Análise em vídeo das manifestações do 2 de outubro e as vaias a Ciro

Emediato, aos 30, quando lançou seu romance que agora virará filme

Estadão ataca dono da única editora que publica livros críticos ao PSDB

Por Miguel do Rosário

06 de junho de 2014 : 22h18

A guerra promete ser dura. A velha mídia está usando, sem nenhum escrúpulo, toda a sua estrutura de reportagem para atacar aqueles que, de alguma maneira, produzem conteúdo crítico ao PSDB.

A bola da vez agora é Luiz Fernando Emediato, proprietário da Geração Editorial, que editou os livros Privataria Tucana, sobre as roubalheiras do PSDB por trás dos processos de privatização, e o Príncipe da Privataria, que aborda o escândalo da compra de votos para reeleição de Fernando Henrique.

Emediato é escritor, um excelente escritor, aliás, com vários prêmios literários e um prêmio Esso. Escreveu livros dos 16 aos 30, parou e voltou agora a fazê-lo, aos 62. E entrou também no mundo do cinema, como produtor.

A ironia é que Emediato tem uma história profissional no Estado de São Paulo, tendo sido o criador do Caderno 2.

Sua principal reclamação é que a reportagem não inseriu nenhum de seus esclarecimentos.

Trecho:

Como a imprensa é livre em nosso país, o jornal tem o direito de escrever o que quiser, resultado de boa ou má apuração dos fatos. Mas tinha também a obrigação moral de registrar meus esclarecimentos, mesmo duvidando deles.

Ao agir assim, o Estadão faz sua parte na nova estratégia da direita. O jornal tenta asfixiar economicamente qualquer esforço para se produzir informações e cultura que fujam da cartilha da grande mídia. Da nossa mídia antidemocrática, oligopolista e que se consolidou durante a ditadura.

Eu já assisti a algumas edições do filme produzido por Emediato, e baseado em seu livro, para o qual ele tenta obter patrocínio. Trata-se de um belíssimo longa-metragem sobre as origens de Brasília, do ponto-de-vista de uma família de trabalhadores.

Agora só falta essa. Além de tentar asfixiar os blogs, a mídia também se esforçar para bloquear iniciativas culturais importantes, sempre por causa de sua maldita obsessão pelo poder. Obsessão que antes os fez conspirar para derrubar um governo democrático, e que agora os faz perseguir os “dissidentes” de um pensamento que eles crêem ser o único permitido.

O texto do Emediato:

*

“A meus amigos:

O jornal “O Estado de S. Paulo” – onde trabalhei durante 10 anos, de 1978 a 1988 e onde ganhei o Prêmio Esso de Jornalismo e vários outros prêmios – publicou em sua edição de quinta-feira, dia 5, uma equivocada e insultuosa reportagem a meu respeito. Como não tenho nada a temer, compartilho com vocês o texto do jornal. http://economia.estadao.com.br/noticias/geral,integrante-do-fi-fgts-pede-ajuda-a-empresas-imp-,1505788

A reportagem usa fatos verdadeiros, que não desminto, mas em contexto malicioso, afirmando que posso estar utilizando minha condição de membro do Fundo de Infra-estrutura do FGTS – FIF-GTS para solicitar favores a empresas para o patrocínio de filme baseado em obra literária minha. Só me faltava essa: pedir migalhas para apoiar projetos milionários, mas de interesse do Brasil. Com um voto entre 12, para referendar escolha já aprovada pelos técnicos de banco estatal, a Caixa Econômica Federal. Não faz muito sentido, mas o jornal – ou seus jornalistas – assim consideram.

Trata-se de rematada tolice.

O alvo aí não sou eu, mas o Comitê de Crédito do FI-FGTS, que está sob bombardeio de empresas contrariadas em seus interesses e possivelmente de políticos de menor envergadura, com suas práticas de sempre.

O filme baseado em meu livro – como é público – está pronto, para estrear em outubro, e, como é praxe, conta com apoio – evidentemente solicitado pelos produtores – de várias empresas privadas e estatais.

O jornal “O Estado de S. Paulo” afirma textualmente que “Emediato procurou este ano as duas maiores construtoras do país para pedir recursos para o filme: a Odebrecht e a Camargo Correa”.

