A incoerência do PSDB imposta pelo mercado | O Cafezinho

O Cafezinho

terça-feira

13

junho 2017

18

COMENTÁRIOS

A incoerência do PSDB imposta pelo mercado

Escrito por , Postado em Luis Edmundo Araujo



Foto: Fabio Rodrigues Pozzebom/Agência Brasil

“Com certeza há uma incoerência nisso, mas foi a história que nos impôs. Esse não é o meu governo, nem o governo dos meus sonhos. Não votei nele (Temer) nem nela (Dilma)”.

A declaração acima é do senador Tasso Jereissati, presidente interino do PSDB na ausência do suspenso Aécio Neves, para justificar as últimas decisões do partido.

O PSDB entrou com a ação para cassar a chapa de Dilma Rousseff e Michel Temer só para “encher o saco” do PT, como revelou Aécio Neves. Depois da derrota nada lamentada no Tribunal Superior Eleitoral (TSE), os tucanos fecharam apoio a Temer e ao mesmo tempo decidiram recorrer da absolvição do presidente.

“Estamos juntos para dar a estabilidade que o país precisa”, continuou Jereissati. E para os tucanos a tal estabilidade será conquistada com as reformas trabalhista e previdenciária, além do congelamento dos gastos públicos.

Que a economia nacional seja entregue à regência do mercado, isso é o mais importante, com Temer ou sem Temer. E se no caminho acelerado até o objetivo final algo parecer incoerente, sem nexo nem sinceridade, haverá sempre alguém como Jereissati para, afinal de contas, culpar a história.

Abaixo, a matéria do Jornal do Brasil

O presidente nacional interino do PSDB,  senador Tasso Jereissati (CE), disse na noite de segunda-feira (12) que o partido segue na base de apoio ao governo Michel Temer, mas que serão feitas avaliações diárias dos cenários políticos.

Contudo, Tasso defendeu que o partido recorra da decisão do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), que absolveu a chapa Dilma-Temer. Ele disse que os advogados do partido vão aguardar a publicação do acórdão e depois submeter a decisão à executiva.

“Eu, como presidente, penso que devemos recorrer. O advogado quer esperar a publicação (do acórdão). Vamos continuar no governo Temer, sem deixar de lado as nossas convicções. E eu estou convicto de que houve corrupção na eleição de 2014”.

Perguntado se essa posição não seria incoerente, o tucano reconheceu que sim, mas que prefere seguir suas convicções. “Com certeza há uma incoerência nisso, mas foi a história que nos impôs. Esse não é o meu governo, nem o governo dos meus sonhos. Não votei nele (Temer) nem nela (Dilma). Estamos juntos para dar a estabilidade que o país precisa. Estaria mais confortável com alguém do PSDB (na Presidência)”.

Aliança

“Vamos avaliar (o governo) diariamente. Todos os dias têm surgido fatos novos e vamos estar atentos”, disse o senador ao final da reunião da executiva nacional, que durou mais de seis horas.

Segundo Jereissati, não houve deliberação do partido sobre a permanência no governo, mas a maioria da legenda entende que um eventual desembarque agora iria prejudicar as reformas. “O partido está unido, mas tem divergências. O partido não tem dono, nem é autoritário. Quem é mais velho lembra que já tivemos crise e no momento exato seguiremos unidos”, disse.

Denúncia

Sobre uma eventual denúncia da Procuradoria-Geral da República contra o presidente Michel Temer, Jereissati disse que o partido não fechará questão e os deputados ficarão livres para votar (a Câmara é quem decide se autoriza a abertura do processo de investigação contra o presidente). “Vai ser uma decisão da Câmara e cada deputado vai votar da maneira que quiser. Não existe nada de fechar questão em relação a isso. A bancada tem opiniões diferentes, vai ser um voto de consciência e não uma decisão partidária. Se tiver um acontecimento muito grave, a opinião vai ser diferente e vamos chamar a bancada e conversar sobre isso”, disse.

Luis Edmundo

editor associado em O Cafezinho
Luis Edmundo Araujo é jornalista e mora no Rio de Janeiro desde que nasceu, em 1972. Foi repórter do jornal O Fluminense, do Jornal do Brasil e das finadas revistas Incrível e Istoé Gente. No Jornal do Commercio, foi editor por 11 anos, até o fim do jornal, em maio de 2016.

terça-feira

13

junho 2017

18

COMENTÁRIOS

Se você fizer login como assinante do Cafezinho ou usando sua rede social, o comentário será aprovado automaticamente.

18 Comentários em "A incoerência do PSDB imposta pelo mercado"

Avise-me quando
avatar
Visitante

Nunca foi tão verdadeiro vo ditado me diga com quem andas que te direis quem és.

PEDRO AUGUSTO MACHADO
Visitante

PSDB, A MAIOR QUADRILHA PARTIDÁRIA DO BRASIL

Visitante

Não votou no Temer, claro, votou no Aécio, o dos esquemas.

Visitante
Visitante

Eles nào podem ser oposição de um Governo que está propondo tudo que eles sempre sonharam. Não faz sentido saírem.

Visitante

Claro, ele votou no futuro presidiário, o narcosenador do PSDBosta.

Visitante

PSDB sempre foi coerente como estafeta do Sr Mercado! FHC sempre foi coerente em ser seu porta voz…

Visitante

Não existe incoerência. O PSDB é assim. A lógica da corrupção não admite incoerência.

Visitante

É o PSDB fechando acordo para salvar o Aécio e as reformas que tiram direitos.

Visitante

Os salvadores da Pátria…Desde a muitos tempos…kkkkk…

Visitante

Jereissati é um excremento, um dejeto da raça humana !….

Visitante

O único erro da Dilma foi colocar esse GOLPISTA como vice.A cobra deu o bote..

Visitante

PSDB e PMDB cometeram Suicídio político coletivo.

Visitante

Tomara….

Visitante

Corrupção paraense muito bem representada…nessa foto cheia de ladroes…

Visitante

Safado esse aí o irmão ganhou bilhões na privataria do fhgagac!!

Visitante

E para quem acha que o PSDB é democracia, fica a pecha de neoliberal entreguista consumado.

Visitante

Fora o BUNDAMOLISMO de sempre

wpDiscuz