Mais de 70% dos eleitores já estão decididos sobre o voto presidencial, diz DataFolha

Apesar da “crise”, a economia brasileira resiste!

Por Miguel do Rosário

30 de julho de 2015 : 13h46

A força da economia brasileira é impressionante.

É um erro comum a muitos analistas, inclusive do campo progressista, comparar a economia brasileira de hoje com os anos 80 ou 90, ou mesmo nos comparar às economias decadentes da Europa, como Espanha ou Grécia.

Não há comparação. A economia brasileira de hoje é infinitamente mais sólida e mais diversificada do que a dos anos 90, porque temos muito mais infra-estrutura, mais petróleo, mais energia, mais projetos em andamento, houve um gigantesco crescimento do mercado de consumo, as contas públicas são mais sólidas, o mercado de trabalho amadureceu, a mão-de-obra evoluiu.

A economia não vai as mil maravilhas. Há enormes desafios a superar. E o governo faz um jogo perigoso, ao sacrificar-se politicamente em nome de iniciativas econômicas defendidas pelo campo adversário.

Entretanto, as filas de espera para os restaurantes da moda continuam crescendo, os vôos continuam lotados, as lojas permanecem cheias, a venda de ingressos para os cinemas bate recordes.

Sim, há setores em crise, como o de construção civil, em função da maneira irresponsável como o Ministério Público conduz a operação Lava Jato, portando-se quase com sadismo em relação ao imenso mercado de trabalho envolvido.

A mídia e os setores que conspiram contra o governo e contra o Brasil querem produzir uma crise de qualquer jeito, para usá-la como instrumento de pressão política contra Dilma.

O próprio governo brinca com fogo, ao impor um ajuste fiscal sem fazer antes uma campanha política de esclarecimento da população.

Jornalistas e analistas, porém, costumam subestimar a inteligência do povo para driblar a crise.

Os institutos de pesquisa não captam a criatividade do povo.

O povo muda seus hábitos conforme a inflação, de maneira que a inflação real na casa do cidadão é diferente da inflação do instituto de pesquisa.

A inflação dos primeiros 15 dias julho, medida pelo IBGE, ficou em 0,59%. Ainda é alto, mas é o menor índice do ano. E nos últimos meses, a inflação tem arrefecido, de maneira que não é correto alardear um descontrole inflacionário que não existe.

ScreenHunter_6043 Jul. 30 13.40

A comparação com Grécia ou Espanha é simplesmente idiota porque o nosso endividamento é muito baixo, comparativamente a outras economias, e nosso nível de reservas internacionais é um dos mais altos e sólidos do mundo.

Abaixo reproduzo algumas notícias de hoje, que naturalmente não vão para as manchetes da mídia apocalíptica. Ficam escondidas, quase com vergonha, em pés de página.

Contra a apatia irritante do governo, contra o conspiracionismo destrutivo do Ministério Público, contra as campanhas apocalípticas da mídia, contra as manobras sinistras do imperialismo, contra tudo e contra todos, a economia brasileira resiste!

***

No blog Arena do Pavini

Lucro da Vale avança 61%, Ambev lucra R$ 2,5 bi e Embraer ganha R$ 399,6 mi no 2º trimestre
Por Mayara Baggio

A mineradora Vale lucrou 61% mais no segundo trimestre deste ano, ante 2014, enquanto a líder em vendas de bebidas no país Ambev teve lucro de R$ 2,5 bilhões e os ganhos da fabricante de aviões Embraer cresceram 24,9%, apontaram os balanços divulgados hoje pelas companhias.

Após três trimestres de prejuízo, Vale ganha R$ 5 bi

Puxada pela melhora nos preços do minério de ferro no mercado internacional e por reduções em custos, a Vale registrou lucro líquido de R$ 5,144 bilhões no período, uma alta de 61,4% na análise anual. Depois de registrar prejuízo por três trimestres seguidos, a empresa brasileira apresentou uma geração de caixa livre, apontada pelo lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização (Ebtida, na sigla em inglês), de R$ 6,817 bilhões, contra R$ 9,136 bilhões nos mesmos meses de 2014.