De fato, como previsto na Lei do Audiovisual e autorizado pela Agência Nacional de Cinema – Ancine, os produtores do filme enviaram solicitações de patrocínio a mais de 200 empresas, desde 2007, quando o FI-FGTS o FI nem existia. Entre elas, obviamente, as duas construtoras citadas, o que elas confirmaram. Confirmaram também que não apoiaram o filme.

O jornal afirma ainda que o filme conta com patrocínio do Banco Original, do Grupo JBS, cuja coligada, Eldorado Brasil Celulose, recebeu investimento do FI-FGTS quando eu era membro do Comitê de Crédito, pelo governo. É verdade, mas era membro suplente e quem votou a favor do projeto – que estava há meses aguardando deliberação – foi o membro titular do Comitê.

Outras – às quais os produtores do filme, insisto, solicitaram apoio desde 2007, estão aguardando que a Caixa Econômica Federal encaminhe aos membros do FI seus pedidos de apoio. Quando isso acontecer – se acontecer e eu estiver ainda no colegiado – votarei tecnicamente.

Todas essas informações foram prestadas ao jornal, que as ignorou. Como é de praxe, enviarei protesto ao jornal “O Estado de S. Paulo”, que poderá ignorá-lo ou publicar, discretamente, na seção de Cartas dos Leitores, nem sempre lida pelos que tomaram conhecimento da reportagem.

Só posso lamentar que o grande jornal onde passei 10 anos maravilhosos de minha vida profissional faça isso com quem – como eu – não tem nada a temer. Só quem não conhece o tema e não me conhece pode imaginar que eu votaria a favor de um projeto qualquer em troca de tão singelo benefício. Quem estuda e combate a corrupção – essa praga que flagela nosso país e nossos costumes – sabe muito bem como são os procedimentos para se obter fortunas de conglomerados econômicos. Isso não é feito às claras – como buscando patrocínios legais para obras de arte – mas na calada da noite e nos porões dos paraísos fiscais.

Como a imprensa é livre em nosso país, o jornal tem o direito de escrever o que quiser, resultado de boa ou má apuração dos fatos. Mas tinha também a obrigação moral de registrar meus esclarecimentos, mesmo duvidando deles.

LUIZ FERNANDO EMEDIATO

Emediato, aos 30, quando lançou seu romance que agora virará filme

Emediato, aos 30, quando lançou seu romance, Trevas no Paraíso, que agora virará filme

Miguel do Rosário

Miguel do Rosário é jornalista e editor do blog O Cafezinho. Nasceu em 1975, no Rio de Janeiro, onde vive e trabalha até hoje.

Apoie O Cafezinho

Crowdfunding

Ajude o Cafezinho a continuar forte e independente, faça uma assinatura! Você pode contribuir mensalmente ou fazer uma doação de qualquer valor.

Veja como nos apoiar »

12 comentários

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site O CAFEZINHO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie.

Escrever comentário »

Kennedy Santos

08 de junho de 2014 às 03h46

Dilma Rousseff, acaba logo com os subsídios ou repasses de verbas para esta mídia. Chegou a hora de ser feliz. Direciona também esta grana para saúde e educação.

Responder

Milton Couto

07 de junho de 2014 às 18h51

Tendencioso ….

Responder

sergio m pinto

07 de junho de 2014 às 12h54

Vamos lá, Emediato. Não se oxigena o cenário político-midiático do Brasil sem luta! Pena que os dois ministérios que poderiam ajudar nisso são tocados pelos petistas mais tucanos do partido.

Responder

Gerson

07 de junho de 2014 às 12h24

Enquanto isso, boa parte das verbas federais para o cinema são abocanhadas pela Rede Bobo. O cinema brasileiro está virando uma extensão das novelas da Rede Bobo (mesmos atores, mesmos diretores e historinhas bobas e fúteis – com raras exceções). E o pior, financiado pelo governo federal.

Responder

Vera Lúcia Piesanti Molinar

07 de junho de 2014 às 11h35

por essas e outras que suas tiragens estão despencando! “Democratas” de uma via só!

