Bahia: Refinaria privatizada provoca desabastecimento de Gás de Cozinha

Apocalipse now! Produção de petróleo bate novo recorde!

Por Miguel do Rosário

11 de agosto de 2014 : 05h59

p-58

Reproduzo texto que acaba de ser publicado no blog da Petrobrás.

Mais recordes. Enquanto uns afundavam plataformas e vendiam pedaços da Petrobrás para abutres internacionais, outros batem recorde de produção e fortalecem a nossa jóia mais preciosa.

*

Novos recordes de produção em julho

11.Ago.2014

Nossa produção de petróleo no Brasil atingiu em julho a média de 2 milhões e 49 mil barris/dia (bpd), superando em 2% a produção de junho, que foi de 2 milhões e 8 mil bpd. A produção total de petróleo, incluída a parcela operada para nossos parceiros, no Brasil, atingiu, em julho, o recorde histórico mensal de 2 milhões 152 mil bpd.

Nossa produção total de petróleo e gás natural no Brasil foi de 2 milhões 479 mil barris de óleo equivalente por dia (boed). Esse volume é 2,2% maior que o produzido em junho (2 milhões 426 mil boed). A produção total de óleo e gás natural que operamos no Brasil também atingiu, em julho, novo recorde histórico: foram produzidos 2 milhões e 634 mil boed .

Crescimento da produção

O crescimento da produção decorreu, principalmente, do aumento do volume produzido pelas plataformas P-58, que começou a operar em março no Parque das Baleias (área norte da Bacia de Campos), e P-62, que opera desde maio no campo de Roncador (Bacia de Campos).

Contribuíram significativamente para o aumento da produção, também, a entrada em operação, no início de julho, de um novo poço ligado ao FPSO Cidade de Rio das Ostras, no campo de Tartaruga Verde, na Bacia de Campos, para realização de Teste de Longa Duração (TLD), bem como a maior contribuição, no mês, da produção do TLD do FPSO-Dynamic Producer, na área de Iara Oeste, no pré-sal da Bacia de Santos, iniciado no final de junho. Esses testes permitirão a aquisição de importantes informações para o desenvolvimento definitivo dessas áreas.

No mês de julho, seis novos poços offshore começaram a produzir nas bacias de Santos e Campos. Com eles, 36 novos poços já entraram em operação em 2014. Com o início da operação da embarcação do tipo PLSV (Pipe Laying Support Vessel) Sapura Diamante, em 4 de julho, e a chegada de mais cinco unidades desse tipo até o final de 2014, totalizando 19 embarcações, nossa capacidade de interligação de novos poços será ainda maior.

Novos recordes no pré-sal

A produção do pré-sal atingiu novo recorde mensal em julho, chegando a 480 mil bpd. No dia 13 de julho a produção da camada pré-sal das bacias de Santos e Campos atingiu a marca de 546 mil bpd, configurando um novo recorde diário, ultrapassando em 5% o recorde anterior, que foi de 520 mil bpd, alcançado em 24 de junho. Esses volumes também incluem a parte que operamos para nossos parceiros.

Vale destacar, ainda, que no dia 10 de julho o FPSO Cidade de São Paulo, instalado no campo de Sapinhoá, atingiu sua capacidade máxima de produção, que é de 120 mil barris por dia, com a contribuição de apenas quatro poços produtores. Esse resultado confirma a excelente produtividade dos reservatórios desse campo. Além disso, o Teste de Longa Duração na área oeste do Plano de Avaliação de Iara, iniciado no dia 21 de junho, prosseguiu, em julho, com o poço RJS-706 que tem produzido em torno de 29 mil barris diários, confirmando, também, a boa produtividade da área.

Paradas de produção para manutenção

Cumprindo nosso planejamento, foram executadas, em julho, paradas para manutenção em algumas plataformas, o que resultou na interrupção temporária de 41 mil bpd na produção média do mês. Entre as unidades que tiveram a produção interrompida para manutenção, destacam-se: P-54, no campo de Roncador; P-43 e P-48, nos campos de Barracuda e Caratinga; P-57 e FPSO Capixaba, no Parque das Baleias; e FPSO Cidade de São Paulo, no campo de Sapinhoá, no Polo Pré-Sal da Bacia de Santos. Todas essas unidades já retornaram à produção normal.