De abril até junho, a receita líquida da mineradora totalizou R$ 21,44 bilhões, um recuo de 3% ante o ano anterior, enquanto os custos aumentaram em 17,7%, para R$ 15,97 bilhões, e as despesas operacionais caíram 49,9%, para R$ 1,53 bilhão.

Mesmo com vendas menores, Ambev lucra R$ 2,5 bi

Já na Ambev, o lucro líquido somou R$ 2,5 bilhões, uma alta de 15,7% na comparação com 2014. A receita líquida da companhia ficou em R$ 9,91 bilhões, acima dos R$ 8,17, bilhões do ano passado. O Ebtida da fabricante cresceu 23,9%, para R$ 4,12 bilhões, apesar da queda nas vendas. Os volumes de vendas consolidados diminuíram em 3,4%, diante da comparação com os meses da Copa do Mundo de 2014 no Brasil. No trimestre, as vendas caíram 7,9%.

Lucro da Embrar sobe 25%

Devido, principalmente, à valorização do dólar frente ao real, a fabricante de jatos Embraer teve lucro líquido no segundo trimestre de R$ 399,6 milhões, um aumento de 24,9% na comparação com o ano anterior. A receita líquida da exportadora totalizou R$ 4,66 bilhões, avanço de 18,6%. Por fim, o Ebtida da companhia diminuiu em 5,95% na análise anual e somou R$ 548,2 milhões. No relatório trimestral, a Embraer também revisou suas projeções de receita para 2015: entre US$ 5,8 bilhões e US$ 6,3 bilhões, ante estimativa anterior de US$ 6,1 bilhões e US$ 6,6 bilhões. A mudança ocorreu por conta de uma diminuição de US$ 300 milhões nos ganhos das áreas de defesa e segurança da empresa.

***

No G1

Lucro do Bradesco cresce e chega a R$ 4,47 bilhões no 2º trimestre

Em relação ao mesmo período de 2014, aumento foi de 18,4%.

No primeiro semestre, o lucro da instituição somou R$ 8,717 bilhões.
Do G1, em São Paulo

O banco Bradesco anunciou ter registrado lucro líquido contábil de R$ 4,473 bilhões no segundo trimestre de 2015, após atingir R$ 4,244 bilhões nos três meses anteriores – um aumento de 5,4%. Já na comparação com o mesmo período do ano passado, o lucro mostrou crescimento de 18,4%.

O banco Bradesco atingiu seu maior lucro trimestral na história, segundo levantamento da consultoria Economatica. De acordo com o levantamento, considerando todos os bancos de capital aberto, o lucro do Bradesco neste segundo trimestre é o terceiro maior da história, atrás apenas dos resultados do Banco do Brasil, em 2013, e do Itaú Unibanco, em 2014.

Miguel do Rosário

Miguel do Rosário é jornalista e editor do blog O Cafezinho. Nasceu em 1975, no Rio de Janeiro, onde vive e trabalha até hoje.

Apoie O Cafezinho

Crowdfunding

Ajude o Cafezinho a continuar forte e independente, faça uma assinatura! Você pode contribuir mensalmente ou fazer uma doação de qualquer valor.

Veja como nos apoiar »

42 comentários

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site O CAFEZINHO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie.

Escrever comentário »

Vladimir Penna

01 de agosto de 2015 às 16h50

Por favor! Iria chamar essa análise de cenário de tosca e superficial, mas é muito pior, é má-fé! Pagamos o preço de uma dívida curta e cara em função dessa presunção, de uma ideia de “vagabundo” de que o calote nos traria algum alívio! Pelo contrário, até hoje pagamos o pato!! Não fossem alguns senhores responsáveis e realmente comprometidos com a pátria, como o ex-ministro Pedro Malan, estaríamos lascados! Economia é uma ciência séria! Não é fazer um blablabla e apresentar alguns gráficos perdidos que valida uma argumentação tendenciosa e precária como a de vocês.