Responder

Luiz Augusto Carvalho

07 de junho de 2014 às 09h59

Claudio Rodrigues, Marcos Dadario

Responder

Odenir Batista

07 de junho de 2014 às 09h35

Só podemos dizer: Jornal “O Estrago” de São Paulo … ops escapou o Livro de Graça => http://pt.calameo.com/read/001949096b859e579c534

Responder

Totiy Coutinho

07 de junho de 2014 às 04h44

esse cara foi oquem criou o caderno 2 !!!!!

Responder

tom

06 de junho de 2014 às 23h35

porque vc emediato em vez de fazer esse filme sobre seu livro pq não faz um filme contando os bastidores podres desse jornalzinho inclusive do seu dono , pode até inventar alguns fatos no filme sem se preocupar , pois essa midia adoradora do lucifer , inventa noticias há muito tempo

Responder

Mauro Coelho

07 de junho de 2014 às 02h23

kkkkkkkkkkkkkkk Novidade!

Responder

enganado

06 de junho de 2014 às 23h20

Essa eleição está sendo maravilhosa porque a nossa vagabunda e ordinária Mídia está mostrando para o veio. O pano da cortina caiu de vez, coisa que muito brasileiro nem desconfiava e ainda duvidava qdo lhes eram relatados da verdade dos fatos. Vejamos o Aébrio Canabrava meteu a porrada na moçoila (e a moçoila nele) que o acompanhava em um evento da Calvin Klein, piscina do hotel Fasano-RJ/RJ. Então quem soube do fato e publicou não teve coragem de citar o nome do Aébrio, daí se percebe o qto esses pilantras=mídia dominam/amedrontam a mente dos incautos.
Caro Emediato, todos sabemos que as ordens que emanam da Casa do Terror=Casa Branca e que a Mídia Anglo-Sionista dos EUA, a que manda na Mídia daqui, não engoliu a não visita da Dilma a Casa do Terror (sr. Snowden) e até a compra dos Caças Gripen. Também a Mídia daqui já recebeu a Ordem de tirar o PT do governo, custe o que custar e também não importando a preço que a coisa vai sair. A coisa tem que ser feita nos moldes da UScrânia, pronto e está acabado, porque quem morrerá vai ser o Zé Povinho-PT e as forças armadas vão obedecer muito mais que o exército da ex-Ucrânia. Por que? 1ª coisa, acabar BRICS (tirar o BRASIL)! A coisa econômica está fedendo para os EUA/UE/OTAN. 2ª coisa, acabar com o MERCOSUL. 3ª) Obrigar o BRASIL a OBEDECER a OEA. 4ª) Assinar a ALCA, pouco se importando o qto de prejuízo para o BRASIL. Tem muito mais coisas que o BRASIL anda fazendo que está atravessado na garganta desses judeuSS. Não dá para escrever tudo que sei, mas leia esse livro do maior Patriota que nós tivemos: O Soldado sem Farda – Gustavo Barroso_ livro : BRASIL – Colônia de Banqueiros. Esse cara é PROIBIDO até nas calçadas próximas a Rede Globo. Leia ainda os PROTOCOLOS DOS SÁBIOS DO SIÃO, aí sim começará a tomar pé do vem por aqui no BRASIL. Afirmo: vai ter porrada no povo sim! Espere porque vamos ser amansados como Líbia/Gaza/Cisjordânia/ … etc, precisamos ser destruídos a qualquer custo porque para esses judeuSS isto não pode acontecer um país rico como o BRASIL ainda não está todo subjugado e será a salvação deles e do Dólar. Taí GAFE=Armínio Fraga=George Soros=UScrânia=AIPAC=FHC=PSDB=FIESP … etc. Espere sentado! Vai acontecer, infelizmente e a culpada será a RÚSSIA/CHINA/PT/LULA (vai ser morto, lembra do filme QUEIMADA? Marlon BRANDO). A mim não enganam!

Responder

Manoel

06 de junho de 2014 às 22h25

Força Emediato. Não se quede a esse tipo de falsidade do jornal. A verdade sempre vence e vencerá a mentira.

Responder

Deixe um comentário