Mais de 70% dos eleitores já estão decididos sobre o voto presidencial, diz DataFolha

A Globo no Panamá, parte II

Por Miguel do Rosário

06 de dezembro de 2013 : 16h41

O Brito seguiu o conselho dos veteranos do jornalismo investigativo (“follow the money”) e, farejando os negócios da Globo no Panamá, levantou outras aventuras financeiras dos irmãos Marinho com os mesmos parceiros com os quais abriram uma firma naquele país.

Convenhamos, é uma investigação muito mais interessante do que ir fuçar quem são e como vivem um dos sócios panamenhos de um hotel em Brasília, só porque o hotel cogitava empregar José Dirceu (e não vai mais, porque Dirceu desistiu).

*

O homem do Panamá e a grana da Globo na Fórmula-1 em São Paulo. Conta essa, Galvão…

Por Fernando Brito, no Tijolaço.

Ontem, o Miguel do Rosário levantou a história da Chibcha Investment Corporation, empresa criada no Panamá  por dois dos três filhos de Roberto Marinho, pelo diretor da Globo e filho do Ministro do Exército de José Sarney – então presidente da República, que Deus se apiede de nós – e por um certo José Manuel Aleixo, sobre quem Rosário não conseguiu informações.

Mas o leitor CW (preservo-lhe o nome ) conseguiu.

Aleixo foi diretor financeiro da Globo e, depois, virou seu sócio na Interpro- International Promotions, com os dois – só dois – filhos de Marinho: João Roberto e Roberto Irineu.

Isso em fevereiro de 2005, numa empresa para fazer “stands” de feira, que “pobreza” para seu capital de quase R$ 40 milhões!

Ocorre que quinze dias antes  fora criada uma pequena empresa, a Intergroup Promoções e Eventos, com apenas R$ 8 mil de capital social, também para o mesmo fim.

Pertencia a Thomas Rohonyi, ex-representante da Associação de Construtores da Fórmula-1 – a famosa FOCA, de Bernnie Ecclestone , e diretor  há muitos anos do GP do Brasil . Outra Rohonyi, Rosali, com 5% do capital.

Daí o que acontece? a Intergroup de Rohonyi  é incorporada, baratinho, pela Intergroup dos Marinho.

E a sra. Claudia Hamada Macia Ito é designada diretora da empresa incorporada e Diretora Executiva do Grande Prêmio do Brasil…

E vocês achando que era o Sebastian Vettel que estava ganhando muito na Fórmula-1…

PS. Um depoimento pessoal: o Rio perdeu a Fórmula-1 porque Brizola não quis que se aceitasse o achaque dos organizadores sobre o dinheiro público, nos anos 80. Inocentemente, não sei o que a Foca exige da Cidade e do Estado de São Paulo para ficar com o GP.

bessinha-2-2

Miguel do Rosário

Miguel do Rosário é jornalista e editor do blog O Cafezinho. Nasceu em 1975, no Rio de Janeiro, onde vive e trabalha até hoje.

Apoie O Cafezinho

Crowdfunding

Ajude o Cafezinho a continuar forte e independente, faça uma assinatura! Você pode contribuir mensalmente ou fazer uma doação de qualquer valor.

Veja como nos apoiar »

Nenhum comentário

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site O CAFEZINHO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie.

Escrever comentário »


Deixe um comentário

O Xadrez para Governador do Ceará Lula ou Bolsonaro podem vencer no 1º turno? O Xadrez para Governador de Santa Catarina