O Programa de Aumento da Eficiência Operacional (Proef), iniciado em 2012, continua mostrando excelentes resultados, tendo sido responsável, no mês de julho, por uma produção adicional de 91 mil bpd nas Unidades de Operação da Bacia de Campos e Rio de Janeiro.

Novas plataformas em 2014

Novos sistemas de produção entrarão em operação ao longo de 2014 para garantir o crescimento sustentado da curva de produção prevista no nosso Plano de Negócios e Gestão 2014-2018.

No segundo semestre entrará em operação a plataforma P-61, no campo de Papa-Terra (no pós-sal da Bacia de Campos), que será interligada à plataforma semissubmersível SS-88, unidade de apoio do tipo Tender Assisted Drilling (TAD). Também serão instalados, até o final do ano, os FPSOs Cidade de Mangaratiba, no campo Lula, na área de Iracema Sul, e Cidade de Ilhabela, na área norte do campo de Sapinhoá, ambos no pré-sal da Bacia de Santos. Essas duas plataformas deverão sair dos estaleiros para as respectivas locações nas próximas semanas.

Produção de gás natural

A produção de 68,3 milhões metros cúbicos de gás, em julho, superou em 2,9% a do mês anterior, que foi de 66,4 milhões m³/d. Esse volume é o terceiro recorde histórico consecutivo de nossa produção mensal de gás. A produção de gás que operamos, que inclui a parcela operada para as empresas associadas, também alcançou novo recorde histórico de 76 milhões 558 mil m³/d.

Foi mantido o alto índice de aproveitamento desse gás produzido, com 94,3% no mês de julho. Merece destaque o recorde histórico de aproveitamento de gás da Unidade de Operações de Exploração e Produção do Sul (UO-Sul), que atingiu 99,5%.

Produção no exterior

No exterior, produzimos, no mês de julho, a média de 219,7 mil barris de óleo equivalente por dia (boed), o que representa um aumento de 6,2% em relação aos 206,9 mil boed produzidos no mês anterior.

A produção média de óleo, em julho, de 120,1 mil barris por dia (bopd), ficou 5,5% acima dos 113,8 mil bopd produzidos no mês anterior em função, principalmente, do restabelecimento da produção integral da Nigéria, cuja redução, em junho, deveu-se a uma intervenção, programada e já concluída, no gasoduto de exportação de gás do Campo de Akpo.

A produção média de gás natural no exterior foi de 16 milhões 921 mil m³/d, 6,9% acima do volume produzido no mês de junho, que foi de 15 milhões 828 mil m³/d. Esse aumento deveu-se a uma maior produção no Lote 57, campo de Kinteroni, no Peru, causada pela maior demanda por exportação de GNL a partir desse país.

Produção informada à ANP

A produção total informada à ANP foi de 10.112.759 m³ de óleo e 2.493.937 mil m³ de gás em julho de 2014. Esta produção corresponde à produção total das concessões em que atuamos como operadora. Não estão incluídos os volumes do Xisto, LGN e produção de parceiros onde não somos operadora.

Miguel do Rosário

Miguel do Rosário é jornalista e editor do blog O Cafezinho. Nasceu em 1975, no Rio de Janeiro, onde vive e trabalha até hoje.

Apoie O Cafezinho

Crowdfunding

Ajude o Cafezinho a continuar forte e independente, faça uma assinatura! Você pode contribuir mensalmente ou fazer uma doação de qualquer valor.

Veja como nos apoiar »

39 comentários

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site O CAFEZINHO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie.

Escrever comentário »

Rodrigo Toledo

12 de agosto de 2014 às 16h37

E o querosene de aviacao mo brasil está entre os 3 mais altos do mundo.

