, se o presidente Lula ganhar as eleições, ele vai fechar as igrejas, isso é uma forma mentirosa que desabona a própria fé. Lula esteve no governo por dois mandatos, nunca fez isso”.

Por fim, Marina declarou que não se pode tratar o “povo evangélico como se ele fosse homogêneo, pois não existe essa homogeneidade no segmento. Existem diferenças, abordagem diferentes”.

“Eu sou evangélica da Assembleia de Deus. Nas campanhas que fiz, uns diziam que eu era fundamentalista e outros, que eu era uma falsa crente. Isso foi muito complicado”.

Apoie O Cafezinho

Crowdfunding

Ajude o Cafezinho a continuar forte e independente, faça uma assinatura! Você pode contribuir mensalmente ou fazer uma doação de qualquer valor.

Veja como nos apoiar »

3 comentários

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site O CAFEZINHO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie.

Escrever comentário »

Denílson Jesus

26 de agosto de 2022 às 09h48

A Marina omite que ela e seus marxistas de estimação também NUNCA reprovaram os governos de esquerda que não só fecham igrejas, mas perseguem e matam cristãos e outras minorias. Como o Lula bem disse, “A China é um modelo. O Estado manda e o cidadão tem que obedecer”.

Responder

Tony

22 de agosto de 2022 às 11h53

Liberdade religiosa é uma coisa, jà a tolerancia é outra….

Nem o portugues basico conheçem estas Dilmas…kkkkkkkkkkk

Responder

Kleiton

22 de agosto de 2022 às 10h07

Isso mesmo,

tolerar = não gostar mas suportar, se entregaram de bandeja…kkkkkkk

Idiotas a enésima potência extragalctica…kkkkkkk

Responder

Deixe um comentário