Responder

    Miguel do Rosário

    02 de agosto de 2015 às 13h06

    Confira como estavam as contas ao fim do governo FHC e depois venha falar comigo.

    Responder

Marcia Campelo de Oliveira

01 de agosto de 2015 às 03h17

#ApesarDaMidia

Responder

Lilian Marinho

31 de julho de 2015 às 14h14

Regina Selma Marinho

Responder

Anônimo

31 de julho de 2015 às 07h19

COM DEMOCRACIA QUEREMOS MONARQUIA !! https://www.facebook.com/Brasil.Monarquia?fref=ts

Responder

Tania Rego

31 de julho de 2015 às 06h03

Sim

Responder

Nelson Roberto

31 de julho de 2015 às 03h25

#DILMACONFIOEMVOCE

Responder

Adileine Silva Martins Péres

31 de julho de 2015 às 02h39

Apesar da Veja DILMA venceu as eleições, apesar da mentira a economia sobrevive e avança. Chorá coxinhas.

Responder

Adileine Silva Martins Péres

31 de julho de 2015 às 02h39

Apesar da Veja DILMA venceu as eleições, apesar da mentira a economia sobrevive e avança. Chorá coxinhas.

Responder

Néya Pedroso

30 de julho de 2015 às 22h41

vocês até podem não ter muita curtição nesse tipo de notícia, como vc mesmo citou, principalmente a oposição, mas que todos vão ler, ah ! isso vão!

Responder

Bruno Scheuenstuhl

30 de julho de 2015 às 21h11

Os aeroportos continuam lotados.

Responder

Ernani

30 de julho de 2015 às 17h14

Concordo que não podemos fazer comparações com décadas passadas ou com países em situações muito delicadas, mas nossa economia é infinitamente mais sólida e diversificada graças às benfeitorias proporcionadas pelos governos progressistas.

Responder

Eudete Bezerra

30 de julho de 2015 às 19h05

#ApesarDaCrise

Responder

Izide Favaron Elias

30 de julho de 2015 às 18h31

#ApesarDaCrise

Responder

Edson Maia

30 de julho de 2015 às 18h29

A resiliência do brasileiro

Responder

Jorge Henrique Farias Nagel

30 de julho de 2015 às 18h22

Apesar do PT e do DESgoverno da Dilma, o Brasil AINDA resiste.

Responder

Rose Andrade

30 de julho de 2015 às 18h10

Logico…a GM INVESTE 13 BILHÕES NO BRASIL…A VALE FATURA 46%……ESSAS NOTICIAS VI HOJE EM MEIO DE COMUNICAÇÃO SERIO….OS VENDIDOS NÃO SE PRONUNCIARAM…

Responder

Eduardo Homemfranco

30 de julho de 2015 às 17h52

A ÚNICA MANEIRA DE TER UM BRASIL RICO E PRÓSPERO É ACABANDO COM AUDIÊNCIA DA “PiG” PARTIDO DA IMPRENSA GOLPISTA, COMANDADA PELA REDE GLOBO, REVISTAS VEJA E ÉPOCA, JORNAL ESTADÃO, FOLHA E O GLOBO, E TAMBÉM ACABAR COM O ENTREGUISMO E FASCISMO DO PSDB, VAMOS A LUTA , POIS CADA DIA QUE PASSA MENOS AUDIÊNCIA ELES TEM…

Responder

Adnnub

30 de julho de 2015 às 14h52

Não entendo nada de economia. Às vezes pode comparar, às vezes não pode. Acho que já vi algumas vezes o cafezinho comparando tais décadas com a atual, heim.

Mas o importante é sair da crise e que as empreiteiras vítimas da conspiração possam retomar as obras necessárias para retomada do crescimento.

Responder

    Miguel do Rosário

    30 de julho de 2015 às 14h56

    Sim, comparando para apontar diferenças, não?

