Mais de 70% dos eleitores já estão decididos sobre o voto presidencial, diz DataFolha

Imagem: Divulgação

CEO da Quaest avalia entrevista de Bolsonaro no Jornal Nacional

Por Redação

23 de agosto de 2022 : 08h18

Por Felipe Nunes

Por meio de nosso sistema de monitoramento de redes, acompanhamos em tempo real a entrevista do presidente Bolsonaro ao JN. Os dados da Quaest revelam que, na média, 9 milhões de pessoas foram impactadas com postagens sobre a entrevista durante sua exibição.

Os 3 momentos em que o presidente recebeu mais críticas nas redes foram: (1) quando tratou de urnas e golpe, (2) pandemia e (3) corrupção.

Os 3 momentos em que o presidente se saiu melhor foram: (1) no debate com Bonner sobre Moraes canalha, (2) quando assumiu compromisso com o resultado da eleição, e (3) ao responder Bonner sobre o sua aliança com o centrão.

Na média, Bolsonaro obteve 35% de menções positivas, contra 65% de menções negativas considerando todo o período da entrevista.

Abaixo, as palavras mais citadas pelas pessoas que comentaram o debatem. Entre elas, ‘mentiroso no JN’, ‘governo sem corrupção’, ‘Bonner e Renata’ e ‘Fake News’.

Apoie O Cafezinho

Crowdfunding

Ajude o Cafezinho a continuar forte e independente, faça uma assinatura! Você pode contribuir mensalmente ou fazer uma doação de qualquer valor.

Veja como nos apoiar »

2 comentários

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site O CAFEZINHO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie.

Escrever comentário »

Efrem Ventura

23 de agosto de 2022 às 14h10

O que a Globo faz é imundicia pura, é a eleite das elites cuidando dos proprios interesses economicos e nada mais.

Ontem assistì a dois palhaços sem intençao nenuma de levar algo aos brasileiros mas fazendo umpapel ridiculo…nenhuma pergunta, sò afirmaçoes, caretas, pseudo dramas, insinuaçoes,fofoquinhas mongolas, pseudo escandalos…o nada absoluto.

Uma palhaçada de nivél bananeiro, uma previa da novela…mas é o que os brasilerios gostam e mercem.

Responder

Sá Pinho

23 de agosto de 2022 às 12h30

Não é necessária avaliação de CEO da Quaest e menos ainda 40 minutos de JN, meia mentira basta, para saber-se que Bolsonaro, enquanto presidente desgovernante do país, não passa de um ‘bolsonaroso’ incompetente, farsa encarnada e alegórica da fakenews, a mentira travestida em verdade paralela.

Responder

Deixe um comentário