Responder

Rodrigo Toledo

12 de agosto de 2014 às 16h35

Se o governo nao tivesse represado os precos dos combustiveis, acabando com a industria nacional do etanol, os precos já estariam sim nos patamares mais altos do mundo e, pior, nossa inflacao já estatia acima dos 7%…

Responder

Guilherme Monteiro

12 de agosto de 2014 às 02h26

Gasolina mais cara do mundo? Quando o brasileiro vai aprender a pesquisar antes de emitir opinião? http://oglobo.globo.com/infograficos/preco-da-gasolina-60-paises/

Responder

Vitor

11 de agosto de 2014 às 21h19

Claro que a Petrobrás vai bater recordes e recordes de produção! Não tem como ser diferente! Olha o tamanho do investimento que a empresa vem fazendo nos últimos anos… Se não aumentar a produção, como vai pagar as dívidas?

Responder

    Miguel do Rosário

    11 de agosto de 2014 às 21h32

    Sim, fez dívidas exatamente na perspectiva de aumentar produção. Mas podia dar errado se não fosse competente. O aumento está vindo do presal numa velocidade que nenhuma outra empresa no mundo jamais conseguiu.

    Responder

Rinaldo Costa

11 de agosto de 2014 às 23h38

não é mais caro do que na inglaterra ou holanda,

Responder

Vitor Caponi

11 de agosto de 2014 às 23h37

E ainda pagamos a gasolina mais cara do mundo… estranho né ????

Responder

    JottaElle

    11 de agosto de 2014 às 22h59

    E você é o maior desinformante do mundo. Quais são suas fontes?
    Nossa gasolina ainda está muito longe de ser a mais cara do mundo. Se é muito cara hoje, boa parte da “culpa” é dos governos estaduais que cobram ICMS na faixa dos 30%.

    Responder

Pedro

11 de agosto de 2014 às 20h19

No RMF – resultado de junho de 2.014 da empresa – ela menciona que a produção total de petróleo e gás do primeiro semestre de 2.014 sobre igual período de 2.013 teve um aumento de 1%. Não parece um crescimento expressivo. Que problemas tem a Petrobrás em aumentar sua produção com mais vigor uma vez que as reservas do pré-sal são gigantescas?

Responder

    Miguel do Rosário

    11 de agosto de 2014 às 20h51

    O pré-sal ainda está no começo. Mas está crescendo muito rápido. As reservas antigas estão se esgotando.

    Responder

      Pedro

      11 de agosto de 2014 às 21h50

      Antes da existência do pré-sal a empresa tinha constantes aumentos expressivos de produção na Bacia de Campos. Deixou de investir em Campos no pós-sal e transferiu todos os recursos para o pré-sal onde a dificuldade de exploração é maior e o custo/investimento bem mais caro. Agora perde produção em Campos – o que é natural pela falta de abertura de novos poços – e a produção do pré-sal apenas cobre (com ligeira folga)a exaustão dos poços antigos. Parece uma estratégia pouco inteligente.

      Responder

Alessandro Pacheco

11 de agosto de 2014 às 21h11

é cafezinho …… que surra de informcoes contra o seus “Deus é brasileiro ” e tudo se resolve kkkk

Responder

Rodrigo Toledo

11 de agosto de 2014 às 20h33

Já pensou se a direita começasse a dizer que nao temos programa espacial pq o PT explodiu a base de alcantara??

Responder

    Miguel do Rosário

    11 de agosto de 2014 às 21h37

    Aquilo foi incompetência dos americanos que gerenciavam a base, em mais uma entrega de fhc aos americanos

    Responder

      Olimpio Cardoso

      12 de agosto de 2014 às 22h19

      Incompetência? Como assim Miguel? Segundo o WeakLeaks (www.pragmatismopolitico.com.br/2011/02/wikileaks-revela-sabotagem-contra.html) a maior possibilidade é que tenha sido sabotagem.