    Responder

Vitor

30 de julho de 2015 às 14h44

Achar que a mídia PRODUZ a crise é um erro. A crise existe e tá cheio de evidências disso por toda parte. O que a mídia faz é INFLAR a crise, para parecer ainda pior do que realmente é.
Em relação a inflação, qualquer pessoa que já tenha visto uma série anual do IPCA sabe que existe sazonalidade e realmente uma grande queda nos meses de junho/julho. Eu esperava até uma queda maior que essa, mas isso não significa que a inflação esteja descontrolada, não está.
O que é de matar qualquer um são essas notícias:
http://www.valor.com.br/financas/4155578/bc-eleva-selic-1425-e-sinaliza-fim-de-aperto
http://www.valor.com.br/financas/4155856/bradesco-fecha-trimestre-com-lucro-ajustado-de-r-45-bi-alta-de-18
http://www.valor.com.br/financas/4155876/lucro-ajustado-do-santander-brasil-sobe-166-no-segundo-trimestre

Responder

    Miguel do Rosário

    30 de julho de 2015 às 14h56

    Sim. A mídia infla a crise.

    Responder

Mercia Belo

30 de julho de 2015 às 17h23

Que crise? Só vejo lojas, restaurantes, shoppings, revenda de carros, concessionárias lotadas..Que crise?

Responder

    Vitor

    30 de julho de 2015 às 16h40

    Tá de brincadeira, né? O varejo sofreu forte queda nas vendas. O setor automobilístico é um dos que mais demitem e o número de carros vendidos despencou!
    Você acha que nas crises as pessoas param de comprar? Elas compram menos apenas…
    Dica: Alterne os blogs progressistas com um pouco do Valor Econômico e leia tb sites como a Fenabrave e o IBGE…

    Responder

      Miguel do Rosário

      30 de julho de 2015 às 17h14

      Sim, o setor de carros é muito afetado pelos juros.

      Responder

        Vitor

        31 de julho de 2015 às 09h02

        Não só pelo juros, mas pelo crédito de forma geral. Os bancos apertam o crédito quando acham que a inadimplência vai aumentar, o que está acontecendo agora. Aí as aprovações despencam.

        Responder

Michael Gimenez

30 de julho de 2015 às 17h21

Daniela Gimenez Gabriela Gimenez Cristine Gimenez de Moura

Responder

Horatio Nelson

30 de julho de 2015 às 17h03

Como sugerido ” apesar da crise ” versão 3 – com alterações sugeridas – para a sua aprovação:

– A empresa X – apesar da crise – fechará somente o serviço de motoboy, taxi, babás, quentinhas e assessorias de imprensas ….

Assessorias de Imprensa !?!?!… NÃO PERAAAAA !!!!!

Responder

Horatio Nelson

30 de julho de 2015 às 17h03

Como sugerido ” apesar da crise ” versão 2 – com alterações sugeridas – para a sua aprovação:

– A empresa X – apesar da crise – fechará somente o serviço de motoboy, taxi, babás e quentinhas….

Responder

Horatio Nelson

30 de julho de 2015 às 17h02

Como sugerido ” apesar da crise ” versão 1 para a sua aprovação:

– A empresa X – apesar da crise – fechará somente o serviço de motoboy e taxi.

Responder

Marcos Portela

30 de julho de 2015 às 16h54

Lava Jato CONTRA CORRUPÇÃO ou GOLPE FEDERAL? Como pode uma INSTITUIÇÃO FEDERAL, no estado do Paraná, ATACAR ESTATAIS e EMPRESAS brasileiras, DESEMPREGANDO milhares no país, alegando COMBATE À CORRUPÇÃO, CONTRADIÇÃO de quem usa TARJAS PRETAS para ESCONDER e INVALIDAR PROVAS de CORRUPÇÃO contra PARTIDOS de OPOSIÇÃO como PSDB e DEM, que aliados a GRANDE MÍDIA mais parecem uma ORGANIZAÇÃO CRIMINOSA, INSTALANDO o CAOS no país, usando a política do QUANTO PIOR MELHOR, panelinha que virou PANELAÇO.

Responder

Deixe um comentário

O Xadrez para Governador do Ceará Lula ou Bolsonaro podem vencer no 1º turno? O Xadrez para Governador de Santa Catarina