Análise em vídeo das manifestações do 2 de outubro e as vaias a Ciro

Mais Médicos recebe nota 9 de usuários!

Por Liana Carvalho

03 de agosto de 2015 : 11h45

Usuários do Mais Médicos dão nota 9 ao programa, aponta pesquisa.
A maioria dos pacientes atendidos pelos estrangeiros não sentiu dificuldades na comunicação.

Por Aline Leal, Repórter da Agência Brasil
Publicado no site Carta Maior

Pesquisa mostra que usuários do Mais Médicos dão nota nove,
em uma escala de zero a 10, como nota média para o programa. O levantamento, feito pelo Grupo de Opinião Pública da Universidade Federal de Minas Gerais, mostra que 54% dos usuários entrevistados dão nota 10 ao programa, criado em 2013 para levar médicos a regiões carentes.

Encomendado pelo Ministério da Saúde, o estudo aponta que, diferentemente do que os que são contra o programa pensavam, a maioria dos pacientes atendidos pelos médicos estrangeiros não sentiu dificuldades na comunicação. Os dados apontam que 84% não tiveram dificuldades de entendimento e que apenas 2% sentiram muita dificuldade.

Para Helcimara Telles, coordenadora da pesquisa, o que faz com que o programa seja bem avaliado é o atendimento médico. ”Mesmo que a infraestrutura da Unidade Básica de Saúde não seja muito boa, mesmo que faltem coisas, quando o atendimento médico é bom isso repercute bem na avaliação do programa”, defende a pesquisadora. Para a coordenadora, essa satisfação pode estar ligada à experiência dos médicos, já que 63% dos profissionais têm mais de dez anos de experiência, a maioria na atenção básica.

O perfil do usuário mostra que a maioria (80%) dos pacientes são mulheres, com filhos, renda de até dois salários mínimos e que 40% recebem bolsa família. “Isso mostra que o programa está atendendo o público alvo”, explica Helcimara.

Como desafios principais apontados pelos usuários, o levantamento destaca as dificuldades no acesso aos medicamentos, na marcação de consultas e na demora para receber o atendimento. Além disso, os pacientes também reclamam que não conseguem ser atendidos pelo mesmo profissional, o que dificulta o acompanhamento do histórico de saúde.

Comparando com o período anterior à chegada dos médicos do programa, 84% acham que o atendimento melhorou muito, 83% apontam melhora na duração da consulta e 81% acreditam que o profissional conhece mais os problemas de saúde do que os médicos anteriores.

Os resultados da pesquisa foram apresentados durante o 11º Congresso Brasileiro de Saúde Coletiva, em Goiânia. As entrevistas foram feitas em Unidades Básicas de Saúde de 700 municípios de todas as regiões do país entre 17 de novembro e 23 de dezembro de 2014. A margem de erro é 1%.

Para a doutora em saúde pública e professora do Instituto de Estudos em Saúde Coletiva da Universidade Federal do Rio de Janeiro, Lígia Bahia, o programa cumpriu um papel importante no atendimento em áreas carentes. “Ele não muda a estrutura do sistema público de saúde, mas ele foi capaz de levar assistência a uma parcela da população que não tinha”.

Ela destaca que os médicos cubanos são muito experientes e bons e que isso pode ter levado à avaliação tão positiva dos pacientes. No entanto, Lígia contesta o modelo de dar uma nota ao programa. “Uma nota resumo não é um método adequado para uma pesquisa de satisfação do usuário. Para mim, uma nota nove não quer dizer nem que o sistema é excelente e nem que não funciona.”, defende,

*A repórter viajou a convite da Associação Brasileira de Saúde Coletiva – Abrasco

Apoie O Cafezinho

Crowdfunding

Ajude o Cafezinho a continuar forte e independente, faça uma assinatura! Você pode contribuir mensalmente ou fazer uma doação de qualquer valor.

Veja como nos apoiar »

9 comentários

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site O CAFEZINHO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie.

Escrever comentário »

olney cardoso GALVÃO

05 de agosto de 2015 às 08h51

o mais médico vai mudar a estrutura do SUS sim , quando começar a formar

médicos das NOVAS faculdades de Medicina com currículo generalista e

localizadas em cidades do interior e com residência médica para TODOS os ´

médicos ( hoje só 20% dos formados) .

OCG

Responder

Lusimar Martins

04 de agosto de 2015 às 17h50

só mais médicos não adianta.
eles precisam de equipamentos e laboratórios de verdade
porque em muitos lugares nem uma máquina de RX TEM. OU QUANDO TEM NÃO FUNCIONA. NE. ……

Responder

Ermenson Nobre

03 de agosto de 2015 às 21h12

Nota 9 e Cuba recebendo bilhões KKkk PT

Responder

Ermenson Nobre

03 de agosto de 2015 às 21h12

Nota 9 e Cuba recebendo bilhões KKkk PT

Responder

Eunice Nunes Gruske

03 de agosto de 2015 às 20h56

Eu dou nota dez! Nunca fui tão bem atendida por médicos brasileiros quanto já fui pelos cubanos.

Responder

Eunice Nunes Gruske

03 de agosto de 2015 às 20h56

Eu dou nota dez! Nunca fui tão bem atendida por médicos brasileiros quanto já fui pelos cubanos.

Responder

Irene Krause

03 de agosto de 2015 às 17h43

Responder

Klaybson Menezes Conceição

03 de agosto de 2015 às 14h57

O que adianta falar português quando nen ouvi.

Responder

Marcos Portela

03 de agosto de 2015 às 14h48

Lava Jato CONTRA CORRUPÇÃO ou GOLPE FEDERAL? Como pode uma INSTITUIÇÃO FEDERAL, no estado do Paraná, ATACAR ESTATAIS e EMPRESAS brasileiras, DESEMPREGANDO milhares no país, alegando COMBATER a CORRUPÇÃO, CONTRADIÇÃO de quem usa TARJAS PRETAS para ESCONDER e INVALIDAR PROVAS de CORRUPÇÃO contra PARTIDOS de OPOSIÇÃO como PSDB e DEM, que aliados a GRANDE MÍDIA mais parecem uma ORGANIZAÇÃO CRIMINOSA, INSTALANDO o CAOS no país, usando a política do QUANTO PIOR MELHOR, panelinha que virou PANELAÇO.

Responder

Deixe um comentário