      Responder

Rodrigo Toledo

11 de agosto de 2014 às 20h29

A cerca de 2 anos a ss-39 passou por por um problema semeljante ao da p36…a diferenca é qie a equipe embarcada estava bem treinada e conseguiu contornar o problema….ppr isso q digo que a p36 serviu de licao aprendida…

Responder

Rodrigo Toledo

11 de agosto de 2014 às 20h25

Sergio…existem varias e varias casos de acidentes com plataformas….citando 1, a p62 foi lancada pela Dilma e 12 dias depois pegou fogo…o prejuizo foi grande…no comeco desse ano o sindicato dos petroleiros enviou ao ministerio do trabalho um dossiê apontando causas de diversos acidentes, sobretudo em plataformas, causadas por uma pressao do governo para lancar plataformas ainda em fase final de conclusao…pesquise…sao varios e varios casos.. a p36 foi a de maior repercusao..

Responder

Sergio Pereira Amzalak

11 de agosto de 2014 às 20h14

Não foi o governo, ate pq FHC foi DES governo em tudo, foi a INCOMPETÊNCIA. Como o viaduto em BH.

Responder

Sergio Pereira Amzalak

11 de agosto de 2014 às 20h13

Existe outro caso como da P36? Não, mais um ineditismo tucano. O resto é trololó.

Responder

Marcos Sabatini

11 de agosto de 2014 às 20h12

Parabéns, Rodrigo Toledo, ta me parecendo aquele momento em que o editor da matéria pegou o banquinho e saiu de mansinho…………….

Responder

enganado

11 de agosto de 2014 às 17h11

Isto tudo é o “pingo de petróleo” segundo as profecias do iminente economista da Tv Globo, o Nostradamus Sardenberg, a respeito da contribuição do pré-sal a produção da PETROBRÁS. Só mandando esses cara para aquele lugar.

Responder

Pedro Pereira

11 de agosto de 2014 às 16h52

Parabéns para a Petrobrás e seus trabalhadores!

O resto é choradeira de covarde lixo que não sabe de nada.

Responder

Rodrigo Toledo

11 de agosto de 2014 às 19h52

Joao…acho q vc nao conhece o dia-a-dia de uma.plataforma e tao pouco como a diretoria de projetos e operacoes trabalha. O relatorio cita falhas tecnicas e gestao operacional..isso mesmo…isto nao significa que foi o governo tucano que foi la e projetou a p36 errada..ou um funcionario tucano foi lá e operou erroneamente as manobras de valvulas e afins…existe um corpo tecnico que acompanha todos trabalhos…tecnicos, engenheiros , mestres e doutores…nao traga uma explicacao politica para o assunto…vc nao sabe o q esta dizendo…o caso foi encerrado..a p36 era uma plataforma repleta de inovacoes e nao foi produzida da mesma forma e as demais plataformas da epoca…era inédita e a falha passou despercidas de todas as analises de Fmea e hazops realizadas…vc pode dizer que foi culpa do governo..nao espero nada diferente de um petista…mas nao foi o governo quem afundou a p36.

Responder

João Silva

11 de agosto de 2014 às 19h03

Eles adoram um debate técnico… Vou lhes dar um dado que prova que Deus é brasileiro : nunca mais um tucano subirá a rampa do planalto… Registra em cartório pra me cobrar depois…

Responder

Tiago Mosaico

11 de agosto de 2014 às 18h45

Um novo recorde, que lindo! Se essa notícia realmente tem procedência, o que o PT fez para que isso acontecesse? E como isso foi revertido em benefício da população? Ainda não vi esse “recorde”, na bomba de combustíveis!

Responder

Rodrigo Toledo

11 de agosto de 2014 às 17h55

O que os petistas tentam fazer com o acidente da p36 é uma baita injustica politica…é como se a direita começasse a dizer que o acidente na plataforma de lancamento de alcantara em 2003, e que matou mais de 20 pessoas e destruiu nosso primeiro foguete espacial e atrasou em 1 decada nosso programa espacial fosse culpa do PT…vc vê a direita fazendo isso? Nao…pq foi um acidente…

Responder

Rodrigo Toledo

11 de agosto de 2014 às 17h50

Sim…o tragico acidente serviu de aprendizado…os projetos de plataformas e montagem, que desde 1980 acontecem sempre com colaboracao internacional, sofreram varias e varias modificacoes de seguranca..infelizmente o que houve foi um trágico acidente….

Responder

Rodrigo Toledo

11 de agosto de 2014 às 17h45

E o pior, sobre a brilhante sugestao de nosso governo em aumentar o teor de alcool na gasolina: será que todos aqui sabem que a Odebrech, a mesma que construiu o porto de mariel em cuba com financiamento brasileiro, possui dezenas de instalacoes em cuba para producao de etanol e que desde 2010 vem investindk em cuba para producao de etanol? E olha que coincidência: nosso governo quer importar etanol de cuba via porto de Mariel…estranho nao??

Responder

Alessandro Pacheco

11 de agosto de 2014 às 17h26

Rodrigo deu um show de informação … Parabéns e vamos lá com gasolina em breve a 4 reais :)

Responder

Tiago Mosaico

11 de agosto de 2014 às 17h05

Rodrigo Toledo, infelizmente qualquer argumento que você utilizar, mesmo matemáticos, técnicos, documentais e etc. Não serão o suficiente para convencer as pessoas que participam desta página. Eu mesmo já postei várias matérias para mostrar que o PT é um câncer para o Brasil. Mas infelizmente sem sucesso. Mas é bom saber que ainda há cabeças pensantes no país, que esperam uma mudança!

Responder

O Cafezinho

11 de agosto de 2014 às 16h54

ah é, rodrigo. Afundar a maior plataforma do mundo e matar vários funcionários foi “aprendizado”? Bom saber.

Responder

Rodrigo Toledo

11 de agosto de 2014 às 16h32

A p36 foi para a petrobras o que a challenger foi para a Nasa…um imenso aprenzida…nao foi culpa do presidente da republica ou de um partido..é idiota simplifcar isso para fins eleitoreiros..

Responder

Rodrigo Toledo

11 de agosto de 2014 às 16h30

Sim..o pt chama de concessao…

Responder

Rodrigo Toledo

11 de agosto de 2014 às 16h29

Outro ponto: sugerir que o governo psdb afundou a p36 tbm é desconhecer tecnicamente o que houve..nao sou eleitor do psdb mas é um deservico sugerir isso…quem é do ramo do petroleo ou entende de petroleo sabe que a p36 afundou devido falhas no projeto e a nao existencia de 2 valvulas no manifolde do tanque de producao petroleo/gas que, por sinal, gerou falha operacional…

Responder

O Cafezinho

11 de agosto de 2014 às 16h28

rodrigo toledo, aquilo foi concessão para exploração de uma reserva grande demais para explorarmos sozinho. Bem diferente da privatização fulera que FHC fez, vendendo pedaços da Petrobrás a preço de banana na bolsa, enquanto sucateava a empresa.

Responder

Rodrigo Toledo

11 de agosto de 2014 às 16h23

E o pt tbm vendeu pedacos da petrobras…o leilao de libra trouxe a total francesa, a shell e duas chinesas como sócias…entao esse “equanto outros vendiam pedacos da petrobras” soou bem engracado…

Responder

Rodrigo Toledo

11 de agosto de 2014 às 16h13

Como disse em posts anteriores, até outubro virao muitos e muitos recordes…e a despeito da maior oferta de óleo, os combustíveis subirao, as acoes continuam sem tendência definida queda/valorizacao, os dividendos sao “curtos” e continuamos a importar oleo leve para refino de combustivel e, nao menos importante, estamos prestes a aumentar o teor de alcool na gasolina dos ridiculos 25% para 27,5%.

Responder

Marcus Rogeres

11 de agosto de 2014 às 16h05

Eita vem aumento de combustíveis por ai…vamos rumo a 2 dolares o litro de gasolina kkk

Responder

Deixe um comentário